ENERGIA EÓLICA: SERGIPE GARANTE SUA USINA

0

O segundo Leilão de Compra de Energia de Reserva, primeiro voltado exclusivamente para a fonte eólica, confirmou o potencial do Nordeste para a produção de energia a partir da força dos ventos. Das 71 usinas de geração contratadas para fornecer energia ao país a partir de 2012, 63 estão instaladas na região: 23 no estado do Rio Grande do Norte, que concentrou 657 MW (megawatts); 21 no Ceará, com 542 MW; 18 na Bahia, com 390 MW; e uma em Sergipe, com 30 MW. Fora do Nordeste, apenas a região Sul teve empreendimentos vencedores no leilão, com oito usinas contratadas no Rio Grande do Sul. As contratações acrescem ao Sistema Interligado Nacional (SIN) 1.805,7 MW de potência, que devem demandar investimentos de R$ 9,4 bilhões. Já os negócios totalizaram R$ 19,6 bilhões, distribuídos ao longo de 20 anos, ao preço médio de venda de R$ 148,39 por MW/hora, resultando em um deságio de 21,49% em relação ao preço inicial proposto pelo Ministério de Minas e Energia, que era de R$ 189/MWh. Os contratos de compra e venda de energia são válidos a partir de 1º de julho de 2012, ano previsto para o início do suprimento. Com as contratações, o governo brasileiro afirma querer aumentar a participação na matriz elétrica nacional de uma nova fonte de energia renovável, que não emite CO2 (gás carbônico) e é abundante no país, em conformidade com a política setorial de incentivo às fontes renováveis. Os 339 empreendimentos que participaram do leilão totalizavam 10.005 Megawatts (MW) de produção. Dos projetos habilitados para o evento, 108 eram do Ceará, com potência total de 2.515 MW; 105 do Rio Grande do Norte, com capacidade de 3.629 MW; e 67 do Rio Grande do Sul, com 2.238 MW. O restante estava distribuído entre os estados da Bahia (1.004 MW), Espírito Santo (153 MW), Piauí (336 MW), Santa Catarina (75 MW) e Sergipe (com 54 MW), sendo que um dos projetos – o de 24 MW, em Santo Amaro das Brotas – foi retirado da pauta ao longo do processo do leilão, para futura reapresentação.

PLANTA EÓLICA DE SERGIPE

 

Em Sergipe, o Projeto vencedor foi da Energen – Geração de Energia Eólica na Barra dos Coqueiros, uma proposta que atende principalmente a uma questão de sustentabilidade no Estado. A Energen é uma empresa genuinamente sergipana, controlada pela Tenace Engenharia, que montará toda estrutura por meio da Gamesa, uma multinacional espanhola de novas tecnologias que as aplica em atividades emergentes. A implantação do projeto em Sergipe visa ofertar 30 MW, o que equivale ao fornecimento de energia capaz de atender uma cidade de 200 mil pessoas. Como o sistema é unificado e interligado à Chesf, a energia produzida em Sergipe poderá ser consumida por qualquer outro estado do Brasil.

 

CUSTO DO PROJETO SERGIPANO

 

A implantação do projeto representará um investimento de R$ 160 milhões, dos quais 80% serão financiados pelo BNB e os demais 20% serão recursos próprios da Energen. A idéia começou em 2005, mas passou por estudos de conexão, de licenciamento, técnicos, de medição de ventos. Todo este esforço foi necessário para oferecer uma concepção competitiva ao estado de Sergipe, uma vez que estados como o Rio Grande do Norte e Ceará, possuem condições meteorológicas mais favoráveis e possuem tradicionalmente mais know how no setor. Para se ter uma idéia, durante o leilão, o RN apresentou 134 projetos, e esteve a frente com 23 deles aprovados. O Ceará apresentou 118 e vendeu 21 projetos. Já Sergipe apresentou dois projetos e conseguiu um deles que operará com 15 torres de 2 MW cada uma.

 

PROJETO NASCE NO SERGIPETEC

 

O projeto de engenharia sergipana nasceu dentro do Sergipetec e se orgulha de ter todos os técnicos sergipanos.  Toda mão-de-obra será local e preparada in loco. Durante a fase de construção serão gerados 200 empregos, mas na fase de operação os geradores de energia poderão operar com apenas 12 pessoas trabalhando neles. Isso se explica pelo fato de que a tecnologia utilizada garante em média uma eficiência de 97% , o que significa máquinas precisas e de alta complexidade técnica.  As obras para implantação das turbinas eólicas – que operarão a 100 metros de altura, com hélices de até 45 metros de comprimento – começam em abril de 2010 e o prazo limite  para início das atividades é 1° de julho de 2012, mas a idéia da empresa é começar as atividades um ano antes, ou seja, em julho de 2011.

 

DESTACANDO:

 

BRIGA PELOS ESPANHOIS – Ainda falando sobre investimentos em energia eólica em Sergipe, esta semana o diretor da GAMESA (fabricante mundial de turbinas eólicas), Álvaro Carrascosa, esteve em nosso estado para conhecer nossos diferenciais em relação a Pernambuco. O governador de lá está aguerrido e quer porque quer a primeira fábrica da América Latina dentro de seus limites geográficos. Mas Sergipe garante que não perde essa disputa.

 

ÍNDICE DOS ALUGUEIS CAI – O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) e que serve de base para os reajustes de contratos de aluguel, teve deflação de 0,26% em dezembro. No mês passado, a taxa havia sido de 0,10%. Segundo o levantamento divulgado ontem pela FGV, no acumulado do ano o índice apresenta queda de 1,72%. Essa é a primeira deflação anual desde o início da série histórica, em 1989.

JUROS PESSOA FÍSICA ESTÃO MENORES – Os juros de empréstimos bancários para pessoa física são os menores desde julho de 1994, quando o Banco Central começou a série histórica. Em novembro, a taxa ficou em 43% ao ano, contra 44,2% em outubro. Para pessoa jurídica, os juros foram de 26%, os mais baixos desde fevereiro de 2008. Os dados foram divulgados ontem.  A taxa média caiu para 34,9% a.a. (ao ano) em novembro, com reduções de 0,7 p.p. no mês  – em outubro a taxa era de 35,6% ao ano, a maior desde julho – e de 9,2 p.p. em 12 meses.

UM EXCELENTE 2010 PARA VOCÊ!

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais