Fazer política

0

Um bem articulado político, diretamente vinculado ao Governo do Estado, mas que exerce uma atividade em outro órgão importante de Sergipe, conversou demoradamente com alguns amigos e demonstrou, dentro de uma lógica futurística, que o governador João Alves Filho (PFL) tem que mudar o discurso e promover uma renovação política urgente na concepção de coalizão. Acrescentou que está havendo um grande equívoco da assessoria política do Governo, que não está promovendo as renovações naturais que a sociedade deseja. Está certo quando diz que o eleitorado de hoje não é o mesmo que o fez governador em 1982. Até o tipo de fazer campanha terá avanços, porque precisa conquistar uma mocidade que deseja mudanças. As eleições deste ano são importantes. É preciso que se eleja o prefeito ou chegue próximo, numa disputa de segundo turno. Se isso não acontecer, o pleito de 2006 pode complicar muito para o atual esquema de Governo. Deve-se abrir uma nova concepção administrativa, inclusive com uma linguagem mais jovial, buscando idéias diferentes e promovendo uma renovação que se dê para perceber. Há um entrave na assessoria política, que se mantém atrelada a vícios do passado, imaginando que o interior ainda obedece a coronéis. O momento é de trabalhar para eleger um prefeito, mas também é bom começar a saber que vai enfrentar um cidadão como Marcelo Déda, em 2006, que tem uma postura política absolutamente diferenciada do ex-senador José Eduardo Dutra. Aliás, é bom também que a assessoria política comece a olhar algumas insatisfações de lideranças do interior. Um líder político, que tem algumas prefeituras nas mãos e lugar bem reservado na Assembléia Legislativa, disse abertamente, sem pedir nenhuma reserva, que não votará mais no esquema liderado pelo governador João Alves Filho, se não tiver uma boa participação no Governo, além de compromissos para manter o seu esquema vivo. O cidadão acompanha esse mesmo projeto político há vários anos: “mas não pensarei duas vezes em debandar para o outro lado, caso não me sinta privilegiado onde estou”, ameaçou. Chegou a demonstrar alguma insatisfação, principalmente porque está havendo tratamento diferenciado para o seu pessoal. O cidadão mantém um bom relacionamento com todas as partes e o bloco da oposição está aberto para atender aos seus desejos, em troca da adesão. Um forte auxiliar do Governo chegou a comentar que, desta vez, o governador João Alves Filho ainda não começou a fazer política. Está mais preocupado com o início de obras e, principalmente, com a ponte que liga Aracaju à Barra dos Coqueiros. Anda meio chateado com esse clima e se considera sobrecarregado para resolver problemas políticos que podem atingir o esquema do governador futuramente. Evidente que a Administração Estadual mostrou agilidade no socorro às vítimas das secas e no trabalho para conquista a refinaria de petróleo. Tudo isso é muito bom, mas o cidadão que está esperando um sorriso direcionado a um apoio para as eleições deste ano, não está nada satisfeito. A questão política é muito importante, principalmente uma reciclada no estilo, porque o adversário é jovem, inteligente e vem com um palavreado diferente dos utilizados nos velhos comícios, que já não fazem tanto a cabeça das pessoas. É preciso urgente que se faça um projeto para o futuro, para que seja possível fazer algo de novo que impressione a sociedade, hoje vivendo a era da internet e aos avanços do marketing. CANDIDATO Está decidido: o deputado federal Jorge Alberto (PMDB) vai candidatar-se à Prefeitura de Aracaju nas eleições deste ano. Estava marcado para ontem o comunicado da sua decisão ao presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, e ao governador João Alves Filho (PFL), de quem Jorge é aliado. BENEDITO O presidente regional do PMDB, Benedito Figueiredo, ficou animado com a informação, porque sempre defendeu que o partido tivesse candidato. Com uma chapa majoritária, “a gente tem o nosso palanque e consegue eleger maior número de vereadores na Câmara”, diz Benedito. POSIÇÃO A decisão de Jorge Alberto em candidatar-se a prefeito é manter sua posição junto à executiva nacional, à qual ele pertence, que está integrada ao Governo Lula. O deputado Jorge Alberto não quer apoiar um candidato indicado pelo PFL, para não criar problemas em Brasília. DIFICULDADE A maior dificuldade dessa candidatura vai acontecer em caso de uma disputa no segundo turno, entre um candidato apoiado pelo Governo e o atual prefeito Marcelo Déda. O deputado federal Jorge Alberto terá dificuldade em ficar ao lado do candidato do PT, porque Jackson Barreto e Jorge Alberto são adversários inconciliáveis. PETROBRAS O presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra (PT), justificou o apoio cultural e festivo que tem dado ao Nordeste, principalmente a Sergipe. “É porque nas gestões anteriores, a estatal fazia isso em Estados do Sul e em grandes capitais do Nordeste”. Dutra vai continuar incentivando a cultura no Nordeste. LENCINHOS A deputada estadual Susana Azevedo, pré-candidata à Prefeitura de Aracaju pelo PPS, confeccionou 10 mil lencinhos para por na cabeça dos foliões. Não deu para quem quis. Sábado passado a deputada disse que se tivesse mandado fazer 30 mil lencinhos ainda era pouco Virou coqueluche. GILMAR O pré-candidato a prefeito pelo Partido Verde, Gilmar Carvalho, em determinado momento teve que evitar a entrada de pessoas no seu espaço de quatro camarotes. É que não havia mais condições de receber ninguém. Gilmar acompanhou todos os blocos, sempre acenando para a multidão. DE FORA O governador João Alves Filho e a senadora Maria do Carmo Alves estavam sendo esperados, ontem, no camarote da Ilha FM, mas não compareceram. A informação é que eles visitariam diversos camarotes de aliados, mas preferiram permanecer na fazenda Jundiahy, de onde retornaram na tarde domingo. LOCAL O local onde foi realizado o Pré-Caju deve ser analisado pelos organizadores do evento, porque houve muita gente contra e a favor. É preciso ver os resultados finais. Uma coisa é certa, ficou mais em conta para os promotores. Mas, com certeza, havia um melhor clima quando era na avenida Beira Mar. RECLAMAÇÃO O PDT fez uma reclamação oficial ao TRE, contra a TV Sergipe e entrou com representação junto a Anatel contra a emissora, com cópia para a Rede Globo. Sexta-feira passada, a TV Sergipe retirou do ar uma inserção do PDT em que mostrava o trabalho do partido em favor da instalação da refinaria em Sergipe. PRISÃO Segundo informação de um importante advogado, a polícia prendeu duas ou três pessoas que trabalhavam para o prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo (PMDB). Eles estariam vinculados ao caso de morte de Jeová. A mesma fonte disse que a ação de Jeová tinha relação com o assassinato do vereador Carlos Gato. COMEÇAR A senador Maria do Carmo Alves (PFL) acha importante que o secretário de Turismo, Pedrinho Valadares, deve começar a trabalhar como candidato a prefeito. Pedrinho acha que não deve colocar a cabeça de fora agora e admite que o povão não está ainda preocupado com eleição. NÃO PODE Segundo um advogado que trabalha com legislação eleitoral, a senadora Maria do Carmo Alves (PFL) não tem como ser candidato à Prefeitura de Aracaju. Lembrou que só em 1988 quando se fez a nova Constituição, se permitiu candidatura de parentes em todos os graus, mesmo que isso fosse um casuísmo. Notas CONCORDA O leitor Glacidelson Antônio da Silva envia e-mail para dizer que concorda com a proposta do senador José Almeida Lima (PDT), em reduzir o número de deputados e senadores “tenho a solução perfeita. Como só serão dois senadores, o próprio senador Almeida Lima aprovará o projeto e perderá o mandato”. Justifica que Maria do Carmo está a mais tempo no exercício do mandato (antiguidade é posto) e o senador Valadares foi o mais votado. “Falando sério, concordo com a proposta, porém acho que Almeida está fazendo demagogia”. ALMEIDA O senador Almeida Lima (PDT) disse que o fato do leito Glacidelson concordar não é novidade para ele, “porque todas as manifestações que recebi de todo o país, inclusive de pessoas das universidades, concordam e acham a idéia brilhante, cívica e patriótica, porque não é casuística, não cassa e nem prorroga”. Discorda do seu afastamento por que é antidemocrático. A proposta é para as eleições de 2010. Ao invés dos eleitores escolherem dois candidatos para seus Estados, escolhem apenas um e fica equilibrado. RECURSOS Apesar de não integrar a relação dos patrocinadores do Pré-Caju, o Governo do Estado investiu em alguns blocos e participou diretamente do evento. A maioria dos trios trazia a marca do Governo, alguns blocos desfilavam com a marca do Governo, além de pinturas nos camarotes e participação do secretariado. Segundo informação que correram nos bastidores, o Governo do Estado gastou bem menos do que os eventos anteriores, mas apareceu do mesmo jeito, porque preferiu atuar diretamente com os blocos. É fogo A candidatura do deputado federal Jorge Alberto à Prefeitura de Aracaju vem causando surpresa nos meios políticos. Segundo um influente membro do PFL, o que Jorge Alberto quer é começar a virar o jogo já visando 2004. Clóvis Silveira, presidente do diretório estadual do PTB, poderá ser candidato a vereador. Está apostando que o partido elegerá de um a três vereadores, nas eleições de outubro. O deputado federal Jackson Barreto (PTB) tem jogado bílis contra João Alves, Maria do Carmo e Pedrinho Valadares. O problema de Jackson Barreto contra Pedrinho é porque ele pode ser candidato a prefeito pelo PFL. O prefeito Marcelo Déda está investindo na educação dos próprios servidores. Vários deles estão participando de cursos de alfabetização. Os professores da Rede Estadual do Ensino estão dispostos a engrossar o coro dos descontentes com o Governo do Estado. Adversário da viúva Edla do Amaral não acreditam que ele disputará a sucessão de Salgado. Edla já é pré-candidata. O senador Valadares visitou vários camarotes no pré-caju. Entre eles, o da pré-candidata à Prefeitura, deputada Susana Azevedo (PPS). A partir de agora começar a fervilhar as escolhas para a sucessão municipal em todo o Estado. Os candidatos já estão se manifestando. A Anatel autorizou o reajuste para as tarifas das chamadas de telefones fixos para celulares. A tarifa ficará 6,99% mais caro. João de Zé de Dona (PFL) ainda não abriu mão de disputar a Prefeitura de Itabaiana, o que divide o eleitorado do prefeito Luciano Bispo. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários