Fontes, usineiros e a Aracaju

0

Apesar do clima frio, pode-se afirmar que a campanha política já começou pra valer em Aracaju. Essa sensação foi sentida na última quarta-feira,16, ao ouvir a participação do ex-deputado João Fontes (PPS) em entrevista ao deputado e radialista Gilmar Carvalho (PSB). O coordenador da campanha de um dos candidatos à prefeito de Aracaju, havia afirmado que João deixou de ser candidato à vereador porque a fonte secou. O ex-deputado João Fontes saiu-se exatamente com a seguinte resposta: “Deixei de ser candidato por uma causa maior, para impedir que se instale em Aracaju a turma de Renan Calheiros, e que monte em Aracaju a República das Alagoas. Eu sei muito bem quem está por trás de cada candidatura e vou lutar para impedir que o grupo de Renan Calheiros se instale nessa cidade”. Os termos foram mais ou menos esses.

 

Embora não pareça, a resposta de João Fontes criará um substancial estrago na candidatura em questão. Visto que por muitos e muitos anos, uma boa parcela do povo sergipano assimilou do vizinho Estado das Alagoas, uma péssima imagem, visto que é vasto o leque de notícias negativas e informações de fatos escabrosos envolvendo a pulverização da violência, da corrupção e da pistolagem naquelas terras.

 

Em Sergipe, a produção de álcool e açúcar pertence a apenas uma ou duas famílias detentoras de enormes áreas de terra e de usinas muito bem equipadas. Já em Alagoas existe um grande número de usineiros que ainda comportam-se como “senhores de engenho” e como em todo país quem 
detém o poder econômico detém também o poder político de forma direta ou indireta, são esses mesmos “senhores de engenho” que atuam como coronéis da política.

 

Portanto, também é vasto o noticiário de crimes praticados em períodos eleitorais envolvendo disputa política de grupos adversários, ou seja, é exatamente essa a imagem que uma boa parcela da população carrega do vizinho Estado e por este motivo a pecha colocada por João Fontes na campanha adversária vai sem dúvida alguma criar um enorme estrago.

 

O povo aracajuano tem a fama de ser um povo ordeiro e pacato, nos períodos carnavalescos Aracaju é vendida turisticamente como local de descanso e de paz e com certeza os aracajuanos vão pensar duas vezes antes de permitir o ingresso da turma de Alagoas em Sergipe. Deve ter sido esse o raciocínio inteligente do marketing adversário.

 

Mote deixado por Fontes
Como em campanha, tudo tem que ser aproveitado, e como a imprensa informa que um dos candidatos contratou dezenas de trios e terá 12 comitês. É bem possível que Edvaldo aproveite o mote deixado por João Fontes para explorando a sua imagem de homem simples e sem muitas posses, estabelecer a campanha do milhão contra o tostão, ou seja, o tostão de Edvaldo contra o milhão dos usineiros das Alagoas.

 

Cacciola quer ser solto
Sorrindo, sem algemas e como um cidadão de bem sorridente com a vida e especialmente com o Brasil, que ele confessa que nunca deveria ter saído, pois já estaria em liberdade, o banqueiro corrupto Salvatori Cacciola (que estava preso em Mônaco), chegou e quer o seu habeas-corpus do STF ou de onde for. Ele quer ser solto e curtir a vida, pois tem bastante dinheiro e, pelo andor da carruagem, vai conseguir logo. Champgne, caviar e finas iguarias para os Dantas, Naji, Pitttas, Lalaus da vida. Para os bandidos pobres, cacetada da polícia e cela pequena com quarenta presos! E aquela comidinha para encher o bucho!

Crédito errado em catálogo da UFS
A UFS lançou uma catálogo com todos os cartazes do Festival de Arte de São Cristóvão. Uma iniciativa importante. Porém, logo no primeiro cartaz, do lançamento do festival em 1972, o crédito foi colocado errado. No catálogo está o crédito para “relações públicas da UFS”, quando na verdade o cartaz foi feito no Jornal da Cidade pelo já falecido José Antonio da Silva. A não ser o título maior do cartaz de 1972  todos os outros foram feitos na IBM do Jornal da Cidade.

 

Algo de errado no reino da Dinamarca
Há algo de errado no reino da Dinamarca. Veja bem: todos os candidatos a Prefeito e a Vereador já fizeram as suas carreatas e colocaram o bloco na rua, menos o candidato Mendonça Prado e sua turma. E o pior, o seu vice de chapa, Pedrinho Valadares, vai assumir uma vaga na Câmara Federal. Tem muito alvista pensando que a candidatura de Mendonça Prado (Plano B) não vai vingar e por isso mesmo torcem para que João Alves (Plano A) vai para a disputa, ainda que para perder. Há ainda uma outra possibilidade, mais remota, bem verdade, que é a do DEM apoiar a candidatura do candidato Almeida Lima em troca de apoio em 2010. É só aguardar para vê.

 

Sobre o Centro de Detenção Provisória
Ontem, 17, ao ouvir entrevistas dos secretários da Justiça e da SSP, além do coronel Sávio, responsável pelo Desipe, o termo Cadeião (ainda bem!) sumiu e, como foi sugerido neste espaço apareceu o Centro de Detenção Provisória.

 

Detalhe sobre os presos com “pouca” periculosidade
O secretário da SSP, Kércio Pinto, disse que a população do bairro Cirurgia, onde será instalado o Centro de Detenção Provisória, não precisa ficar preocupada porque no local serão colocados presos de baixa periculosidade. Uma pergunta: se não têm  nem mesmo o controle de presos nas delegacias, quanto mais distinguir os de alta periculosidade, dos de baixa periculosidade.

 

Durma com um barulho desses…
Um fato curioso foi registrado na última quarta-feira, no povoado Palmares em Riachão do Dantas e que atesta o radicalismo que alguns candidatos assumem durante a campanha eleitoral. Após a procissão de N. Senhora do Carmo, padroeira do Povoado, o locutor de um possante carro de som do atual Prefeito Laelcio (PT do B) ligado ao ex-governador João Alves, saudava a presença do Prefeito e anunciava: “O Prefeito que não quer a ajuda do Governador, nem do Presidente da República.” Por coincidência, na mesma semana máquinas e equipamentos do DER estão recuperando a estrada de acesso ao Povoado Palmares, cuja precariedade nunca foi observada pelo governo anterior.

 

Vereador denuncia crime eleitoral
Do vereador Francisco Pipio, do PT de Graccho Cardoso: “Dois veículos, provavelmente locados à Prefeitura Municipal de Graccho Cardoso, um Doblô placa JFY 6373, completamente plotado com propaganda eleitoral da prefeita Maria Crizabete – DEM, candidata à reeleição e um Fiat Uno placa HZY 4137 plotado com propaganda do vereador Arakém, estão sendo utilizados para transportar os enfermeiros, supostamente do Programa Médico da Família-PSF (não transportam médico porque estes abandonaram o PSF por falta de pagamento) até os povoados do município.Achando isso pouco, nesta quinta-feira, dia 17, o Doblô foi utilizado também para puxar um reboque sonorizado que veicula o jinge da prefeita”.

 

Impugnação de candidatos
Em vários municípios a Justiça Eleitoral está impugnando candidatos por serem analfabetos. Na comarca que engloba umbaúba, Santa Luzia e Indiaroba, foram vários candidatos a vereador. Chamou a atenção a impugnação, por ser analfabeto, do candidato a prefeito de umbaúba, Jorge Rico. A assessoria dele recorreu ao TRE. Além dele o candidato a vereador de apelido, Pio, também foi impugnado por não passar no teste de alfabetização. Pio é da coligação do candidato Anderson Farias.

CUT: Dois anos da Operação Fox I
No Boletim informativo a CUT de Sergipe lembra os dois anos da Operação Fox. Leia a matéria: “Ao completar dois anos os escândalos desencadeados a partir da Operação Fox, realizada em 18 de julho de 2006, ao que parece caiu no esquecimento das autoridades responsáveis pela apuração e investigação para punir os envolvidos e buscar a restituição do dinheiro desviado dos cofres públicos. Foram 35 prisões e cumpridos 67 mandados de busca e apreensão nos estados de Sergipe, Alagoas e Bahia. À época, foram presos oito prefeitos: um de Alagoas, um da Bahia e seis de Sergipe – Nossa Senhora do Socorro, José Franco Sobrinho (PPS); Rosário do Catete, Laércio Passos (PMDB); Poço Verde, Antônio Dorea (PSB); Siriri, Valdomiro Santos (PL); São Domingos, Hélio Mecenas (PFL); e Cedro de São João, Marcos Santana (PTB).O objetivo da operação Fox foi de desarticular uma organização criminosa especializada em fraudar licitações e desviar verbas públicas federais destinadas às áreas de saúde e educação. A organização é composta por empresários e funcionários públicos.

 

CUT: Dois anos da Operação Fox II
As investigações foram feitas por meio de interceptações telefônicas, que começaram em fevereiro de 2004, após denúncia do Ministério Público Federal. A Procuradoria e a Polícia Federal constataram desvios no Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério) e de programas como a Farmácia Básica e de combate a endemias.O esquema consistia na montagem de procedimentos licitatórios fictícios, superfaturados e no fornecimento de notas fiscais que possibilitavam o desvio de verbas. As investigações também apontam para o pagamento de propinas a funcionários das prefeituras.  Para o presidente estadual da CUT, Antônio Carlos Góis, o pior é que, apesar de transcorrido dois anos, a Operação Fox, ainda não apresentou nenhum resultado prático. Até agora, ninguém foi se quer denunciado à Justiça pelo Ministério Público Federal, nem se tem conhecimento de qualquer ação de reparação por parte dos acusados, se é que foram injustiçados ou foram vitimas de perseguição. Para ele, é fundamental cobrar o aprofundamento das investigações de modo a indiciar todos os envolvidos, para que mais esse escândalo não acabe em pizza. Para o presidente da central, fatos como estes não podem cair no esquecimento.

Ação do TJ em prol da reinserção social dos jovens I
Ao tomar posse na presidência do Tribunal de Justiça a desembargadora Célia Pinheiro deixou claro qual a sua prioridade. “…comprometo-me, inicialmente, com uma administração voltada para as nossas crianças e adolescentes que, em face das circunstâncias adversas experimentadas, assistem seus sonhos serem transformados em pesadelo. Mais de que simples palavras de um discurso de posse, o conteúdo da mensagem revelou a personalidade decidida da mulher que naquele momento solene assumia o compromisso de lutar por milhares de jovens. Ela, ainda, destacou: “Para eles haverá um programa especial, melhorando a qualidade dos serviços das Varas com atuação nessa área tão sensível, que já informatizadas serão virtualizadas, aderindo ao sistema nacional de informação, enquanto uma equipe qualificada dispensará o atendimento necessário à reinserção social de nossos jovens em situação de risco ou já mergulhados nas veredas infracionais”.

Ação do TJ em prol da reinserção social dos jovens II
Menos de 48 horas depois ela recebeu em seu gabinete representantes do Unicef, Ministério Público, Poder Executivo e Judiciário para discutir como os problemas mais urgentes poderão ser resolvidos. Uma das idéias é a construção de um prédio que abrigará vários serviços voltados para crianças e adolescentes. Ouviu sugestões e acenos de apoio da Secretária de Estado da Inclusão Social, Ana Lúcia. A primeira-dama, Eliane Aquino, acredita no sucesso do projeto e na força da união das instituições. “Se conseguirmos fazer essa mobilização, todos vão ajudar. A participação do Judiciário é muito importante porque intimida quem não quiser cumprir as regras”, ressaltou. O representante da Unicef, Ruy Pavan, as promotoras de justiça, Maria Conceição Mendonça e Lílian Carvalho, o presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e Adolescente, Thiago Oliveira, o Promotor de Justiça de São Cristóvão, Fábio Pinheiro e assessores da presidência do TJ, já começaram a traçar o perfil de eventos determinantes para o sucesso do projeto que começa a ganhar corpo. Entusiasmada, a promotora de Justiça Maria Lílian Carvalho, disse que o projeto da Desembargadora Célia Pinheiro deu a todos envolvidos nessa área uma nova esperança: “Esse comprometimento do Tribunal de Justiça reacendeu em todos nós uma chama que estava se apagando”.

 

Iniciativa que corresponde ao anseio da sociedade
A iniciativa da Presidente do Tribunal de Justiça é, realmente, digna de elogio porque mostra de forma destemida um desejo que corresponde ao próprio anseio de toda a sociedade, que entende como reversível essa situação tão presente na vida do país. A desembargadora Célia Pinheiro dá um passo decisivo e coerente com o que se espera da instituição que preside.

 

Ex-presidente do DCE é candidato
Ex-presidente do DCE da Universidade Federal de Sergipe (UFS) no biênio 99/2000 e advogado especializado em direito administrativo e municipal, Rômulo Donato vai entrar na disputa para vereador de Aracaju pelo PSB. Sua candidatura é um projeto coletivo que nasceu para qualificar o parlamento e representar os setores da sociedade preocupados com questões ligadas à educação, meio ambiente, ética e cidadania. Alguns dos projetos que o advogado Rômulo Donato pretende apresentar no parlamento são a criação do IPTU ecológico; a inclusão da disciplina Cidadania na grade escolar da rede pública municipal; e a proibição de nomear logradouros públicos com parentes do administrador. A previsão é que o lançamento da campanha ocorra no final de julho.

 

Lei Seca em Sergipe I
Desde o último dia 19 de junho desse ano uma polêmica tomou conta do país. A lei 11.705 popularmente conhecida por Lei Seca, anda assombrando a vida de muitos motoristas porque prevê tolerância zero para quem for pego dirigindo alcoolizado. Em reunião com o comandante do Batalhão de Trânsito (BPtran) e diretor de Trânsito da Setram, coronel Lúcio Vasconcelos, e os comandantes da CPtran e CPRv, capitão Samuel e o major Linhares, que integram o BPtran, o secretário de Estado dos Transportes e da Integração Metropolitana (Setram) Bosco Mendonça, orientou como será a operação de fiscalização da Lei Seca em Sergipe. Segundo o secretário, nas blitz somente serão submetidos ao uso dos bafômetros àqueles que desrespeitarem as normas de trânsito e sua sinalização , efetuando uma direção perigosa que coloque em risco a vida do próprio motorista e dos demais condutores e àqueles que apresentarem traços de embriaguez. Ontem, 17, a CPTran realizou a primeira operação para o cumprimento da Lei Seca. Cerca de 25 policiais estiveram envolvidos em seis blitz  espalhadas pela grande Aracaju.O comandante do BPtran, coronel Lúcio Vasconcelos ressalta que também nos próximos dias a CPRv estará operando com os bafômetros nas rodovias estaduais.

 

Nota da SEED sobre folha de pagamento e Lei do Fundeb I
A Secretaria de Estado da Educação (SEED) esclarece que, desde 2007, junto com a Secretaria de Estado da Administração (SEAD), responsável pela geração da Folha de Pagamento do Estado, vem tomando as providências para fazer as adequações da Folha de Pessoal da SEED com os novos códigos correspondentes às fontes de recursos e a lotação dos servidores da educação, dentro do que determina a Lei do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A SEED reconhece que a grande movimentação de funcionários entre os seus diversos órgãos provoca uma constante desatualização do sistema. Para sanar definitivamente este problema, a Secretaria da Educação está envidando todos os esforços junto com a Secretaria de Administração, para manter um fluxo de informação que permita a constante atualização desses dados e a organização do sistema de pagamento.

 

Nota da SEED sobre folha de pagamento e Lei do Fundeb II
É importante ressaltar que a Secretaria da Educação, em alguns momentos, disponibiliza recursos financeiros do Tesouro do Estado, para cobrir despesas de pessoal que seriam custeadas pelo Fundo. Com relação à contratação de ônibus para o transporte de alunos e pessoal, a Secretaria de Educação informa que segue o contrato centralizado efetuado pela Superintendência de Compra Centralizada do Governo do Estado. A SEED também já instituiu uma equipe de funcionários que está fazendo a reestruturação do sistema de pagamento desses transportes para corrigir possíveis distorções.  É conveniente ressaltar que a Lei do Fundeb permite o uso de seus recursos para o transporte dos alunos do ensino fundamental e médio.

 

Resposta do Sindicato dos Bancários sobre Operação casada I
Em relação às notas publicadas na sua coluna do último dia 12, com o título “Operação Casada do Sindicato dos Bancários I e II”, temos o seguinte esclarecimento a fazer: Não procede o argumento da bancária que não quis se identificar, de que fizemos “venda casada”, porque fizemos duas assembléias com os funcionários da Caixa (dias 27 de junho e 02 de julho), cujas convocações foram feitas para discutir e votar o Plano de Cargos e Salários – PCS – apresentado pela Caixa. Nos dois dias houve debate e o entendimento de que votaríamos conjuntamente uma moção de repúdio à Caixa, pelo corte de quatro dias – com desconto de salários em retaliação à greve de 2007  – e pelo descomissionamento do funcionário Antônio Fagundes, atitude claramente identificada por sua participação na referida greve, e também porque a Caixa vinculou a adesão ao novo PCS à opção de saldamento do REG/Replan.Como todos sabem, as moções de repúdio de trabalhadores são sempre aprovadas nos seus fóruns, e a assembléia é um fórum legítimo da categoria bancária. Portanto, não existiu nenhuma venda casada. Aliás, quem está sendo investigado por prática de venda casada não é o Sindicato dos Bancários.

 

Resposta do Sindicato dos Bancários sobre Operação casada II
E, por último, é bom esclarecer que a moção de repúdio foi aprovada pelos bancários presentes, inclusive esta bancária anônima, se esteve presente, também aprovou, já que houve unanimidade e não houve ajuda para ninguém levantar o braço para votar. A moção foi aprovada espontaneamente, depois de a mesa ter consultado o plenário, se o mesmo estava esclarecido para votar. A mesa diretora dos trabalhos, inclusive, deixou claro que a direção do Sindicato não havia escolhido nenhuma posição por entender que a aprovação do PCS beneficiaria uns bancários e a não aprovação beneficiaria outros. A votação ocorreu depois de efetuados todos os esclarecimentos aos questionamentos dos bancários, inclusive com a presença do advogado Thiago D”Ávila, um dos assessores jurídicos do Sindicato. Finalmente, entendemos que fizemos nossa parte, isto é, armamos os bancários da Caixa em Sergipe para votar com toda liberdade, apesar da pressão exercida pela direção da empresa para que votássemos de forma açodada. Em tempo: Está mais do que claro que não é o Sindicato que está agindo com perseguições.  Sem mais para o momento, atenciosamente, José Souza, presidente do Sindicato dos Bancários de Sergipe.

 

Cerca de 41 mil cartões escolares
De fevereiro a março deste ano, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Município de Aracaju – SETRANSP – produziu mais de 41 mil cartões maisaracaju escolar, concluindo, dessa forma, as solicitações enviadas nos primeiros meses desse ano. “Estamos muito satisfeitos por termos atingido, ainda no primeiro semestre, a meta de cartões solicitados em 2008. Agora estamos aguardando somente a total distribuição dos mesmos”, afirma Andréa Aragão, Coordenadora de Planejamento do SETRANSP. Segundo Andréa, dos 100 mil cartões produzidos no ano passado ainda estão disponíveis, no S.A.E – Serviço de Atendimento Estudantil -, quase 17 mil que ainda não foram resgatados. “Além do próprio estudante, os pais dele também podem retirar o cartão. Basta apresentar o canhoto do formulário de solicitação e a carteira de identidade”, ressalta Andréa Aragão. Os nomes das instituições e dos alunos que solicitaram os cartões podem ser conferidos no site
www.maisaracaju.com.br ou pelo telefone (79) 3214 -1553. As carteirinhas devem ser resgatadas no S.A.E, que fica localizado na Rua Santo Amaro, 40, Sala 06, Centro. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. No caso dos estudantes da Universidade Tiradentes e Universidade Federal de Sergipe, os cartões estão disponíveis nos Postos de Vendas localizados nos Campi.

 

Frase do Dia
Súmula vinculante 100 algemas – É abuso de autoridade / Prender banqueiro ladrão / Tirando-lhe a habilidade / Com que sabe usar a mão. (Mais uma de Tonho Pereba)

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários