Governo muda

0

O governador João Alves Filho fará mudanças em sua equipe. Hoje pela manhã, será a posse do médico José Alves Neto na nova Secretaria para Assuntos Políticos e Institucionais (Secpai). A senadora Maria do Carmo Alves retorna para a Secretaria de Erradicação da Pobreza. Flávio Conceição continua à frente da Casa Civil, mas com uma função mais administrativa, cuidando de problemas mais diretamente ligados ao Governo. Flávio está satisfeito com o desdobramento de sua pasta, porque deixa de atuar como uma espécie de bombeiro, que apaga alguns incêndios que sempre surgem na intimidade dos três poderes, além de se livrar de alguma “bala perdida” no fogo cruzado para as decisões políticas, entre lideranças expressivas do Estado. José Alves Neto foi secretário de Governo na segunda Administração João Alves Filho. Não existia a Casa Civil, mas a pasta, que foi extinta, fazia as suas funções e cuidava da política. Foi durante esse período, que João Alves Filho trabalhou para eleger o então senador Albano Franco, que disputava o Governo em 1994, depois de ser surpreendido com uma derrota, no primeiro turno, para Jackson Barreto. Até hoje Jackson acha que ganhou a eleição. Suplente de senador, José Alves Neto assumiu quatro anos de mandato e, ao concluí-lo, fez um curso de geriatria na Universidade Federal de São Paulo, onde se encontrava. Fora convocado para substituir a irmã, Maria do Carmo, na Erradicação da Pobreza, e pensava montar um escritório para clinicar, mas foi convencido a aceitar a nova função, para fazer a coordenação política do Governo. Evidente que o trabalho que José Alves Neto terá será árduo. É preciso fazer algumas acomodações políticas e iniciar, urgentemente, um ritmo de formiguinha em busca de um consenso para eleger o maior número de candidatos a prefeito possível. Afinal, esse também é o objetivo da oposição, porque sabe que as Prefeituras são a base de uma eleição majoritária para o Governo do Estado. Há necessidade de mostrar a cara nesse momento de definições políticas, porque os adversários não são fáceis e, também, os problemas internos do bloco governista são complicados. Essa nova pasta requer habilidade, paciência e dote de alfaiate, para costurar bem as controvérsias que surgem diariamente. Outra mudança acontece no Pronese. A diretora do órgão, assistente social Celene Cabral, foi afastada e deve ocupar outro cargo, possivelmente na Secretaria de Combate à Pobreza. O presidente do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), engenheiro Lindemberg Lucena, vai substituí-la. Ele negou, a princípio, que fora convidado, mas já foi confirmada e toma posse hoje. Troca uma função técnica por outra vinculada ao social. Será um novo desafio para Lindemberg. O engenheiro Edson Leal será o novo diretor do DER e o economista Martinho Bravo retorna à atividade pública, assumindo a direção da Emdagro. Toda essa reviravolta aconteceu em menos de 24 horas na equipe de Governo. Essas mudanças no Governo estavam sendo previstas para esta primeira semana de abril, em razão de acomodações que o Governo precisa fazer, para azeitar a máquina. É possível que haja novas alterações, porque realmente há necessidade de fazer levantar um sentimento de que a Administração tem que andar, com o mesmo otimismo que demonstra o governador João Alves Filho. A partir de agora, a história tem que ser outra, porque o grupo do Governo vai enfrentar eleições municipais que não são fáceis, principalmente em Aracaju. Realmente é preciso maior agilidade de determinados setores, porque em ano eleitoral vale muito que se vê de uma administração de resultados. PONTE Segundo uma influente fonte do Palácio dos Despachos, muita água ainda vai rolar por baixo da ponte que leva à candidatura a prefeito de Aracaju pelo PFL. Garante que o prazo da desincompatibilização para maio foi fundamental para que o Governo possa repensar, de acordo com as pesquisas. PEDRINHO O pré-candidato à Prefeitura de Aracaju, Pedrinho Valadares (PFL), diz que não dá atenção a esse tipo de especulação. Acha que sua candidatura é uma decisão do governador João Alves Filho, baseado em pesquisas internas que detém em seu poder. GILSON O presidente da Câmara de Diretores Lojista (CDL), Gilson Figueiredo, não será candidato à Prefeitura de Aracaju. Deixa claro que não tem pretensões políticas. Alguns que defendem a sua candidatura acham que ele não foi estimulado para isso: “ninguém conversou com ele e nem lhe fez sugestão”, lamentou um deles. SUSANA A pré-candidata Susana Azevedo (PPS) vai participar hoje do movimento pela ética na política. Com isso, ganha a simpatia do PDT. Susana reafirma a candidatura e diz que “tem alguma coisa me dizendo que devo disputar, porque serei eleita”, declarou. AGUARDANDO O deputado estadual Belivaldo Chagas (PSB) disse, ontem, que o direito de indicar o candidato a vice-prefeito é de todos os partidos que formam o bloco de oposição. Segundo Belivaldo, essa indicação só será definida a partir de junho, com os entendimentos entre as legendas e com um nome que tenha o consenso. ANÚNCIO Uma das coisas principais para que se comece a conversar sobre vice de qualquer chapa, é que seja definido o titular. Belivaldo Chagas acha que o prefeito Marcelo Déda (PT) primeiro precisa oficializar a candidatura à reeleição, para depois discutir o vice. COMISSÃO A CPI para apurar os problemas na Secretaria da Educação será criada na segunda-feira, com a assinatura do deputado Ulices Andrade (PSDB). Até ontem, Belivaldo Chagas tinha as sete assinaturas. O deputado diz que para ser instalada a CPI é outro trabalho, porque passa a depender do Governo. INSTALAÇÃO Como tem deputado da situação criticando o Governo Lula por abafar uma CPI no Senado, a oposição acha que esses parlamentares não vão querer a mesma coisa em Sergipe. A oposição admite que a presença do secretário na Assembléia explicaria alguma coisa, mas não haverá acesso à documentação e nem terá o teor investigativo. VENÂNCIO O líder do Governo, Venâncio Fonseca (PP), revela que, pelo teor do requerimento, não cabe CPI. Porque alega falta de planejamento no setor educacional. Continua: “como não existe alegação de irregularidade, pode ser solucionado com a presença do secretário Gilmar Mendes, para revelar a meta de trabalho”. HORAS O deputado Augusto Bezerra (PMDB) explicou que a Secretaria da Educação dispensou 3.800 contratados e, dos 2.800 concursados, já chamou 800 para trabalhar. O Governo detectou que existiam 55 mil horas mensais ociosas que eram pagas. Agora vai colocar professor na sala de aula e pagar a hora trabalhada. QUADRILHA O secretário da Educação, Gilmar Mendes, declarou a uma emissora de rádio que existia uma “quadrilha atuando na Secretaria da Educação”. Essa quadrilha demitia funcionários fantasmas, que recebiam rescisão contratual através de uma relação enviada ao Banese, para pagamento. VALADARES O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) permanece em Brasília, trabalhando pela liberação de recursos para cidades atingidas pelas chuvas em Sergipe. O senador está batendo na porta dos ministérios em busca de recursos, mas só vai revelar o que conseguiu depois da confirmação de liberação. PASSAGEM A Casa Civil fechou contrato com a Pontal Turismo, no valor de R$ 1.8 milhão para compras de passagens aéreas só para este ano. O contrato, publicado no Diário Oficial, não explica se o valor abrange outros órgãos do Estado. É valor para muitas milhas… Notas MOVIMENTO Está confirmado para hoje o ato público em defesa da ética e do emprego, pelo fim da corrupção e instalação de CPIs. O movimento, que é um desdobramento da instalação da Frente de Oposições, começará com uma passeata e, ao final, comício, na Praça Fausto Cardoso. A organização é do PDT de Sergipe. Participam do ato, o deputado pelo PDT do Rio Grande do Sul e ex-governador, Alceu Collares, o deputado pelo PSDB de Tocantins, Eduardo Gomes, e o secretário geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna. VEREDÍCTUM Os bacharéis em Direito que participaram do curso Veredíctum-3, promovido pela Universidade Tiradentes (Unit) estiveram ontem na Curadoria de Defesa do Consumidor, para fazer uma representação contra a Unit, por falta de cumprimento do contrato. O pessoal se sentiu lesado. Os participantes do curso reclamaram que a Universidade Tiradentes não concluiu o curso, de acordo com o contrato e estão exigindo a devolução do que foi pago. O reitor da Unit não foi encontrado para explicações. CONTESTOU O radialista Marcos Aurélio contestou, ontem, desmentido do deputado Augusto Bezerra (PMDB), de que não tinha feito críticas ao Governo Albano Franco, durante o programa de rádio que ele dirige. Aurélio confirma as críticas e está gravando a fita para distribuir com os deputados e jornalistas. O deputado teria dito que os cinco mil contratados pela Secretaria da Educação vieram do Governo anterior e foi mantido pelo atual, que agora está fazendo as demissões. O radialista quer que Augusto confira suas palavras. É fogo O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, esteve reunido com todo o secretariado, para definir as novas posições na administração. O ajuste na máquina é porque a Prefeitura perdeu cinco secretários e precisa fazer as substituições, para dar continuidade ao trabalho. Termina amanhã, no Centro de Convenções, o V Congresso Sergipano de Direito e Processo do Trabalho. O deputado federal João Fontes se encontra hoje em Fortaleza, para lançamento do movimento que fará surgir a nova sigla de esquerda. O vereador Marcélio Bomfim entende que a CPI é o remédio mais eficiente para que se possa afastar os males da vida brasileira. O prefeito de São Cristóvão, Armando Batalha (PSDB) cozinha em banho Maria o nome do candidato que indicará para sua sucessão. O secretário da Cultura, José Carlos Teixeira (PMDB), deu uma aula de história política brasileira contemporânea, em seu discurso na Assembléia Legislativa. O deputado estadual Adelson Barreto (PTB) tem, como um dos seus conselheiros, o colega Antônio dos Santos (PSC). As candidaturas às Prefeituras Municipais estão se definindo, embora alguns municípios ainda não têm candidaturas lançadas. O senador José Almeida Lima (PDT) acredita que a partir do movimento em Sergipe, outros surgirão em favor da ética, contra a corrupção e pela CPI do caso Waldomiro. A Comissão de Ética da Assembléia Legislativa, que apura declarações de Gilmar Carvalho, ainda está esperando a perícia de voz na fita. Hoje pela manhã, o secretário Emanuel Cacho, da Justiça, toma café da manhã com jornalistas e um hotel da orla. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais