Edvan derrota Déda

0

O dublê de político e empresário Edvan Amorim (PSC) mostrou ontem do que é capaz: uniu-se à oposição na Assembléia, atraiu para seu lado o PSB do senador Antônio Carlos Valadares e elegeu, com um ano de antecedência, a Mesa Diretora do Legislativo para o biênio 2013/2014. Através de seu líder, deputado Francisco Gualberto (PT), o governo esperneou, se disse golpeado pelas costas e tentou esvaziar o plenário, porém foi fragorosamente derrotado. Eleita por 14 votos, a futura Mesa encabeçada pela atual presidente Angélica Guimarães (PSC) excluiu o PT e o PMDB, enquanto o DEM ganhou a 2ª Secretaria. Manda-chuva de 11 partidos em Sergipe, Edvan Amorim ainda saiu da refrega achando que a partir de agora o governador Marcelo Déda (PT) vai comer em sua mão tal qual galo de briga. É que se o petista tentar retaliar contra os “infiéis”, os jogará no colo da oposição, tendo que governar com uma bancada minoritária de 10 ou menos deputados.

A nova Mesa

A futura Mesa Diretora da Assembleia será composta pelos deputados Angélica Guimarães (presidente), Zé Franco (vice), Adelson Barreto (1º secretário), Goretti Reis (2ª secretária), Paulinho das Varzinhas (3º secretário) e Mundinho da Comase (4º secretário). Os atuais vice Garinalde Mendonça e 1ª secretária Conceição Vieira foram rifados.

Mentor se expõe

Apesar de a deputada Angélica Guimarães ter jurado de pés juntos que foi unicamente sua a decisão de antecipar a eleição da Mesa Diretora, o manda chuva Edvan Amorim fez questão de expor suas impressões digitais na ousada operação. Mandou para a Assembleia Norman Oliveira, um dos homens de sua inteira confiança, além do deputado licenciado Zeca da Silva (PSC), atual secretário estadual do Desenvolvimento Econômico, da Ciência e Tecnologia.

Vitória do gogó

Do deputado estadual Venâncio Fonseca (PP), que, com sua experiência parlamentar, ajudou a manter unidos os “eleitores” de Angélica Guimarães: “A palavra de Amorim derrotou a caneta do governador Marcelo Déda”. Amigos do senador Eduardo Amorim (PSC) garantem que o rompimento político é claro, tendo um deles revelado que após sair de uma reunião com Déda, o senador foi taxativo: “Esse cara não manda mais na gente”.

Luto

Será cremado hoje em Salvador o corpo da médica ginecologista Elcy Vianna Rollemberg, esposa do ex-senador Francisco Rollemberg. Vítima de Acidente Vascular Cerebral, ela faleceu ontem no hospital São Lucas, onde estava internada há 40 dias. Natural de Salvador, Elcy deixa dois filhos. O blog solidariza-se com a família enlutada.

Preconceituoso

O articulista Diogo Mainardi, da revista Veja e do programa Manhattan Connection, é um preconceituoso juramentado. Ao ser questionado pelo jornalista Lucas Mendes se os judeus não deveriam sair do júri que escolhe os melhores do cinema, ele balançou o rabo e relinchou: “Seria o mesmo que tirá-los da escolha do Nobel. Aí teriam que dar o prêmio para um sergipano”. Ô jerico manco, e qual foi o brasileiro que já ganhou um Nobel? Vê-se que esse jumento batizado desconhece Sergipe, seu povo e sua cultura.

Revoada

Nada menos do que 30 prefeitos sergipanos viajaram à Brasília para participar hoje da Mobilização Ações e Estratégias 2012, evento promovido pela Confederação Nacional dos Municípios. Serão tratados de assuntos como encerramento dos atuais mandatos, distribuição de royalties, saúde, finanças municipais em ano eleitoral. Será um dia de muito blá,blá,blá às custas dos municípios brasileiros. Porém, de prático mesmo para a população não haverá nadica de nada.

Portas abertas

Será na próxima segunda-feira a inauguração das reformas físicas feitas no Teatro Atheneu. As obras, iniciadas há quase cinco anos, custaram R$ 3 milhões. A Secretaria estadual de Cultura programou apresentações artistas na área externa do teatro e uma performance no palco da companhia de dança 'Cubos'. O ator sergipano Harildo Déda encerrará a programação fazendo uma leitura dramática do livro que leva seu nome.

Paternidade

O processo de reconhecimento de paternidade ficou mais simples e ágil com uma norma editada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A partir de agora, o pedido para que o nome do pai seja incluído na documentação do filho poderá ser feito diretamente no cartório de registro civil da cidade onde mãe e filho moram. A única condição é que nenhum pedido de reconhecimento de paternidade tenha sido feito antes à Justiça.

Do baú político

A história que se segue é da lavra do colega Luiz Eduardo Costa, que a ouviu do memorialista Murilo Merlins: Corria o ano trágico de 64. O mês deveria ser junho ou julho. Os presos políticos da primeira fornada logo após a vitória da redentora, em primeiro de abril, já estavam quase todos soltos. Embora ameaçados de perderem os empregos, alguns funcionários dos Correios resolveram fazer uma comemoração num dia de sábado. Num bar do centro de Aracaju  mandaram preparar uma portentosa feijoada, que foi colocada em dois grandes caldeirões e transportada para a praia de Atalaia. Lá estavam o próprio Murilo Mellins, Gil Natureza, Paulo Barbosa, Maurino  Ramos, Gervásio Careca e outros. Nisso, chegam duas viaturas do Exército conduzindo soldados e um sargento. Foram todos empurrados contra uma parede, ficando de costas para os militares, que, com a ponta dos fuzis, futucaram-lhes o corpo, fazendo um inovador baculejo. Como não havia ninguém armado, se voltaram contra a feijoada. Enfiaram as baionetas nos caldeirões e puseram-se a mexer a suculenta. Como só encontrassem tripa, costelinha, jabá, mocotó e muito feijão, investiram contra as garrafas de vodka, cachaça e cerveja, e quebraram todas, lançando-as contra o paralelepípedo da rua. Depois de cumprida a missão, certamente relacionada à segurança nacional, os militares voltaram às viaturas e foram saindo. Ai, o grupo não conteve uma sonora e coletiva gargalhada. O sargento retornou colérico: “Por acaso vocês estão rindo do glorioso Exército Brasileiro, seus comunistas de merda?”. E ouviram uma temerária resposta: “Não, senhor, é porque disseram que uma feijoada mexida com baioneta fica bem mais gostosa”. Perderam toda a comida, pois o óleo dos azeitados fuzis ficou sobrenadando nos panelões da feijoada. Depois, ficaram sabendo do motivo da operação pé de porco. Algum dedo duro telefonou ao 28º BC e passou a informação: “Tem uns subversivos aqui preparando uma feijoada e dentro dela vão esconder uns coquetéis molotov”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais