Educação: Aonde vamos parar?

0

 

Um leitor chamou a atenção e este jornalista se assustou com a forma que tentam tampar o sol com a peneira da educação do país. Até quando? Parece que muitos fingem que fazem educação e outros que ensinam e estudam. Ou seja, por muitos e muitos anos as mazelas continuarão no Brasil, já que a educação é tratada como objeto de compra, venda, troca e tudo mais. O texto de uma matéria publicada num jornal do Rio de Janeiro: MEC pagará R$ 350 para incentivar estudantes de licenciatura a não abandonar a carreira.

 Depois do bolsa-escola, o ‘bolsa-professor’. Para manter mestres na sala de aula — como universitários de licenciatura e também como instrutores da Educação Básica na rede pública —, o Ministério da Educação (MEC) dará 20 mil bolsas de incentivo à docência a partir de março: 10 mil para projetos desenvolvidos de fevereiro a dezembro e 10 mil para agosto a dezembro. O benefício será de R$ 350 mensais para cada universitário que tiver projeto selecionado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O Programa de Bolsa Institucional de Iniciação à Docência (Pibid), antecipado por O DIA em agosto, terá R$ 75 milhões em 2008 para combater a evasão de profissionais do magistério.

 Pesquisa do MEC divulgada há uma semana mostrou que 71,2% dos professores formados não atuam na Educação Básica da rede pública. Rio está no páreo  – Os universitários do Rio estão no páreo das seleções anuais para as bolsas. Isso porque as redes estadual e municipal do Rio têm índices de desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) abaixo da média nacional (3,8) e esse é o primeiro critério para a escolha. O Ensino Médio nas escolas estaduais do Rio tem nota média de 2,8; o Fundamental da 5ª à 8ª tirou 2,9 nas estaduais e 3,7 nas municipais. O Pibid atenderá inicialmente alunos de licenciatura em Física, Química, Biologia, Matemática, Letras, Pedagogia e Educação Artística das federais, mas deverá ser ampliado. A portaria será publicada até o fim do mês e o edital de seleção, em seguida. As regras para escolha de projetos incluem inovação e capacidade de superar problemas de aprendizagem dos alunos de uma ou mais escolas. Os bolsistas atuarão em laboratórios ou oficinas extraclasse enquanto cursam a faculdade. O objetivo é antecipar o vínculo entre os futuros mestres e as salas de aula da rede pública, já que o estágio obrigatório só começa no penúltimo período.

   Para a secretária de Educação Básica do MEC, Maria do Pilar Lacerda, o programa criará compromisso com o magistério após o fim do curso. Hoje, professor graduado não é sinônimo de mestre na rede pública. A maioria dos alunos da licenciatura tem planos distantes dessa realidade. Os que querem ensinar, sonham fazê-lo na universidade. “Desmotiva muito, não só o salário, mas a dificuldade de lidar com os alunos. Diminuiu muito a autoridade do professor, principalmente em áreas de risco. Dá insegurança”, admite o estudante do 2º período de Matemática na Uerj Karlos do Amaral, 20 anos. Ele vê a bolsa como um incentivo. O exemplo do pai, professor de Ciências em Ciep de Magé, orgulha e assusta: “Vejo sua luta: os alunos não querem estudar, tem muito repetente e gente com dificuldades em Português, Matemática. Meu pai tenta orientar em outras áreas também”. Ao antecipar o contato com a rede pública, o Pibid teria dois possíveis efeitos, acredita a estudante de Geografia da Uerj Rejany Ferreira dos Santos, 28: “Diante de todas as dificuldades, os bolsistas podem se apaixonar ou desistir de vez”. Evasão ainda na faculdade – Livros e fotocópias caros, passagens diárias e falta de tempo para trabalhar são barreiras que fazem com que as turmas de licenciatura nas universidades se reduzam período a período até a diplomação. É aí que o Pibid deverá fazer diferença. Estudante de Geografia da Uerj, Rejany Ferreira dos Santos faz o último período do curso, mas só se formará no ano que vem, pois deixou de estudar matérias do início da faculdade, quando trabalhava como secretária numa gráfica para se sustentar. “A bolsa será importante para manter o aluno na faculdade. Minha turma começou com 45 e agora somos 30”, conta Rejany, que não teve Matemática na 6ª série do Ensino Fundamental por falta de professor e é exceção entre os colegas: deseja ser mestre da rede pública. “A maioria dos meus amigos não quer. Quando se fala em curso da Polícia Federal, o olho de uma colega minha brilha. Há desânimo com relação à docência”, conta.

 

Nota do TCE sobre inspeção no Hospital João Alves

“Uma equipe designada por esta Presidência fará a inspeção extraordinária, no Hospital

João Alves Filho, solicitada pelo Ministério Público Especial, que no prazo de 30 dias

oferecerá relatório conclusivo, quando será encaminhado ao Conselheiro Relator.

E assim o faço porque sua Excelência declarou inclusive à imprensa só poder iniciar a

inspeção após 40 dias e a minha obrigação como Presidente desta Corte é dar celeridade aos procedimentos.  Vide a garantia Constitucional insculpida no art 5º inciso 78 da Carta Magna”.

 

Nota do TCE é uma verdadeira pérola

No texto, a presidente, dá um pito no conselheiro Alberto (auditor que está substituindo Flávio Conceição), e conseguiu reunir os “técnicos” num tempo recorde. Além disso, fica claro que eles estão procurando passar para  a sociedade que estão atentos a tudo, não deixam passar absolutamente nada de suspeito na esfera estadual. O problema é que os pobres coitados dos técnicos, quando chegam nestes órgãos para fiscalizar, devem sentir-se constrangidos com os olhares de reprovação dos trabalhadores, não aos profissionais, mas ao órgão que eles ali estão representando. Afinal, credibilidade que é boa, o TCE já perdeu há muito tempo”.

 

Humildade para reconhecer o erro

Este espaço que sempre cobra ações da Prefeitura de Aracaju em diversas áreas parabeniza a atitude do prefeito Edvaldo Nogueira, tomada ontem. O prefeito foi in loco ver que a reclamação dos moradores do Augusto Franco era correta, já que as proteções do canal 5, Estão a frente do espaço destinado a calçada, prejudicando os moradores. De imediato Edvaldo determinou a correção do projeto. De parabéns também a equipe da Rádio Cultura AM, comandada pelo jornalista Rosalvo Nogueira, que liderou a reivindicação da comunidade.

 

 Ciclovia e área para caminhada na Avenida Heráclito Rollemberg

É grande o número de pessoas que utiliza a Avenida Heráclito Rollemberg para fazer caminhadas no inicio da manhã e no final da tarde. A Prefeitura poderia fazer no canteiro centra da avenida uma reurbanização, como foi realizada no conjunto Orlando Dantas, na Avenida Gasoduto. Com um detalhe: em toda extensão da Avenida de um lado tem o muro do aeroporto, cuja calçada não é utilizada para caminhadas porque a mesma não existe. Só tem mato. A Prefeitura poderia fazer uma parceria com a Infraero para que a calçada seja feita em toda extensão da avenida, dando mais uma opção para os moradores do Augusto Franco.  

 

Atenção Kércio Pinto: até quando?

Por mais que o secretário diga que vai tomar providências, até agora nada. Os novos veículos da segurança pública estão sendo usados para serviços particulares. Ontem, 25, às 12hs, no Colégio Modulo – no Parque dos Cajueiros – um gol cinza da segurança pública – sem placa e identificação individual – estava estacionado e o condutor entrou na escola para pegar um jovem. E viva a impunidade! E viva o dinheiro público jogado pelo ralo! E viva a falta de segurança!

 

Vale a pena ampliação do aeroporto de Aracaju?

O Governo Federal, através da Infraero, não gastarão dinheiro em vão com a ampliação do aeroporto de Aracaju? A mudança do aeroporto do atual local será inevitável daqui há anos. Não seria melhor o governo ceder uma área na Barra dos Coqueiros ou num município da região metropolitana para construir um novo aeroporto? Hoje parece uma idéia boba, mas não vai demorar muito para alguns políticos encamparem essa idéia. 

 

Lançamento das obras da ponte Mosqueiro-Caueira

O governador de Sergipe, Marcelo Déda, faz nesta sexta-feira, 26, o lançamento oficial das obras da ponte Mosqueiro-Caueira (ponte sobre o rio Vaza-Barris). Participam da solenidade a presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Coelho, e o vice-presidente da Caixa, Carlos Gomes Sampaio de Freitas. A solenidade será realizada às 9h, no canteiro de obras da ponte, ao lado do terminal da balsa na Caueira. A previsão para a conclusão das obras é de 400 dias.

 

Simulação de seqüestro com rapto de reféns

Nesta segunda-feira (29), a partir das 7h30, os secretários Jorge Alberto (Administração) e Kércio Pinto (Segurança) irão acompanhar uma simulação de seqüestro com rapto de reféns nas instalações do Hotel Palace. Na oportunidade, os instrutores da Swat (com tradutor) e os secretários receberão à imprensa para prestar maiores informações sobre o Curso de Negociação e Resgate de Reféns promovido pelo Governo do Estado de Sergipe.Cursos desta natureza são de alto nível de aperfeiçoamento na área de segurança pública, e Sergipe é um dos poucos Estados do país a promover uma especialização deste gênero para os profissionais que atuam na segurança pública estadual.

 

Show em comemoração aos 25 anos do Grupo Cataluzes

De um leitor da área cultural: “Senti um orgulho danado quando vi pela Tv Aperipê, na quinta-feira, os melhores momentos do show em comemoração aos 25 anos do Grupo Cataluzes. Êta quanta coisa boa temos nessa terra, êta que entrosamento, êta qualidade musical da mulesta… Você responsável pela programação musical das emissoras de rádio desse estado, pare de sentir vergonha da nossa música, pare o preconceito contra os Cataluzes, os Tonhos Baixinhos, os Rubens Lisboa da vida e tantos e tantos outros talentosos artistas desse nosso lugar. O trabalho mostrado pelo Cataluzes é digno de ser apresentado em qualquer lugar desse país. A participação da orquestra sinfônica de Itabaiana foi maravilhosa, mostrou crianças, adolescentes e adultos numa harmonia de encher olhos e ouvidos. Parabéns, parabéns e parabéns. O ponto negativo ficou por conta da falta de sensibilidade da empresa de sonorização que colocou monstruosas caixas de retorno e um emaranhado de cabos espalhados pelo palco sujando o visual da apresentação. Se toca Ricardo Sá, cadê o profissionalismo? Ganhar dinheiro é muito bom, mas cuidar da imagem também faz parte do negócio. E viva a musicalidade da nossa terra”.

 

Leitor critica prefeito de Riachão do Dantas

Do leitor Breno: “Sou leitor diário de sua coluna e resolvi recorrer a você como sendo o porta voz de minha indignação à respeito do Prefeito/Empresário Laelson Meneses e sua “sub-empresa” de transportes Rotasul. Relacionando-se à sua administração municipal, posso afirmar que Riachão é uma das raras cidades que não oferece transporte ou ajuda de custo para estudantes de nível superior do nosso município. Segundo o Prefeito o município não recebe recursos para tal ajuda, porém o bom senso e a vontade de ajudar pessoas que buscam especialização superior não existem. Em contrapartida, a prefeitura mantém um ônibus diário Aracaju-Riachão-Aracaju que locomove na sua maioria funcionários de cargo em comissão para o município. De onde vem esse recurso? Para seus apadrinhados existe bom senso, mas para nós estudantes como diz o povo “necas de pitibiribas”. Relacionando-se a Rotasul/Transportes se é que podemos chamar de transportes, a população tem sofrido com o descaso de seus administradores e falta de fiscalização por parte do DER. Minha locomoção Riachão-Arauá-Riachão que faço diariamente pela manhã esta impossibilitada, pois os horários de 06:30 e 07:00 não existem mais e os funcionários foram demitidos, alguns até com 29 anos de empresa. Espero que o secretário de transportes Bosco Mendonça tome conhecimento dessa informação e use de sua competência já comprovada em AJU para solucionar tal fato.O pior é que ano q vem tem eleição e como sempre aparecerá carros importados, aviões terrestres de certa empresa e animais (girafas, zebras, camelos) de um belo haras do nosso estado para mais uma vez iludir o povo de Riachão. Espero que isso não aconteça e os eleitores acabem com a “ditadura” que se implantou no nosso município”.

Sobre a reunião realizada por Almeida Lima

Do professor de educação física e jornalista, Ricardo Resende: A reunião com o Senador Almeida Lima com o seguimento do esporte foi convocada por mim e realizada na casa do Senador e ao contrário do que foi divulgado, a reunião foi um sucesso, foram convocados 30 pessoas para a reunião e compareceram 22 pessoas e os que não puderam ir ligaram justificando o não comparecimento.Quero assegurar também que não foi comes e bebes nem foi uma reunião política como colocou, foi uma reunião de trabalho em prol de fazer um projeto voltado ao esporte coisa que a maioria dos políticos não fazem. Os que compareceram ficaram tão satisfeito que solicitaram outra reunião para aprofundar os temas debatidos que são de crucial importância para o desenvolvimento do esporte e com certeza posso garantir que já tem muitos dirigentes ligando pedindo para participar da reunião.Quem vive e ama o esporte está aplaudindo essa atitude do Senador Almeida Lima que está colocando o olho em um seguimento onde a maioria dos políticos despreza”.

Leitora indignada com serviços prestados pela Vivo I
Leia, caro leitor, a via crucies enfrentada pela leitora Paola Santana (Obs: este jornalista já enfrentou problemas com a Vivo e hoje tramita com um processo na Justiça): “Comprei um telefone da operadora VIVO na segunda-feira 22/10, e qual não foi a minha surpresa quando na terça-feira, 23/10,  logo pela manhã, vi que não poderia efetuar ligações, pois, o meu telefone estava bloqueado, tentei entrar em contato com a VIVO  pelo telefone que eles disponibilizam (*8486) mas não consegui. Fui à loja (uma autorizada) onde efetuei a compra e recebi a informação de que eu não era a única pessoa com este problema, devido a uma falha na central, todos os telefones habilitados  na segunda, 22/10, estavam bloqueados; me deram a informação de que até a quarta-feira, 24/10, me dariam uma resposta ou o telefone voltaria a funcionar normalmente. Hoje, dia 24/10, até as 15 horas, como não havia recebido nenhuma ligação com informações e o telefone continuava bloqueado, meu pai resolveu ir a central da VIVO na cidade de Aracaju, situada na Av. Francisco Porto. Assim que chegou a central, foi atendido por uma senhora de nome MARA e obteve a informação de que o meu telefone estava bloqueado por um PROBLEMA NA DOCUMENTAÇÃO (identidade, CPF e comprovante de residência),  que seria necessário que eu reapresentasse a documentação para normalização do serviço; desconfiado meu pai perguntou como poderia ter havido tempo para este tipo de verificação, já que a compra se deu na noite do dia 22 e logo na manhã do dia 23 o telefone já estava bloqueado; obteve como resposta a informação de que a documentação teria sido “escaneada” e enviada para a VIVO. Não convencido de que seria esse realmente o problema, meu pai se dirigiu novamente a loja onde comprou o aparelho, falou novamente com a mesma vendedora e ela confirmou a primeira informação: o problema seria na central e nada teria a ver com a documentação, pois esta sequer havia sido enviada já que a loja tem o prazo de 7 dias para envio”.

Leitora indignada com serviços prestados pela Vivo II

Continua Paola Santana: “Meu pai então me liga e pede para que eu vá com ele na central da VIVO resolver a situação, chegando lá, meu pai pega novamente a senha para atendimento e, desta feita, fomos atendidos por uma senhora de nome MÔNICA que pediu o número do meu celular e perguntou o que estava acontecendo, informei que o meu telefone estava bloqueado e ela respondeu na hora: SENHORA OCORREU UM PROBLEMA COM OS DOCUMENTOS ENVIADOS PARA HABILITAÇÃO DO CELULAR! Questionei sobre a informação recebida na loja MAIS TELECOM, onde comprei o celular e ela afirmou veementemente que o problema estava na documentação que eles haviam ENVIADO para a habilitação do celular, informei a Sra. Mônica que a loja não havia enviado minha documentação, que meu pai já teria passado por lá para confirmar essa informação e eles categoricamente confirmaram que não enviaram nenhum documento e que não era procedimento padrão da loja enviar documentos escaneados. Solicitei então que me fosse dada a solicitação por escrito e recebi a informação de que isso não seria possível, pois era procedimento padrão da loja, qualquer tipo de problema, eles emitirem um número de protocolo, ao qual eu não teria acesso algum, apenas os funcionários das lojas VIVO.  Ela então fez o tal protocolo, informando nele que o problema estaria novamente com a MINHA DOCUMENTAÇÃO. Por se tratar de uma informação inverídica, meu pai questionou a Sra. Mônica novamente, e mais uma vez seguindo o procedimento padrão da loja, ela nos informou que nada poderia fazer e que não teríamos essa documentação impressa, meu pai então pediu para falar com o gerente da loja. Depois de 40 minutos de espera, fomos recebidos pela Sra. Nadia e qual não foi a minha surpresa quando esta informou que a VIVO estava com um problema na central e todos os telefones comprados nesse dia estão bloqueados.Contei toda a minha romaria até receber essa informação dela e recebi um pedido de desculpas, como se esse pedido fosse voltar o tempo que perdi saindo do trabalho para resolver isso, fosse cobrir a falta de respeito com a qual meu pai e eu fomos tratados, como se o cinismo estampado na cara da atendente fosse sumir. Ah ia esquecendo, o telefone continua bloqueado”;

Leitor indignado com superintendente da SMTT

De um leitor: “Hoje, 25, por volta das 15:10h ,estava Eu na Agência do BB-Jardins, quando presenciei uma cena lamentável.O Presidente da SMTT, Sr. Antônio Samarone, quase que no meio da avenida de celular à mão, chamando os agentes de trânsito para multar os carros que se encontravam estacionados irregularmente na avenida e/ou em frente ao Banco do Brasil. Percebi que o mesmo estava muito nervoso, pois gesticulava muito, talvez pedindo urgência aos agentes de trânsito!!!Mais ou menos 15 minutos após a ligação, os agentes chegaram e imediatamente começaram a multar os carros para deleite de Samarone, Presidente da SMTT!!! Será que o poderoso Presidente não tem o que fazer!!!!! ou Dezembro é um mês de gordas gratificações, às custas do Cidadão Sergipano!!!!!!!!!!! Gostaria que o  Presidente da SMTT explicasse aos Cidadãos Sergipanos, porquê, na mesma avenida,no trecho que ele reside, não há proibição de estacionamento???????”

 

Frase do Dia

“Sem a curiosidade que me move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo nem ensino”.  Paulo Freire .

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários