Fim de Festa

0

Fim de festa

Nos municípios onde o prefeito não se reelegeu, ou seu candidato foi derrotado, o clima é de fim de festa. Em algumas prefeituras do interior, a ordem é deixar o maior volume de problemas para os novos administradores, que deverão herdar todo tipo de dívidas, principalmente folhas salariais atrasadas. A demora entre a eleição e a posse dos eleitos contribui para essa desarrumação, que causa transtornos a toda a sociedade. Em muitos municípios, os salários dos servidores e compromissos com fornecedores já estavam atrasados antes da eleição. Agora, os derrotados vão empurrar as dívidas com a barriga, pois acham que assim punem os eleitores que os defenestraram do poder domingo passado. Uma lástima!

Dia de posse

Será às 17h de hoje a posse do novo desembargador, José dos Anjos. A solenidade vai acontecer no Auditório Governador José Rollemberg Leite, no Palácio da Justiça, centro de Aracaju. O magistrado ocupará a vaga aberta com a aposentadoria compulsória do desembargador José Alves Neto. Antes da posse, José dos Anjos concederá entrevista coletiva.

Audiências

O prefeito eleito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), será recebido hoje à tarde pelo governador Jackson Barreto (PMDB). O demista também solicitou uma audiência com o prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) para discutir o processo de transição. Ontem, Alves Filho informou que sua esposa, senadora Maria do Carmo Alves, vai agendar uma visita com a presidente Dilma Rousseff (PT) para que ele possa tratar de assuntos do interesse da capital.

Transporte

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju (Setransp) promove amanhã um debate sobre a gratuidade no transporte coletivo e a tarifa cidadã. Serão expositores Marcos Bicalho e Nazareno Stanislau Affonso, respectivamente, diretor superintendente da Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano e arquiteto urbanista. O debate vai acontecer às 19h, no Museu da Gente Sergipana.

Proibido

A Anvisa suspendeu a fabricação, manipulação, distribuição, comércio, divulgação, administração e o uso de  medicamentos injetáveis à base de extratos vegetais como o chá verde. A medida foi tomada após a identificação de propagandas na internet de tratamentos estéticos para emagrecimento e combate a gorduras localizadas sugerindo o uso de formulações injetáveis contendo chá verde.

Expectativa

Os eleitores de Lagarto e Japaratuba aguardam com expectativa o julgamento dos recursos impetrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelos prefeitos eleitos Lila Fraga (PSDB) e Gerard Olivier (PT). Os dois venceram o pleito, porém seus votos ainda não foram divulgados porque ambos respondem processo por ficha suja. Caso o TSE mantenha a negativa dos registros de Lima e Gerard, as eleições serão anuladas e marcados novos pleitos.

Eficiência

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Ayres Britto, elogiou o sistema de votação no Brasil. “Não há pais no mundo tão eficiente em processo eleitoral como o Brasil”, disse. Segundo o ministro sergipano, a Lei da Ficha Limpa foi um avanço ético, democrático e jurídico. “O eleitorado quer candidatos dignos da representação popular, sem um passivo penal ou de improbidade administrativa”. Tá certo!

Saúde

Os médicos vão suspender o atendimento a pacientes de planos de saúde por um período de até 15 dias. Serão suspensas apenas consultas e cirurgias eletivas – serviços de urgência e emergência não serão afetados. Além do reajuste de honorários de consultas e outros procedimentos, a pauta de reivindicações dos médicos inclui a inserção, em contrato, dos critérios de reajuste, com índices definidos e periodicidade e o fim da intervenção dos planos na relação médico-paciente.

Mea culpa

Os institutos de pesquisa admitiram falhas na avaliação que fizeram antes do pleito de domingo. Márcia Cavallari, diretora-executiva do Ibope, classificou as eleições municipais como “a dor de cabeça dos institutos de pesquisa”, muito mais passíveis de erro do que as estaduais e as presidenciais. Segundo ela, “na disputa municipal o eleitor fica mais dinâmico e volátil, decide o voto na última hora e é mais indeciso”.

Do baú político

Em 1989, a Assembléia viveu um dia de muita tensão por conta da convocação do então superintendente da Polícia Civil, coronel Barreto Mota. Os deputados queriam explicações dele sobre o aumento da violência. Setores do governo Valadares acharam a convocação uma afronta, e um grande número de policiais civis, naturalmente armados, lotou as galerias para apoiar o “chefe”. Aberto os trabalhos, o presidente da Casa, Guido Azevedo (PMDB), passou a palavra para o coronel. Tranqüilo, ele sacou de um envelope amarelo fotografias do corpo mutilado de uma jovem: “Estão vendo esta lástima? Pois um colega dos senhores me mandou um bilhete pedindo em favor do estuprador”. Em seguida, Barreto Mota disse que apenas os deputados petistas Marcelo Déda e Marcelo Ribeiro nunca haviam lhe enviado ‘bilhetinhos’ pedindo para soltar algum preso, ou aliviar inquéritos. “A cada pergunta que o deputado fizer, apresentarei o bilhete que ele me encaminhou pedindo por algum preso”, prometeu. Somente Déda e Marcelo Ribeiro questionaram o superintendente. Os demais declinaram. Aliviado, Guido encerrou a sessão.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários