Estranho silêncio

0

Muito estranho o silêncio da oposição sobre a contratação pela Prefeitura de Aracaju da empresa baiana Freire Informática, responsável pela polêmica em torno do exagerado reajuste do IPTU. Os vereadores deveriam investigar o que estimulou o contrato, mesmo depois que a Secretaria Municipal da Saúde recusou os serviços daquela empresa, ao apurar que ela havia sido dispensada sumariamente pela Prefeitura de Salvador. E quanto custou a contratação da Freire Informática? Qual sua experiência em calcular e emitir boletos do IPTU? Por que a preferência justamente por esta empresa? Estas e outras perguntas devem ser respondidas aos aracajuanos, vítimas de um exagerado reajuste que, no futuro, pode resultar na perda de seus imóveis por falta de condições para pagar o tributo municipal.

Ficha suja

E o presidente da Assembleia, Luciano Bispo (PMDB), pode perder o mandato primeiro do que os deputados acusados de se beneficiarem com as verbas de subvenção. Segundo alguns advogados, dificilmente o Tribunal Regional Eleitoral deixará de reformar decisão anterior, que garantiu o registro da candidatura de Bispo. Caso o TRE não o enquadre agora como ficha suja, o Tribunal Superior Eleitoral o fará. Sendo correto este argumento, o mandato de Luciano está com os dias contados.

No prego

Pelo menos dois empresários da construção civil reafirmaram ontem que estão há sete meses sem receber pelos serviços prestados à Prefeitura de Aracaju. Também revelaram que se não receberem logo, vão reduzir drasticamente o quadro de pessoal para evitar a falência. Enquanto isso, o secretário municipal de Comunicação, Carlos Batalha, jura de pés juntos que a Prefeitura está em dia com todas as construtoras. Quem fala a verdade?

Dia de chuva

Neste 19 de março, quando se comemora o Dia de São José, vale lembrar a música da genial baiana Maria Bethânia: “Meu divino São José/ Aqui estou a vossos pés/ Dai-nos chuva com abundância/ Meu divino São José”. Dizem os mais antigos, que quando chove no dia 19 de março, o próximo inverno será dos melhores. Tomara!

Mortos vivos

A Assembleia Legislativa aprovou ontem indicação da deputada Ana Lúcia (PT) solicitando ao governador Jackson Barreto (PMDB) a criação da Comissão Estadual da Verdade. Sergipe é um dos poucos estados que não se dignou a investigar as graves violações aos direitos humanos praticados pelo golpe militar de 1964. Há quem garanta que o governo de Sergipe tem medo de mexer neste assunto porque muitos torturadores já mortos ainda estão bem “vivos”. Será?

Festa alheia

Sem nada para inaugurar durante as comemorações dos 160 anos de Aracaju, o prefeito João Alves Filho (DEM) se socorreu com a inauguração do Restaurante Cacique Chá, obra do governo estadual. Fez discurso e concedeu entrevista como se fosse o dono da festa. É, quem não tem cão, caça com o gato!

Sem votos

E o polêmico vereador Agamenon Sobral (PP) resolveu infernizar a vida do ex-prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB). Segundo ele, o comunista foi reprovado nas urnas, a ponto de, nas eleições passadas, só ter obtido cerca de 36 mil votos para deputado federal. “Tivesse dado saúde, educação e transporte de qualidade aos aracajuanos, ele teria sido melhor votado em Aracaju, um colégio de 360 mil eleitores”, discursou Sobral.

Audiência de custódia

O senador Antonio Carlos Valadares (PSB) defendeu ontem o projeto de sua autoria que determina o prazo de 24 horas para a apresentação do preso à autoridade judicial, depois de efetivada sua prisão em flagrante. Segundo ele, trata-se da chamada “audiência de custódia”, que vem adequar a legislação ao que está estabelecido em tratados internacionais de direitos humanos assinados pelo Brasil. Tá certo!

Anvisa condenada

A Justiça Federal condenou a Anvisa a adotar medidas para que os produtos fiscalizados identifiquem no rótulo todos os componentes que podem causar reações alérgicas. As determinações têm 90 dias para serem cumpridas e valem para alimentos, medicamentos e produtos de uso pessoal. Na sentença, o juiz federal Edimilson Pimenta alega que o Estado tem a obrigação de garantir o resguardo dos direitos do sujeito vulnerável da relação jurídica de consumo. Corretíssimo!

Ótima escolha

A engenheira agrônoma Lúcia Falcón é a nova presidente do Incra. É a primeira vez que uma mulher preside a autarquia como titular do cargo. Maria Lúcia Falcón é professora da Universidade Federal de Sergipe, no departamento de Economia desde 1993. Ainda não há a previsão da data de transmissão do cargo ocupado por Carlos Mário Guedes para a nova gestora.

Recorte de jornal

Publicado no jornal estanciano A Razão em 24 de fevereiro de 1907

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários