Giro pela rodada dos sergipanos nas competições nacionais

0

Nenhuma equipe sergipana conseguiu vencer no fim de semana. Na sexta-feira, o Confiança foi derrotado pelo Goiás, na Serrinha, por 2×0, com direito a gol azulino mal anulado e falha absurda do goleiro Rafael Santos. Enquanto isso, no domingo, Sergipe e Itabaiana estrearam pela Série D, ambos com empate por 1×1, contra Bahia de Feira de Santana e Juazeirense.

Sem dúvidas, sabor mais amargo para o Confiança, que volta de Goiás sem somar pontos. Apesar de mais uma boa atuação, com pressão no campo do adversário, maior posse de bola e mais passes trocados, foi derrotado pelo bom time do treinador Pintado. O Dragão começou bem, medindo forças com o Esmeraldino e chegou a abrir o placar com Luidy aos 10 minutos, mas a arbitragem conseguiu encontrar um impedimento inexistente e anulou o gol.

Aos 16 minutos, o Goiás deu a resposta: Alef Manga, uma das grandes apostas do Goiás para a competição, fez a jogada e guardou o primeiro tento da equipe goiana. Na busca pelo empate, o Confiança pressionava mais, mas não conseguia criar grandes chances. O adversário explorava os contra-ataques e conseguia levar mais perigo.

Na volta do segundo tempo, o panorama parecia se manter. Mas uma falha absurda do goleiro Rafael Santos afundou as chances de reação. Tentando repor a bola rapidamente, não percebeu que o esperto Bruno Mezenga, artilheiro do último campeonato goiano, estava pronto para dar o bote. Resultado: o atacante esticou a perna e a bola morreu no fundo das redes. 2×0 no placar e frustração no semblante. Como não é bobo, o Goiás praticamente esperou o jogo terminar, enquanto o Confiança tentava, sem sucesso, chegar à área e tentar alguma coisa.

Problema com goleiros

A falha de Rafael escancara um problema evidente na montagem do elenco do Confiança: a falta de um arqueiro confiável para disputar posição e até mesmo barrar Rafael Santos. Questionado por sofrer gols defensáveis e dispersão (como no lance do segundo gol do Goiás), Rafael já vem mostrando insegurança em alguns momentos.

No banco, a equipe azulina tem outros três para a posição: Careca, de 23 anos, que só jogou como profissional cinco vezes pelo Sport Lagoa Seca e, no Confiança, uma vez em dois anos; Marcus Levi, de 17 anos, uma promessa da base do Dragão; e Ismael, de 22 anos, também formado no clube. O Confiança, uma equipe de segunda divisão, conta apenas com um goleiro experiente e três garotos para a reserva. Quando for necessário, pode se complicar.

Não se trata de desqualificar Rafael ou os demais atletas. Mas, para uma posição importante como a do goleiro, em uma competição dificílima como a Série B, é preciso ter opções mais seguras e que possam disputar posição com o titular para que saia da zona de conforto. Até por ter mais rodagem e ter conquistas no time, Rafael é titular absoluto. Os jovens goleiros merecem oportunidades, mas não podem ser jogados em fogueiras, sem o devido preparo.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais