Ecos do debate da TV Cidade

0

Quem acompanha este blog desde 2006 vai confirmar a análise que vem sendo feita sobre os debates eleitorais. E ontem se confirmou: falta algo mais. Você passa duas horas assistindo o debate e parece que o jogo terminou no zero a zero. Ontem, 25, a convite da TV Cidade, este jornalista (foi um dos que elaboraram perguntas, através do site Infonet), pela primeira vez acompanhou um debate no auditório.

 

Só muda o clima acirrado entre os partidários de cada candidato. Em meio as respostas e perguntas os grupos soltam vaias, aplausos, risos e tudo mais. Assistindo pela televisão não dá para perceber muito. De concreto uma certeza cada vez mais forte: o debate pouco contribui para o resultado final da eleição. Foi assim com o debate realizado ontem, 25 e será também com o que será realizado pela TV Sergipe no dia 02.

 

Para o leitor não pensar que este jornalista não firmou nenhuma análise sobre o debate o desempenho de cada um dos candidatos em ordem alfabética:

 

Almeida Lima – Mesmo a assessoria pedindo que ele não use termo e gravata não tem jeito. Ele prefere ir para o vídeo parecendo aquele “tiozão” das propagandas de TV. Teve oportunidade de mostrar suas propostas, mas limitou-se a bater no atual prefeito e no discurso do monopólio do poder pelo PT.  O auditório soltou gargalhadas quando ele disse que “o Forró Caju caiu” e assumiu que é aliado de Lula e que vai procurar Déda para administrar Aracaju.

 

Anderson Góis – Começou bem nos três primeiros blocos. Passou tranqüilidade e desenvoltura. Surpreendeu muita gente, mas ele já vinha demonstrando essa desenvoltura no horário eleitoral e como professor sabe manusear as palavras bem. Nos três últimos, caiu por conta do acirramento com Edvaldo e Vera Lúcia, na disputa de quem é a “verdadeira esquerda”. Teve a oportunidade de discorrer sobre cultura, mas ficou na retórica. Em dados momentos dá a impressão que é aquele vendedor de enciclopédia básica que deseja vender o produto a todo custo, mesmo não sabendo o conteúdo. Tomará que seja apenas uma impressão.

 

Edvaldo Nogueira – Começou o primeiro bloco demonstrando falta de firmeza. A partir do segundo bloco melhorou, mas repetiu muito algumas colocações sobre obras. Foi o alvo dos quatro candidatos no debate e demorou muito para ter uma postura mais firme e responder. O momento principal dele foi quando tirou da cartola uma manchete de jornal mostrando que na administração Almeida Lima já existia dengue em Aracaju.

 

Mendonça Prado – O mais irônico e que direcionou o discurso para a classe média que assistia o debate, com dois temas: segurança e trânsito. Aproveitou mais do que Almeida para apresentar suas propostas sem deixar de criticar os governos estadual e municipal. Saiu do sério apenas quando foi citado o caso da Operação Navalha.

 

Vera Lúcia – Seria uma boa parlamentar federal se fosse eleita. Mas para prefeita tem propostas irreais, como não respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal e estatizar todos os serviços, inclusive de transportes. Isso já foi tentado e não deu certo em outras cidades. Quando tinha dois minutos para responder demonstrava que não estava preparada para tanto tempo, por conta dos minguados segundos no horário eleitoral.  Ao final deixou de lado as propostas para disputar com Anderson Góis o espaço da “verdadeira esquerda”.

 

Déda e as criticas

O governador Marcelo Déda assistiu ao debate no auditório, ao lado da primeira-dama Eliane Aquino e do marqueteiro Cauê. Déda riu muito quando as criticas eram direcionadas a ele, mas quando terminou o debate teve uma discussão com o candidato Anderson Góis sobre ética.  Não importa quem estava com a razão ou não, Marcelo Déda deve lembrar que o clima do debate nos bastidores é aquele mesmo, com muito acirramento entre os assessores dos candidatos. Com tanta experiência política, Déda tinha a consciência que iria para um debate onde ele seria um dos alvos principais ao lado de Edvaldo, ou seja, deveria estar preparado para ouvir…

 

TJ institui Adicional de Qualificação

Foi publicada ontem, no Diário da Justiça a Resolução nº 025/2008 que regulamenta a concessão do Adicional de Qualificação para os servidores de carreira do quadro pessoal do Poder Judiciário de Sergipe, instituído pela Lei nº 6.418, de maio de 2008. O Adicional se dá em razão dos conhecimentos extras adquiridos em ações de treinamento e cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado em áreas de interesse do Tribunal de Justiça de Sergipe. O Adicional de Qualificação incidirá sobre o vencimento básico do servidor nos seguintes percentuais: 20% para título de doutor, 12% para título de mestre, 8% para certificados de especialização e 1% para o conjunto de ações de treinamento que totalize, pelo menos, 120 horas, observando o limite de 3%. O Adicional de Qualificação é devido a partir da data do deferimento de sua concessão pelo Presidente do Tribunal de Justiça de Sergipe, mediante requerimento do interessado.

 

Alta velocidade

Deu na FSP de hoje, 26: “Em reunião sobre o PAC, ontem, Lula bateu o martelo para lançar, em 1º de outubro, o edital de concessão de 680 km de rodovias federais -BR-116, no trecho que vai da divisa de Minas até o município baiano de Feira de Santana, e BR-324, de Feira a Salvador. Graças a acordo com o TCU, o governo acredita que poderá realizar o leilão em 1º de dezembro. A empresa ou consórcio vencedor arcará com um investimento de R$ 1,9 bilhão. As obras deverão incluir 550 km de duplicação de pista. A tarifa máxima de pedágio permitida será de R$ 2,90 por cem km. Há um ano, o governo Lula fez sua primeira concessão de rodovias, com trechos no Sul e no Sudeste”.

 

Bancários decidem paralisação neste sábado, dia 27

Neste sábado, 27, a partir das 9 horas da manhã, o Sindicato dos Bancários de Sergipe realiza assembléia durante o Encontro Estadual dos Bancários, que acontece em seu auditório, na Avenida Gonçalo Prado, 784. O Comando Nacional está orientando os sindicatos a realizarem assembléias até o dia 29 para rejeitar a proposta e aprovar greve de 24 horas no dia 30. Os bancários não pretendem aceitar a proposta dos banqueiros de 7,5%, que não cobre nem a inflação do período. A categoria está reivindicando 13,23%, o que significa um aumento real de 5%. 

 

Fumantes em Salvador: cerco vem se fechando cada vez mais

O cerco aos fumantes vem se fechando cada vez mais em Salvador. O Ministério Público Estadual (MP) está realizando uma cruzada em restaurantes, bares e boates da capital para obrigá-los a criar uma área destinada ao uso de cigarros e similares, separada do espaço dos demais clientes. Até o momento, já foram assinados dez termos de ajustamento de conduta (TACs) por estabelecimentos da cidade. A medida foi tomada a partir de reclamações feitas ao MP por clientes que se declararam insatisfeitos com a fumaça alheia. Até agora, todos os termos foram assinados por grandes restaurantes. Entre eles, Trapiche Adelaide, Amado, Lafayette, Soho, 33 e Oui. Existem ainda nove estabelecimentos convocados pelo MP devido a queixas de usuários. “Hoje (ontem) tivemos três audiências, com os restaurantes Boi Preto e Porto Gourmet, e com a boate Dolce. Vamos analisar os casos e ver quais serão as providências a serem tomadas”, afirmou o promotor Aurisvaldo Sampaio, da 4ª Promotoria de Justiça do Consumidor. Sampaio explica que as medidas são para fazer valer a Lei Federal nº 9.249/96, que determina a proibição do tabaco em qualquer local público, exceto em casos onde haja área isolada e arejada.

 

Enquanto isso em Aracaju…

Enquanto isso em Aracaju o MP se preocupa com outros problemas, mas deixa de lado as pessoas que são obrigadas a conviver com o fumo diariamente. É o caso das crianças que freqüentam o Shopping Jardins, onde existe um espaço para fumantes bem ao lado do Mac Donald`s. O MP tentou há algum tempo fazer o TAC, mas desistiu se rendeu a força do Shopping. É mole?

 

DO LEITOR

 

Sobre a nota: Oração dos concursados da SEAD

De um servidor estadual: “Ao ler a nota “oração dos concursados da SEAD” fiquei me perguntando: que concurso que os empossados fizeram? A reclamação é justa em parte. O governo tem que entregar o vale-transporte na data certa, não pode atrasar! Agora, pelo que eu me lembro, o salário para quem fosse aprovado e chamado para assumir o cargo era público! Todos sabiam quanto ganhariam.  Não estou dizendo que é muito, mas sim que é muita cara-de-pau querer aumento, gratificação e tudo mais sendo que eles devem ter o que !? um ano no cargo!? Eu não fiz tal concurso porque sabia que o salário era baixo. Agora se dizem “vítimas” de um salário pequeno e indigno. Por que fizeram o concurso? Foram enganados? O edital dizia que o salário seria de R$ 1.000,00? Tenha paciência!!!!!”

 

Sobre a Polícia Militar de Sergipe I

E-mail do coronel Ramos:Acompanhei a entrevista com o SSP no programa de Gilmar Carvalho e escutei as participações do Capitão Samuel e Subtenente Heliomar. Entendo que a participação do Samuel como representante da Associação de Oficiais e do Heliomar como representante dos praças demonstra o grau de maturidade e união que existe entre os integrantes das Associações da PMSE. Maturidade na medida em que vão a público em defesa da instituição Polícia Militar e não mais como antes, quando faziam denúncias dispersas que atendiam a interesses individuais e união porque defenderam a mesma idéia. Lastimo a atitude do Secretário da Segurança Pública que atuou como garoto propaganda. Mas, sem o conhecimento e a base necessária para defender a idéia do Centro Integrado de Polícia, foi mau educado e deselegante com os policiais militares que participaram do programa. Cláudio o Brasil é um dos raríssimos países do mundo que tem duas polícias atuando juntas no ciclo pepersecuão (?) criminal. O ciclo não pode ser dividido ele é uno e indivisível, a existência de duas policias no Brasil foi uma ficção jurídica encontrada pelo legislador constituinte para representar uma realidade histórica brasileira nascida no Brasil colonial e consolidada no período imperial. Após a promulgação da CF 88, a doutrina especializada passou a estudar uma forma de conviver com essa realidade, daí surgiram idéias como: Centros integrados de Comunicação, Centros integrados de ensino, Centros integrados de Operações, assim como as estruturas físicas integradas casada com a idéia de compatibilização geográfica de área. O cerne dos Centros Integrados de Polícia é o delegado metropolitano ter uma área de responsabilidade igual ao Comandante da Companhia da PM e poderem desta forma compartilhar a responsabilidade para atuarem juntos visando a redução dos índices criminais da área.

 

Sobre a Polícia Militar de Sergipe II

Continua coronel Ramos: “Neste contexto, esta embutido a idéia de igualdade de área geográfica, igualdade de espaço físico no Centro Integrado, igualdade de nível de gerência, igualdade de responsabilidade, igualdade de salário, igualdade de condições de trabalho etc. Assim, as instalações que foi inaugurada tem erros crassos de projeto e de implantação. Se você ficar de frente para o prédio vai verificar imediatamente uma desproporção enorme entre as instalações identificadas como setor da PC e o setor da PM. Sem exagero 90% da área construída é identificado como delegacia do lado da PC e 10% foi identificada como 1º Batalhão ao lado do Escudo da PM. Se isso não bastasse Cláudio, a delegacia tem como área de atuação o complexo do Santa Maria, que é apenas uma parte da área da 2ª Companhia, que além do complexo Santa Maria é responsável pelo Orlando Dantas, Augusto Franco, Farolandia, Atalaia, Zona de expansão etc. O 1º Batalhão é responsável tomando-se por base a Av. Barão de Maruim e a Desembargador Maynard e prolongamento destas avenidas até o Mosqueiro (norte /sul) e do rio Sergipe até São Cristóvão (leste/oeste). Fica fácil perceber que é impossível a compatibilização geográfica dessas áreas, bem como o gerenciamento compartilhado com tamanha diferença de nível de gerenciamento”.

 

Sobre a Polícia Militar de Sergipe III

Conclui o coronel: “Ainda é fácil perceber o tamanho do disparate ao compararmos os efetivos administrados por estas unidades. A delegacia tem um efetivo variável de 10 a 20 policiais civis e ocupa 90% do prédio. Um batalhão de polícia administra de 500 a 700 policiais militares e ocupa 10% da instalação. O SSP disse que foi cedido duas salas do lado da Delegacia, realmente o fez por pressão da PM, mais isso não muda os fatos porque a PM vai ficar ocupando um espaço na “delegacia” de favor, com bem colocou o Secretário. Do ponto de vista prático, o prédio é uma instalação belíssima que foi concebido para instalar uma delegacia, basta entrar e verificar suas instalações com dois gabinetes para delegados, duas salas de cartórios, recepção para atendimento ao público, uma ampla sala de atendimento aos autores e vitimas, duas salas de custódia, parlatório para o preso falar com o Advogado e familiares, copa, banheiros e outros. Tudo construído dentro da antiga concepção de DM, tendo um anexo com três salas: sendo um alojamento com capacidade para quatro policiais, uma copa e um gabinete, certamente para atender as necessidades da delegacia que o ao término do expediente fecha as portas e deixa os Policiais Militares tomando conta dos presos e do prédio.  O que mais me incomoda nesta história Cláudio é que eu participei do ato de inauguração e sou testemunha do entusiasmo, da alegria e da certeza do Governador de estar avançando nas condições de trabalho da Polícia Militar. Para concluir gostaria de registrar que quero acreditar que o SSP agiu por desconhecimento, porque caso contrário, teremos que admitir que o mesmo age com dolo, o que seria muito pior.  Por fim, quero esclarecer ao amigo, que este email não é do Oficial de Comunicação da PMSE, função da qual me encontro de férias”. Este mensagem é do Policial Militar, do sócio da Associação de Oficiais – Coronel QCOPM Agnaldo Ramos.

 

Fugas e tiros na 3ª delegacia

De uma moradora da Rua do Carmo: “Hoje, dia 25/09/08 aconteceu na 3ª Delegacia, situada na Rua do Carmo uma fuga. Os presos durante o banho de sol pularam o muro do prédio e seguiram em fuga. A polícia de choque e  policiais civis resgataram os presos. Porém, durante o resgate ouve tiros. O Secretário de Segurança Pública informou, quando a 3ª Delegacia foi transferida para esta rua, que os moradores não precisavam se preocupar, tendo em vista que a segurança estava garantida. Nós moradores gostaríamos de saber se é essa a segurança que nos será oferecida? Fica evidente que o prédio não tem estrutura para abrigar presos e que nós moradores não estamos seguros. Vamos buscar novamente o Ministério Público, na tentativa de finalmente, e agora com fatos ainda mais evidentes, sermos ouvidos e termos nossa segurança assegurada”.

 

Fala sério, Itabaiana!

Do leitor José Maria: “Quando li em sua coluna que o Deputado Federal José Carlos Machado (DEM), apoiou a vinda de forças federais para Itabaiana, não entendi nada. Oxe! Já foi divulgada pela imprensa a denúncia que a coação está sendo feita contra os eleitores de Maria. E é sabido que o deputado apóia a coligação adversária à Maria. Será que Machado mudou de lado? Outra coisa, pelo que eu sei, desde o início das eleições, quem vem pedindo as forças federais ao Governador Déda é Maria, justamente por causa desse terror que a coligação adversária a ela está fazendo.  Quem está fora de Itabaiana não tem noção de como os cidadãos itabaianenses vêm sofrendo intimidações e até ameaças de morte, só porque estão do lado de Maria. É uma pena que pessoas sejam tão egoístas e obsessivas a ponto de só pensarem em conquistar a prefeitura, esquecendo-se que o importante é o povo. Não seria necessária a vinda de tropas federais a Itabaiana se certos líderes políticos não incitassem a violência através de ações cruéis e que mutilam o direito de liberdade de escolha dos seus contrários”.

 

Informações sobre Graccho Cardoso

Do leitor Junior, assessor da Prefeita Criza de Moisés de Graccho Cardoso: “Faz-se necessário lembrar que Graccho Cardoso hoje tem nome de cidade, porque foi nessa administração em quem um ano foi feito o que ninguém nunca fez em um mandato, e as criticas feitas à prefeitura através do blog, são de pessoas que por sua vez tinha a prefeitura como única fonte renda e o trabalho era raro em suas vidas. Alguns vereadores da oposição, como exemplo Francisco Pipio, está pelas ruas de Graccho e nos palanques da vida falando muito mal da Prefeita, mas é notório que o mesmo tem a vontade que Liro junto com João Luiz (que é presidente do PT de Graccho Cardoso) não ganhe as eleições, simplesmente porque o João Luiz pode ser uma liderança do PT maior que Pipio no município, sendo mais bem visto pelo governador Marcelo Deda, e prova disso é que Pipio diz em toda cidade que é bastante aceito pelo governador, mais Deda não vem a Graccho Cardoso apóia a chapa que tem o PT como vice, ao contrário de cidades como Monte Alegre que não tem candidato do PT mais o governador já passou por lá dando seu apoio. Criticar alguém é fácil, mais trabalhar como a Prefeita Criza é muito difícil. Admiro muito o trabalho do Jornalista Cláudio Nunes em ceder o espaço para que pessoas do nosso estado tenha uma voz ativa na impressa. E o povo de Graccho Cardoso vive uma administração na qual temos respeito, e as acusações de perseguição são de pessoas efetivas que nunca trabalharam agora está ocupando seus cargos como diz a lei, então peço a todas as pessoas que tenha paciência e acredite no trabalho de Criza, mais quero lembrar que nem Deus agradou a todos, e que a justificativa das criticas feitas até hoje e que “enquanto falam da prefeitura de Graccho Cardoso, a mesma trabalha de verdade. Muito obrigado a todos”.

 

Compra de voto e agressão em Carira

Da leitora Ingrid: “Ontem, 25, pela manhã o senhor de nome Isidorio denunciou que ao ser abordado pelo candidato a vereador J.Pereira (J.Pereira tem o numero 20.123 e faz parte da Coligação Compromisso com o Social) o qual lhe ofereceu dinheiro para que nele votasse, o mesmo conseguiu gravar a cena.Quando o mesmo candidato já ia se retirar o senhor Isidoro falou que ia denunciá-lo por compra de voto, passando então a ser agredido  e tendo o celular tomado a força pelo Sr. Valdenes Ferreira (atual presidente da Coopertalse). O caso já foi levado ao conhecimento da Justiça Eleitoral e o mesmo aguarda que providencias sejam tomadas.”

 

E-mail sobre comentário de leitora de Itabaiana

De um leitor: “Sou de Itabaiana e aqui na cidade ninguém está sabendo dessa aposta de 1 milhão de reais na qual a pessoa chamada Margarida Oliveira citou na coluna. Pelo contrário, as apostas, sempre tradicionais na cidade, diminuíram drasticamente nessa eleição. E também não concordo com ela quando cita que o povo de Itabaiana quer Luciano Bispo novamente na prefeitura. Concordo que ele fez muitas benfeitorias na cidade durante alguns anos da sua administração, mas também é visível a irresponsabilidade dele como administrador público. São vários os processos referentes a desvio de verbas, atraso dos salários dos servidores públicos em pelo menos 4 meses, várias dívidas deixadas, como por exemplo, de energia, água, telefone, INSS, postos de gasolina, dentre outras.  Eu mesmo não quero uma pessoa que teve tanta incompetência assim nos últimos anos de sua administração em uma cidade com tamanha dimensões e importância como é a nossa. Sem contar um político pregando o “Progresso com Liberdade” e que usa deputados aliados para parar obras que vinham sendo e outras que iriam ser feitas na cidade, isso é que é progredir com liberdade ou regredir com perseguição?”.

 

Frase do Dia

“O mundo funciona somente graças ao mal-entendido. É mediante o mal-entendido universal que todos concordam. Pois se, por falta de sorte, as pessoas se compreendessem umas às outras, jamais concordariam”. Baudelaire.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários