Firme na dianteira

0

O candidato a prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), surfa na frente dos adversários com 51,10% das intenções de voto. É o que revela pesquisa do Instituto Única, feita entre os dias 24 e 26 de julho e registrada no TRE sob o número 00013. Na segunda colocação aparece Valadares Filho (PSB), mas seus 15,70% não incomodam o demista que, de quebra, ainda possui a menor rejeição: 12%. Somente 6,40% dos eleitores pretendem votar em Vera Lúcia (PSTU). Almeida Lima (PPS) tem 5,50% das intenções de votos, e Reynaldo Nunes só 0,70%. Antes de pensarem em vencer João, os três vão precisar superar os votos Brancos e Nulos, que somam 12,20%. A margem de erro da consulta é de 5% para mais ou para menos. Como se vê, o quadro atual é muito favorável a Alves Filho, porém ele não pode achar que já ganhou, pois se o pleito for para o 2º turno será outra eleição e aí o favoritismo que ele exibe hoje pode virar pó.

Antipatia

Na pesquisa do Instituto Única, o prefeiturável Almeida Lima lidera com folga o quesito rejeição: 25,30%. Atrás dele aparece Reynaldo Nunes com 19,50%. Valadares Filho é rejeitado por 18,20% do eleitorado, enquanto Vera não seria votada por 16,60% dos aracajuanos. Interessante é que os quatro têm mais rejeição do que intenção de votos, o que significa dizer que precisarão trabalhar muito para mudar esse quadro.

Condenada

A Veja foi condenada a pagar R$ 200 mil ao governador Marcelo Déda (PT). Em 2006 a revista publicou reportagem acusando o petista de ter feito duas festas com recursos da Prefeitura de Aracaju visando se promover para disputar o governo do estado. Por causa da matéria, intitulada “Micareta Picareta”, Déda respondeu processo na Justiça por quase quatro anos, período em que ficou ameaçado de cassação. A decisão contra a Veja foi da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Sergipe.

Fora do páreo

O prefeito de Itaporanga D’Ajuda, César Mandarino (PSC), teve sua candidatura a reeleição indeferida pelo juiz de Direito Gustavo Plech Pereira. O magistrado entendeu que o registro ficou prejudicado porque o PTC, que integra a coligação do prefeito, não possui registro em Itaporanga. O candidato a vice na chapa de Mandarino, César de Pentcha, também teve seu registro indeferido. Os dois vão recorrer da decisão.

De volta à luta

A Assembleia reinicia hoje suas atividades parlamentares com plateia garantida. É que os professores da rede estadual prometem lotar as galerias para pedir que os deputados formem uma comissão visando negociar com o governo o reajuste do piso salarial para toda a categoria. Simultaneamente, o sindicato dos professores inicia hoje o “Agosto Vermelho”, que prevê uma série de manifestações contra o governador Marcelo Déda (PT), inclusive o enterro simulado dele em vários municípios.

Empreiteiras

Em vídeo postado no YouTube, o prefeiturável Almeida Lima denuncia que tanto João Alves Filho quanto Valadares Filho, “indicado por Edvaldo Nogueira “, desejam manter a relação de influência entre as empreiteiras e a Prefeitura por interesse familiar. Em seguida, promete que se for eleito vai acabar com “essa farra, essa influência perniciosa entre empreiteiras e a Prefeitura”. Misericórdia!

Raio X

Você sabe tudo sobre os candidatos a prefeito, vice e vereador de sua cidade? Caso queira conhecer melhor em quem vai votar acesse o site do Tribunal Superior Eleitoral, que disponibiliza o DivulgaCand2012. Este sistema fornece a situação do candidato, com todos os dados que ele informou à Justiça Eleitoral. Para acessá-lo, não há necessidade de cadastro prévio ou autenticação de usuário. Faça sua parte, fiscalize.

Promete teto

Construir seis mil casas em quatro anos. É o que promete o candidato a prefeito de Aracaju, Valadares Filho (PSB). Segundo ele, através de parceria com o governo federal, será possível erguer 1.500 moradias por ano para atender as famílias sem teto. Tomara que ele não tenha aprendido com o pai, senador Antônio Carlos Valadares (PSB). Este, quando era governador, construiu em Estância casas de zero quarto.

Fique rico

Amanheceu quebradão, com apenas R$ 2 no bolso? Tem nada não! Faça um jogo simples da Mega-Sena e arrisque ganhar R$ 42 milhões. É fácil, basta acertar as seis dezenas que serão sorteadas hoje à noite. Aplicado na poupança, o prêmio pode lhe render mensalmente R$ 219 mil de rendimento mensal, o que significa R$ 7,3 mil por dia. E então, vai continuar aí sentado com essa cara de paisagem?

Do baú político

Vai longe o tempo em que qualquer político interferia no trabalho da Justiça. Na primeira metade do século passado, juízes e até desembargadores sofriam sérias represálias se as suas decisões contrariassem o governante de plantão. Em seu livro “Revolução de 1930 em Sergipe – dos tenentes aos coronéis”, o professor Ibarê Dantas conta que no governo de Eronildes de Carvalho (1935/1941) a Justiça era desrespeitada de várias formas. Chegava-se ao ponto de mandar emissários às casas dos juízes tomarem satisfação sobre determinados julgamentos; fazer propostas de remoção e promessas de melhorias; reduzir prazo de aposentadorias compulsórias; e até mesmo exonerar desembargadores. A desmoralização ao Poder Judiciário era tão grave que o governo teve a petulância de se solidarizar oficialmente com um criminoso porque este foi condenado em júri popular. Tempos brabos, aqueles!

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários