Frente Ampla. Luís Fernando Verissimo.

0


“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Frente Ampla. Luís Fernando Verissimo (Estadão):


Foi bom ver a Marina Silva, o Fernando Henrique e o Ciro Gomes entrevistados pela Miriam Leitão, falando na TV sobre uma frente ampla para enfrentar o Caos, que é como estão chamando o governo do Brasil lá fora. Também foi bom ver manifestantes na rua desfilando pela democracia e contra a ameaça fascista – uma ameaça que aumentou alguns pontos depois que o último general de fatiota moderado, o Mourão, deixou cair a máscara, ou pelo menos deixou de ser moderado.

Não se sabe bem o que representam hoje, em matéria de poder de mobilização, os entrevistados da Miriam. Se não representam muito, politicamente, pelo menos representam a resistência que muita gente já julgava natimorta, e que mostrou que não apenas existe como se manifesta, ou começa a se manifestar.

“Frentes amplas” não têm uma história muito inspiradora, no Brasil. A última em que prestei atenção reuniria, veja só, o Juscelino, o Lacerda e outros descontentes com os rumos da “Revolução” de 64, alguns frustrados por terem ficado de fora, outros por sincero desencanto com o golpe. A frente, se me lembro bem, não chegou a se criar e terminou com a morte do Juscelino num acidente de carro. Até hoje tem gente que diz que o acidente não foi tão acidental assim.

A Marina, o Fernando Henrique e o Ciro Gomes merecem todos os elogios por se recusarem a aceitar o abismo para o qual estão querendo nos arrastar, esperneando, e por darem o exemplo, atraindo mais manifestantes para uma frente ampla e viável. Não querendo ser chato: lembremo-nos que na eleição do Bolsonaro & Filhos, gente que sabia o que viria preferiu se omitir a resistir. Não faria muita diferença, o impensável aconteceria de qualquer maneira, mas quem se omitiu deveria ter pensado melhor na sua própria biografia. Pode-se dizer tudo de Bolsonaro & Filhos, menos que alguma vez esconderam o que pensam e o que pretendem.
Uma frente ampla, unida por uma indignação comum pelo que estão fazendo com a terra da gente, é possível. O abismo está aí.


Doação Lide Sergipe O Lide Sergipe, entidade formada por um grupo de líderes empresariais sergipanos fez, no último dia1º de junho, a doação de cinco respiradores mecânicos ao Hospital de Cirurgia. Ao longo das próximas semanas deverá receber mais 13. Ao todo foram adquiridos pelo Lide e outras entidades da sociedade civil 20 respiradores, um investimento total de R$ 1,7 milhão. Estes equipamentos são destinados para os pacientes com covid-19.

Parceria O presidente do Lide Sergipe, Victor Rollemberg, afirmou que a campanha foi iniciada pela entidade que dirige. “Nós juntamos uma quantia que deu para comprarmos 10 respiradores mecânicos. Os outros 10 foram da sociedade, como Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ministério Público (MP), Associação de Magistrados, Fecomércio e alguns empresários que, de forma isolada, contribuíram”, explicou.

Blog torce que dentro do Lide Sergipe surja uma liderança para assumir o vácuo atual em defesa dos empresários sergipanos As entidades empresariais estão órfãs e cansadas de quem sobe apenas para se projetar eleitoralmente. É preciso alguém que assuma a liderança em defesa da classe empresarial sem medo, sem querer servir ao gestor de plantão. Quem sabe alguém jovem sem os vícios eleitorais e particulares da velha guarda?

Capela: um município sem rumo Pelo jeito,, a mesmice continuará em Capela. Boa parte da população ainda não se acordou que necessita de um gestor preocupado com a cidade e seu futuro e não com as picuinhas provincianas. A atual prefeita, Silvany Sukita, foi eleita na comoção da prisão do então marido, o ex-prefeito Sukita. Depois rompeu. Agora o ex-prefeito Ezequiel Leite, que foi uma decepção administrativa tenta retornar. Já o ex-prefeito Sukita deve lançar alguém da família. Ou seja, Capela um município sem rumo, sem opção de um gestor de verdade…

Propriá: triste sina Outro município que há muito tempo necessita de um gestor de verdade é Propriá, berço de grandes intelectuais e que hoje vive um desastre administrativo com o prefeito Iokanaan Santana. Quem salvará Propriá?

DEM e Podemos em Aracaju O presidente regional do DEM, ex-deputado José Carlos Machado, teve conversa ampla com o deputado estadual Zezinho Sobral (Podemos). O Podemos nacional quer que o partido dispute a Prefeitura de Aracaju e que Zezinho seja o candidato a prefeito. A conversa girou sobre uma provável composição, que será discutida mais adiante.

Justa homenagem: Rodovia Irmã Dulce Uma boa proposta a indicação do deputado estadual Iran Barbosa em denominar Rodovia ‘Irmã Dulce’ a Rodovia SE-464, que abrange o Centro do município de São Cristóvão, passando pelo povoado Rita Cacete, até a BR-101.O deputado justifica a sua proposta arguindo o fato de que, embora nascida na Bahia, foi no município de São Cristóvão que a primeira mulher reconhecida como santa brasileira, Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes (1914-1992), virou freira e recebeu, da Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição, o nome de Irmã Dulce, em homenagem a sua mãe.

Prorrogação por mais dois meses do Cartão Mais Inclusão em Sergipe Através de indicação que será protocolada na Alese na segunda-feira, 15, o deputado estadual Luciano Pimentel solicitando ao governador Belivaldo Chagas a prorrogação, por mais dois mês, do Cartão Mais Inclusão. “’Vivemos tempos difíceis e a população em situação de vulnerabilidade é quem mais precisa de ajuda nesse momento,” escreveu o deputado ontem nas redes sociais.

Extrema pobreza Segundo o deputado, esse auxílio emergencial, no valor de R$ 100, é uma das mais importantes medidas adotadas pelo Governo de Sergipe no enfrentamento à Covid-19. Através do Mais Inclusão, cerca de 25 mil sergipanos em condição de extrema pobreza são beneficiados mensalmente. ”Com a prorrogação do benefício, as famílias em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar e nutricional continuarão contando com esse auxílio e terão a garantia de que não faltará alimento na mesa durante a pandemia”, reforçou Luciano Pimentel.

Avanço em São Cristóvão A prefeitura de São Cristóvão realiza um bom trabalho nesse período de pandemia. Mesmo com a crise financeira e com queda de recursos que prejudica todas as prefeituras do país, a atual gestão mantém o compromisso com a população. São testes para identificar possíveis contaminados, blitz educativa, além da transparência com a coisa pública.

 Testes Com mais de 450 casos da Covid-19 confirmados, a Prefeitura de São Cristóvão comprou dois mil testes rápidos para o diagnóstico do novo Coronavírus. O investimento realizado foi de R$260 mil . Os testes serão utilizados para ampliação da oferta para a população, seguindo os critérios técnicos.

 Educação Os investimentos em educação em São Cristóvão envolvem, também, a Superintendência Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT). Com essas ações preventivas e educacionais, os agentes de trânsito já realizaram cerca de 120 atividades, entre palestras e blitzes, contemplando mais de 25 mil pessoas.

 Itabaiana: Prefeitura realiza ações de combate ao trabalho infantil O mundo enfrenta a mesma crise sanitária nesse momento. Em Itabaiana, não é diferente. E diversas são as frentes de luta em que a gestão municipal tem atuado, pois o momento pede ações rápidas para as novas lutas, e inteligência para as antigas, como é o caso do combate ao trabalho irregular infantil. Por isso que a Prefeitura de Itabaiana, através de sua Secretaria de Desenvolvimento Social de Itabaiana, por ser pioneira na realização de campanhas de conscientização e de repressão ao trabalho infantil em Sergipe, inovou neste 2020. E se em anos anteriores, quando ainda podia haver aglomeração, eram realizadas carreatas educativas, passeatas e outros tantos eventos que atraíam a atenção popular para essa realidade, neste ano as ações se deram de maneira atualizada.

 Dia Mundial Através do seu Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) promoveu ações inteligentes para comemorar o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, lembrado pelo calendário mundial na sexta, 12. As ações envolveram toda uma campanha de informação em todos os meios possíveis de acesso à população, tendo em vista o momento de isolamento social.

Ações A chamada Semana de Combate ao Trabalho Infantil teve início na segunda, 8, com a produção de um vídeo informativo, que será veiculado em todas as redes sociais da administração municipal nesta sexta, sobre a temática, com a participação de vários outros órgãos da Assistência Social do munícipio, além de entrevistas nas principais rádios da cidade e da realização de uma live na quarta-feira, 10, nas redes sociais da Prefeitura de Itabaiana.

Identidade A live contou com a participação de Willmarques Santos, que é jornalista e articulador do Selo UNICEF, e de dois adolescentes, que são integrantes do Núcleo de Cidadania dos Adolescentes: Karla Laiane Santana e Vinícius Dantas. A tônica do bate-papo foi a da identidade do jovem itabaianense, que tem sua raiz na cultura trabalho, e sua relação com o cumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). As falas, tanto da Karla, quanto do Vinícius, deram prioridade à necessidade do trabalho, mas um trabalho regular, que não lhes roube a importância da educação e de sua formação, e ao mesmo tempo lhes desenvolva profissionalmente.

 DNA A cidade de Itabaiana, que é nacionalmente conhecida como uma terra de povo trabalhador e empreendedor, sofre ainda com a exploração do trabalho irregular de crianças e de adolescentes. As campanhas realizadas, entendendo o costume de trabalhar muito e desde cedo dos itabaianenses, atua justamente no ponto mais importante: conciliar o trabalho, que é marca e faz parte do DNA desse povo, com uma vida acadêmica. Dessa forma, os jovens podem se desenvolver em duas áreas ao mesmo tempo, no trabalho e na sua formação.Desta forma, os jovens continuarão carregando o legado de sua cidade, o legado do trabalho e do empreendedorismo, e não terão suas infâncias tolhidas. A Prefeitura de Itabaiana quer o progresso, mas um progresso forte e consciente, e por isso trabalha constantemente para que o desenvolvimento seja saudável, em todos os seus aspectos.


PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018

Caminhonete da PMSE em alta velocidade sem sirene ligada De um leitor atento: “Essa camioneta da PMSE (QMG 1136 e 51120) trafegava em alta velocidade na última quarta-feira 10, desde o Hospital Primavera até a Rua de Itabaiana que foi quando não alcancei mais. O muito grave é que não estavam em operação e com a sirene desligada” Não aconteceu um acidente grave nem sei porque. Os veículos militares quando não em operação policial só levando o oficial pra casa deve respeitar também as leis de trânsito. Uma vergonha.”

Live de Maurício Pimentel arrecadou 70 cestas de alimento A Live Detalhes de uma vida foi um sucesso tanto na área musical como na área social. O tributo ao Rei Roberto Carlos teve uma excelente média de audiência, com centenas de visualizações em apenas um dia, e ao mesmo tempo arrecadou cerca de 70 cestas de alimentos que já começaram a ser distribuídas entre os ambulantes da cidade. Parabéns Maurício Pimentel e a esposa, Gessica Pimentel, além de levar lazer e descontração com uma live está ajudando os mais necessitados no momento delicado da vida de muita gente.

Um Líder de Confiança Por Geraldo dos Correios: “O deputado Fábio Mitidieri vem se revelando um dos maiores articuladores da política sergipana. Jovem de carisma e inteligência acentuada, FM faz seu partido, o PSD, crescer nos quatro cantos do Estado com argumentos convincentes e propostas inovadoras, assim comentam as lideranças municipais, o próprio governador Belivaldo Chagas e o presidente da Câmara de Vereadores de Aracaju, Nitinho. Deputado federal mais votado nas últimas eleições, Mitidieri caminha a passos largos em direção ao Governo do Estado, um sonho que ele e seus liderados não negam”.


O que se comenta nos corredores do Palácio da Avenida Adélia Franco Desabafo de um grupo de servidores efetivos e comissionados que não aguentam um assessor direto do governador: “”Passaram meses e nada aconteceu, câmeras Já apagadas das coisas erradas de carro do irmão que falsificou álcool, que foi preso e logo em seguida solto, o assessor direto do governador continua fazendo o que quer no palácio, porque tem quem passe a mão na cabeça dele. Pinta e borda dentro do palácio e ninguém faz nada, ver as coisas erradas e finge não ver. Sem falar quem continua destratando nós funcionários com seus gritos nos corredores e no prédio, e nada é feito. Qualquer dia vai sair nos tapas com funcionários que não aceitam ver e nem receber gritos, e ainda é capaz de abafarem e passar a mão na cabeça dele mais uma vez. Carros, gasolinas, ele faz festa para assuntos particular. Situação cada dia pior com a presença dele, e todos sabendo das coisas erradas que ele faz e nem secretário e nem governador toma uma atitude.”


LIVES SERGIPE – É SÓ ENVIAR PARA DIVULGAR NESTE ESPAÇO

                                                       

 

 

 

 

 

 

 

 

DJ Henrique fará live solidária no dia 13 de junho Neste sábado, 13, às 17h, o DJ Henrique fará uma live com objetivo de arrecadar alimentos para os DJ’s de Sergipe que não possuem outra renda e estão passando por dificuldades. A live terá duração de três horas. Os alimentos podem ser entregues de maneira antecipada no Ed. Carlos Gomes (Av. Anísio Azevedo, 351 – 13 de julho, Aracaju). A Live ‘Dj Henrique na Piscina’ será transmitida pelo Instagram @djhenriquese e pelo YouTube.


PELO E-MAIL E FACEBOOK

OPINIÃO

A Cannabis e o ministro Por Paulo Costa Neto

O pai do atual ministro da educação, Abraham Weintraub, escreveu um livro em 1982 intitulado “Sonhos e sombras – A realidade da maconha” onde aborda o tema de maneira “revolucionária” para a época em que foi escrito. Mauro Weintraub é psiquiatra e professor aposentado da faculdade de medicina da USP e o seu objetivo ao escrever o livro foi lançar um olhar critico sobre a descriminalização da maconha colocando-a no mesmo patamar de outras drogas licitas como o álcool e os psicotrópicos . A obra do doutor Weintraub faz ainda um breve histórico do cânhamo e , ao final das 102 paginas , traz um vocabulário especifico com gírias usadas pelos “maconheiros” da época.

O doutor Weintraub dedica o livro à mulher e aos filhos Abi e Tuca que são respectivamente Abraham e Arthur, duas das figuras mais proeminentes do governo de Jair Bolsonaro. Os mesmos filhos que tentaram na justiça a interdição do próprio pai alegando insanidade mental. Será que querem esconder o trabalho do doutor Mauro sobre a Cannabis? Ou a repressão paterna em relação ao tapa na macaca que causou um trauma nos dois adolescentes?

O ministro tem de fato uma relação “lacaniana” com a erv , claramente explicitada quando ele afirmou que as plantações de maconha abundavam os campus das universidades federais. O ministro vê maconha em toda parte, talvez seja de fato um complexo de castração da sua adolescência.

Como a maioria dos adolescentes da geração 80 o ministro pode ter fumado um baseado escondido dos pais ao som de “Modern Love” (David Bowie) ou “no mundo da lua”(Biquini Cavadão) ,mas a sua criação judaico- cristã o impediu de olhar o mundo com outros olhos além dos dogmas da Bíblia e da Torá . Como a maioria dos adolescentes paulistanos dessa geração deve ter sentido vontade de percorrer a cena underground da metrópole indo , por exemplo , às noites de sábado na Madame Satã . Ou numa aventura ainda maior , de mochila nas costas e arriscando caronas na via Dutra , ir até o Rio de Janeiro conhecer o nascimento do Circo Voador, do Crepúsculo de Cubatão e, se desse sorte , bater um papo legal com o dono da boate e o “ladrão” mais gente fina da noite carioca (Ronald Biggs). Isso mesmo! O assaltante mais procurado da Inglaterra era o dono do Dark-Pub londrino no rio 40 graus. Até pelos seus dotes musicais o nosso adolescente Abi Weintraub poderia ter sonhado em tocar nas bandas de Celso Blues Boy , Arrigo Barnabé e Jorge Mautner . Ou tocar gaita na calçada do baixo Gávea para uma plateia de “malucos” famosos como Lauro Corona , Claudia Magno e Bianca Byington.

Da mesma forma que o ministro não foi contagiado pelo “desbunde” da geração 80, tampouco deve ter sido um adolescente “CDF” aos moldes dos alunos do Sion ou Sacre Couer já que seu histórico acadêmico na graduação foi bastante sofrível.

OPINIÃO

Senhor Prefeito, com licença… Por Antônio Samarone

“A Era na qual a humanidade se via impotente diante de epidemias naturais, provavelmente chegou ao fim”, foi a avaliação de Yuval Noah Harari em seu best-seller “Homo Deus”. Errou feio!

A Peste avança livremente no Brasil. Já matou 264 pessoas em Sergipe e o Brasil se aproxima dos 40.000 óbitos. Nesse ritmo, o Brasil passará os EUA em 29 de julho, onde chegaríamos a 137 mil óbitos.

Essa é a realidade apontada pelos dados estatísticos.

O isolamento social foi um recurso para retardar a marcha da doença, e retardou. Como já compraram os respiradores e leitos de UTI (meia boca) foram montados às pressas, as pessoas já podem morrer com um certo conforto.

Se existe UTI onde as pessoas possam morrer, as restrições a mobilidade geradas pelo confinamento podem ser suspensas. A vida econômica está voltando a funcionar. A tragédia, é que estamos voltando no escuro e desinformados.

A Saúde Pública não possui uma estratégia para iniciar o combate à doença nos pós confinamento. Nada foi pensado.

O Prefeito Edvaldo Nogueira repete mecanicamente um mantra: “fiquem em casa”, “fiquem em casa”, “fiquem em casa”, como se isso fosse uma panaceia. Acabou a fase de deslumbramento, onde ele sonhava em acabar a Peste por decreto.

Se o comercio, a indústria, as escolas, os salões de beleza vão abrir, como ficar em casa?

O senhor observou que nas regras da transição entre o confinamento e a abertura do comercio só existem obrigações para a sociedade. Como disse de forma impensada o Governador Belivaldo: “Já fizemos a nossa parte, cabe a população fazer a dela.”

Calma autoridades!

A população precisa fazer a sua parte, mas dentro de uma estratégia montada pela Saúde Pública. Quem coordena as ações, quem possui a logística, os recursos humanos qualificados é o Poder Público.

Por falar nisso, quais os caminhos que tomaremos enquanto a vacina não chega? Você estão pensando sobre isso, ou é só oba-oba. O que fazer no pós confinamento?

Excelências, é hora de trabalhar.

Sair um pouco dos holofotes das mídias. A Saúde Pública, que vocês comandam, precisa cair em campo, iniciar a sua atuação: testando, rastreando os casos, identificando os transmissores e fazendo o isolamento epidemiológico.

Só a rede básica do SUS tem cobertura e competência para realizar esse trabalho.

Vocês já pensaram em fortalecer o LACEN – Laboratório Central de Saúde Pública de Sergipe, contratar e treinar profissionais, melhorar a estrutura, comprar os kits para a testagem em massa? Já estão pensando em montar uma estratégia para iniciar esse trabalho?

Os senhores serão cobrados pela omissão.

Sei que esse trabalho é de pouca visibilidade política. Más, é esse o trabalho que funciona. Não trará a glória efêmera para os políticos.

O senhor não terá placa para descerrar, nem fitas para cortar, não terá foguetório, nem coletivas à imprensa. Entretanto, senhor Perfeito, a sociedade está precisando que os senhores cumpram as obrigações.

Quantas pessoas foram infectadas existem até hoje? Quantas permanecem susceptíveis? Como está ocorrendo a transmissão, quem continua transmitindo? Sem informações, só improvisando, jogando para a plateia, o senhor vai transformar o confinamento em medo.

Estamos criando uma sociedade do medo e da desconfiança, à espera de uma vacina salvadora. Edvaldo Nogueira, esse é o pior caminho. O que senhor pensa sobre isso?

Não quero fazer embate político. Não é a hora.

Mas, como médico sanitarista da velha escola da SUCAM, não posso calar diante de tanta omissão. Os caminhos da Saúde Pública para enfrentar as epidemias são conhecidos e funcionam. São caminhos testados.

Para facilitar o entendimento: a Saúde Pública do município precisa iniciar o trabalho de busca ativa dos casos, nos moldes propostos pelo Comitê Científico do Nordeste, por eles denominados como “Brigadas Emergenciais de Saúde”. Entendeu?

Outra coisa básica, elementar, não se enfrenta uma Pandemia sem o envolvimento da sociedade. A Busca ativa e o trabalho das Brigadas dependem da participação popular.

Edvaldo Nogueira, o senhor avaliou mal. Transformar o combate a Peste em plataforma eleitoral, foi um equívoco, que ainda pode ser consertado. O gestor público não se sustenta só com a astúcia.

Não gostaria de comentar a parte assistencial, não é a minha área. Mas o galpão armado no campo do Sergipe, que o senhor chama de Hospital da Campanha, para cuidar de casos leves, não pareceu uma boa opção técnica.

Existiam saídas bem melhores. Talvez o senhor tenha pensado mais em visibilidade.

Que Deus nos proteja!


PELO TWITTER                                                 

www.twitter.com/BlogClaudioNun O Estado de Sergipe fechado e estamos investimento em divulgação de nosso turismo . Uma piada.Governo apresenta belezas naturais do estado para agentes de turismo em parceria com operadora Orinter. 

www.twitter.com/emirsader Bolsonaristas, inconformados pelo ridículo por que passa seu líder aqui, atacam, ofendem, ameaçam, mas todos são imediatamente bloqueados. Xô!

 

www.twitter.com/Rkrahenbuhl Chefe das Forças Armadas dos EUA, general Mark Milley, pede desculpas por ter participado da caminhada de Trump até a igreja- que resultou em uso de força contra manifestantes. “Minha presença criou percepção de envolvimento dos militares na política interna. Foi um erro.”


Siga Blog Cláudio Nunes:                                                     

Instragram

 Facebook

 Twitter

 

 



Frase do Dia
“Dificuldades e obstáculos são fontes valiosas de saúde e força para qualquer sociedade.” Albert Einstein.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários