Gozando do povo

0

Criar uma comissão para em 90 dias estudar mudanças na legislação eleitoral foi a forma encontrada pela Câmara Federal para calar a voz rouca das ruas e, mais uma vez, gozar da cara do povo. Na verdade, a classe política não deseja abrir mão dos privilégios e quer manter excrescências como três meses de recesso parlamentar, suplente de senador e coligações proporcionais. Em outras palavras: pretende deixar como está para ver como é que fica. Ora, tivesse compromisso com quem paga as regalias deles, os congressistas já teriam feito a desejada reforma política. Como preferem apostar na memória curta do povo, os legisladores vão passar três meses discutindo sobre o sexo dos anjos, pois à maioria do Congresso só interessa o voto dos trouxas para se reeleger em 2014.

Paulada

Pela segunda vez, a Justiça se posicionou contra a privatização da saúde pela Prefeitura de Aracaju. Pelo visto, o prefeito João Alves Filho (DEM) terá que encontrar outra alternativa para honrar a promessa de oferecer aos aracajuanos uma saúde de primeiro mundo. Passados seis meses da posse do demista, tudo continua como dantes.

Surreal

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) classificou a condenação do jornalista sergipano Cristian Góes de “absurda”. Ele foi condenado por crime de injúria em ação movida pelo desembargador Edson Ulisses, que se identificou na crônica intitulada “'Eu, o coronel em mim”. Entrevistado pelo jornal O Globo, o diretor-executivo da ANJ, Ricardo Pedreira, chamou a decisão de surrealista: “Então ninguém pode mais escrever nem ficção?”, indaga.

Dono da vice

Faltando mais de um ano para as eleições, o PSB já decidiu que o candidato a vice-governador de Sergipe tem que ser do partido. É o que deseja o senador Antônio Carlos Valadares, líder dos neosocialistas sergipanos. Entrevistado pelo jornal Valor Econômico, ele bateu o martelo: o candidato a governador é Jackson Barreto (PMDB) e o vice será indicado pelo PSB, cabendo ao PT a vaga de senador. Então tá!

Tartaruga

Finalmente, o Tribunal de Contas do Estado resolveu analisar a planilha de custos da tarifa dos ônibus da grande Aracaju. Só depois das várias manifestações nas ruas e de denúncias contra os cálculos do absurdo reajuste da passagem foi que o TCE decidiu pedir informações à Prefeitura. Já não era sem tempo, né?

Audiência

O ‘Movimento Não Pago’ informou ontem ter solicitado no último dia 3 uma audiência com o prefeito João Alves Filho para tratar sobre o reajuste da tarifa dos ônibus. “Desde então, aguardamos ser chamados. Defendemos que a audiência seja pública, pois o prefeito não deve ter nada para esconder”, afirmam os líderes do Movimento.

Nas ruas

Jornalistas e radialistas sergipanos vão às ruas nesta quarta-feira para protestar contra os baixos salários e exigir melhores condições de trabalho. O ato público dos comunicadores acontece daqui a pouco na rua João Pessoa, centro de Aracaju. Participe!

Missa

Será celebrada hoje em Aracaju a missa de 7º dia em sufrágio da alma da professora Maria Luíza Araújo Cardoso, mãe do jornalista Marcos Cardoso. O ato religioso vai acontecer às 19h30, na Igreja Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, no conjunto residencial Leite Neto.

Fusão ameaçada

E a anunciada fusão do PPS com o PMN está dando pra trás. Segundo o tesoureiro estadual do PPS em Sergipe, Marcos Aurélio, “antes foi o nosso partido que desacelerou o processo e agora é a vez do PMN anunciar que seguirá só. Assim fica bem melhor. Cada um trilha seu caminho”. Em Sergipe, o PPS é comandando por Nilson Lima e Wellington Mangueira.

Mulheres

Oito em cada 10 brasileiros acha fundamental a alteração nas leis eleitorais para garantir que as mulheres representem a metade dos candidatos a cargos eletivos. É o que revela pesquisa feita pelo Ibobe e o Instituto Patrícia Galvão. Atualmente, a legislação eleitoral reserva 30% das candidaturas para as mulheres e apenas 10% do tempo de propaganda eleitoral para cotas de sexo.

Essa é do baú

Somente os mais idosos lembram do jogo entre Clube Sportivo Sergipe e Bangu Atlético Clube, que saiu em excursão pelo Brasil depois de conquistar o campeonato carioca. Segundo o professor Vilder Santos, a partida aconteceu numa noite de fevereiro de 1967, no antigo Estádio de Aracaju, tendo a equipe sergipana vencido por 2 a 0, com gols feitos ainda no primeiro tempo por Joel e Fernando. No intervelado, o zagueiro do Sergipe, Mário Portela, passou mal e foi socorrido, ali mesmo no campo, pelo médico do Bangu. Depois de examiná-lo superficialmente, o clínico perguntou ao enfermo: “O que vocês jantaram antes do jogo”. Retorcendo-se em dores, o zagueirão respondeu: “Cuscuz com feijão”. Em pé ao lado dos dois, o ponta-direita do Bangu, Paulo Borges, não se conteve: “Não é possível a gente perder para um time que come cuscuz com feijão antes da partida!”. A diretoria do campeão carioca ficou tão injuriada com a derrota para o Sergipe que suspendeu a até então vitoriosa excursão, determinando o imediato retorno da equipe ao Rio.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários