Fogueira acesa

0

A fogueira do processo sucessório na coligação que apóia a pré-candidatura do prefeito Marcelo Déda foi acesa com muita antecedência. Arde em chamas com a desincompatibilização legítima de Nilson Lima, com o objetivo de colocar o seu nome à disposição do partido, para ser o vice na chapa majoritária. Membros dos partidos aliados começaram a soltar rojões e a enviar balões de ensaios ao ar. No final, todos os fogos podem dar xabu, a fogueira ficar em brasas para assar um milho amigo e todos terminarão dançando a quadrilha junina do consenso. Pelo menos é o que pensa o prefeito Marcelo Déda, neste momento em que sobem as primeiras labaredas. Não dá para soltar traques e rodinhas neste momento… Esse pode ser o caminho da roça, afinal é legítimo que os aliados fiquem aborrecidos, concedam entrevistas, lancem candidaturas e procure se reencontrar com tudo que foi traçado, antes da explosão dessa bomba que o objeto da antecipação das chamas na fogueira. Aparentando tranqüilidade, o prefeito Marcelo Déda confidencia para seus auxiliares que “todo mundo tem o direito de ficar nervoso, menos eu”. É verdade, porque só com absoluta tranqüilidade é que ele poderá retomar as rédeas e voltar a conduzir o processo da forma que foi acordada com os partidos que integram o bloco que lhe dá sustentação. Era previsível que, em algum lugar, acontecesse algum gesto desse tipo. Faz parte da história petista e da própria índole dos seus militantes. O Partido dos Trabalhadores nunca foi de aceitar pacificamente uma decisão isolada. Quando a militância é convocada para qualquer discussão, realmente o debate é acirrado, o contraditório exposto até se chegar a um consenso. Marcelo Déda, por exemplo, acha que foi bom isso ter acontecido agora, porque há tempo para conversas e reversão do quando: “pior se tivesse ocorrido no dia 30 de junho, quando se é obrigado e fazer convenção”. Outra coisa que alivia o prefeito é que ninguém está acusando-o de empurrar isso goela abaixo. O fato aconteceu por iniciativa legítima de um membro do partido, que era secretário das Finanças da Prefeitura, cujo titular é Marcelo Déda, pré-candidato a prefeito pelo PT. O Partido dos Trabalhadores precisa ter consciência de que sozinho será muito difícil chegar onde está pensando. Aliás, a história de campanhas petistas, exceto a de 2000, demonstra claramente que sem aliança nunca o partido obteve êxito: “rapadura e doce, mas é dura”, filosofa Marcelo Déda. Além disso, ele lembra que é o nome que está posto como pré-candidato à reeleição e, nesta condição, tem o direito de aceitar ou não a candidatura. Tanto agora, quanto em 2005 e considera muito importante que “as pessoas ouçam suas razões”. O prefeito Marcelo Déda, inclusive, achou absolutamente ideal a sugestão oferecida pela tendência Articulação de Esquerda, da qual pertence a deputado estadual Ana Lúcia, de que se for para ter um candidato de outro partido, que o prefeito conclua todo o segundo mandato: “se a preocupação é com 2006, podem ficar tranqüilos que terminarei os quatro anos de mandato”. Reconhece, entretanto, que não dá para atrapalhar 2004 para impor as regras de 2006. Marcelo Déda continua defendendo a continuidade da chapa atual, com a também reeleição do vice-prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB). Mantém exatamente tudo que conversou com as lideranças dos partidos aliados e o que conversou com a cúpula do seu partido. Este final de semana, o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT) desembarca em Aracaju para conversar sobre o assunto, mas já antecipou que deseja o consenso e vai trabalhar para isso. Marcelo Déda também conversou com o senador Antônio Carlos Valadares esboçando o mesmo ponto de vista. Hoje viaja a Brasília para uma solenidade e aproveitará para um encontro com o deputado federal Jackson Barreto (PTB). Déda vai tentar amenizar o estrago feito com a desincompatibilização de Nilson Lima, para ser candidato a vice. Claro que, se não conseguir dobrar a militância, não disputará a reeleição. Esse é um ponto de vista firmado… Quanto às precipitações de membros de outros partidos, que demonstraram nervosismo excessivo, o prefeito Marcelo Déda acha que é falta de Maracugina. VALADARES O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) disse que já havia chegado a um consenso, inclusive com Marcelo Déda (PT), que o vice seria Edvaldo Nogueira (PCdoB). Acrescentou que foi estimulado a conversar sobre o assunto com Edvaldo e deixou praticamente tudo decidido, inclusive porque seria mantida a sintonia da coligação. IMPORTANTE O senador considera a questão do vice muito importante, porque todas as lideranças liberaram Marcelo Déda para que ele indicasse o vice de qualquer partido aliado. Lembra que o ex-prefeito João Augusto Gama (PTB), que pretendia o cargo, abriu mão em favor do consenso, também aceitando Edvaldo Nogueira. NILSON Antônio Valadares deixa claro que não tem nada contra que o PT pense em colocar o secretário das Finanças, Nilson Lima. Ocorre que a esta altura dos acontecimentos seria bom preservar esse consenso em torno de Edvaldo Nogueira, para preservar a unidade. ELOGIOS O prefeito Marcelo Déda (PT) elogiou o trabalho realizado por Nilson Lima (PT) à frente da Secretaria das Finanças: “se quiser, ele retorna agora”, disse. Déda admitiu que é legítimo o direito de Nilson Lima reivindicar a candidatura a vice-prefeito, numa chapa majoritária do seu partido. FISCAL Marcelo Déda advertiu, ontem, que “se a pré-condição para ganhar as eleições e jogar a Lei de Responsabilidade Fiscal no lixo, estou fora”. Lembrou que a sociedade está atenta a tudo que um prefeito candidato à reeleição está gastando neste momento. SÃO JOÃO Cantores como Flávio José, Alcimar Monteiro e Jorge de Altino foram impedidos de participar do São João antecipado que será promovido pelo Governo, na Atalaia. Quando foram contatados, os cantores revelaram que não poderiam aceitar porque a Prefeitura de Aracaju cancelaria o contrato com eles, feito para o Forrocaju. NÃO COINCIDE Segundo o secretário de Comunicação, Carlos Batalha, as datas não coincidem, porque o São João antecipado, promovido pelo Governo, acontecerá de 10 a 13 deste mês. A cantora Elba Ramalho também estava na programa, mas foi impedida, inclusive porque também fará uma publicidade para a Petrobrás. JACKSON Em Brasília, o deputado federal Jackson Barreto (PTB) conversou com o seu colega Heleno Silva (PTB) e se declarou contra a uma chapa puro sangue. Não concordava, inclusive, com declarações do aliado João Augusto Gama, de que “o que Marcelo Déda fizesses estava feito” (sic). DESISTÊNCIA O deputado estadual Gilmar Carvalho (PV) vai reunir, segunda-feira, todos os pré-candidatos à Prefeitura de Aracaju. Não foi divulgada a razão do encontro oficialmente, mas a informação é de que Gilmar anunciar a sua desistência definitiva de ser candidato a prefeito. ACORDO Circula também a informação de que Gilmar Carvalho tinha fechado um entendimento que o levou a retomar a pré-candidatura. O que fora acordado deveria ter acontecido ontem, como o parlamentar não viu nada absolutamente nada resolvido, vai desistir da candidatura, sem mais conversa. SUSANA A deputada Susana Azevedo, pré-candidata a prefeita pelo PPS, vai apareceu na televisão, nas inserções do partido, pra dizer porque quer ser prefeita da capital. A deputada está animada, porque também terá uma boa aparição no programa nacional do PPS, como pré-candidata à Prefeitura de Aracaju. SÁBADO O governador João Alves Filho (PFL) retorna da Europa neste próximo sábado. Na próxima semana ele deve anunciar a chapa que contará com a participação do partido. A deputada Susana Azevedo será a cabeça de chapa, mas o vice ainda está sob sete chaves. Mas o lançamento da chapa terá uma grande festa. Notas CORRUPÇÃO O presidente da Câmara Municipal de Porto Da Folha anunciou que está instalando uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar irregularidades na administração do ex-prefeito Júlio Santana. Perguntado está fazendo isso apenas agora, respondeu: “antes a gente era amigo e fazia de conta que não via nada”. Esse “faz de conta que não via nada” deveria ser devidamente apurado pelo Ministério Público, porque deveria ter alguma formula mágica que cegava os vereadores para essas coisas. Essa cegueira cheira a corrupção. TRANSPOSIÇÃO Temendo o início das obras de transposição do Rio São Francisco, através do Ministério de Desenvolvimento Regional, deputados da Bahia, Sergipe e Alagoas correm para aprovar, na Câmara Federal, proposta que cria o fundo para revitalização hidroambiental e o desenvolvimento sustentável da Bacia do São Francisco. A proposta de Emenda Constitucional é de autoria do senador Antônio Carlos Valadares e já foi aprovada pelo Senado Federal. A partir de agora está faltando o aval dos deputados federais. Os três estados trabalham para isso. RECEIO Mesmo com a possibilidade concreta de se chegar a um entendimento entre o bloco de oposição ao Governo do Estado, sobre a indicação do cândida a vice-prefeito de Marcelo Déda, ficará seqüelas dessa reação de militantes do Partido dos Trabalhadores, sobre a confiabilidade no que diz a liderança da legenda. A colocação do nome de Nilson Lima à disposição do partido para ser o vice, caso não tenha sido sugestão de Marcelo Déda, demonstra que não há segurança nessa coligação, inclusive para o pleito de 2006. É fogo Itabaiana deixará de receber recursos do Ministério Nacional da Integração. O STJ julgou o processo em favor da união. O Partido dos Trabalhadores iniciou uma série de explanação para mostrar, aos militantes, o que está fazendo o prefeito de Aracaju. A iniciativa foi do prefeito Marcelo Déda, desde o momento que anunciou ao partido que seria candidato à reeleição. Segundo os secretários, tudo não passa de uma espécie de prestação de contas, para que a militância veja o resultado do trabalho da Prefeitura. O deputado Marcos Franco (PMDB) está solicitando do Governo do Estado a construção de uma praça de eventos no município de Laranjeiras. Marcos Franco justifica o pedido alegando que servirá para aproveitar o potencial histórico do município e incentivar o turismo. O deputado estadual Walker Carvalho quer o reconhecimento de utilidade pública da Associação de Desenvolvimento Comunitário do conjunto Padre Pedro. O Partido dos Trabalhadores não pretende se aliar com nenhuma das candidaturas tradicionais de Lagarto, incluindo o deputado Valmir Monteiro. O presidente da Emsetur, Ary Leite, diz que está satisfeito com os resultados dos cafés de negócios que divulgaram o São João de Sergipe. O Banese criou o Cartão Empresarial que vai possibilitar, às empresas, realizar transações financeiras em toda a rede de auto-atendimento do banco. Somente cinco capitais pesquisadas pelo Deese registraram queda no valor da cesta básica no mês passado, entre elas Aracaju. O Dieese estima que o salário mínimo deveria ser, em maio, de R$ 1.522,01. O montante é 5.9 vezes superior ao valor concedido pelo Governo (260 reais). Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários