Gemer, Gemer, Gemer!

0

As prostitutas conquistam seus clientes através dos gemidos. As mulheres “ditas de família” estão aprendendo a gemer, já os homens estão no caminho destas técnicas, mas engatinhando ainda. No mundo dos adultos, a grande batalha travada é justamente no campo da liberdade sexual e o gemido pode ser fator determinante para pontuarmos se uma transa foi zero ou dez. Se o companheiro (a) não gemer, quase sempre pensamos que nossa performance não foi ideal, claro que existe o fingimento (como em qualquer outro campo da vida), mas no sexo, vale ficar atento aos sinais, sempre!

Um amigo me contou que de todas as suas conquistas, a mais inesquecível veio após um gemido erudito. A moça emitia uns sons tipo a “5ª Sinfonia de Beethoven”.  Ele me disse que seria estranho se não fosse excitante. Seria também mais excitante se ele não morasse num apartamento conjugado, com paredes mais finas que papel. No dia seguinte era um tal de usar óculos escuro para sair bem cedo encarando os vizinhos ouvintes. Mas cá pra nós, quem tem muita vergonha na cara não fode. E graças a Deus inventaram os óculos escuros.

Quem nunca ouviu “barulhos estranhos” vindo do quarto dos pais? Eu, pois nunca morei com pai e mãe, mas para o resto da humanidade presenciar o ato sexual dos pais é quase uma tradição, tipo o Natal. Penso que muito adultos levam uma vida sexual tranquila, até pelo menos os filhos entrarem na adolescência, depois é gemer baixo ou anular o som, porque todo mundo sabe que pais não transam e que adolescentes, com tanta informação hoje em dia, já sabem discernir o gemido de dor do gemido de prazer. Se as crianças fossem criadas levando em consideração o sexo como ato natural, com explicações coerentes para suas idades, seria tudo diferente e não enxergariam o gemer como algo depravado.

Crescemos assim, achando ser errado demonstrar que estamos excitados, e para uma sociedade reprimida o número de loucos só aumenta. Por essas e outras, que muitas pessoas contratam profissionais do sexo para realizarem suas fantasias. Imagine só depois de anos reprimindo qualquer barulho, você tem ali em sua cama alguém que vai estimular cada som, cada estrofe. Todo mundo enlouquece. A oratória sexual começa pelo gemido certo, na hora certa. O dilema é encontrar o tom.

Homens. Passamos muito tempo achando que gemer era coisa de mulher. Que o homem, ereto, deve ficar em silêncio apenas friccionando para comprovar uma masculinidade de galã de cinema. Quando foi que aprendemos que gemer “é coisa de mulher?” todo tipo de preconceito deve ser quebrado, porque só gemendo podemos saber aonde chegar. Alguns amigos, hoje em dia, me disseram que adoram gemer, gritar, xingar então… Estes conseguiram se libertar e empregam seu sexo como algo bacana, são felizes, fazem seus parceiros e parceiras felizes e estão aí emitindo seus gozos para que sejam ouvidos. Os demais, que ainda estão reprimidos, deveriam tentar!

Dica rápida: primeiro é preciso quebrar a trava. No caso do homem, estar bem excitado! Quase nenhum homem fingi, até porque a ereção comprova o desejo. O interessante é começar falando baixinho no ouvido de quem transa com você. Se não consegue, feche os olhos e comece a narrar o que está sendo feito, neste momento vale ser redundante e quem ouve fica aceso. Repita a ação em si, e vai puxando para o que se deseja fazer nas sequências. Não existe tempo certo, mas garanto que já já você estará substituindo as palavras por sons (pronto, já está gemendo, parabéns!). Se não tem costume, tente, e tente! As tentativas, nestes casos, costumam ser super prazerosas.

Mulheres. São mestras na arte de gemer e sabem disso. Conseguem mudar o mundo com este simples esforço. Não existe nada mais excitante para o homem do que ouvir sua mulher gemendo. Ok a penetração é excitante? É! Mas se a mulher ficar calada, o homem enlouquece sem saber se foi “o cara”. O gemido é a porta de entrada para a alma da mulher. Se ela calar, meu amigo, você está ferrado! É melhor parar e discutir a relação. Mulher que gosta: geme, cobra atenção e até arranha, isto quando não morde.

O gemido é o sim para o ato sexual. É como se a mulher dissesse que na escalada da excitação, o parceiro está subindo corretamente. Funciona assim: se ela gostou vai ser através do gemido que você saberá e a loucura é justamente essa: dar tanto prazer ao outro ao ponto da pessoa enlouquecer gemendo, perdendo a consciência do próprio nome. As mulheres, quando querem de verdade, sabem muito bem fazer isso!

Para homens e mulheres, o gemido final é a prova dos nove. Se a pessoa silenciar, a não ser que esteja numa parada cardíaca, então o sexo não valeu de nada. Vamos estudar as atuações e recomeçar a brincadeira. É preciso gemer, dizer ao outro que vai gozar, saber se o outro está perto de gozar e pedir para esperar, que te acompanhe, que goze juntos. Busquem alternar os gemidos, ele e você, ela e você… a voz do outro é afrodisíaca. Mas, por favor, nada de voz infantil na hora H, porque não existe algo mais broxante do que voz de apresentadora de programa infantil num momento tão adulto como este.

Para conversar comigo sobre este e outros assuntos (e sugerir temas também):
Facebook: https://www.facebook.com/jaime.neto.58
Twitter: @jaimenetoo
Instagram: @jaimenetoo

Comentários