E não é o Severino?, por Diógenes Brayner

0

A hora que o leitor estiver lendo esta coluna, o presidente da Câmara Federal, deputado Severino Cavalcante (PP-PE) estará desembarcando em Nova Iorque. Participa da 2ª Conferência Mundial de Presidente de Parlamento da União Interparlamentar. Severino levou na bagagem uma denuncia séria, que abala o já combalido Congresso Nacional, que atravessa um período difícil em razão da crise política que envergonha o país há mais de cem dias.

 

Talvez fosse melhor, para ele e para o Brasil, ter cancelado a viagem, porque mesmo que não sejam confirmadas as denuncias, o parlamento brasileiro será representado por um homem com a mácula de corrupto. Além disso, sem nenhum preconceito, Severino não é uma figura que ofereça competência e postura para o cargo que exercer. Assim como o presidente Lula, ele também não estava preparando para conduzir a Câmara dos Deputados.

 

Em Nova Iorque, Severino terá encontros com os presidentes dos parlamentos da China e da Bulgária e oferecerá um almoço de trabalho aos presidentes de parlamentos dos países de língua portuguesa. No almoço, será debatida a preparação do 5º Fórum dos Parlamentos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que será realizado em novembro em Luanda, capital de Angola.


Severino retorna ao Brasil no sábado, mas ainda fará um discurso na manhã de sexta-feira, dia do encerramento da conferência.

 

Aqui no Brasil, partidos da oposição e setores da situação não dão trégua ao caso Severino. O vice-líder do PPS, deputado Raul Jungmann (PE), anunciou que seu partido subscreveu pedido suprapartidário para que o presidente Severino Cavalcanti deixe a Presidência da Câmara durante a apuração das denúncias feitas contra ele pelo empresário Sebastião Augusto Buani, que administra um dos restaurantes da Casa. O deputado entende que isso não representa um pré-julgamento para o presidente da Câmara: “O problema é que, como presidente, ele seria ao mesmo tempo juiz e réu, o que causaria uma situação constrangedora para ele e para todos nós”.


Na avaliação de Jungmann, caso não haja qualquer fundamento nas denúncias, Severino voltaria a ser presidente no gozo de maior legitimidade. “É absolutamente necessário que esses fatos sejam averiguados, pois não podem pairar dúvidas sobre qualquer um que exerça mandato parlamentar, principalmente o de presidente da Câmara”, observou.


Como já era esperado, Severino nega as acusações de corrupção em três notas oficiais. Ele pediu à Corregedoria da Casa, à Polícia Federal, ao Tribunal de Contas da União e à Diretoria-Geral da Câmara para investigar as denúncias.

 

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), que na semana passada teve uma forte discussão com Severino Cavalcante, garantiu que o seu partido vai lutar para que ele deixe a Presidência da Câmara: “havendo suspeita de corrupção, vamos persegui-lo até o fim e pedir a perda do mandato de Severino na Mesa Diretora”, ameaçou. Gabeira considera que a saída do presidente seria necessária “para ajustar a Câmara ao Brasil”.

 

Acrescenta que “Severino não tem mais condições de ser o árbitro das investigações conduzidas pela Casa neste momento tão delicado da nossa história”, completou. Ontem à tarde, o próprio Gabeira, ao lado de representantes do PSDB, deputado Alberto Goldman (SP); da minoria, José Carlos Aleluia (PFL-BA); Raul Jungmann (PE), decidiram entregar carta a Severino Cavalcanti, pedindo que se afaste do cargo até o fim das investigações sobre a denúncia de que teria recebido propina do empresário Sebastião Augusto Buani, proprietário da empresa Buani & Paulucci, administradora do restaurante do 10º andar do Anexo 4. Goldman convidará o PMDB e o PT a também assinar o documento.


Severino já anunciou que não vai se afastar do cargo e se fortaleceu com o desmentido de Buani, negando o pagamento de propina e exigindo o mesmo espaço na imprensa para divulgar o desmentido. Mesmo assim a oposição vai ficar atentar e acompanha o caso na Corregedoria. Severino só perde o cargo de presidente se for cassado. 

 

HELENO

O deputado federal Heleno Silva (PL) confirmou que foi convidado pelo líder do PSB na Câmara, Renato Casagrande. Heleno disse que vai avaliar a reforma política que está em tramitação, para ver como será o comportamento do seu grupo no estado.

 

COMPOSIÇÃO

Heleno Silva também anunciou que se for mantida a verticalização o Partido Liberal não manterá a coligação com o Partido dos Trabalhadores a nível nacional. Anunciou que foi em razão disso que o vice-presidente da República, José Alencar, teria deixado o Partido Liberal.

 

MACHADO

Ontem pela manhã, quando era entrevistado pelo radialista Fábio Henrique, o deputado federal Heleno Silva foi convidado pelo seu colega José Carlos Machado e ingressar no PFL. Heleno diz que está analisando tudo porque neste momento não pode dar passo errado. Diz que mantém seu nome como candidato ao Senado.

 

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PMDB), em conversa com aliados de hoje e ontem, mantém o desejo de disputar o governo do estado no próximo ano. O presidente do PMDB, Benedito Figueiredo, já disse que o partido terá candidato ao governo e tudo indica que pode ser o de Almeida. Ou o dele…

 

PROGRAMA

Alguns membros do PSB não falam ao senador Valadares, mas revela à imprensa que não aprovam a participação do prefeito Marcelo Déda (PT) no programa de TV do partido. Um desses membros disse que o PT não coloca ninguém do PSB nos seus programas e, ao colocar Déda, faz com que dois ou três integrantes do PSB fiquem fora.

 

AUGUSTO

O deputado estadual Augusto Bezerra (PFL) reforçou, ontem, que o presidente Lula não fez absolutamente nada por Sergipe. Perguntou: “cadê a BR-101?” Lembrou que Lula não deu assistência quando houve enchentes no sertão e o ministro Ciro Gomes boicota o projeto Jacaré/Curituba.

 

DUTRA

O ex-presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra (PT), assume ontem a Secretário de Articulação Política e Relações Instituições da Prefeitura de Aracaju. Em seu discurso disse que veio para colocar seu nome à disposição do partido para disputar um mandato em 2006. Marcou data de saída da pasta: 30 de março de 2006.

 

À LUTA

O prefeito Marcelo Déda (PT) insistiu que está pronto para ir à luta na disputa pelo governo do estado. É candidatíssimo. Déda considerou que José Eduardo Dutra veio para somar e que vai iniciar o trabalho junto a lideranças da capital e interior, como também em Brasília.

 

CONVERSA

Os deputados Adelson Barreto e Fabiano Oliveira (PTB) terão uma conversa estas semana com o deputado federal Jackson Barreto (PTB). O objetivo é verificar a situação do partido, a reforma política e como será o comportamento do PTB a partir de agora. O encontro deveria ter ocorrido na semana passada.

 

UNIÃO

O deputado estadual Fabiano Oliveira deve ficar mais atento ao que está acontecendo ao seu redor. Tem deputado do seu grupo político que está dando em cima do pessoal da USES. A USES apóia Fabiano Oliveira desde as eleições anteriores. Na sedução há, inclusive, ofertas de cargos para os dirigentes da entidade.

 

SEVERINO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) concorda que o presidente da Câmara Federal, Severino Cavalcante (PP) deveria se afastar da função. Acha que ele fora afastado da presidência pode se apurar a denuncia de que ele teria recebido propina do dono de um restaurante naquela Casa. Machado, entretanto, acha difícil ele sair.

 

BRASÍLIA

Apesar do recesso branco decretado pelo presidente Severino Cavalcante esta semana, o deputado José Carlos Machado viaja a Brasília hoje. Vai se reunir dos membros da Comissão Mista do Orçamento, que terão encontros com ministros, para discutir a questão das emendas orçamentárias.

 

AVALIAÇÃO

O secretário de Finanças do Município, Nilson Lima (PT) fez uma avaliação da primeira semana dos 15 minutos para atendimento bancário: “houve um avanço considerável”. Segundo Nilson, a melhor performance foi a da Banese, que tem atendido rigorosamente dentro do tempo determinado. O secretário disse que estava satisfeito.

 

ALMOÇO

O governador João Alves Filho (PFL) almoçou ontem com empresários do comércio. Estiveram com ele 18 presidentes dos CDLs e seus diretores de todo o Estado. João Alves fez uma explanação das obras que o seu governo vem realizando e mostrou interesse em estreitar o relacionamento com a classe.

 

PASSE LIVRE

A Comissão de Seguridade Social e Família aprovou na semana passada Projeto de Lei, do deputado Luiz Carlos Santos (PFL-SP), que determina ampla divulgação do benefício do passe livre no sistema de transporte coletivo interestadual concedido aos portadores de deficiência que comprovem ter baixa renda.


A lei que concede o passe livre existe há mais de dez anos. O relator da proposta considera grande o desconhecimento sobre esse direito, principalmente entre os beneficiários, que, de modo geral, têm pouco acesso à informação.

 

MULHER

A notificação da violência contra a mulher a autoridades policiais será obrigatória, caso seja aprovado projeto de lei do deputado Carlos Nader (PL-RJ). Todo atendimento de urgência a mulheres em unidades de saúde deverá ser informado quando houver violência comprovada ou presumida e lesão corporal.


De acordo com o projeto, o profissional de saúde responsável pelo atendimento deverá preencher formulário oficial de notificação e encaminhar à delegacia especializada da mulher ou a outro órgão policial responsável.

 

ENTENDIMENTO

O vereador Fábio Henrique (PDT), sugeriu, ontem, na Câmara que houvesse um grande entendimento entre policiais militares e médicos. A briga entre as duas categorias não interessa. O vereador sugere uma reunião entre o comando da PM e as representações médicas para se discutir uma saída para o problema.

 

Fábio se propôs a intermediar o encontro, “a grande contribuição que nós podemos dar neste momento é buscando o entendimento, com equilíbrio e sensatez, são duas categorias importantes e que merecem nossa atenção”.

 

É fogo…

 

O governador João Alves Filho viajou ontem à tarde a São Paulo e hoje segue direto para o Maranhão. O secretário César Gama, da Comunicação, o acompanhou.

 

O vice-presidente José Alencar deixou o PL porque a legenda está se distanciando do Partido dos Trabalhadores.

 

Todos os parlamentares da oposição e a maioria dos integrantes do bloco de apoio ao governo querem que Severino Cavalcante se afaste da Presidência da Câmara espontaneamente.

 

Setembro será um mês de muita movimentação com a troca de partidos. Os políticos estão fazendo cálculos sobre as perspectivas de quociente eleitoral.

 

A maioria dos candidatos está consciente que qualquer posição política deve ser adotada com a aprovação de novas medidas eleitorais.

 

Carlos Leme dará palestra em Aracaju, dia 13, às 20 horas, provavelmente no Centro de Convenções.

 

Carlos Leme vai falar sobre a conjuntura atual do país nessa tumultuada crise e as perspectivas para o futuro.

 

A deputada estadual Ana Lúcia Menezes (PT) vai bater de frente com seus ex-aliados no PT estadual, pelo grupo A Esperança é Vermelha.

 

Com o apoio do prefeito Marcelo Déda (PT), o superintendente estadual do Ibama, Márcio Macedo, é candidato à direção estadual do PT.

 

O ministro da Integração, Ciro Gomes, continua instigando o governador João Alves Filho em relação a transposição do rio São Francisco.

 

Os auditores da Receita Federal farão uma greve de 48 horas a partir de 8 de setembro. Será uma paralisação de advertência.

 

A Petrobrás e o Banco do Brasil assinaram protocolo de intenção para fomentar o programa brasileiro de biodíesel.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários