Gararu (SE) – Passeio de barco e trilha ecológica

0

O passeio começar pelas ruas da feira livre. Hortifrutigranjeiros, temperos, ervas medicinas, fumo

Feira livre é o ponto de partida do passeio
de rolo e uma miscelânea de produtos, tais quais de limpeza, de decoração, de manutenção doméstica fazem da feira de Gararu um ponto de encontro nos finais de semana. A gastronomia está presente também na feira em barracas pouco estruturadas, que convidam o visitante a sentir o cheiro da carne frita com cuscuz, do ensopado de carneiro e até mesmo do camarão de água doce com macaxeira e inhame.

Mas lembre-se que foi só o começo do passeio que deverá durar um dia. O rio São Francisco lhe espera para um passeio de barco e a orla ribeirinha é o atracadouro para o embarca à diversão. Parte da orla ribeirinha foi urbanizada, tendo sido instalados bancos e playground. A área é protegida por um guarda-corpo metálico e o acesso ao rio se dá através de duas rampas. A arquitetura é um misto de romano com

Atracadouro na orla ribeirinha
egípcia, mas esqueça os detalhes e entre na diversão.

 

O destino é o denominado Buraco da Maria Pereira. O percurso da trilha é realizado de barco e tem início no Porto de Baixo, na cidade de Gararu, à margem direita do Rio São Francisco, até chegar ao encontro do riacho de Maria Pereira com o rio São Francisco.

 

Durante a viagem pode-se observar um relevo ondulado com uma cobertura vegetal de caatinga e morros às margens do rio, com afloramentos de rochas cristalinas e presença de alguns bancos fluviais. Após 11 minutos à abordo de embarcação, avista-se o povoado de Lagoa Primeira, com

Águas esverdeadas do Velho Chico
vista parcial da Serra da Melancia.

 

No topo da serra tem uma igrejinha onde é realizada a missa da Sexta-feira Santa. Próximo ao povoado está a praia fluvial com aproximadamente um 1km e areia de tonalidade dourada. A vegetação abundante e árida impossibilita o acesso ao Buraco de Maria Pereira, apenas visível de barco. Os paredões de rochas coloridas são explorados por empresas de pedras decorativas.

 

Caso não queira ir para longe, o destino pode ficar bem pertinho de Gararu com ida de carro ou de barco. É a praia do Oiteiro, saindo também do Porto de Baixo, no centro de Gararu, localizada a 15 minutos de barco ou a 4 km de carro. Fica na margem direita do São Francisco e faz parte da planície fluvial que recebe os efeitos das cheias do rio.

 

Passeio de barco e trilhas ecológicas

Na prainha há pequenas dunas de areia fina de cor dourada. O local é propício para banho, porém deve-se ter cuidado com a profundidade e a correnteza. Não existe formação rochosa próxima à praia, o que facilita a navegação nesse trecho e a ancoragem é feita de forma natural, para embarcações de pequenos e médios portes.

 

Da praia avista-se a cidade de Gararu, com seu casario e a Igreja de Bom Jesus dos Aflitos. Não se sabe ao certo a data da construção da Igreja da Matriz , porém, sabe-se que o ano de 1910, que figura na fachada principal, refere-se à data de reconstrução da torre. Na igreja encontra-se uma antiga pia batismal. O altar, ricamente ornado, abriga as imagens em madeira do Bom Jesus dos Aflitos, de Nossa Senhora da Conceição e de São José. As missas acontecem aos domingos às 19h30.

Orla da cidade é uma das mais estruturadas do Baixo São Francisco
Diariamente, às 18h, é rezado o terço.

 

Um outro destino bem mais aventureiro é percorrer 42km de carro e entrar numa caminhada pela denominada Trilha do Diogo. O percurso começa em descida, por relevo ondulado, com várias rochas cristalinas ao redor. A trilha atravessa íngreme vegetação de caatinga, o que dificulta a caminhada. Após percorrer 500m tem início a subida do morro. Neste trecho não existe trilha definida e passa-se por dentro da caatinga até chegar ao abrigo do Diogo, onde estão inscrições rupestres gravadas nas rochas.

 

O passeio reúne muita diversão e com a sorte do cruzeiro instalado perto da praça da Matriz e considerado milagroso pela população,  estará garantindo um bom retorno. Na bagagem, muitas fotos para contar histórias de Gararu, ou melhor, do Baixo São Francisco. Passeios de barco, praias fluviais, trilhas e feira livre são para quem gosta de diversão sem se incomodar com o conforto.

 

Fotos e fonte: Silvio Oliveira e www.valedosaofrancisco.com.br

 

Dicas de Viagem

 

A cidade não possui hospedagem com infraestrutura turística. Reserve um dia (bate e volta) com retorno no final da tarde.

 

Pode ser adquirida maiores informações através dos telefones da Prefeitura de Gararu: (079) 3354-1240 e  (79) 3354-1252.

 

Partindo de Aracaju, as estradas estão esburacadas e a principal não possui acostamento. Programe o passeio contando com horas de atraso por conta das estradas.

 

Esqueça do conforto nos barcos que fazem passeios, porém, não esqueça da segurança. Exija a inscrição na Capitania dos Portos e, no mínimo, coletes de segurança. Toda embarcação quer seja confortável ou não, deve ter o registro.

 

Registros

 

 

 

Miscelânia de produtos na feira livr

Igreja da Bom Jesus dos Aflitos – Matriz

Feira livre é ponto de encontro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na Bagagem

 

São Luiz (MA) é eleita a “Capital Americana da Cultura 2012”. O anúncio, feito na quarta-feira (01) pelo presidente do Bureau Internacional de Capitais Culturais, Xavier Tudela, foi recebido com festa pelos maranhenses, já que em 2009 a capital recebeu o título de “Capital Brasileira da Cultura”. O título é concedido anualmente e a data de comemoração coincidirá com as comemorações pelo 4º Centenário de São Luís, única cidade brasileira fundada por franceses.

 

Depois de Porto de Galinhas e Fernando de Noronha, Olinda (PE) ganha uma filial do estrelado restaurante Beijupirá. As delicias da franquia podem ser apreciadas no largo da Pousada do Amparo e, além da vista espetacular, o visitante subirá até o local de bondinho. Isso mesmo, de bondinho!

 

Encontro Comercial Braztoa acontece em São Paulo no período de 23 e 24 de setembro e em sua 34º edição disponibilizará um blog onde estarão reunidas as novidades dos associados e expositores, assim como todos os detalhes do evento. Clique e confira

 

A partir de outubro o Grand Palladium Imbassaí será no novo resort cinco estrelas da famosa Linha Verde (BA). O resort tem bandeira espanhola e será o primeiro da empresa no Brasil.

 

O aeroporto de Aracaju tem pontuado uma crescente linha de ascensão quanto ao tráfego de passageiros. De acordo com dados da Infraero, de janeiro a julho de 2010 o número de passageiros que embarcaram e desembarcaram em Aracaju passou de 86 mil para 442 mil, um aumento expressivo, porém, a quantidade de passageiros internacionais continua em baixa.

 

Uma agradável surpresa: o estudo de caso “Comunicação, Turismo e Identidade: um Estudo de Caso sobre o Caranguejo de Sergipe”, escrito pelos estudantes Fernanda Celestino Campos e Denio Santos Azevedo, apresentado no XXXIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Clique para conferir.

 

 

Passaporte

 

 

Roma – Basílica de Santa Maria Maior (Basílica de Santa Maria Maggiore)

 

A Basílica de Santa Maria Maior (em italiano Basilica di Santa Maria Maggiore), também conhecida

Feixe de luz em determinadas épocas do ano – Tom angelical
como Basílica de Nossa Senhora das Neves ou Basílica Liberiana, é uma das quatro basílicas patriarcais de Roma. Foi construída entre 432 e 440, durante o pontificado do Papa Sisto III, e dedicada ao culto de Maria, Mãe de Deus, cujo dogma da Divina Maternidade acabara de ser declarado pelo Concílio de Éfeso (431). Entretanto, a data da fundação da basílica remete ao pontificado do Papa Libério (352-366).

 

Sua arquiterura e grandiosidade foi feita para causar admiração a quem nela adentre. Nos meses de janeiro a

Fachada imponente da Basílica
março, um feixe de luz adentra a básilica pelos vitrais da parte frontal provocando um ar celestial.

 

 A basílica é considerada a maior e mais importante em homenagem a Santa Maria, em Roma e a mais antiga igreja do Ocidente dedicada à Santíssima Virgem. Nela está trechos da gruta onde o Salvador nasceu e um relicário com um pedaço da manjedoura, para tanto, também chamada de Basílica de Santa Maria do Presépio.

 

Fotos: Silvio Oliveira

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais