Erisipela

0

Estou convencido de que não só nos amamos nos outros, como também de que nos odiamos nos outros .

( Georg Christoph Lichtenberg )

A Erisipela é popularmente conhecida como vermelha, “passou a vermelha na perna”.

Trata-se de um sério problema que afeta a pele das pessoas e decorre de uma infecção geralmente causada pela bactéria Streptococcus pyogenes grupo A, porém  também pode ser causada por outros estreptococos ou até mesmo por alguns estafilococos, ocorre principalmente em pernas e pés, mas pode também aparecer em membros superiores, tronco e face.

Geralmente o processo infeccioso se inicia a  partir de uma lesão causada por fungos (frieira) entre os dedos dos pés, arranhões na pele, bolhas nos pés produzidas por calçado, corte de calos ou cutículas, coçadura de alguma picada de inseto com as unhas,alem disso sabemos que pacientes com insuficiência venosa crônica ou com diminuição do número de vasos linfáticos têm uma predisposição maior de adquirir a doença, como é o caso das mulheres mastectomisadas, portadoras de linfedema. Sem deixar de mencionar a grande predisposição que os diabéticos e grande obesos tem para desenvolver este tipo peculiar de processo infeccioso..

Evolução

No período de incubação, que pode durar um período que pode variar de  um a oito dias, pode ocorrer mal-estar, desânimo, dor de cabeça, náusea e vômitos, seguidos de febre alta e aparecimento de manchas vermelhas com aspecto de casca de laranja, bolhas pequenas ou grandes, quase sempre nas pernas e, às vezes, na face, tronco ou braços. As manchas na pele no início apresentam somente aumento de temperatura, mas logo se tornam bastante dolorosas, convém chamar a atenção para o fato de que a febre costuma permanecer de um a quatro dias e pode regredir espontaneamente, causando uma enorme prostração.

Diagnóstico

E feito basicamente pelo exame cuidadoso da área afetada, com suas características peculiares: vermelhidão, dor ao toque, calor local, aliados aos sintomas referidos anteriormente.

Os exames laboratoriais são em geral são dispensáveis para se definir o diagnóstico, mas são extremamente importantes para um adequado acompanhamento da evolução do processo infeccioso do paciente.

Tratamento

O tratamento deve ser feito aliando antibióticos, anti-inflamatórios, analgésicos e antitérmicos. Para se obter a redução do inchaço,deve-se  fazer repouso absoluto, com as pernas elevadas (coloca-se dois tijolos sob os pés dianteiros da cama para se conseguir deixá-la em uma inclinação média de 45 graus),  principalmente na fase inicial,e em alguns casos pode ser necessário o enfaixamento da perna para diminuir o edema mais rapidamente.
Além disso é muito importante obter o fechamento da porta de entrada da bactéria, tratando as lesões de pele e as frieiras, fazendo uma limpeza adequada da pele, eliminando o ambiente adequado para o crescimento das bactérias.

É muito importante o acompanhamento com um Angiologista quando se tratar de acometimento das pernas e/ou pés.

No caso do antibiótico,usa-se uma dose de ataque e se mantém o tratamento por um período prolongado para evitar recidivas, e muito importante iniciar o tratamento  assim que  a doença for detectada  para evitar complicações como abcessos, úlceras (feridas), e o linfedema ( edema duro e persistente) que podem resultar na ocorrência de vários surtos do processo infeccioso.

Complicações

Quando o paciente é tratado logo no início da doença, as complicações não são tão evidentes ou graves, porém é muito encontrado nos casos não tratados a tempo uma evolução desastrosa com o desenvolvimento de abscessos, ulcerações (feridas) superficiais ou profundas e trombose de veias.

A sequela mais comum é o linfedema, que é o edema persistente e duro (não forma uma depressão na pele quando submetido à compressão com os dedos), localizado principalmente na perna e no tornozelo, resultante dos surtos repetidos de erisipela.

Prevenção 

Após banho, secar bem entre os dedos dos pés.

Usar meias limpas todos os dias, dando preferência às meias de algodão.

Usar fungicidas metodicamente em pó, spray ou cremes.

Evitar traumas à pele ou calçados impróprios.

Como tudo em Medicina,na Erisipela, prevenir é sempre melhor que remediar.

Um boa semana.

Comentários