Estados ameaçados

0

A ação militar contra os traficantes de drogas e armas nos morros cariocas levou grande número deles é trocar o Rio de Janeiro por outros Estados, principalmente do Nordeste. Por isso mesmo, as policias de Minas, Bahia e Pernambuco iniciaram operações em suas divisas territoriais para impedir o acesso da bandidagem. Tomara que o mesmo seja feito em Sergipe, antes que os fugitivos escondam-se aqui enquanto as coisas se acalmam nos morros do Rio. É bom lembrar que, embora pequeno territorialmente, o Estado é cortado por duas rodovias federais, sendo que a BR-235 facilita o acesso à maior área de plantio e venda de maconha do país, no sertão de Pernambuco.

 

Trânsito educado

 

Uma emenda ao Orçamento da União do próximo ano garante R$ 100 mil para apoiar projetos de educação no trânsito em Sergipe voltados principalmente para caminhoneiros. De autoria do deputado federal Mendonça Prado (DEM), a proposta visa beneficiar a Agência Nacional de desenvolvimento de Projetos Socioeconômicos, Tecnológicos, Culturais e Turísticos, com sede em Itabaiana. Esta entidade desenvolve atividades visando atender os motoristas de caminhões, a exemplo da distribuição de cartilhas, folders, panfletos e realização de seminários.

 

Terras da União

 

Após muita luta, os moradores da comunidade Resina, em Brejo Grande (SE) conseguiram da Justiça o reconhecimento que as terras onde vivem há muito tempo pertencem à União. Há cinco anos, eles quase foram expulsos das terras, compradas pela construtora Norcon visando edificar ali um moderno resort. Com o apoio da Igreja Católica e políticos, os pescadores e marisqueiras reagiram contra o negócio e as ameaças de expulsão. Diante da decisão, servidores do Incra já estiveram na Resina coletando as primeiras informações visando providenciar a titulação das terras em favor dos moradores. Legal!

 

Aspecto provinciano

 

Quando será que o Aeroporto de Aracaju vai deixar de se parecer com uma rodoviária? Há muito tempo, todos os governos anunciam investimentos visando adequar o nosso aeroporto aos de outras capitais do Nordeste, mas depois de algumas obras o ‘danado’ continua com cara de província. Agora mesmo, com o quiosque do café sendo recuperado, os passageiros só contam com o restaurante e a lanchonete do segundo piso, que vivem sempre lotados. Sem contar com as muriçocas e outros insetos indesejados. Nem na rodoviária de Carira a coisa é tão acanhadinha.

 

Barbeiragem cara

 

Lembram daqueles dois malucos que se acidentaram na foz do rio Vaza Barris, em Aracaju, com uma embarcação cheia de cocaína? Pois a Justiça Federal acaba de condená-los. Os traficantes Aloísio Gomes e José Rosano jamais explicaram o que os fez deixar o alto mar para entrar na foz do Vaza Barris e jogar contra um banco de arreia a embarcação carregada com 150 quilos de cocaína pura. A barbeiragem custou a ambos quase 20 anos de cadeia. Bem feito!

 

Última chance

 

Os eleitores que não votaram no último dia 3 de outubro, só têm até hoje para justificar a ausência.  Para regularizar a situação, é preciso levar um Requerimento de Justificativa Eleitoral ao juiz da zona eleitoral em que está inscrito. O documento com a justificativa deve ter o nome, a data de nascimento, a filiação, o número do título, endereço atual e o motivo da ausência à votação. Caso o eleitor deixe de votar em três eleições seguidas, sem justificar ou pagar multa, ele terá sua inscrição cancelada.

 

Lombada

 

Nunca se viu tanta gente reclamando contra uma lombada no asfalto como agora em Aracaju. Pior é que as queixas procedem, pois a ‘obra’ feita na avenida José Sarney deve provocar mais acidentes do que evitá-los. Para se ter uma idéia, um carro rebaixado só passa sobre a lombada de ladinho. O que intriga é que, apesar de tantas reclamações, o Departamento Estadual de Trânsito insiste em garantir que a ‘danada’ está dentro dos padrões. Com todo respeito aos técnicos, aquilo ali parece mais um paredão.

 

Câmara ao vivo

 

Os vereadores de Aracaju querem ter as sessões legislativas transmitidas ao vivo pela TV Alese. Ontem, um grupo de vereadores, liderados pelo presidente Emmanuel Nascimento (PT), pediu espaço na grade da emissora para a transmissão dos trabalhos parlamentares. Após ouvi-los, a presidente da Assembléia, Angélica Guimarães (PSC), prometeu analisar a proposta. Tomara que acate, para que os eleitores aracajuanos possam assistir e avaliar melhor o trabalho de seus representantes

 

Voz do Brasil

 

O Senado aprovou ontem, o projeto de lei que trata da flexibilização do horário de transmissão de A Voz do Brasil, que divulga atos dos Três Poderes. De acordo com o texto aprovado no plenário, o programa poderá ser transmitido pelas emissoras comerciais entre as 19h e 22h. O Poder Executivo ainda poderá regulamentar a dispensa total das rádios colocarem no ar o programa, em casos excepcionais como a transmissão da Copa do Mundo de Futebol. O projeto segue agora para a Câmara dos Deputados.

 

Do baú político

 

A derrota do governador Marcelo Déda (PT) na Grande Aracaju, elevou o moral de seus adversários. Os mais afoitos já garantem que em 2012 vão conquistar a Prefeitura da capital, de Socorro e São Cristóvão. A estes, vale lembrar que cada pleito tem sua história e que o eleitor hoje contrariado com um político, pode apoiá-lo fervorosamente depois. Melhor exemplo disso aconteceu na década de 50. Com o suicídio do presidente Getúlio Vargas, em agosto de 1954, o udenista Leandro Maciel caiu em desgraça política. Seu sítio, ali em frente ao Hospital Cirurgia, foi cercado e a turba enfurecida só foi contida pelas tropas do Exército. Pois bem, no final daquele mesmo ano, Leandro se elege governador de Sergipe com os votos dos mesmos sergipanos que, alguns meses atrás, queriam trucidá-lo para ‘vingar’ a morte de Getúlio.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais