Greve nos bancos chega ao fim

0

A greve dos bancos já ultrapassou os trinta dias, mas é bem possível que neste final de semana ela chegue ao final. O que impressiona é que a Febraban,  federação dos bancos, não foi bater às portas da Justiça, pedindo  sua ilegalidade. Ademais passavam-se dias entre uma proposta e outra que os bancos faziam aos seus servidores. Nestes trinta e poucos dias, pode-se dizer que a população acostumou-se a viver sem os bancos, recorrendo as lojas de Loteria Esportiva e até os postos de serviços dos bancos. Se é assim, é o caso de perguntar: para que serve banco então? Não é melhor acabar com eles? Ou encontrar uma fórmula de modo que os reajustes salariais pretendidos pelos bancários sejam feitos de modo automático, sem prejudicar os populares que precisam usar os estabelecimentos bancários. Uma coisa nos intriga: a greve só é feita por caixas ou servidores que estão na linha de frente das agências?  Internamente, os serviços continuam, os serviços de compensação não foram interrompidos

                   ***

O Clube dos Dirigentes Lojistas, através do seu presidente, Brenno Barreto, a greve causou prejuízos homéricos ao comércio. Foram boletos atrasados e até não pagos, cheques devolvidos e a pouca disponibilidade de numerário para que as pessoas possam fazer saque. Tudo isso, evidentemente, causou queda nas vendas, “colocando em risco a atividade comercial”.

Plano Estadual de Educação

O Governo do Estado assinou um termo que põe fim a ação judicial que travava a execução do Plano Estadual de Educação. O Plano Estadual de Educação foi lançado em 2015, após aprovação na Assembleia Legislativa, como uma política educacional traçado para Sergipe para os próximos dez anos. Trata-se de uma exigência do Plano Nacional de Educação do Governo Federal, mas alguns pontos dessa legislação foram alvo de polêmicas e demandaram ações judiciais que impediram que ele fosse sancionado e publicado no Diário Oficial. De acordo com o Secretário da Educação, professor Jorge Carvalho, com o acordo formalizado esta semana, ele voltará a estar em vigor e não haverá nenhum obstáculo para a sua plena vigência. Entre as diretrizes do Plano Estadual estão a erradicação do analfabetismo, a universalização do atendimento escolar e a valorização dos profissionais de educação. A lei sergipana prevê que os investimentos em educação deverão corresponder a 10% do Produto Interno  Bruto de Sergipe até 2024. Essa meta poderá ser realizada no quarto ano de vigência da Lei. Atualmente o investimento na área é de 6,6%.

Consumo de gás em Sergipe

O Boletim Sergipe Econômico divulga dados relativos ao consumo de gás em Sergipe, no mês de julho. Foi consumida uma média de 282,6 mil metros cúbicos de gás diário em nosso Estado. O consumo de gás foi igual ao do mês anterior. O consumo médio das indústrias sergipanas foi de 186,1 mi l metros cúbicos ao dia, maior 1,1% na comparação mensal com o mês passado e 0,3% maior no comparativo anual. O consumo das indústrias continua tendo a maior participação (65,9%) seguido pelo consumo automotivo (postos), com 30,8%. A parcela consumida pelo segmento veicular somou 86,9 mil metros cúbicos por dia, apresentando retração de 2,4% em relação ao mês anterior. Na comparação anual, o consumo foi 5,3% maior. Nas residências e no comércio, o volume consumido foi de 4,5 e 3,1 metros cúbicos por dia, respectivamente. O consumo residencial cresceu 18,5% e o consumo comercial cresceu 6,2%.

MPES contribuem com imposto

No último dia 5 de outubro, data em que se comemora o Dia da Micro e Pequena Empresa, o Estado de Sergipe contabilizava mais de 95 mil micro e pequenas empresas instaladas – aquelas com faturamento até R$ 3,6 milhões – o que corresponde a 92% do total de empreendimentos. Mesmo em um cenário de retração econômica, elas já contribuíram esse ano com mais de R$ 290 milhões em impostos, garantindo aos governos federal, estadual e municipal recursos para serem investidos em obras públicas. Outro dado que mostra relevância das MPEs é a quantidade de empregos gerados em Sergipe. Elas mantém abertos mais de 120 mil postos de trabalho em todos os municípios do Estado. Em 2016, apesar das dificuldades, elas registraram o desligamento de menos postos de trabalho quando comparadas às médias e grandes empresas. Em julho, de acordo com dados do Ministério do Trabalho, as MPEs já voltaram a registrar saldo positivo no balanço entre empregados, desempregados, com a abertura de 59 empregos com carteira assinada. O Superintendente do Sebrae, Sr. Emanoel Sobral, comentou:  “Os pequenos negócios garantem oportunidade para milhares de pessoas e contribuem para o desenvolvimento do País. Eles ajudam  dinamizar a economia dos bairros, geram empregos para os mais jovens e geram receita para o Poder Público. Por isso é necessário que sejam criadas políticas que valorizem ainda mais esse segmento”, frisou.

A Biometria  está em todas as sessões

Aracaju tem o serviço de identificação biométrica em todas as sessões eleitorais do Estado. É um método seguro e rápido, garante a Justiça Eleitoral. Mas, nestas eleições em alguns casos, a identificação do eleitor falhava um pouco. O escriba teve que testar todos os dedos das duas mãos até conseguir que a máquina permitisse o seu acesso. Demorou algum tempo, mas, por fim deu tudo certo…

 …e para encerrar…

Medalha – Na segunda-feira, 17/10, a Assembleia Legislativa faz sessão especial para entrega da Medalha da Ordem do Mérito Parlamentar ao empresário Manoel Prado Vasconcelos Filho. Será as 17h, no plenário da própria Assembleia.

        ***
Visita – Proibido pela Justiça de frequentar o plenário da Câmara de Vereadores, onde sempre teve atuação movimentada, quer como simples vereador, quer como presidente da Casa, o vereador Emanoel Nascimento esteve na quarta-feira na Assembleia Legislativa. Cumprimentou seus colegas parlamentares e os jornalistas presentes á sessão. Depois, foi embora.

       ***

Medida radical – O Senado tomou uma medida radical. Suspendeu o gabinete número 24, que sempre foi rejeitado pelos parlamentares. Do número 23, os gabinetes pulam para 25. Se a medida pega, pergunta-se: vão suspender também o número 24 dos calendários ora em uso?

       ***

Palavra – A deputada Ana Lúcia, depois de ler duas atas e antes de submetê-las à aprovação, solicitou a supressão da palavra denegrir do seu discurso de quarta-feira. “Denegrir é uma palavra preconceituosa, que eu nunca uso”. Pediu para substitui-la por “desqualificar”

       ***

Assessor – Agora assessor da Presidência da Assembleia Legislativa, o ex-deputado federal Acival Gomes pode ser encontrado diariamente no prédio Governador João Alves Filho, que abriga o Legislativo estadual.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários