Força do dinheiro

0

A oposição começa a sentir a força do governo, que diariamente inaugura obras e anuncia uma série de outras em todo o interior sergipano. Os pré-candidatos sabem que não será fácil derrotar quem dispõe de R$ 1,5 bilhão para gastar em infraestrutura, melhoria da saúde, segurança pública e educação. Foi por isso que os deputados oposicionistas fizeram de tudo para inviabilizar o empréstimo de R$ 250 milhões que o Executivo pretende fazer junto ao BID. Com tanto dinheiro, é difícil convencer os prefeitos a ficarem contra a reeleição do governador Jackson Barreto (PMDB). Sem muito para oferecer, resta à oposição prometer um paraíso na terra se vencer as eleições. Como não são santos para viver de promessa, os chefes políticos preferem as obras realizadas agora. Para conseguirem, estão se jogando nos braços do governador, pois os investimentos feitos em seus municípios funcionam como adubo para as eleições municipais de 2016 quando eles serão os protagonistas.

Indefinido

O PSB sergipano segue indefinido quanto à sucessão estadual. Segundo o presidente do partido em Sergipe, deputado federal Valadares Filho, todas as hipóteses estão abertas: “Podemos, inclusive, continuar no bloco do governo”, afirma. A principal preocupação do PSB é montar no estado um bom palanque para o presidenciável Eduardo Campos, sem que isso prejudique as eleições dos candidatos proporcionais, a exemplo do próprio Valadares Filho.

É boato

O ex-deputado federal Sérgio Reis desmentiu ontem que pretenda disputar uma cadeira na Assembleia em lugar da tia e deputada estadual Goretti Reis (DEM). Garante que a decisão da parlamentar de apoiar a reeleição do governador Jackson Barreto (PMDB) foi muito aplaudida pela família: “Agora sou um de seus principais cabos eleitorais”, diz Sérgio.

Braços cruzados

Para reivindicar mudanças da metodologia do Projeto ‘Dia D da Avaliação’, os professores da rede estadual cruzam os braços nesta quarta-feira.  Segundo o sindicato da categoria, o processo de avaliação do desempenho dos professores deve ser mais apurado. Mais uma vez, nessa briga entre governo e professores, os únicos prejudicados são os estudantes, que ficam um dia sem aula. Lastimável!

Contrariados

Não chamem para o mesmo evento o deputado federal Rogério Carvalho (PT), prefeito de Canindé, Heleno Silva e o vereador aracajuano pastor Jony – ambos do PRB. Os dois últimos estão tiriricas porque o petista pretende apoiar uma possível candidatura a deputado federal de João Daniel (PT). Heleno desejava que o candidato de Rogério fosse Jony.

Terreno hostil

Com o título acima, a jornalista Vera Magalhães publicou na coluna Painel, da Folha de São Paulo, a seguinte nota: A Câmara dos Deputados pagou R$ 8.000 por uma aula inaugural do ex-ministro do STF Carlos Ayres Britto em curso para funcionários da Casa, em fevereiro. Na ocasião, Britto defendeu a judicialização da política, tema que causa calafrios nos deputados.

Circo armado

Deputados governistas se apressaram em negar que o povo de Estância tenha vaiado o governador Jackson Barreto. Segundo eles, os apupos foram organizados por servidores do Samu estadual, que estão em greve por melhores salários. O deputado Zezinho Guimarães (PMDB) garante que, ao invés de vaias, “o governador foi aplaudido pelo povo de Estância, agraciado com R$ 11 milhões em obras e investimentos para o município”.

Dormiu no ponto

E a delegação do Lagarto perdeu ontem o avião que a levaria para Recife, onde joga hoje à noite contra o Santa Cruz. Graças à intervenção da Federação Sergipana de Futebol, o time conseguiu remarcar as passagens, tendo embarcado às 3h desta quarta-feira. Para passar para a próxima fase da Copa do Brasil o Lagarto precisa vencer o jogo por dois gols de diferença.

Tatuagem

A Anvisa suspendeu 14 marcas de tinta para tatuagem por falta de registro. A orientação da agência é que as vigilâncias sanitárias dos estados e municípios apreendam e inutilizem as unidades dos produtos proibidos encontradas no mercado. No Brasil, há três marcas de tintas regulares para tatuagem: a Starbrite Colors, a Electric Ink e a Irons Work. Fique ligado!

Quer falar

O deputado estadual Antônio Santos (PSC) pensa em pedir a Justiça que obrigue o radialista George Magalhães a lhe conceder direito de resposta. Segundo o parlamentar, o comunicador lhe critica na rádio Mix/FM e não abre o microfone para que ele se defenda das acusações. Antes de ir à Justiça, Antônio Santos terá uma conversa com a direção da emissora. Tá certíssimo!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano A Notícia em 29 de setembro de 1896

Resumo dos Jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais