Governo sem pauta

0

Desconhece-se na história política de Sergipe um governo que teve seu fim discutido com tanta brevidade como o atual. Desde a posse do governador Marcelo Déda (PT) para o segundo mandato, em janeiro de 2011, que diariamente se debate sobre seu sucessor. Aliás, há muito que o senador Eduardo Amorim (PSC) e o vice Jackson Barreto (PMDB) desfilam pelo estado como pré-candidatos à cadeira de quem possui ainda 16 meses de mandato pela frente. Certamente, os cientistas políticos que se debruçarem sobre esse fato vão concluir que o governo petista está fora de foco há muito tempo, talvez por não possuir uma pauta positiva capaz de suscitar o debate de outros temas que não seja a sucessão estadual. Uma lástima!

Pagamento

O governo de Sergipe começa amanhã e termina no sábado o pagamento da folha de pessoal. Na quinta recebe o pessoal da Educação e na sexta será a vez de os servidores das demais secretárias e órgãos da administração direta colocarem a mão na grana. Aposentados, pensionistas e servidores das fundações e autarquias só terão o salário depositado no sábado, 31.

Filiação

O deputado federal Fábio Reis participou ontem de reunião da executiva nacional do PMDB, que tratou sobre a regularização de diretórios municipais e a campanha nacional de filiação ao partido, que será lançada oficialmente em setembro próximo. O parlamentar sergipano gostou da ideia: “Precisamos da participação na política de mais homens, mulheres e jovens, principalmente destes últimos, que são portadores de ideias frescas e revolucionárias”, discursa.

Loucura

Matar as frondosas árvores dos canteiros centrais das avenidas de Aracaju para construir corredores exclusivos de ônibus é uma maluquice. Quem pensa assim é o vice-presidente do PV sergipano, Antônio Leite. Segundo ele, nossa capital já é uma das menos arborizadas do país. “Se a Prefeitura arrancar centenas de árvores adultas, a cidade vai virar um inferno”, diz. E Tonho indaga: “Será que criaram a Secretaria Municipal do Meio Ambiente para desmatar Aracaju?”. Sabe-se lá!

Educação

E o vereador aracajuano Agamenon Sobral (PP) estranha que mais de 300 professores da rede estadual estejam de licença médica. O pepista acha o número exagerado e levanta a suspeita que esse é mais um artifício da categoria para não trabalhar. A Secretaria da Educação reagiu informando que os atestados são concedidos pela Perícia Médica do Estado, formada por profissionais idôneos. E agora, Agamenon?

Veto mantido

A maioria da Câmara Municipal aprovou o veto do prefeito João Alves Filho (DEM) ao projeto determinando sete anos como tempo máximo de uso dos ônibus de Aracaju. Nem precisa dizer que o autor da matéria, vereador Adriano Taxista (PSDB), ficou indignado: “Minha idéia é garantir mais segurança aos usuários, pois temos ônibus com mais de 10 anos de uso circulando pela cidade”. O protesto do tucano é justo.

Na terrinha

Quem chega em Aracaju amanhã é o ministro da Educação, Aloísio Mercadante. Vem participar da reunião do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub), que acontecerá na Universidade Tiradentes. A entidade é formada por instituições de ensino superior públicas e privadas. Em sua palestra, o ministro abordará o crescimento da oferta de vagas no ensino da graduação e pós-graduação no Brasil.

Gordinhos

Pesquisa mostra que 51% da população acima de 18 anos estão acima do peso ideal. Produzido pelo Ministério da Saúde, o estudo revela que o excesso de peso atinge 54% dos homens e 48% das mulheres. Os dados mostram que, além dos fatores genéticos, o excesso de peso está ligado à escolaridade. É entre as pessoas com menos anos de estudo que está a maior parcela dos que tem excesso de peso.

Não pago

O Movimento Não Pago volta às ruas de Aracaju daqui a pouco para exigir a revogação do reajuste da tarifa dos ônibus, aumento real da frota e instalação de uma CPI do transporte coletivo. Em nota, o Movimento critica a Câmara de Vereadores por ter rejeitado a realização de uma CPI para apurar a máfia do transporte na Grande Aracaju.

Do baú político

No início da década de 80, o então prefeito de Aracaju, Heráclito Rollemberg, convidou políticos e técnicos municipalistas alemães para conhecerem a capital de Sergipe, em retribuição a convite idêntico que recebeu dos germânicos. Para que os visitantes entendessem o discurso do anfitrião, foi contratada uma empresa para fazer a tradução simultânea, missão muito bem desempenhada por uma jovem intérprete. Quando Heráclito estava discursando, eis que chega ao recinto o vereador Pedro Firmino e, apressadamente, senta-se ao lado dos alemães. Ao vê-los com fones nos ouvidos, se municia do equipamento que estava na cadeira, mas se assusta com o que escuta: Heráclito estava falando em alemão fluente, embora com voz feminina. Pedro não se fez de rogado e, mesmo não estando entendendo nada, permaneceu com os fones nos ouvidos até o final do discurso.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários