E o Réveillon?

0

O tradicional Réveillon da Orla de Atalaia pode não acontecer este ano por conta da troca de comando na Prefeitura de Aracaju justamente no dia 1º de janeiro de 2013. No ano passado, o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) anunciou a programação do Réveillon no dia 14 de novembro. Pelo menos até agora a administração municipal não se manifestou sobre o assunto e, ao que se sabe, nenhum artista foi contratado para animar a festa. Portanto, o mais provável é que a virada de ano em Aracaju não conte com a tradicional queima de fogos e que as comemorações ocorram apenas em ambientes particulares, como os hotéis da Orla de Atalaia.

Deve recorrer

A deputada estadual Susana Azevedo (PSC) vai aguardar a notificação judicial sobre a anulação de sua eleição como conselheira para o Tribunal de Contas do Estado. Só a partir daí que ela e a Mesa Diretora da Assembleia anunciam se vão recorrer da decisão tomada pela desembargadora Suzana Carvalho. Pelo menos enquanto a questão continuar na Justiça, o TCE economiza um salário de conselheiro, além das mordomias inerentes ao cargo.

Irrigação

O Programa Mais Irrigação do governo federal vai trazer em 2013 para Sergipe investimentos na ordem de R$ 20 milhões. Os recursos serão aplicados nos perímetros irrigados administrados pela Codevasf. Esse valor será destinado à compra de equipamentos, construção e recuperação de canais de irrigação e modernização das 103 estações de bombeamento.

Trapalhões

Dependesse do deputado estadual José Franco (PDT), o governador Marcelo Déda (PT) demitiria alguns secretários. Segundo o parlamentar, os auxiliares do petista só têm atrapalhado o andamento do projeto do Executivo pedindo autorização à Assembleia para contrair um empréstimo de R$ 727 milhões. Zé Franco não deu os nomes dos secretários trapalhões, mas há quem aposte que Déda sabe quem são. Será?

Justificativa

O eleitor que deixou de votar no 2º turno das eleições passadas e não justificou a ausência no dia do pleito poderá apresentar a justificativa até o dia 27 de dezembro. Já quem faltou ao 1º turno deve regularizar a situação até o dia 6 do mesmo mês. A justificativa deve ser apresentada em qualquer cartório eleitoral. Para tanto, o eleitor deve preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral, que é obtido, gratuitamente, nos próprios cartórios.

Premiada

A Deso foi selecionada para receber o Prêmio Socioambiental Chico Mendes – edição 2012. A empresa conquistou o reconhecimento pelo programa "Educação Ambiental para Uso Racional da Água e Preservação do Meio Ambiente". A premiação ocorre no dia 26 deste mês, em São Paulo. Legal!

Inimigos

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação classificou como “inimigos da educação” os governadores que não implantaram a Lei 11.738, do piso nacional do magistério. O governador Marcelo Déda (PT) integra a lista composta por outros 14 chefes de executivos estaduais.

Em aberto

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Carlos Ayres Britto, se aposenta domingo sem deixar na Corte seus votos com as penas sugeridas a 14 réus que condenou no processo do mensalão. Na última sessão da qual participou, na quarta-feira, Britto levou seus votos para ler aos colegas. No entanto, com as homenagens e despedidas, além dos longos votos sobre as penas de integrantes do núcleo financeiro, não houve tempo hábil.

Em campanha

Derrotado nas eleições passadas, o vereador aracajuano Fábio Mitidieri (PSD) já está de olho nas eleições de 2014. Ele deseja disputar uma cadeira na Câmara Federal, e para tanto tem procurado costurar apoios políticos. Segundo publica o jornalista Diógenes Brayner, Fábio já teria conquistado o apoio do prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo (PMDB), que, a exemplo do vereador, não conseguiu se reeleger.

Do baú político

Logo após ter sido indicado para o Ministério do Interior, em 1987, o prefeito eleito de Aracaju, João Alves Filho (DM), agendou uma audiência com o então governador do Rio, Leonel Brizola (PDT). Ao chegar na capital carioca, pegou um taxi para o Palácio da Guanabara. Era fim de tarde e chovia fino. O engarrafamento começou a preocupar o ministro, pois aproximava-se a hora da audiência, o trânsito não andava e ele não queria chegar atrasado. Faltando algumas quadras para o Palácio, Alves Filho se impacientou, desceu do táxi e seguiu a pé. Molhado e com uma pasta 007 na mão, o ministro não foi reconhecido pelos guardas, que impediram sua entrada. Ele explicou quem era e que tinha audiência marcada com Brizola, porém não convenceu os militares, que nunca tinham visto uma autoridade chegar ao Palácio daquela forma. Por sorte, um ajudante de ordem do governo carioca o viu e correu em sua ajuda, liberando seu acesso e, naturalmente, desculpando-se pelo mal entendido. Claro que João não apenas desculpou como deu boas risadas do episódio.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais