Faça Circular a Energia

0

Nós, por conveniência, capricho ou preguiça vamos acumulando, durante a nossa jornada, tralhas que às vezes não servem para nada.

Como gostamos de guardar coisas que jamais usaremos: são roupas, que mesmo não servindo mais para o nosso dia-a-dia, guardamos abarrotando os nossos armários; sapatos que folgados, apertados ou fora de moda, não nos servem mais. 

Porém, ficam mofando dentro de caixas, gavetas ou embaixo das camas; livros, revistas e recortes de jornal, que nunca mais vamos dar uma olhadinha sequer, mas, estão lá enchendo as nossas estantes e escrivaninhas. 

Fitas cassete, de vídeo, CD’s e DVD’s que com o tempo se estragarão certamente. Mas continuam ocupando o espaço. Documentos que, já ultrapassados, não servirão para mais nada; remédios que, após adquiridos, tomamos duas unidades e deixamos que vença o prazo dos outros vinte e oito comprimidos que ficam no frasco, caixa ou cartela… 

A lista é imensa. Sabe aquele quarto da bagunça, o porão das “traquitanas”, o sótão dos entulhos? Pois é, naquele cômodo da casa onde adoramos guardar tudo o que não tem serventia. Afirmando que: “um dia isto ainda servirá para alguma coisa”. Só que, se acaso você realmente necessitar daquilo, um dia, vai procurar, procurar e procurar e não vai encontrar, pois a bagunça é tão grande que não lhe permite lembrar onde guardou. A poeira e aquela desorganização lhe desestimulam , o sacrifício para encontrar aquele objeto não compensa, é preferível usar a alternativa mais salutar, ou seja, adquirir outro numa loja.

Quer dizer: aquilo que um dia teria alguma serventia existe, está lá. Você tem certeza que guardou, mas, não sabe onde. E, pelo visto, vai continuar lá, sem utilidade, paralisado, inerte. Pois é, tudo o que está parado há tempos é entulho, é energia estagnada, são lembranças aprisionadas.

O pior é que enquanto estas coisas estão presas, inúteis e, definitivamente tomando o nosso espaço, outras pessoas estão necessitando. O que para nós é tralha está sobrando, para elas é tudo.

Tome uma atitude: Abra espaço na sua casa e na sua vida, areje seu lar e a sua alma. Busque o novo, seja mais seletivo, dê aquilo que está parado uma destinação decente, o que for aproveitável conserte, use ou doe, pois do seu lado existem tantas pessoas ou entidades necessitando. 

O que não servir mais para usar ou doar, despeça-se destas tranqueiras, deixe este espaço livre para que novos fluidos possam trafegar em seu ambiente. Mas, atenção: descarte-os em locais adequados, pois, também, não temos o direito de jogar nossos lixos em qualquer lugar. Cada um deles tem o seu local próprio. Agindo assim, estaremos ajudando a alguém, a nós mesmos e à natureza.

Você sabe que determinados objetos perdem bem rapidinho a sua validade e utilidade? Pense nos medicamentos. E é tão fácil dar uma destinação digna, basta passar na portaria de um asilo e deixar lá. Você já imaginou o bem que fará? Então, o que está esperando? Aja, transforme, torne aproveitável aquilo que dormita, enchendo seus espaços. 

Faça uma boa ação. Faça isso, mas faça logo. Ponha essa energia para circular, dê-lhe condição para que ela cumpra a sua função e, em troca, traga-lhe mais satisfação, espaço, harmonia e liberdade.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários