Eleições todos os anos

0

   Uma lição ficou clara para os sergipanos na campanha eleitoral deste ano:  que as eleições para o Governo do Estado deveriam ocorrer anualmente. Só assim os sergipanos tiveram acesso a tantas realizações que não ocorreram durante os últimos três anos e meio. Com certeza, o Estado de Sergipe mudaria para melhor.

   Está claro que as coisas só acontecem no período eleitoral. É ponte sendo inaugurada (não pode ser transitada, mas está inaugurada), construção e reforma de hospitais, ambulâncias aparecem do nada (deviam estar na garagem, né), analfabeto vira intelectual da noite para o dia, bandidos e marginais viram evangélicos e ninguém é preso, refinarias brotam feito petróleo, o rio São Francisco sempre abandonado, ganha destaque e vira mote de campanha eleitoral e quem sabe até aparecem quem deseja fazer sua revitalização.

  Com certeza, se no final do ano que vem tivesse uma nova eleição para Governo do Estado, talvez o rio São Francisco já estaria revitalizado e se sempre houvesse eleições anuais, hoje todos estariam empregados, cada um em sua casa nova, todos felizes nas ruas sem violência. Quem sabe também Sergipe uma universidade de Harvard em cada cidade até na vila de “Forras”. E quem sabe  até que um certo candidato que usa um pseudônimo afro, a uma hora dessas, já seria loiro de olhos azuis, talvez até chamado de “buchão”, uma mistura brasileira com a norte-americana de George Bush.

 Brincadeiras à parte a verdade é que o descrédito com a classe política, não é por conta apenas dos escândalos que ocorrem em todo país e em vários Estados. Decorre da inércia existente em várias administrações, onde administradores passam três anos e meio tratando o povo com descaso, sem ações concretas, preocupados apenas com seus interesses pessoais e até mesmo corporativos. No período eleitoral aparece de tudo, parece que o Estado se transforma num verdadeiro oásis de realizações e ações. E como bem disse Eduardo Galeano: “Somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos”. Ou seja, depende apenas dos próprios sergipanos acabar com essa prática política.

 

Ibope ouviu todos os ratos de rádio

Em Sergipe todo mundo se conhece (bem diz Albano Franco). Este jornalista prometeu e não cumpriu divulgar a relação dos ratos de rádio. Mas ainda dá tempo. Ontem pela manhã em alguns programas de rádios os ratos de rádio que estavam acuados colocaram a cabeça pra fora da toca. O discurso foi o mesmo: quase todos receberam telefonemas do Ibope. Isso tudo na estratégia para descredibilizar a pesquisa. Mas os estrategistas são tão amadores que mandaram todos dizer a mesma coisa. E o pior teve até profissional de imprensa que entrou na “onda”. Mas isso é outra história, faz parte do desnudamento da imprensa após a eleição deste ano. Olha caro leitor! São tantas histórias cabeludas…

 

 

Suíça, esse generoso país comercial

Algumas considerações importantes sobre a refinaria:  a empresa foi aberta no dia 16/05/06, na Suiça, com capital subscrito de R$ 100 mil francos suiços (algo em torno de R$ 180 mil);  seu registro, no Brasil, foi solicitado em 12/07/06;  no mercado internacional, a Suiça é conhecida pelas suas empresas de capital (bancos e financeiras); indústria farmacêutica e empresas de alta tecnologia (Nokia, Siemens, Tetra-Pack, etc).  Fora estes segmentos, o mercado registra que empresas de outros segmentos aproveitam a fachada legal, oferecida pelo país – garantia de sigilo de toda espécie, não obrigatoriedade de comprovação de capital, ou mesmo sua origem, idoneidade de seus proprietários, etc -, para se “instalarem” lá.  Porém, o próprio mercado descrimina as mesmas, na direção de suspeição de suas reais intenções mercadológicas e sua real existência,  servindo-se, muitas vezes para aplicação de golpes comerciais em várias localidades do mundo.

 

Farinha nos remédios, quem lembra?

E nesta história toda da refinaria, com Clóvis Silveira sendo sócio da Atlântico Sul S.A. relembrasse do inicio da década de 90, quando Wellington Paixão era Prefeito de Aracaju e o então secretário da Saúde, Fernando Santana descobriu que tinha comprado um lote de remédios adulterados. Ao invés da composição feita no laboratório dentro das cápsulas tinha farinha. Sabe quem vendeu? Clóvis Silveira. Ele ainda foi para a Justiça querer o dinheiro, dizendo que também tinha sido enganado. Não deu outra, perdeu também. Hoje, depois de vender remédio virou um grande empresário do petróleo. É mole?

 

Leitor indignado com história da refinaria

“Estou indignado com este jornalista. Pare de dizer que João não irá trazer a refinaria para Sergipe, pois eu tenho a certeza que trará sim. E se o pessoal do PT achou que iria desmascarar alguma coisa com a reportagem no escritório do ex-vice de João (Clóvis Silveira), se deram mal, muito pelo contrário, acabaram comprovando, ao mostrar que no escritório havia muitas antiguidades. A mega indústria que João vai instalar será mesmo para refinar o óleo, e não duvide, será refinado em Sergipe o o óleo de peroba, que é muito bom para conservar peças de madeiras de antiquários e também para lustrar os caras de pau  que inventaram essa lorota. Isso é caso é de polícia. Os Joãos (Alves e Fontes), discriminam Déda como ator de teatro e de cinema, mas tratam o povo como ator de circo (aquele ator com a cara pintada e bolinha no nariz)”.

 

Toeta “engoliu” Fontes em debate no Módulo

Telefonema do meu filho ontem pela manhã: “Pai vai ter um debate aqui no Módulo (Colégio) entre João Fontes e Toeta”. Resposta: “Que bom assista que é importante”. Disse esse pobre jornalista. Ao chegar em casa descobrir que ele tinha gravado tudo pelo celular. Uma parte chamou a atenção. Um estudante perguntou a Fontes porque ele não votava em Cristovam Buarque, candidato do partido dele a presidente. Ele “desfilou” a mesma ladainha, sobre a amizade com Heloisa Helena, PT e tudo mais. Toeta aproveitou a deixa e perguntou aos estudantes qual o principal mote da campanha de Cristovam. Foi um grito só: “Revolução na Educação”. Toeta: “está comprovada a incoerência de Fontes e a falta de compromisso com a educação”. No lugar dele iria para casa, mas não foi. Aliás, ensaiou-se até vaias para Fontes, que não foram adiante por conta da direção da escola. Só faltou servirem uma laranjada.

 

ONU volta a “desmascarar” “Via Rápida”

E-mail enviado ao Centro de Informações da ONU no Brasil por esta coluna com a resposta: Está sendo anunciada no Estado de Sergipe a realização de um programa batizadode “Via Rápida”, cujo objetivo é erradicação da miséria, com recursos de R$ 1 bilhão provenientes de parceria da ONU com a OMF. Como jornalista profissional venho solicitar a V. Sas. Maiores informações a esse respeito. Resposta, curta e direta: “O programa em questão não é da ONU, pois a Organização Mundial das Famílias é uma ONG e não pertence ao Sistema das Nações Unidas. Cordialmente. Centro de Informação das Nações Unidas”. É, contra fatos não há argumentos.

 

Debate TV Cidade

Amanhã, às 10h30 a TV Cidade (canal 20 a cabo) reprisará um debate que fez na última quarta-feira à noite com jornalistas sergipanos sobre a campanha eleitoral deste ano. O programa foi apresentado pelo jornalista Euler Ferreira.

 

Explicações do Clube de Pombos-Correio

Sobre a nota publicada ontem da ocupação de um espaço na orla o Clube Sergipano de Pombos-Correios explica: é uma entidade sem fins lucrativo, reconhecida de utilidade pública conforme lei 5593 de 19 de abril de 2005 e que o espaço ora ocupado pelo CSPC, já estava interditado a mais de um ano, por motivos de segurança. O evento que estamos promovendo: I GPBPC – I GP do Brasil de Pombos de Corrida  atrairá columbófilos(criadores de pombos-correio), de todo o país, bem como do exterior, já foram efetuadas várias reservas de apartamentos em hotéis. São treze estados envolvidos no referido evento. A expectativa é trazer para Sergipe mais de 70 famílias, contando com o apoio da Federação Columbófila Brasileira e da Federação Columbófila Internacional.

Este evento é realizado todos os anos em diversos países e também no Brasil com outra nomenclatura (Columbódromo), com bastante sucesso em atração de público a nível nacional e internacional. Gera, assim, um fluxo turístico em grandes dimensões, o que, conseqüentemente, trará divisas para nosso Estado. Mais detalhes no site: www.columbofiliabrasileira.com.br

 

Eleições 2006: MPE explica regras para o dia da votação

Você sabia que boca-de-urna agora é crime sujeito à pena de seis meses a um ano de reclusão mais multa? Essa e outras novidades estão previstas em leis e regulamentações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que disciplinam o que é permitido e o que é proibido no dia das eleições. Em entrevista, o procurador regional eleitoral no Distrito Federal Osnir Belice explica as novas regras para 1º de outubro próximo:

 

O eleitor pode usar camiseta com nome de candidato no dia das eleições?

Um eleitor, sozinho, pode portar camisa ou outro item de vestuário com nome ou número de candidato, desde que essa manifestação seja individual e isolada. Também é permitido o uso de bandeiras ou propagandas no carro. Contudo, é proibida a aglomeração de eleitores com esses itens. Também não se permite qualquer tipo de carreata, passeata ou manifestações parecidas.

 

Caso algum candidato ofereça transporte gratuito no dia, o eleitor deve aceitar?

Transporte gratuito de eleitores e fornecimento de alimentos no dia das eleições é crime. O dono do veículo pode ser preso e o veículo pode ser apreendido. O eleitor não deve aceitar esse tipo de favor do candidato, pois caracteriza-se captação ilegal de votos.

 

E quanto à distribuição de panfletos e santinhos?

Esse tipo de atividade, mais conhecida como boca-de-urna, é crime. Qualquer tipo de assédio ao eleitor no dia 1º de outubro será coibido com rigor.

 

Os candidatos estão sujeitos a que tipo de punição em caso de boca-de-urna?

Se provado que o candidato tomou conhecimento ou que anuiu a essas práticas, ele pode ter seu diploma cassado. A cassação do diploma do candidato eleito que promoveu boca-de-urna dá-se por meio de uma ação específica, denominada ação de impugnação de mandato eletivo.

 

Como será a fiscalização das zonas eleitorais no dia 1º de outubro?

As Polícias Militar, Civil e Federal zelarão pela segurança da eleição no próximo domingo. Além dessas instituições, o Ministério Público e a Justiça Eleitoral estarão a postos, com promotores e juízes responsáveis por dirimir qualquer conflito que possa surgir durante o dia. O importante é que o cidadão tenha consciência da importância do seu voto e da relevância do processo eleitoral para a democracia brasileira. Fonte:  Asscom/PGR

 

Frase do Dia

“Governo não é para enricar político. Nós vamos fazer um governo com nova mentalidade. Não vou perseguir prefeito, vou governar para o povo do estado. Governar para todos vai ser a síntese da minha administração”. Do candidato Marcelo Deda ao discursar ontem na praça Fausto Cardoso, num ato que reuniu milhares de pessoas.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários