Força da caneta

0

Até agora o governador Marcelo Déda (PT) não pronunciou uma única palavra sobre a grave crise política criada pela antecipação da eleição da Mesa Diretora da Assembleia. Em vez de verbalizar seu descontentamento, o petista preferiu responder aos novos adversários com a caneta, usada para assinar uma enxurrada de exonerações dos afilhados políticos dos irmãos Amorim. As sucessivas canetadas do governador assustaram os milhares de comissionados, principalmente aqueles ligados aos deputados que votaram na reeleição da presidente do Legislativo, Angélica Guimarães (PSC). Ao preferir esta estratégia para responder aos Amorim, Marcelo Déda quis mostrar que quem tem a caneta e o Diário Oficial nas mãos não se dobra a ameaças nem aceita que lhe coloquem a faca no pescoço.

Bombeiro

Está marcada para daqui a pouco uma reunião entre o governador Marcelo Déda e o senador Antônio Carlos Valadares (PSB). Vão conversar sobre a briga política provocada pela antecipação da eleição da Mesa Diretora da Assembleia. Entrevistado pela colega Rita Oliveira, Valadares já disse preferir continuar como bombeiro a virar incendiário e que continua aliado do governador Marcelo Déda.

Suspensa

Foi adiada de amanhã para o próximo dia 9 a reunião plenária que o diretório do PT aracajuano realizaria para discutir a prévia do partido com vistas às eleições municipais. O adiamento foi proposto pelo governador Marcelo Déda em função da crise política que vive o Estado. O encontro iria acontecer durante todo o dia de amanhã no auditório do Instituto Federal de Sergipe (IFS) e contaria com a participação do novo diretor da Petrobras, Zé Eduardo Dutra.

Penetra

A decisão dos Amorim de medir força com o governo pode acabar mal para eles. Aliás, a atitude dos ex-aliados de Marcelo Déda faz lembrar a música “Penetra”, de Zeca Pagodinho: “O coro comeu/ Antes mesmo da festa acabar/ Teve que sair na marra”.

Condenado

O deputado estadual Gustinho Ribeiro (PSD) foi condenado pela Turma Recursal do Tribunal de Justiça de Sergipe. O parlamentar terá que indenizar o fotógrafo Fábio Santos Carvalho em R$ 10 mil por ter mandado veicular fotografias na imprensa sem a autorização do autor. Anteriormente, ele já havia sido condenado a pagar R$ 1.6 mil ao mesmo profissional pelas 600 fotos da solenidade de posse na Assembleia e da festa de noivado do deputado. Gustinho perdeu as duas ações à revelia.

Dia de posse

O mundo político sergipano prestigia daqui a pouco a posse do novo presidente do Tribunal de Contas do Estado, Carlos Alberto Sobral. Os conselheiros Carlos Pina e Reinaldo Moura serão empossados, respectivamente, como vice e corregedor-geral da Corte de Contas. Carlos Alberto, que presidirá o TCE até 2013, está substituindo Izabel Nabuco, aposentada compulsoriamente por ter completado 70 anos.

Virou chacota

E o Clube Sportivo Sergipe virou motivo de piadas por só ter conquistado dois dos 27 pontos que disputou no Campeonato Sergipano. Ontem, um cidadão dizia que o Íbis, time pernambucano considerado o pior do mundo, quer marcar um amistoso com o Sergipe, pois tem certeza da vitória. Já outro gaiato revelou que a Caixa Econômica Federal proibiu colocar o Sergipe na Loteria Esportiva, porque seria ponto certo para quem apostasse no adversário do “Vermelhinho”. Que horror!

Ficha suja

Os políticos que tiveram as contas de campanha rejeitadas pela Justiça Eleitoral em 2010 estão proibidos de disputar as eleições deste ano. A decisão é do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que também decidiu que as reprovações de contas anteriores ao pleito passado serão analisadas caso a caso.

Turismo

O governador Marcelo Déda recebeu ontem os integrantes de uma missão do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Os técnicos vieram a Sergipe avaliar as condições de executar as propostas apresentadas na nova fase do Programa Nacional de Desenvolvimento do turismo (Prodetur), envolvendo recursos da ordem de 60 milhões de dólares.

Coisas de amor

Numa encruzilhada de Aracaju, um pequeno despacho chamava ontem a atenção dos transeuntes. Uma garrafa de cidra barata, alguns cigarros espalhados pelo chão, uma caixa de fósforos aberta e uma rosa vermelha largada. Quem entende de macumba jura que aquele tipo despacho é para resolver coisas de amor. Resta saber se os "santos" aceitaram a prenda.

Do baú político

A exemplo do resto do Brasil, Aracaju ficou de pernas para o ar no dia 24 de agosto de 1954, quando o presidente Getúlio Vargas tirou a própria vida com um tiro no peito. Ao ouvir a carta testamento deixada pelo suicida, o povo foi às ruas protestar, de forma violenta, contra aqueles que faziam oposição ao chamado ‘presidente dos pobres’. Um dos alvos foi a rádio Liberdade, pertencente ao udenista Albino Silva da Fonseca. Juntamente com os filhos e empregados, ele se trancou lá dentro. Desesperado, o radialista Silva Lima pedia socorro pelo microfone: “Clemência governador, clemência”, gritava o homem do ‘Informativo Cinzano’ na esperança de ser atendido pelo governador Arnaldo Garcez (PSD). A ajuda não chegou. Antes que a porta da rádio fosse arrombada pela turba enfurecida, o policial civil Alemão, que era compadre de Albino e também estava trancado na emissora, resolveu a parada ao seu modo: sacou a metralhadora e começou a atirar contra a porta, ferindo algumas pessoas e afugentando as demais. O ato tresloucado de Alemão evitou um provável linchamento.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais