Freio de arrumação

0

A decisão do prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), de exonerar todos os ocupantes de cargos em comissão para recontratá-los com salários menores, passa mais pelo projeto de reeleição dele do que pela economia que a medida trará ao erário. Na verdade, o demista deu um freio de arrumação visando expurgar os comissionados que não lhe interessam mais eleitoralmente, e abrir vagas para os eleitores de novos aliados políticos. Tivesse preocupado com as finanças municipais, João Alves não teria inchado a máquina com tantos CCs. Para se ter uma idéia, de 2013 pra cá, o número de comissionados no município saltou de 2 mil para 2,9 mil, comprometendo 11% da folha de pessoal, bem mais do que os 2% gastos pelo governo com a mesma rubrica. Portanto, mesmo reduzindo esta despesa pela metade, como promete o prefeito, os comissionados ainda vão sangrar 5,5% da receita. É um custo muito elevado para os contribuintes, porém representa alguns milhares de votos, tão importantes para quem dorme e acorda pensando em se reeleger.

Cara de pau

A “paralisação” dos prefeitos sergipanos em protesto pela crise econômica que se abateu sobre os municípios foi duramente criticada na Câmara de Aracaju. “Prefeito que faz greve é muito cara de pau”, discursou o vereador Agamenon Sobral (PP). Segundo ele, não há sentido um político cruzar os braços. “Antes disso, eles deveriam ter adotado medidas visando adequar a receita à despesa das Prefeituras”, ensina o pepista.

Sanguessuga

E o prefeito de Canindé, pastor Heleno Silva (PRB), entende que a Justiça Federal errou ao condená-lo por lavagem de dinheiro e corrupção passiva no processo dos Sanguessugas. O crime atribuído a Heleno ocorreu entre 2004 e 2005, quando ele era deputado federal e apresentou emendas parlamentares para compra de ambulâncias. Dizendo-se surpreso com a condenação, Heleno prometeu recorrer por considerar “errônea” a decisão da Justiça: “Tenho como provar minha inocência”. Então, tá!

Perda de tempo

Lideranças de lojistas e atacadistas estiveram ontem na Assembleia para pedir aos deputados que não aprovem o pacote fiscal do governo aumentando o ICMS de vários produtos. Os parlamentares foram alertados que a aprovação deste projeto provocará desemprego e até falência de empresas. Os empresários fizeram a parte deles, mas perderam tempo, pois o pacote fiscal será aprovado pela maioria governista a toque de caixa e repique de sino.

BB na Justiça

O governo de Sergipe não vai pagar integralmente a folha de pessoal referente a este mês porque o Banco do Brasil se recusou a liberar 70% dos depósitos judiciais mantidos na agência central de Aracaju. Diante disso, o Executivo promete recorrer à Justiça para forçar o BB a cumprir o que determina a Lei Complementar aprovada pela Assembleia, autorizando o governo a usar os depósitos judiciais. Essa briga promete!

Visita ilustre

E quem estará em Aracaju na próxima sexta-feira será o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ministro Ricardo Lewandowski. Vem prestigiar o lançamento do projeto Audiência de Custódia no Judiciário sergipano. A presidência do TJ aproveitará a visita para homenagear o ministro com o Colar do Mérito Judiciário, pelos relevantes serviços prestados à Justiça.

Prepare o bolso

A Petrobras decidiu reajustar os preços de venda de seus combustíveis nas refinarias. Os reajustes são de 6% na gasolina e de 4% no óleo diesel. Os aumentos começaram a valer a zero hora desta quarta-feira. Nem precisa dizer que os postos de combustíveis vão repassar mais este reajuste para os consumidores. Uma lástima!

Aviso prévio

E quem está com o emprego ameaçado é Rogério Carvalho (PT), secretário de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde. Com a exoneração do ministro Arthur Chioro e a decisão do governo de entregar o Ministério ao PMDB, dificilmente Rogério será mantido no importante cargo. Uma pena!

Água cara

A população de Estância vai pagar mais caro pela água que consome. Aprovado pela Câmara de Vereadores, o reajuste é de 15% e começa a valer a partir de amanhã. O problema é que mesmo pagando mais caro, os consumidores sofrem com as constantes faltas do produto, principalmente nas áreas mais elevadas do município. Quer horror!

Fica no ninho

O vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado, resolveu permanecer no ninho tucano. Após ter sido convidado a bater asas do PSDB e ter sondado vários outros domicílios eleitorais, Machadão decidiu permanecer no mesmo endereço. O que o teria feito mudar de opinião? Certamente o fato de a presidente Dilma Rousseff (PT) ter sancionado o item da reforma política reduzindo, de um ano para seis meses antes das eleições, o prazo para quem deseja ser candidato trocar de partido.

Recorte de jornal

Publicado no Jornal da Manhã em 7 de abril de 1911

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários