Ensaio sobre a liberdade

0

A partir deste momento você é livre para fazer o que bem entender de sua vida. Rasgue sua certidão de nascimento. Recuse convites grandiosos. Beba champanhe cara durante um dia inteiro. Ascenda uma vela pra Baco. Diga verdades mentirosas e assuma pra si erros alheios. Não entregue sorrisos. Desfaça combinações no vestuário. Seja ridículo pelo menos uma vez nesta sua curta vidinha de assalariado e comedor de fast-food. Entoe uma voz aguda, tipo Pato Donald. Assuste seus familiares. Refaça histórias. Comece do fim. Ligue outra vez e diga que nunca mais ligará de novo. Aguarde chamadas no celular só pelo simples prazer de pronunciar um talvez. Faça pensar, nada mais excitante para um libertário do que a consciência plena de que o outro compreendeu sua mensagem. Não perdoe, nem entenda os arrependidos. Ouse comprar e deixar atrasar para que acordos financeiros sejam vantajosos. Muitas vezes funciona! Declare seu amor a um total desconhecido e deixe-o vagando sem saber o que pensar sobre o dito. Escreva cartas de liberdade e espalhe-as pela cidade, não custa nada esperar que almas presas sejam dispensadas de corpos inabitáveis. Acorde seu vizinho no meio da noite e o veja como ele verdadeiramente é. Tatue seu corpo com a mais singela canção de Caetano. Rasgue jornais do dia seguinte. Desenhe na vidraça das boutiques e abuse do olhar. Aprenda a tocar piano. Depois chore horrores por não ser o melhor pianista do planeta. Indague políticos, escreva para seus e-mails e os façam obrigatoriamente aprender a abrir uma caixa de e-mail, sem um assessor para auxiliar e depois, envie vírus disfarçados de cartas de apoio a sua candidatura. Reveja seus filmes favoritos em companhia de pessoas impacientes. Descubra segredos e faça chantagem. Desculpe os estetas e desconfie dos bonzinhos, sempre! Corra quilômetros e depois coma todo tipo de chocolate. Sinta o corpo reagir a uma overdose de sentimentos e se engasgue com a vida. Você é o único responsável pelos seus dons e você tem vários destes escondidos, mas não sabe usar, que pena! Olhe-se no espelho durante horas e construa a imagem que gostaria de ser verdadeiramente. Seja sincero com você e perdoe seus desenganos porque os mesmos farão de você alguém melhor. Anule seu voto uma vez a cada eleição, não participe de nada, vá à praia e mande a falsa democracia pras cucuas. Desmaie de mentira no chão de um supermercado. Faça justiça com as palavras, nunca violência, é bobagem! Tenha crises de compulsividade em diferentes níveis. Tire um mês para planejar o resto de seus dias. Faça dietas. Prefira os canais importados. Ligue para contar piada ao invés de um trote seco. Cultue a melancolia. Faça download enquanto é gratuito. Aprenda uma língua, de preferência o espanhol. Dirija-se ao vilarejo mais próximo e tire uma fotografia de uma senhora bem velhinha, depois revele e devolva a imagem captada, em forma de lembrança. Compre tickets e venda por um preço a mais, seja cambista de oportunidade. Aprenda sobre todas as drogas, pesquise, use o que lhe for conveniente, mas saiba que liberdade é muito mais que entorpecentes. Seja um portador de diploma. Vire um aluno intelectualmente inferior, ainda que seja por um dia apenas. Sonhe alto e realize metade de seus pensamentos. Dedique-se ao outro de forma altruísta. Não aceite elogios. Critique sem pensar só para constatar a possibilidade de ser babaca. Doe órgãos. Não escute os chatos. Releia seu livro predileto. Livre-se das roupas velhas. Paquere alguém do mesmo sexo, veja até onde vai seu poder de atração. Seja merecedor de toda a ingratidão que lhe vier. Que tal se tornar vegetariano? Permita-se inovar a cada palavra dita e escrita. Salva alguém da cegueira cultural. Você é livre para tudo isso e muito mais!

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais