Gabirus de rádio

0

 

Neste período eleitoral a Justiça Eleitoral deveria questionar alguns programas de rádio que estão colocando no ar diariamente sempre os mesmos ouvintes  para fazerem criticas ao governo estadual e principalmente a Prefeitura Municipal de Aracaju. Quem escuta os programas de rádios matinais quando o apresentador cita o nome do ouvinte já sabe quem ele vai criticar. São os famosos ratos de rádio, que com exceção de poucos,  recebem “pro labore” de todos os lados.

 O mais lamentável de tudo isso é que alguns produtores dos programas de rádio ao invés de barrarem estes “pseudos ouvintes remunerados”, deixam que eles diariamente entrem no ar. Neste período eleitoral as criticas aumentaram e os ratos de rádio parecem que ganham um “pro labore” maior e chegam a fazer sensacionalismo e verdadeiros discursos nas emissoras de rádio. E a Justiça Eleitoral, o que faz?

  E na noite anterior os ratos de rádios recebem a “pauta” do dia seguinte. Ontem mesmo a pauta foi o afogamento de um jovem na lagoa de estabilização do bairro Santa Maria, construído pela Prefeitura de Aracaju, para que as águas que descem do morro no período da chuva, não invadissem as casas dos conjuntos. Pois é, só faltou chamar ontem o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) de assassino. Foi a mesma ladinha de todos os “ratos de rádio”. Detalhe: no mesmo local, há alguns meses já tinha se afogado outro jovem, mas não era período eleitoral e então os “ratos de rádios” esqueceram do assunto.  Esses mesmos “rato de rádio” não foram para o ar cobrar do governador João Alves providencias para duas pessoas, o último um estudante, que morreu afogado nos lagos da orla. E lá tem placa e segurança do pelotão de aposentados da Polícia Militar.

   O certo é que nos dois casos é pura irresponsabilidade e discurso eleitoral colocar a responsabilidade no governador João Alves ou no prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira pelos afogamentos dos jovens. Estes jovens sabiam que os locais não eram para banho e corriam risco de morte. Não adianta cercar, colocar placas e até vigilância. Quando querem fazer algo de errado não tem jeito.

   O certo é que existe em Sergipe um mercado de supostos “ouvintes” de rádio. Quem liga o rádio pela primeira vez num programa matinal não descobre nada. Porém, quem liga diariamente já sabe da onde vem toda ladainha. Aliás, este jornalista prometeu uma vez, ainda no Jornal do Dia, publicar a lista dos ratos de rádio. Talvez agora seja o melhor momento, já que no período eleitoral estes rádios aumentam seus gruídos e se transformam em verdadeiros gabirus no cio para satisfazer o desejo do chefe de plantão. É lamentável que a Justiça Eleitoral não tome uma providência contra esses abusos…

                                                                                                                               

Quem paga? I            

Com o prosseguimento da Vila do Forró até o dia 25, ocorrerá um fato interessante. O governo do Estado informou que o espaço foi cedido há muito tempo a Igreja Católica, através da Arquidiocese de Aracaju para o show intitulado “Tudo e todos pela Paz”, no dia 25, com a presença de artistas nacionais, como Roberto Carlos (a confirmar), Agnaldo Rayol, Sandy e Junior, Ivete Sangalo, padre Jordão, entre outros. A pergunta é: quem pagará a conta? É o governo estadual ou a Igreja Católica ganhou os shows de cortesia destes cantores. Só o show de Roberto Carlos chega a R$ 300 mil.

 

Quem paga? II

É bom  que o arcebispo Dom Lessa (foto) esclarece a sociedade sergipana se a Igreja conseguiu cortesia destes artistas ou o show será bancado pelo Governo do Estado. Para que ninguém fique pensando que estão misturando religião com política num período eleitoral. Agora, se for o Governo do Estado quem vai pagar a conta do show da Arquidiocese de Aracaju ai é como diz aquele ditado “…o mundo está perdido” e cabe a Justiça Eleitoral tomar as providências cabíveis.

 

Pressa I

Não adianta se preparar com antecedência. Este jornalista conheceu uma senhora de 60 anos de idade, que ao presenciar os filhos apressados em vestir as roupas novas quando eram convidados para uma festa de aniversário, casamento etc. Ela dizia do alto da sua extremada experiência a seguinte frase: “Meus filhos, não se aprontem cedo demais, porque vocês correm o risco de sujar a roupa nova”. È baseado nessa máxima, que podemos afirmar que na política também, não adianta se aprontar cedo demais porque o risco de atropelamento é quase que certo.

 

Pressa II

Só para ilustrar a afirmação, foram várias candidaturas fortes para deputado federal e estadual inviabilizadas ultimamente, muitas consideradas favoritas.Já outros vêm perdendo suas lideranças. No município de Itabaianinha o candidato Nilson Lima (PT) que contava com a força da liderança exercida pelo ex-deputado Mundinho da Comase, perdeu o apoio para o candidato Eduardo Amorim. O mistério é que ninguém sabe explicar qual foi o motivo da troca. Por falar em troca, vão ocorrer tantas que a eleição deveria ser realizada ali atrás da penitenciaria do bairro América onde fica localizada a famosa “Feira das Trocas”.

 

Entusiasmo I

O candidato à reeleição ao governo do Estado, João Alves Filho (PFL) realizou ontem à noite uma reunião ampliada no comitê eleitoral do partido para organizar a manifestação para a visita do candidato à presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB) na próxima sexta-feira. Estará presente também o candidato à vice, o pefelista José Jorge.O desembarque da comitiva é esperado para às 13h30min, no Aeroporto Santa Maria.

 

Entusiasmo II

Em seguida, o presidenciável será conduzido em carreata até a sede do comitê político, localizado no prédio do antigo Colégio Salvador, onde Geraldo Alckmin ministrará palestra para prefeitos do interior, cabos eleitorais, lideranças políticas e aliados. A organização do Evento está sendo comandada por Fabiano Oliveira, marcando o início da agenda de atos públicos da coligação “Sergipe no Rumo Certo”.

 

Choradeira I

A Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) questionando a proibição de showmícios nas eleições apresentada pela Ordem dos Músicos do Brasil (OMB) e encaminhada  ao STF não deve render bons resultados. Segundo alguns advogados com experiência na área eleitoral, a norma estabelecida pela mini-reforma eleitoral não fere o direito a livre expressão artística previsto na Constituição porque não proíbe que as bandas musicais continuem realizando shows.

 

Choradeira II

Na realidade a norma proíbe aos partidos e candidatos que contratem shows, ou seja, a proibição é aos partidos e candidatos, impedindo que eles utilizem esse instrumento de entretenimento para atrair o eleitor e captar o voto de forma ilusória utilizando-se do carisma e do sucesso da banda ou do artista.A norma eleitoral aplicada objetivou também reduzir os custos das campanhas eleitorais e por fim a utilização do caixa dois, já que a parte mais cara da campanha estava relacionada com a aquisição de camisas e contratação de shows.

 

Gota serena

 Para descontrair. Quem gosta de uma boa pimenta sabe que nada supera quando é tirada do pé e o molho feito na hora. Porém, quem compra os tradicionais molhos de pimenta nos supermercados e acha todos fracos, chegou uma opção bastante picante como o nome “Gota”. E o melhor é um molho genuinamente sergipano fabricado pela Maratá.

 

Frase do Dia

“Se pensam que o Governador João Alves Filho está dormindo de tôca, bem cedo vão perceber que não é bem assim, ele quer comer pelas beiras. É um leão ferido e vem para essa eleição com muita fome, como nunca”. Zoroastro Sant`Anna em artigo publicado ontem aqui no portal Infonet.

 

 

 

Comentários