Fiscalizando as convenções

0

 

     Circulam informações de que o desejo do Tribunal Regional Eleitoral era escalar representantes da Justiça Eleitoral para acompanhar as convenções partidárias, procedimento que já foi adotado tempos atrás. Segundo informações o objetivo era assegurar o cumprimento do calendário eleitoral que estabelece o dia 30 de junho como data final para que os partidos definam as candidaturas que irão apresentar e as alianças que irão estabelecer para o pleito de 2006. Mas a escalação do representante objetivava observar se os partidos estavam respeitando a decisão da maioria dos filiados e evitando que fosse adotado o procedimento onde a cúpula decide as candidaturas e alianças sem estabelecer discussões com os filiados e esses se tornam obrigados a votar apenas na proposta apresentada.

  

   A verdade é que a grande maioria dos partidos não faz suas convenções partidárias discutindo amplamente com a base. Neste quesito, justiça seja feita, o Partido dos Trabalhadores sai na frente onde a ampla democracia faz com que diversas correntes coloquem seus pontos de vista. Às vezes as divergências entre as correntes extrapolam o campo interno do partido chegando à imprensa. Agora a maioria das legendas – principalmente as chamadas nanicas – não têm nem mesmo sede partidária. Suas convenções são realizadas em reuniões com lideranças dos chamados grandes partidos. Os filiados só fazem assinar o livro da ata da convenção cuja decisão já foi “fechada” pelo “dono” do partido de acordo com seus interesses particular e político.

     

    Fala-se que ao tomar conhecimento da pretensão do Tribunal Regional Eleitoral em enviar representantes para acompanhar as convenções, alguns presidentes de partidos buscaram interferir para que o TRE apenas encaminhe o representante para buscar a ata ao final da convenção. Ninguém acredita que essa informação é pura invenção. Ao menos em Sergipe todos sabem que os partidos só adotam posições após a convenção, porque eles temem que as discussões estabelecidas possam mudar os rumos políticos da agremiação.

 

 

 

PFL I

Foi bom o governador João Alves não participar da convenção nacional do PFL. No encontro, o candidato a presidente Geraldo Alckmin fez um discurso contundente criticando o governo Lula e cobrou, entre outras coisas, a promessa de transpor as águas do rio São Francisco. Já imaginou se João Alves estivesse lá?

 

PFL II

A declaração do governador João Alves, de que lamentou a cúpula do PFL de que o ex-governador Albano Franco, “o homem mais rico de Sergipe vai financiar a campanha do PT no Estado”, acabou com qualquer especulação sobre alguma possibilidade de acordo entre os dois partidos. Qualquer outro boato é por conta de “alguns”, que estão a serviço de “outros”. Por falar nisso, tem uma folha de pagamento da Secom do Estado que mostra bem os caminhos destes “alguns”. É coisa de louco…

 

PDT

Dirigentes do PDT em Sergipe estão pensando em mudar a estratégia do partido para as eleições deste ano. A idéia é lançar apenas uma chapa proporcional para a Assembléia Legislativa, inclusive com o nome de João Fontes, para que a legenda continue viva no Estado. Se todas as lideranças do partido forem candidatas a Assembléia a esperança é que sejam eleitos dois deputados estaduais.

 

Lagarto I

O ex-prefeito de Lagarto, José Raimundo Ribeiro, o Cabo Zé (PTN) desmentiu ontem que teria desistido da candidatura a deputado federal para concorrer uma vaga na Assembléia Legislativa. Cabo Zé lamentou que alguns setores da imprensa tentam tumultuar o eleitorado de Sergipe. “Continuou pré-candidato a deputado federal e vou apoiar para deputada estadual minha sobrinha, Luiza Ribeiro”, reforçou Cabo Zé. Para Cabo Zé essas notícias infundadas estão sendo “plantadas” por adversários políticos que estão desesperados com a repercussão da campanha dele.

 

 

Lagarto II

Em entrevista ao programa Cidade Alerta, do radialista George Magalhães, na rádio Atalaia, Cabo Zé revelou que vem conversando com o ex-governador Albano Franco para uma composição na chapa proporcional. Ele informou que em nenhum momento foi ventilado que ele retiraria a pré-candidatura a deputado federal.

 

 

Socorro

Tem gente que aposta que a apreensão de documentos da SMTT da Prefeitura de Socorro ontem vai provocar um rebuliço na cidade. Quem conhece o setor, garante que tem irregularidades graves…

 

Trânsito I

Sempre que é denunciada a situação calamitosa da BR-101 no trecho localizado entre o município de Aracaju e o povoado Pedra Branca em Laranjeiras, tanto o DNER quanto o DNIT se apressam em tranqüilizar a população, prometendo que dentro em breve a situação estará normalizada, ocorre que o tempo vai passando e falta de compromisso e respeito para com os usuários daquela rodovia é simplesmente aterrorizante.

 

Trânsito II

Já está na hora de alguém ou algum órgão, que possua autoridade suficiente para exigir o cumprimento dessa responsabilidade, se apresente para a sociedade.O Ministério Público bem que poderia dar o ponta-pé inicial, mas em Sergipe tem coisas que acontecem, afrontam e ninguém sabe explicar porque órgãos fiscalizadores fecham os olhos e fazem um silêncio ensurdecedor para as questões. Os boateiros de plantão afirmam que grande parte da referida BR já deveria ter sido duplicada há muito tempo, falam inclusive em desperdício de recursos liberados com tal finalidade. Será verdade?

 

 

Críticas I

A inauguração do Centro Petrobras de Desenvolvimento Humano Sustentável, quarta-feira à noite, no município de Carmópolis, serviu para o ex-presidente da estatal, José Eduardo Dutra, contestar as críticas de que durante a sua gestão à frente da companhia teria dado preferência a investimentos em municípios sergipanos aliados do PT.

 

Críticas II

O empreendimento, um dos maiores realizados no Estado, dentro do Programa Petrobras Fome Zero, destina-se à capacitação profissional de jovens e vai beneficiar um município que tem como prefeito Wolney Leite Alves (PFL), adversário político do PT.

 

 

Bolsa Família

Diante das inúmeras denúncias de concessão indevida do “Bolsa Família”, programa de ajuda social implementado pelo Governo Federal para alimentar as pessoas pobres, o Ministério do Desenvolvimento Social deveria observar de forma está sendo realizada a fiscalização por parte dos ICS (Instâncias de Controle Social) que funciona sob a forma de Conselho e que tem dentre as responsabilidades a de apoiar o poder público na fiscalização do recebimento do benefício. É inadmissível que alguém assuma a responsabilidade de fiscalizar algo e que não responda por prevaricação quando a fiscalização não foi devidamente exercida. 

 

Não ofende

Perguntar não ofende: se o governo Lula continua dando reajustes a várias categorias de servidores públicos por quê o governo João Alves tem que contratar um jurista de renome para dizer se poder ou não conceder o aumento?

 

Fumantes I

De parabéns o Ministério Público, através da promotora Miriam Tereza, que determinou que os donos de estabelecimentos fechados, como shoppings, bares e restaurantes, entre outros, tenham um prazo de 60 dias para se adequarem à lei de combate ao fumo. O estabelecimento que desejar os fumantes tem que disponibilizar uma área especial para eles.

 

Fumantes II

Esta coluna, desde da Gazeta de Sergipe, passando pelo Jornal do Dia, vem criticando a falta de cumprimento da legislação. Um dos piores locais é o Shopping Jardins, onde os fumantes ficam numa lanchonete que serve cafezinho, ao lado do Mac Donald`s, onde as crianças e jovens ficam ao lado sem fumantes passivos. Um absurdo, que muita gente acha besteira, mas é algo sério que em um país civilizado dá multa e até processo.

 

Fumantes III

A promotora Miriam Tereza deixou claro que não aceitará que a lei não seja cumprida. Esta correta. Aracaju não é diferente de outras cidades, onde a aplicação da lei é efetiva. Quem não cumprir, basta uma multa e até a suspensão do alvará de funcionamento. Se o fumante tem o direito de fumar, já que está prejudicando a ele mesmo, as outras pessoas têm primeiramente o direito de respirar.

 

Frase do Dia

“Fiz um acordo de coexistência pacífica com o tempo: nem ele me persegue, nem eu fujo dele, um dia a gente se encontra”.Mário Lago.

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários