ENCONTRO RESERVADO

0

Sergipe experimentou ontem a primeira movimentação política com a presença de um candidato a presidente da república, em plena campanha eleitoral. Esteve aqui o médico Geraldo Alckmin, que disputa a sucessão presidencial pelo PSDB. Trata-se do principal e mais difícil adversário do presidente Lula da Silva (PT), que tenta a reeleição. De qualquer forma, ontem foi uma festa feita para tucanos e pefelistas, com a participação de lideranças locais e nacionais das duas legendas. Muitos discursos, várias críticas ao governo federal, apresentação de alguns projetos e a experiência do retorno de João Alves Filho e Albano Franco ao mesmo palanque. A passeata movimentou o centro da cidade, principalmente os calçadões. Quem participou gostou. O deputado Fabiano Oliveira (PSDB), candidato a vice-governador na chapa encabeçada por João Alves Filho, disse que o sergipano demonstrou simpatia e receptividade pelo candidato tucano a presidente da República.

Depois do cansaço de uma tarde que exigiu fôlego dos candidatos, Geraldo Alckmin teve uma reunião reservada, em um local tranqüilo, com o governador João Alves Filho, para falar sobre projeto e política. Participaram o candidato a vice-presidente, senador Jorge Guerra (PFL-PE), o senador Heráclito Fortes (PFL-PI), o candidato a deputado federal, Albano Franco, e o candidato a vice-governador, Fabiano Oliveira. No encontro, João Alves Filho fez entrega a Alckmin de um documento denso: era um projeto de viabilidade para o Nordeste, em que se referia a vários segmentos importantes da região, principalmente os recursos hídricos e o setor energético. Falava também de Agricultura, Educação, Turismo, Indústria e outros segmentos que mudariam a região, dentro de um desenvolvimento sustentável.  

O candidato a presidente Geraldo Alckmin considera bom o projeto técnico de transposição das águas do rio São Francisco para o estados do semi-árido nordestino. Desse assunto João Alves entende bem e relatou alguns equívocos sobre a transposição, principalmente o estado de saúde de um rio moribundo. Alckmin reconheceu a situação precária do São Francisco, mas admitiu que uma obra de transposição tem que ser prescindida de um trabalho de revitalização, para que o rio assuma todo o seu leito e retome sua robustez e retorne a despejar águas no mar, como determina a natureza.

Numa das conversas políticas, o governador João Alves Filho mostrou a importância da unidade da coligação, que ainda não chegou a um entendimento saudável. O candidato a vice-governador, Fabiano Oliveira, sugeriu uma reunião ampla com todos os integrantes da aliança para uma conversa: “amor à força não adianta”, disse ele. Ontem, alguns tucanos deixaram de comparecer ao aeroporto e à solenidade porque ainda não engoliram uma coligação com o PFL. O secretário geral do PSDB, deputado Ulices Andrade, disse que fez uma consulta às bases e as lideranças não aceitam: “minha família fica comigo e se apenas ela votar em mim tenho apenas 12 mil votos. Sem a coligação terei 20 mil”, disse e ensinou: “política não se pode fazer com o coração, mas com a razão”. O ex-governador Albano Franco lamenta essa atitude: “eles não são apenas correligionários, todos são meus amigos”. Segundo Franco, “a composição foi feita com a assinatura deles”.

Ontem, no aeroporto, o candidato José Teles de Mendonça, que disputa uma vaga na Assembléia Legislativa, estava com uma camisa que tinha no peito apenas o número 45 (PSDB). “E o 25 (PFL)”? Perguntou o radialista George Magalhães. “Não sei”! “Será o 13 (PT)”? José Teles não respondeu e saiu. Os candidatos de outros partidos que sabem desse desentendimento fazem um protesto: “esse pessoal não quer a aliança mas é beneficiado pelo chapão”. E perguntam: “por que não vão fazer suas campanhas sozinhos?”. De qualquer forma o problema existe e deve encarado como uma realidade e trabalhar para se encontrar alguma forma de solucioná-lo.

Alckmin não teria gostado desse rebeldia tucana e vai levar o problema para a direção nacional do partido.

 

 

TRANSPOSIÇÃO

O candidato a presidente pelo PSDB, Geraldo Alckmin, disse ontem ao desembarcar em Aracaju que não tem nada contra a transposição do rio São Francisco.

Acrescentou que o projeto está tecnicamente correto, mas admitiu que é preciso cuida do rio com um projeto eficiente de revitalização.

 

ELEIÇÕES

O governador João Alves Filho (PFL) disse, ontem, no aeroporto, que está acostumado a participar de “eleições difíceis, médias e fáceis”.

Antecipou que as eleições deste ano estavam difíceis no mês de setembro de 2005: “hoje estão no nível médio e caminham para ser fácil”.

 

RECUSA

Numa conversa que teve com a ex-prefeita Rosa Feitosa, de Canindé do São Francisco, o candidato a deputado Albano Franco (PSDB) rejeitou o seu apoio.

A conversa aconteceu diante do governador João Alves Filho (PFL). Albano explicou que não poderia ter o apoio de duas lideranças do município e ficou com o prefeito Orlandinho.

 

INSISTE

Os deputados Ulices Andrade e Jorge Araújo (ambos do PSDB) voltaram a contestar a coligação com o PFL e dizem que não sobem no mesmo palanque.

O deputado Luiz Mittidieri não dá nenhum problema…

Segundo declaração de Albano, os dois deputados também concordaram em fechar a aliança, mas agora voltaram a condená-la.

 

TRISTE

O candidato a deputado federal Albano Franco diz que fica muito triste com tudo isso: ”eles não são apenas meus correligionários, são meus amigos”.

Albano disse que a coisa estava andando bem, mas esta semana voltou a complicar. Ele vai voltar a conversar com os dois deputados.

 

ULICES

Apesar de ter sido convidado pessoalmente pelo candidato a deputado federal Albano Franco, o deputado Ulices Andrade (PSDB) não foi ao aeroporto receber Geraldo Alckmin.

Não participo da coligação e minha presença no aeroporto poderia criar constrangimento. Ressaltou que é eleitor de Alckmin para presidente.

 

AMENIZAÇÃO

O deputado Ulices Andrade disse que não houve uma “amenização para irmos apoiar o governador João Alves Filho (PFL) à reeleição”, explicou.

Segundo Ulices, as negociações para composição não foram feitas de forma a conciliar as questões políticas regionais de cada candidato.

 

GLOBO

É impressionante a força da Rede Globo de Televisão. Todos os candidatos só promovem eventos públicos de maior intensidade, até às 17 horas, no máximo.

É que depois disso acaba o prazo para que apareça no Jornal Nacional que abre espaço para os candidatos. Todos eles dão uma palavrinha para o eleitorado do Brasil.

 

HELENA

A candidata do Psol a presidente da República, Heloísa Helena, virá a Aracaju ainda esse mês, para uma caminhada pelo Calçadão.

Será recepcionada pelo pessoal que o apoia, inclusive com a presença do candidato a governador pelo PDT, João Fontes. A data ainda não está marcada.

 

CARREATA

O candidato do PT a governador, Marcelo Déda, comanda hoje uma carreata com a presença de todos os partidos que o apóiam.

Sai de frente da igreja do Espírito Santo e circula várias ruas e avenidas da região Norte, terminando na praça Ulisses Guimarães, no bairro América.

 

PLENÁRIA

Marcelo Déda participou, ontem, de plenária com militantes do PTB, na Assembléia Legislativa. Discutiu-se a carreata de hoje.

Déda convidou o pessoal a comparecer à carreata e se engajar na campanha. Anteontem o encontro foi com a militância petista, com o mesmo objetivo.

 

CLÓVIS

O advogado Clóvis Barbosa foi escolhido ontem para ser o coordenador financeiro da campanha do candidato Marcelo Déda.

Clóvis foi o chefe da Procuradoria do Município e sempre esteve vinculado aos partidos de esquerda em Sergipe.

 

ENRASCADA

PTdoB, PTN e PV entraram em uma enrascada insolúvel caso se mantenha a rejeição, pelo TSE, da coligação proporcional apenas para estadual.

Os três partidos terão que participar do mensalão e, nos cálculos de alguns políticos, talvez elejam um único candidato. O nome citado foi o de Paulinho da Varzinha.

 

 

Notas

 

SAQUE

A Câmara analisa o Projeto de Lei do deputado Edson Ezequiel (PMDB-RJ), que autoriza os trabalhadores que continuam na ativa após 65 anos de idade a sacar o saldo do FGTS. Atualmente, o saque é permitido ao trabalhador com idade igual ou superior a 70 anos, sem fazer referência à permanência em serviço.
Na opinião do autor da proposta, a situação atual é injusta porque os trabalhadores que teriam uma grande perda de receita caso se aposentassem preferem continuar em atividade, para poder mantendo o salário.

 

ALCOOL-1

A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) vai votar, em decisão terminativa, projeto que restringe a venda de álcool etílico líquido e a submete à regulação das autoridades sanitárias. O projeto é de autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB), preocupado com a forma como produto é negociado.

A proposta pretende restringir a comercialização do álcool etílico hidratado e anidro na forma líquida e também reforçar o poder regulatório da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), vinculada ao Ministério da Saúde.

 

ALCOOL-2

O senador Antônio Carlos Valadares explica que “a proposição aspira também a mitigar o sofrimento, as lesões e as seqüelas, bem como evitar as mortes associadas ao uso inadequado e à venda livre do álcool etílico líquido, prática comercial arcaica banida na grande maioria dos países”.

O senador explicou que a Anvisa editou, no início de 2002, um regulamento técnico que restringiu a comercialização do álcool etílico hidratado em todas as suas graduações e também do álcool etílico anidro.

 

 

É fogo

 

Muita gente foi ao aeroporto para receber Geraldo Alckmin. A grande maioria levada por candidatos a mandatos eletivos.

 

Emanoel Cacho dando vida mais cedo ao Movimento Verde e deve colocar o bloco na rua o mais rápido possível.

 

Há uma grande movimentação de candidatos, em viagem pelo interior, para fechar municípios que já pertencem a outro.

 

O candidato a vice na chapa de Marcelo Déda (PT), Belivaldo Chagas (PSB) tem trabalhado muito para ajudar na captação de votos.

 

O candidato a senador pelo PT, José Eduardo Dutra, é quem as vezes desaparece da campanha. É o seu estilo.

 

O prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) também tem trabalhado muito em contatos políticos e vem conseguindo êxito em favor dos seus objetivos.

 

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) não muda o seu estilo e faz um trabalho social permanente na periferia de Aracaju e nos municípios.

 

Aliás, não é apenas nas eleições que D. Maria põe camiseta e calça jeans para trabalhar junto a comunidades carente. Trabalha assim desde que se elegeu.

 

O radialista Fábio Henrique (PDT) já está na rua com a sua campanha definitiva para deputado estadual.

 

O presidente regional do PT, Márcio Macedo, é o coordenador de campanha de Marcelo Déda e tem muito trabalho pela frente.

 

As lojas de roupas anteciparam as promoções da coleção de inverno e dão até 70% de desconto nas peças da estação para reverter o desaquecimento nas vendas.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários