Generalidades sobre o Câncer de Estômago

0

A pressa mata o amor. Ela nos impede de ver o sentido na vida. Levantamos rápido, comemos rápido, nos vestimos rápido, vamos para o trabalho rápido. Comece o dia com uma breve meditação; assim, mesmo que os eventos tentem nos pressionar, estaremos preparados para caminhar na velocidade correta.(Anônimo)

Generalidades

Também conhecido como câncer gástrico, os tumores do estômago aparecem em terceiro lugar na incidência entre homens e em quinto entre as mulheres,de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA) são diagnosticados mais de 26 mil novos casos de câncer gástrico por ano.

O consumo de alimentos em conserva tem sido apontado por muitos especialistas como uma das causas mais prováveis de câncer de estômago, mas como o número de equipamentos de refrigeração, usados principalmente para a conservação de alimentos, tem aumentado em todo o mundo, as taxas deste tipo câncer caíram consideravelmente, principalmente em países desenvolvidos, como os Estados Unidos e a Inglaterra. O Japão, apesar de ser a terceira maior economia do mundo, é o que registra o maior número de casos da doença em todo o planeta são aproximadamente 780 casos para cada 100 mil habitantes.

A maior taxa de mortalidade em decorrência deste tipo de câncer, no entanto, está na América Latina, principalmente em países como Costa Rica, Chile e Colômbia.

Existem muitos fatores de risco conhecidos para o câncer de estômago, mas não se sabe exatamente como esses fatores induzem as células do revestimento do estômago a se tornarem cancerígenas, o que sabemos é de que várias alterações que podem ocorrer no revestimento do estômago acredita-se que são pré-cancerígenas.

Por exemplo, na gastrite atrófica crônica, as glândulas normais do estômago estão diminuídas ou ausentes, além de apresentar certo grau de inflamação, salientando que ela é causada geralmente  pela infecção por H. pylori, embora também pode ser causada por uma reação autoimune, onde o sistema imunológico de uma pessoa ataca as células que revestem o estômago. Convém salientar que o que sabemos no momento é que algumas pessoas com esta condição desenvolverão anemia perniciosa ou outros problemas de estômago, incluindo o câncer,porém  não se sabe exatamente como essa condição pode evoluir para a formação de uma neoplasia.

Outra alteração pré-cancerígena possível é a metaplasia intestinal,quando o revestimento normal do estômago é substituído por células que se assemelham às células que normalmente revestem o intestino, nesse casos são pessoas com essa condição que também têm gastrite atrófica crônica, curiosamente não está claro ainda como e por que esta mudança ocorre e progride para o câncer de estômago, inferindo-se que  ela também pode estar relacionada à infecção pelo H. pylori.

Pesquisas recentes mostram como alguns tipos de câncer de estômago se formam,como por exemplo, as bactérias H. pylori, especialmente determinados subtipos, podem converter substâncias de alguns alimentos em substâncias químicas que causam mutações e alterações no DNA das células do revestimento do estômago, isso também pode explicar porque certos alimentos, como carnes processadas aumentam o risco para o câncer de estômago, no entanto devemos citar que por outro lado, alguns dos alimentos que podem reduzir o risco de câncer de estômago, como frutas e vegetais, que contêm antioxidantes que podem bloquear as substâncias que danificam o DNA de uma célula.

Nos últimos anos, os pesquisadores fizeram muitos progressos e tem um melhor entendimento de como algumas alterações no DNA podem tornar as células normais do estômago em cancerígenas, explicam que alguns genes têm instruções para controlar o crescimento e a divisão das células, porém convém acentuar de que os genes que promovem a divisão celular são chamados oncogenes, enquanto que aqueles que retardam a divisão celular ou levam as células a morte no momento certo são denominados genes supressores de tumor, portanto os cânceres podem ser causados por alterações no DNA que se transformam em oncogenes ou desativam os genes supressores de tumor.

Mutações herdadas em alguns destes tipos de genes podem aumentar o risco de câncer de estômago em uma pessoa,mas as mudanças genéticas hereditárias são responsáveis ​​por apenas uma pequena porcentagem dos casos de câncer de estômago.

A maioria das alterações genéticas que levam ao câncer de estômago ocorre após o nascimento,sendo que algumas dessas alterações podem ser causadas por fatores de risco, como a infecção pelo H.Pylori.

Fatores de risco

Os médicos apontam alguns fatores como de risco para o desenvolvimento de um câncer no estômago:

  • Alimentar-se por uma dieta rica em alimentos salgados, defumados e em conserva
  • Ter uma dieta pobre em frutas e legumes
  • Comer alimentos contaminados
  • Ter histórico familiar de câncer de estômago
  • Ter uma infecção por Helicobacter pylori ( H.Pylori )
  • Sofrer de uma inflamação do estômago a longo prazo
  • Ter anemia perniciosa
  • Ser fumante
  • Apresentar pólipos do estômago

Incidência 

Devemos considerar como extremamente relevante o fato de que o câncer de estômago afeta principalmente as pessoas mais velhas, ou seja a idade média dos pacientes quando são diagnosticados é de 70 anos, além do que estima-se que quase dois terços dos pacientes com câncer de estômago tem 65 anos ou mais, curiosamente o risco médio de uma pessoa vir a desenvolver câncer de estômago em sua vida é cerca de 1 em 116, sendo que ele é um pouco maior nos homens do que nas mulheres.

O câncer de estômago é muito mais comum nos países menos desenvolvidos, ou seja até o final da década de 1930, o câncer de estômago foi a principal causa de morte por câncer, enquanto que atualmente o câncer de estômago está bem abaixo na lista. As razões para esta diminuição não são completamente conhecidas, mas podem estar ligadas a um aumento da utilização de sistemas de refrigeração para o armazenamento de alimentos, o que certamente  permitiu a disponibilidade de mais frutas e vegetais frescos, diminuindo o uso de alimentos salgados e defumados. Alguns médicos acreditam que esse declínio também pode estar ligado ao uso frequente de antibióticos no tratamento de infecções, por que sabidamente os antibióticos podem destruir as bactérias como o Helicobacter pylori (H. pylori), que acredita-se ser uma das principais causas do câncer de estômago.

Classificação

  • Adenocarcinoma
    Cerca de 90% a 95% das neoplasias de estômago são adenocarcinomas, por isso o termo câncer de estômago ou câncer gástrico, quase sempre se refere ao adenocarcinoma, são tumores que  se desenvolvem a partir das células que formam a camada mais interna do estômago (mucosa).
  • Linfoma
    Os cânceres do sistema imunológico são encontrados na parede do estômago, e correspondem a cerca de 4% dos cânceres de estômago, salientando de que o prognóstico e tratamento desse tipo de câncer de estômago dependem do tipo do linfoma.
  • Tumor Gastrointestinal
    Os tumores gastrointestinais são raros e parecem se iniciar nas células da parede do estômago denominadas células intersticiais de Cajal,sendo que alguns desses tumores são benignos e outros malignos, alertando no entanto para o fato de que embora estes tumores possam ser encontrados em qualquer parte do aparelho digestivo, a maioria ocorre no estômago.
  • Tumor Carcinoide
    Esses tumores se originam nas células do estômago que produzem hormônios,sendo que a maioria desses tumores não se dissemina para outros órgãos, inferindo de que apenas cerca de 3% dos cânceres de estômago são tumores carcinoides.
  • Outros Tipos
    Outros tipos de cânceres, como o carcinoma de células escamosas, carcinoma de pequenas células e leiomiossarcoma, também pode aparecer no estômago, mas esses tipos são muito raros

Diagnóstico

Para realizar o diagnóstico, o médico pedirá alguns exames específicos, como:

  • Endoscopia
  • Exames de imagem, especialmente raios-X e tomografia computadorizada

Outros testes podem ser feitos para determinar a extensão do tumor, como a biópsia, que é o exame feito para confirmar se o tecido afetado é mesmo canceroso. Além disso, é feita uma análise histológica do tumor, que pode se enquadra em um desses quatro estágios:

  • Fase I. Neste estágio, o tumor é limitado à camada de tecido que reveste o interior do estômago,ou seja as células cancerosas também podem se espalhar para gânglios linfáticos próximos.
  • Fase II. O câncer já se espalhou, crescendo para dentro da camada muscular da parede do estômago, também pode se espalhar para mais dos gânglios linfáticos.
  • Fase III. Aqui, o câncer pode ter crescido por meio de todas as camadas do estômago, ou então pode ser um câncer menor que se espalhou de forma mais ampla para os gânglios linfáticos.
  • Fase IV. O câncer se espalhou para áreas mais distantes do corpo.

Tratamento

As opções de tratamento disponíveis para o câncer de estômago dependem do estágio da doença,porém a cirurgia é, geralmente, o meio mais utilizado para curar o paciente,portanto se você ou um parente estiver com diagnóstico positivo para câncer de estômago, converse com seu médico sobre a melhor opção de procedimento cirúrgico.

Sessões de quimioterapia e radioterapia também podem ajudar,geralmente elas podem ser feitas também após a cirurgia, aumentando as possibilidades de cura do paciente.

O médico também poderá descrever alguns medicamentos que agem sobre algumas células tumorais específicas.

Importante ressaltar de que o resultado do tratamento varia bastante de caso para caso, pois a profundidade na qual o tumor invade a parede do estômago e as ocasiões em que os nódulos linfáticos estão envolvidos quando o paciente é diagnosticado influenciam nas chances de cura.

Quando o tumor foi disseminado para fora do estômago e já está espalhado pelo corpo, a cura não é possível e o tratamento é direcionado à melhoria dos sintomas, ou seja um tratamento paliativo e que possa melhorar a qualidade de vida do portador do câncer.

Um boa semana,com muita paz, harmonia e saúde.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários