Fidelidade e a hipocrisia de muitos

0

  Este colunista defende a fidelidade partidária, o fim das coligações proporcionais e uma reforma política que acabe com a promiscuidade que é hoje o troca-troca de partidos pelos políticos brasileiros. A posição está sendo deixada clara para que o leitor não tenha nenhuma dúvida, já que este artigo vai tratar do outro lado da questão: a fidelidade e a hipocrisia de muitos.

  Ao ler os jornais no último final de semana algumas matérias e notas chamaram a atenção. Primeiro foi o deputado federal Mendonça Prado (PFL, hoje DEM), defendendo a fidelidade partidária e criticando a adesão de políticos com mandatos a partidos do governo. Seria natural se ele como participante direto do governo estadual anterior, como secretário de Estado da Administração, não tivesse feito parte do esquema que cooptou diversos prefeitos, vereadores e lideranças com mandato ou não para o lado do governador. Não só para o DEM, mas para o extinto PRONA que todo mundo sabia que ele comandava em Sergipe, apesar de ser filiado ao DEM.

  Em outra nota, muito bem escrita pelo jornalista Luiz Eduardo Costa, com o título “Fidelidade e Coerência”, ele lembra que o citricultor e advogado João Fontes, deu entrevista ao radialista Gilmar Carvalho defendendo ardorosamente a fidelidade partidária e criticava o troca-troca de partidos, que, segundo ele, era um atesto de incoerência política e oportunismo. Escreveu Luiz: “João Fontes, depois da consagradora votação que teve para governador, menos de vinte mil votos, quer tentar agora a Prefeitura de Aracaju, talvez animado pelo resultado da última eleição, e por isso volta à mídia com toda a disposição e loquacidade, para alardear suas qualidades de político ético e coerente. Tem, sem dúvidas, toda autoridade para louvar a fidelidade, pois, ele mesmo, deve estar de agora em diante disposto a exercitá-la. João Fontes, como se sabe, foi filiado ao PDT de Brizola, abrigou-se na sombra do PFL, depois, pulou para o PT, onde, com o equivocado apoio da igreja católica e de uma milionária campanha, elegeu-se deputado federal na sobra de votos da coligação. Agora está no PPS, e lá, já se diz herdeiro das tradições do velho PCB. Como tantos outros conservadores que fazem o PPS de Sergipe, vez por outra, quando isso é conveniente, levanta a conspurcada bandeira vermelha do velho e resistente partidão, que virou apenas, uma nova sigla”. Não precisa de mais acréscimo nenhum no belo texto de Luiz Eduardo.

  Ainda no final de semana, no Jornal do Dia, uma matéria assinada por Chico Freire com o título “Chefe do PSC e PR vai exigir fidelidade”, chama a atenção pela incoerência e aquele jeito de achar “que todo mundo é besta e burro”. Na matéria, o empresário Edvan Amorim avisa que não vai aceitar que o governo estadual aceite apenas parte da bancada do PSC. “Se rejeitar um deputado do PSC, vai rejeitar a todos”, diz em tom ameaçador o empresário que foi linha de frente no governo João Alves nos dois primeiros anos, indicando o irmão para secretaria da Saúde e quase todos os Departamentos Financeiros das outras secretarias.  E mais: na matéria Amorim diz que tanto o PSC com o PR estarão unidos em um único rumo.

Quer dizer o mesmo empresário que cobra fidelidade e o que “tem” dois partidos no Estado. Ou seja, ele tem dois partidos, mas exige fidelidade e faz ameaças ao governo publicamente.

  Os três exemplos citados acima poderiam ser multiplicados por mil. Ultimamente todas as siglas, sem exceção, cooptaram políticos sem o menor cuidado ideológico. Tudo em nome do fortalecimento da sigla, mas principalmente visando os interesses pessoais. A grande verdade é que vários partidos são usados como objetos de barganha para interesses particulares e até empresariais, no caso de alguns que têm redes de tudo que o leitor pode pensar. Somente uma reforma política séria mudaria o atual quadro. Infelizmente somente os políticos podem fazer essa reforma. E como a maioria deles é eleita por conta desta bagunça existente, para que mudar? Então, viva a hipocrisia.

 

Amorim quer pressionar governador e deputados

A tentativa do empresário Edvan Amorim e pressionar o governador Marcelo Déda e os deputados Angélica Guimarães, Susana Azevedo, Valmir da Madeireira e Zeca da Silva que são do PSC e estão na bancada do governo estadual, pode sair pela culatra Amorim quer que o governador “converse” com André Moura, João das Graças e César Mandarino. Por razões políticas, por conta das eleições municipais e em alguns casos até morais, o governador não deseja acordo com os três.

 

Mudanças no governo são necessárias

O governador Marcelo Déda (PT) anunciou que fará algumas mudanças no governo, principalmente no segundo escalão. Algumas peças não funcionam bem e, algumas delas, por conta da tal “governabilidade” são indicações políticas que destoam completamente do modelo de gestão que o governador pretende implantar. Alguns falam abertamente que só atende o secretário da área. Um absurdo!

 

 

Veículos: Kércio Pinto tem que fazer alguma coisa

A coluna já denunciou vários abusos com os novos veículos que o governo comprou para PM que estão identificados como polícia, civil ou militar, mas sem nenhum número ou chapa que possa identificar o mesmo individualmente. No sábado, a coluna denunciou o gol que é usado por um oficial da polícia militar

Para pegar o filho no colégio militar, ao lado do comando da PM. O veículo tem apenas a identificação 7º Bpm. O comandante parece que fecha os olhos. No último sábado. Às 12h45 um outro gol (também novo) da polícia militar entrava tranqüilamente na Pousada Poxim, em frente ao Emes na Tancredo Neves. Sem número de identificação fica difícil fazer alguma coisa. Já que o comandante fecha os olhos: cadê o secretário Kércio Pinto? Concorda com essas arbitrariedades? Qual o motivo para estes veículos não terem, depois de um mês de entregue, qualquer número de identificação?

 

Falta de segurança: até a rádio patrulha coloca cerca elétrica                                                             

Quem passou no último sábado em frente a sede da Rádio Patrulha da PM, na Avenida Melício Machado viu uma

Sede da rádio patrulha coloca cerca elétrica para afugentar ladrões. (Foto: César de Oliveira).
cena que mostra a situação caótica da segurança pública em Sergipe. Estavam colocando uma cerca elétrica no local. Pelo jeito os policiais da rádio patrulha temer ser roubados na própria sede.  O mais interessante é que a Rádio Patrulha tem sempre policial de plantão 24 horas. Ou seja, nunca fecha. A desculpa será que é para evitar fugas, mas no local não ficam presos por muito tempo. A verdade é uma só: se eles colocam cerca elétrica, coitado do cidadão comum que não tem dinheiro para colocar uma em sua residência. A foto ao lado não deixa dúvidas. O cidadão que não tem dinheiro e mora perto da sede da rádio patrulha pode ir dormir no local, que com cerca ficará mais seguro para ele e para os policiais.

 

Policiais tentam coibir profissionais da área da saúde I

A coluna vem recebendo denúncias de amigos que trabalham na área da saúde sobre abuso de policiais.

Em apenas uma semana existiram quatro ocorrências onde policiais (um Federal e os demais da PM) tentaram coibir profissionais da área de saúde do serviço público municipal. Tentando se utilizar de suas patentes para intimidação ou de suas armas, exigiam prioridade pelo fato de serem eles que estariam acompanhando ou solicitando o atendimento, mesmo sem que estes tenham sido negados ou mesmo por se tratarem de casos simples, onde não havia nenhum risco de vida. Um deles deu voz de prisão por uma médica que ele não sabia ser oficial. Outro mostrou a arma dentro do Hospital Nestor Piva para exigir atendimento de um caso que inclusive não seria obrigação do serviço, já que se tratava de uma troca de sonda.

 

Policiais tentam coibir profissionais da área da saúde II

 Outros dois casos se passaram com equipes do SAMU, na segunda-feira, 01, quando a equipe foi ameaçada por telefone e intimidada pessoalmente (já que este se deslocou à base do SAMU Aracaju) pelo mesmo soldado que fez as ameaças, acompanhado de mais outros dois colegas e um cabo. O mais interessante deste caso é que a vítima que teve sua casa assaltada recusou-se a ser atendida, referindo que não tinha mandado ninguém chamar o serviço. E quarta-feira um policial agrediu fisicamente um condutor de ambulância do serviço. Que polícia é essa!? Não respeita os outros servidores públicos, tentar se prevalecer de sua autoridade incita a população contra outros serviços… Se existem os maus policiais, que envergonham a corporação, que estes sejam banidos de onde nunca deveriam ter entrado!

 

 

Mudanças no SAMU são notadas

Este espaço, que sempre fez duras criticas ao trabalho do SAMU reconhece que muitas vezes – principalmente alguns radialistas – conseguem enxergar apenas defeitos e falhas, reclamar disso ou daquilo, mas o serviço vem cada vez mais se aprimorando e dando maior assistência à população. Este fato pode ser notado tanto no SAMU Social quanto do SAMU Resgate, que são serviços distintos. Semana passada o SAMU Resgate fez um atendimento perfeito dentro de um cartório no Centro da cidade. Um rapaz de pouco mais de 25 anos teve uma parada Cárdio-Respiratória e foi reanimado pela equipe dentro do próprio cartório. Saiu de lá aplaudida pela população. E a imprensa, principalmente das rádios matutinas que tanto criticam, por que não registraram este, assim como tantos outros milhares de atendimentos feitos e de vidas salvas?

 

Comerciantes da Nestor Sampaio prejudicados

Os comerciantes da rua Nestor Sampaio estão fazendo um abaixo-assinado para pedir ao prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, providências no sentido de que possam descarregar as mercadorias em suas lojas. A SMTT proibiu estacionamento na rua e os agentes de trânsito não perdoam.

 

 Conselho do Fisco: coluna de olho

É certo um servidor público autuar um contribuinte e ao mesmo tempo participar do Conselho do Fisco responsável pelo julgamento da infração e do possível recurso? Isso ocorre em Sergipe e certamente o secretário da Fazenda, Nilson Lima não tem conhecimento.

 

  

No Senado: punição para os decentes I

 O que falar para os jovens diante de tantos exemplos danosos proporcionados por uma instituição maior dos legislativos, o Senado Federal? Enquanto se arma abertamente livrar o presidente da Casa,Renan Calheiros, de qualquer punição, pune-se dois senadores decentes, um deles, um verdadeiro ícone da política brasileira, Pedro Simon, o outro, Jarbas Vasconcelos, contra quem ninguém tem nada a dizer a não ser elogiar suas posições independentes. Foram afastados pela liderança do PMDB no Senado, da Comissão de Justiça, a ponto do presidente da comissão, o moderado Marcos Maciel, ter que lamentar em público que a tradição desse núcleo onde as coisas sempre se comportavam em termos altos, fora ferida.

 

No Senado: punição para os decentes II

Pois é: Pedro Simon e Jarbas Vasconcelos foram afastados da Comissão de Justiça, para que não atrapalhassem os esquemas que estão sendo armados para salvar Renan de qualquer punição, mesmo o afastamento da Presidência do Senado! O Senado deveria retirar da parede do plenário, aquela famosa frase de Ruy Barbosa. A impunidade está sendo erguida no Senado como a bandeira n. 1.

 

Antonio Dória reforça liderança em Porto da Folha

O vereador por cinco mandatos, em Porto da Folha, Antônio Dorea monta a terceira via no município com o apoio de várias lideranças comunitárias. Antônio Dorea, comanda o PSDB e filiou na semana passada Gilná Xavier que é candidata a vereadora. A idéia de Dorea é fazer uma chapa alternativa como opção contra o atual prefeito, Manoel de Rosinha e ao ex-prefeito, Julio Santana.

 

Encontro Estadual de Engenheiros agrônomos

De 09 a 11 deste mês será realizado o VIII Encontro Estadual de Engenheiros Agrônomos de Sergipe, na AEASE, com o tema “Agronomia: Agronégocio e Agroenergia”. A abertura será no dia 09 às 20hs, com a presença. A solenidade de abertura contará com a presença do governador Marcelo Déda e terá uma palestra do Secretário da Agricultura, Paulo Viana, que falará sobre o atual estágio da agricultura em Sergipe e os cenários futuros.  Segundo Paulo Primo, presidente da AEASE, o encontro terá diversas palestras importantes debatendo temas como “O Impacto da Agroenergia no Brasil”; “Meio Ambiente e Mudanças globais”, “Águas do Nordeste: transposição do rio São Francisco”, entre outros.

 

UBE premia poeta sergipano

  A União Brasileira de Escritores, com sede no Rio de Janeiro, vai entregar, dia 19 próximo, o “Prêmio Joaquim Norberto”, na categoria ação cultural e obra literária, ao escritor e poeta sergipano Wagner Ribeiro, membro da Academia Sergipana de Letras. A secretaria geral  da entidade, poeta Stella Leonardo, comunicou essa informação, acrescentando que a entrega do Prêmio será realizada às 16 horas do dia 19 próximo no Teatro Raimundo Magalhães Jr., da Academia Brasileira de Letras, situado à avenida Presidente Wilson, 203,Centro, Rio de Janeiro.A União Brasileira de Escritores, tradicional sociedade literária, é atualmente presidida pelo escritor Edir Meirelles.

 

 

Situação de abandono do Hospital  de Tomar do Geru

De um leitor, sobre o hospital de pequeno porte de Tomar do Geru: “falta de médicos de plantão;ambulância só sai com ordem do diretor do hospital e -distribuição de fichas: são distribuídas 20 fichas,só que as outras ficam na sala do diretor para que ele faça a campanha dele. No ultimo dia 05 de outubro a  paciente Karina dos Santos, gestante, chegou no Hospital (HPP) de Tomar do Geru. por volta das 22 horas  com risco de aborto,  por  não haver médico de plantão, foi enviada para o posto de saúde da cidade Cristinápolis, de onde conseguiu viajar para  o hospital amparo de Maria , em Estância e lá recebeu o devido atendimento médico. É uma vergonha termos um hospital em nossa cidade e vermos os descasos com a população é tratada. Cadê os órgãos competentes para ver isso. Precisamos urgentemente que providências sejam tomadas para que vidas sejam poupadas”.

 

No Dia da Criança Cultura exibe “Brichos” no Teatro Atheneu

 A Secretaria de Estado da Cultura em parceria com a Produtora Cine Vídeo, vai promover no Dia da Criança, a ser comemorado, 12, a exibição do filme de animação Brichos.  O longa metragem será exibido em duas sessões, às 10h e às 15h, no Teatro Atheneu e a entrada é franca. Os grupos que realizam trabalho com crianças podem reservar lugares através dos telefones (79) 3223-1430 e 8123-7955.O filme Brichos é um longa metragem de 75 minutos, feito em animação 2D, dirigido por Paulo Munhoz. Ele foi lançado em 2006 no Festival Anima Mundi, tendo sido exibido em alguns cinemas do país.

                       

 

Criticas a abandono das estradas em Riachão do Dantas

De um leitor: “Causa estranheza o motivo do prefeito de Riachão do Dantas tratar tão mau o povo dos povoados que ajudaram a elegê-lo.  As estradas estão totalmente acabadas e abandonadas, e o prefeito deveria  aproveitar o dinheiro dos royaties da cidade para consertar as mesmas. Infelizmente ele só consertou a estrada que liga a sua propriedade, a Fazenda Maxixe, ali sim estão as maquinas trabalhando para deixar um tapete para ele passar, enquanto os conterrâneos de Riachão do Dantas dos Povoados (Bomfim, Palmares, Forras, Colônia Buqueirão, Barro Preto, Volta e etc) continuam sem poder trafegar, pois e buracos para todo lado e o prefeito não esta nem ali. Abra o olho Ministério Público”.

 

 

Lagartense desabafa sobre situação política I

De uma leitura lagartense: “Tenho acompanhado com bastante atenção os bastidores da política estadual e mais de perto a de Lagarto, cidade onde moro. Sou leitora da sua coluna e lhe tenho na conta de um dos melhores e mais bem informados homens de imprensa do Estado. Aqui no município a expectativa é grande com relação à divulgação das listas de filiados dos partidos. Tem-se acompanhado a movimentação política, por partes de uns legítima, e de outros, ilegítima. Senão vejamos: o deputado estadual Valmir Monteiro tentou até o último instante manobrar para acomodar-se em um partido mais próximo de Déda. Foram grandes os rumores de que ele, inclusive, teria proposto por sugestão de um de seus tutores político-financeiro, Edvan Amorim, de forma insistente ao governador uma filiação ao PT. O que não vingou devido à votação da fidelidade partidária no STF. O deputado filiou alguns parentes e amigos no PSB, do senador Valadares e no “nanico” PSC, que aqui encolheu sob a batuta do parlamentar, que é, diga-se de passagem, um péssimo maestro. Prometeu que entregaria o comando do PR no município ao seu neo-aliado, Cabo Zé, mas parece que os irmãos Amorim não toparam a parada. O Cabo Zé recorreu à direção estadual do PTN, partido pelo qual disputou a eleição para prefeito em 2004, para não ficar à toa como tem estado. A estratagema do velho, cansado e soberbo Zé é a mesma de sempre: subestimar seus adversários adjetivá-los daquilo que é aplicável a ele e, de forma pérfida, caolha e rasteira buscar atingir seus objetivos mais inconfessáveis. Depois de unir-se a Valmir, o Cabo passou a despachar diariamente em seu gabinete no 4º andar do prédio da Assembléia, emplacou um neto na assessoria parlamentar de Monteiro e vários outros em órgãos do Estado”.

 

Lagartense desabafa sobre situação política II

 Além de não arredar o pé da intenção de emplacar seu filho José Raymundo Ribeiro Júnior, como vice do agora dedista Valmir, ele agora manobra junto com seu sobrinho Luís Augusto Carvalho Ribeiro (Pupinha), auditor fiscal do TCE, Áurea Ribeiro, para, através de Valmir, tomar o PT das mãos de companheiros como Juquinha(ex-secretario municipal de Educação), Flamarion Déda (tio do governador), um dos líderes do MST na região, Hernandes (ex-secretário municipal de Agricultura), Roberto do Tanque (presidente do diretório municipal), profº. Reginaldo(SINTESE), que por décadas, trabalharam para que o partido chegasse aonde está.Essas manobras são feitas às escuras e longe dos olhares da população lagartense como estão acostumados a fazer esses  rebotalhos da política da região Centro-Sul; “politicozinhos” que atuam sempre em nome de seus interesses particulares. As forças que deram a vitória a Marcelo Déda em 2006 aqui em Lagarto estão dispersas e politicamente desprotegidas, algumas até mesmo esconjurando Déda e se sentindo atraiçoadas pelo mandatário-mor do Estado. Mas fazer o que se as cartas, nesse, como nos outros governos, estão sendo dadas pelas ratazanas mais vorazes da política sergipana!!! Déda, durante a campanha, não dispôs em seu palanque, aqui em Lagarto, nem de Valmir e tampouco do Cabo Zé, foi vitorioso, e pode muito bem tocar o governo sem eles e construir com seus verdadeiros amigos e aliados uma alternativa político-eleitoral nova que tenha a substância da transformação e da modernidade, não essa dos coronéis dos grotões da “freguesia de Nossa Senhora da Piedade do Lagarto.A rejeição ao nome do Cabo Zé é sentida em todos os cantos da cidade. O “acerto” entre ele e o deputado é mal visto e criticado às escâncaras até mesmo por aliados do parlamentar social-cristão, e nenhum partido da base do governo, em Lagarto, vê com bons olhos esse romance. Mas enfim, os fins justificam os meios. Essa política Freud pode não explicar, mas Maquiavel com certeza explica”.

 

Frase do Dia

“Você não consegue escapar da responsabilidade de amanhã esquivando-se dela hoje”. –Abraham Lincoln.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários