Governo e reforma

0

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) pode falar pouco, mas observa muito e acompanha de perto a tendência da votação na Câmara Federal. Diz, sem medo de errar, que as reformas da Previdência e Tributária serão aprovadas da forma que foram enviadas pelo Planalto, porque elas são de interesse dos governadores estaduais. Reconhece que a reação sobre a questão do ICMS será muito discutida e pode haver mudanças, mas em relação ao setor previdenciário há interesse dos governadores em manter da forma como fora passada pelo Planalto, porque também resolve o problema de caixa que os Estados reclamam. Bosco revelou que é titular da Comissão de Constituição e Justiça. Foi afastado da votação da reforma da Previdência, pelo líder do partido, Jutahy Magalhães, porque não votaria na taxação dos inativos: “o suplente foi quem votou em meu lugar”, disse Bosco. Na opinião do deputado tucano, depois de toda essa discussão, o PFL e o PSDB terão que se unir para ser oposição. É o deputado Bosco Costa quem faz a pergunta: “fome zero?” E volta a indagar, como resposta: “Quem é que viu isso até agora?” Para o parlamentar, nenhum Governo pode fazer uma campanha para acabar com a fome em um país de dimensões continentais como o Brasil, onde 87% do Produto Interno Bruto (PIB) estão concentrados nas mãos de apenas 7%, o que forma uma desastrosa e injusta distribuição de renda. “Na realidade, anunciar fome zero é querer vender ilusões, é fazer teatro, porque todos se transformam em verdadeiros atores. Afinal, rico não dá dinheiro a pobre”, deduz Bosco. Ele contou que sábado passado, quando ia para o interior, deu carona a um cidadão da sua região – Agreste – e ouviu dele uma sentimento de revolta: “O PT está governando pela primeira e última vez”. O deputado federal Bosco Costa tem razão quando, diz que a melhor forma de reduzir a fome e os índices de pobreza está no setor agrícola, mas com incentivo real a quem vive com as mãos nas terras. Disse que hoje a agricultura está entregue a grandes empresários do Sul, que conquistaram terras generosas no Nordeste. Cita como exemplo o Oeste da Bahia, que tem elevada produção de soja. O deputado reconhece que o Governo aplaude a produção agrícola e enche os olhos com os seus percentuais, “mas a gente passa por toda essa terra e vê máquinas trabalhando. A produção aumenta, é verdade, mas também cresce a fome, a miséria e o desemprego na região, porque o pequeno agricultor não tem o que fazer e nem a quem apelar. Toda a produção é do grande, do rico, do bilionário”. Evidente que o deputado Bosco Costa tem razão. A fome zero, que o Governo Federal pensa atingir com a ajuda da sociedade, é utopia eleitoreira. Não se consegue resolver um problema desse tamanho, sem que haja um projeto amplo e consistente de emprego e renda. A revelação de Bosco Costa de que PFL e PSDB serão oposição ao Governo em Brasília, não deve ser ampliada aos Estados. Em Sergipe é impossível uma convivência pacífica entre os dois partidos. Aliás, o PSDB se compõe com a oposição que, na formação da coligação, finge desprezar o grupo tucano. O ex-governador Albano Franco se mantém silencioso e não trata do assunto, mas o seu pessoal demonstra que está tomando o rumo dos que sempre ficaram contra o Governo, mesmo que não tenha participação na coligação. Apesar dos aliados do ex-governador surfarem por outras ondas, será muito difícil colocar o tucanato no mesmo bloco, em razão de um purismo que o próprio Partido dos Trabalhadores vem ignorando para fazer composições em Brasília. O próximo pleito terá um quadro completamente adversos do que sempre se viu em Sergipe. Onde o Partido dos Trabalhadores, mesclado com conhecidos integrantes de segmentos conservadores, estará no ringue contra o PFL, que precisa se fortalecer em toda a sua estrutura de alianças e ter o cuidado de contar com uma legenda de esquerda, que sirva de condimento para dar cheiro e sabor de mudança. FORAGIDO O secretário de Segurança Pública, Luiz Mendonça, disse, ontem, que o ex-deputado Antônio Francisco está entrando no rol dos foragidos perigosos. Avisou que a polícia vai se dedicar à caça para prender o ex-deputado e que está lhe dando cobertura. Deixou nas entrelinhas que os policiais sabem onde ele está. ADVOGADO Luiz Mendonça fez elogios ao trabalho profissional do advogado José Cláudio, classificando-o como um dos melhores na área criminalista: “é um mestre”. Entretanto, o secretário disse que, no caso do ex-deputado Antônio Francisco, não agiria da forma que José Cláudio está agindo”. CONFIRMA O secretário Luiz Mendonça reconhece que o indiciado Floro Calheiros tem facilidade de subornar pessoas e fazer amizades em qualquer local que se encontre. Confirmou que ele tem dado notas de 100 reais para comprar cigarros e deixa o troco como gorjeta. “Também manda comprar canetas esferográficas, lanches e faz o mesmo”. PESQUISA O governador João Alves Filho (PFL) tem em mãos pesquisas realizadas pelo Instituto Padrão, em que demonstram a situação do partido nos municípios. João Alves quer fazer avaliação dos melhores nomes para apoiar como candidato a prefeito de suas cidades, para que o grupo se mantenha no poder. LAGARTO Em Lagarto, por exemplo, o prefeito Zezé Rocha tem a preferência do eleitorado na pesquisa induzida e espontânea. O ex-prefeito José Raimundo Ribeiro vem em segundo lugar, mas animado porque, se houver a união do grupo, ele tem chances reais de ganhar o pleito. JORNAL Setores da oposição estão querendo montar um jornal, talvez quinzenário, para publicar denuncias contra o Governo e fazer cobranças. O pessoal considera que esta será a única forma da população tomar conhecimento dos discursos, críticas e posições junto ao Estado. REUNIÃO Segunda-feira os deputados Jackson Barreto (PTB) e Heleno Silva (PL), o senador Valadares (PSB) e o prefeito de Poço Redondo, frei Enoque, têm agendado uma reunião. Vão discutir a estratégia das filiações e candidaturas municipais para o próximo ano. Querem lançar candidato nos municípios que tiver melhor condição de vitória. HELENO O deputado federal Heleno Silva conseguiu aprovar, ontem, emenda na Comissão Orçamentária, para a Agricultura. Heleno sugeriu que os investimentos na agricultura familiar e recursos hídricos, não sejam contigenciados. GRAÇA Com a formação da Comissão de Ética para apurar o incidente do deputado João da Graça, ele tem cinco sessões ordinárias para apresentar sua defesa. João está com sorte, porque com o feriado de amanhã, as festas juninas e o recesso parlamentar, o seu prazo se estende até agosto. INOCÊNCIA O deputado João da Graça declara que atirou para defender um amigo, que iria ser assassinado por um dos seus adversários. Entretanto, no inquérito policial, o deputado foi indiciado e isso complica sua situação. Com certeza ele será punido pelos colegas. PROJETO A Assembléia deve entrar em polvorosa, com a apresentação de um projeto de lei, de autoria do deputado João da Graça, que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). João da Graça quer abrir possibilidade para que entidades não reconhecidas de utilidade pública recebam recursos do Pronese. OPOSIÇÃO O pessoal da oposição já está se articulando para evitar o projeto, alegando que o deputado não pode legislar sobre matéria financeira, que é exclusiva do Executivo. Os deputados da oposição estão dispostos a entrar na Justiça com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade, caso o projeto de João da Graça seja aprovado. ADIERSON O empresário Adierson Monteiro tem agenda marcada com o prefeito Marcelo Deda para tratar da questão do transporte, mas aproveitara para comunicar que adquiriu a TV-Cidade. Adierson diz que a emissora será imparcial e, por ser fechada, terá como objetivo servir com qualidade aos seus clientes. Notas RIBEIRÓPOLIS Um leitor de Ribeirópolis envia e-mail para dizer que o governador João Alves Filho esteve naquela cidade, terça feira passada. Do palanque, o governador teria dito que durante o seu Governo “bandido toma pau e vai para a cadeia”. O leitor diz que João nem fechou a boca direito e começaram os roubos na cidade. Diz que foram registrados dois homicídios e furto de 40 carneiros, em chácara dentro da cidade, cinco motos, assaltos a pessoas e outros atos de violência: “estão roubando até na boca da noite (18 horas)”, diz o leitor. AMOROSA Na opinião de um membro do Governo que não quis se identificar, Sergipe passa por momentos de retaliações políticas dos dois lados. Tanto por parte da Prefeitura, como do Estado. “A exclusão de Amorosa do Forrocaju foi retaliação sim, porque não se encontra outro motivo para justificar a ausência”, disse. A mesma fonte disse que dentro do Governo tem setores que praticam retaliações, tanto ao prefeito, quanto ao ex-governador Albano Franco. Deu como exemplo uma funcionária que foi repreendida porque estava com uma roupa vermelha. SETORES O mesmo membro do Governo disse que essas retaliações estão partindo de setores, tanto do Município quanto do Estado, cujos secretários querem ser “mais reais do que o rei” e praticam esse tipo de excesso pensando que agradam ao chefe, quando na realidade estão sendo simplesmente ridículos e bajuladores. Na realidade, diz a fonte, tudo isso é um “festival de besteirol”, porque tanto Deda quanto João estão mais preocupados nas suas administrações. Até se reúnem quando estão em jogo interesses comuns e se distanciam do radicalismo. É fogo Talvez amanhã seja a última sessão da Assembléia Legislativa. Com os festejos juninos, entra o recesso e o pessoal só retorna em agosto. A reforma da Previdência tem provocado uma enxurrada de discussões no Judiciário. Juizes e promotores estão até fazendo movimento. Ontem, em Brasília, o presidente do Tribunal de Justiça, Pascoal Nabuco, participou de reunião sobre a reforma da Previdência, no STF. O Judiciário já está preparando as baterias para forçar o respeito ao direito adquirido, caso se mantenha a questão dos salários. Fabiano Oliveira diz que só foi a oposição se voltar para Luiz Mittidieri, que o PFL voltou a prestigia-lo. Almeida Lima não desanima com o seu Projeto de Emenda à Constituição, que sugere uma ampla reforma política. O senador Almeida Lima já havia dito que estava preparado para receber todo o tipo de críticas. Sabia que mexeria com muita gente. O chefe da Casa Civil, José Dirceu, já disse que o Governo Federal não abre mão dos projetos essenciais da reforma. Sequer discute… Uma agência de viagem está fazendo um pacote para levar sergipanos à posse do jurista Carlos Brito no Supremo Tribunal Federal. O deputado federal João Fontes não concorda com o apoio de Maluf, Sarney, ACM e outros a Lula. Eles sempre estiveram à direita. Para qualquer Governo, seja de esquerda ou direita, é muito amadorismo rejeitar o apoio de qualquer tendência política, desde que não compartilhe das suas idéias. Os governadores que desejam mudanças na reforma Tributária, no que se refere ao ICMS, estão trabalhando nos bastidores. Não se pode negar que João Alves Filho foi o primeiro a levantar a bandeira sobre as distorções na cobrança do ICMS. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários