Haja problema

0

Dois secretários de Estado reconheceram que a segurança vai mal em Sergipe. Um deles admitiu que começou bem e impressionou com a elucidação rápida do crime do deputado estadual Joaldo Barbosa. Mas implodiu com a fuga de Floro Calheiros, suas entrevistas nos jornais, depoimento da delegada Meire Belfort e a tumultuada convivência de facções políticas na administração da Pasta. O fundo do poço aflorou quando do assassinato de uma senhora de 92 anos, por policiais em Boquim. O outro auxiliar reconheceu que o governador João Alves Filho está muito concentrado com a reforma Tributária, que tramita agora no Senado. Ainda não sentou para adotar uma política diferenciada para a segurança pública. Admitiu que a violência retornou com uma intensidade nunca vista e que se tem de tomar uma posição séria, dura e saneadora. Não negou que ficava triste porque tem muita coisa a fazer, mas o secretário Luiz Mendonça não montou uma assessoria que lhe fosse favorável… Esse Plano de Proteção ao Cidadão, que está sendo lançado na próxima terça-feira, durante um café da manhã para jornalistas, já é uma demonstração de que o governador João Alves Filho exigiu ação imediata da Secretaria de Segurança, para tentar reconquistar a confiança de um Estado amedrontado. Um policial mais experiente, inclusive com muito mais intimidade nesta tarefa de por em ordem a segurança pública, lamentou que o secretário centraliza os trabalhos e ouve muito pouco a sua equipe. Além disso, há uma confusa coordenação de cúpula, onde, invariavelmente, se promove uma conspiração contra o secretário, tudo com uma influência política forte, que não concorda com a Pasta sob o comando do Ministério Público: “cada coisa em seu lugar”, confidenciou a Plenário, certa feita, um delegado de carreira que, insatisfeito com a indicação de Luiz Mendonça. Ninguém pode negar que o procurador de Justiça Luiz Mendonça é um cidadão que não deixa duvida sobre seu caráter, mesmo com as acusações que lhe foram imputadas pelo foragido Floro Calheiros, as quais ele próprio deveria determinar que apurassem, para retornar à Pasta sem quaisquer respingo. E foi exatamente a prisão e fuga de Floro que provocaram a ascensão e queda de um trabalho que vinha dando certo na área policial. A prisão de Floro Calheiros ocorreu por processo na Justiça Federal, sob acusação de participação no desaparecimento de urnas eleitorais em Canindé do São Francisco, referentes ao pleito municipal de 2000. A Polícia Civil o agarrou como um dos implicados no assassinato do deputado Joaldo Barbosa, embora o seu nome não constasse do inquérito policial. No fundo, parecia uma rixa pessoal, proveniente de Canindé do São Francisco, por problemas administrativos que envolviam o foragido. A sua permanência na Primeira Delegacia e a fuga pueril foram a gota d`água que fez descambar toda uma estrutura, que estava fortalecida pela eficiência da elucidação de um crime que chocou a opinião pública e mexeu com a estrutura política do Estado. Agora, mais uma vez, o foragido Floro Calheiros contra-ataca e envia ao Ministério da Justiça um dossiê, onde diz exibir uma série de documentos que comprovam a participação de membros do Ministério Público, inclusive Luiz Mendonça, em ilícitos. Pode se tratar de um foragido, um homem contra o qual pesa denuncias de corrupção e outros crimes, mas o dossiê enviado ao Ministério da Justiça tem que ser levado em consideração, até para que não pairem dúvidas sobre o comportamento daqueles que enfeitam suas páginas. De qualquer forma a Segurança Pública está precisando de uma recauchutagem, para reconquistar a confiança de uma sociedade desconfiada e desprotegida. DÉDA O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, como presidente da Frente Nacional dos Prefeitos das Capitais, participou, ontem, de audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Marcelo Deda disse que não iria admitir nenhum retrocesso nas conquistas das capitais, na reforma aprovada pela Câmara Federal. MAIS FORTES O prefeito disse que “as cidades brasileiras precisam sair fortalecidas dessa reforma”. Os municípios tiveram um ganho de 3.6 bilhões de reais e não querem perder. Os prefeitos não aceitam trocar seis por meia dúzia. Eles querem que haja um aumento de 5% do FPM, além do dinheiro da Cide. REUNIÕES O prefeito Marcelo Déda e lideranças municipais tiveram uma reunião, terça-feira, com o chefe da Casa Civil, José Dirceu, para expor o que deseja a Frente Nacional de Prefeitos. Déda defende o eixo original da reforma Tributária, que tem como foco principal a competitividade, para atrair mais recursos e elevar a economia. GUERRA Marcelo Déda se coloca contra a guerra fiscal que se pratica entre Estados, porque atrai investimentos sem o pagamento de tributos. Considera que esse tipo de conquista é prejudicial aos Estados. Não geram arrecadação necessária a ponto de provocar o crescimento do Estado. CONTESTAM Setores do Governo perguntam: “qual o atrativo de um Estado do Nordeste, como Sergipe, para trazer investimentos?” Consideraram que não se trata de guerra fiscal, mas de uma forma de atrair novas indústrias para gerar empregos: “sem isso, aumenta o índice de desemprego na região”. FUNDO Os 20 governadores do Norte, Centro-Oeste e Nordeste estão brigando para que se crie um Fundo de Desenvolvimento Regional, utilizando 3% do IPI e Imposto de Renda, para atrair investimentos. Os governadores do Acre, Jorge Viana, do Piauí, Wellington Dias e do Mato Grosso, Zeca do PT, todos eles petistas, também assinam essa briga junto ao Senado. BANCADA A reunião da bancada sergipana para debater as emendas orçamentárias foi realizada ontem à noite, numa sala anexa à biblioteca da Câmara. Havia um problema para reunir o pessoal, porque tem parlamentar que não freqüenta o gabinete do outro, o que dificultou as reuniões anteriores. PROGRAMA O Partido Liberal vai levar seu programa ao ar nesta próxima segunda-feira, para mostrar o trabalho do partido a níveis nacional e estadual. O deputado Heleno Silva já escolheu o tema do seu pronunciamento: a violência em Sergipe. Realmente é alguma coisa preocupante. DOSSIÊ Muita gente já teve acesso ao dossiê que o fugitivo Floro Calheiros enviou para o ministro da Justiça, Tomaz Bastos, apontando irregularidades praticadas por autoridades sergipanas. O documento se encontra em mãos de poucas pessoas, mas sempre deixa amigos próximos passar uma vista, sem direito a cópia. DRÁSTICA Uma previsão drástica no site do Ministério da Fazenda: o FPM de outubro terá uma recuperação de 5%; em novembro haverá uma queda de 1% e em dezembro a perda será de 12%. Os prefeitos estão começando a ficar preocupados, porque sabem que dificilmente terão dinheiro para pagamento do 13º Salário dos servidores. SEGURANÇA O secretário da Segurança Pública, Luiz Mendonça, toma café da manhã, terça-feira, com repórteres e editores que cobrem o noticiário policial. Será apresentada a proposta de revitalização da Secretaria de Segurança Pública, com o programa de Ação e Proteção ao Cidadão. SUSANA A deputada Susana Azevedo (PPS) lança sua pré-candidatura à Prefeitura de Aracaju na sexta-feira, dia 24, durante convenção municipal do partido. Acontecerá na Assembléia Legislativa e contará com a presença do presidente nacional, Roberto Freire. Susana promete uma grande festa. Notas PARTIDOS Embora aliado do governador João Alves Filho (PFL), o PT do B, comandado por Clovis Silveira, não deverá fazer coligação proporcional nas eleições de 2004. Seus filiados avaliam que eles não podem servir apenas de escada para os tubarões. Sem aliança, acham que vão eleger dois parlamentares municipais e se entrarem no bolo correm o risco de não fazer nenhum. Aliás, os partidos pequenos estão querendo se unir em uma coligação ampla, para que consigam fazer representantes na Câmara Municipal. Os seus presidentes acham que já está na hora desses partidos elegerem representantes. MOVIMENTO Políticos sergipanos começam a se movimentar para evitar uma privatização dos bancos oficiais, em que se inclui o Banese. Alguns deputados já começaram a demonstrar o certo temo de que o Governo Federal force a venda do banco estadual para grupos econômicos privados, porque o Banese está bem organizado e sem problemas. O Banese tem sido parceiro importante de diversas atividades produtivas no Estado e passando para as mãos de particulares, como por exemplo, o Bradesco ou Itaú, a situação ficaria completamente diferente, porque seria apenas mais um banco comercial. HORÁRIO Embora Sergipe não esteja incluído no horário de verão, assim como todo o Nordeste, sofre a influência dos paises do Sul e, principalmente, de Brasília. Os bancos, por exemplo, terão que antecipar em uma hora o início e fim do atendimento ao cliente, o que provoca uma certa confusão na burocracia das empresas estaduais. Da mesma forma, o horário dos vôos aéreos é antecipado, o noticiário das emissoras de televisão também chega mais cedo e a cidade termina seguindo a hora estabelecida para os centros econômicos e políticos do país. É fogo O senador Almeida Lima (PDT) ainda não definiu que dia fará o pronunciamento em que denuncia problemas na Prefeitura. Pode ser quarta-feira ou quinta-feira. O governador João Alves Filho vai assinar, todas as semanas, no “Correio Brasiliense”, uma coluna de assuntos gerais, mas se voltará para os problemas do Nordeste. Os deputados sergipanos estão muito silenciosos em relação ao projeto de transposição do rio São Francisco. É preciso saber o que o vice-presidente José Alencar está fazendo… A estratégia do Governo de congelar a tabela do Imposto de Renda – para garantir parte da arrecadação de 2004 – prejudica de forma mais intensa a classe média. Estudos do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBTP) mostram que a tabela do IR precisaria ser corrigida em 54% em 2004. Nilo Metalúrgico quer mesmo uma vaga na Câmara Municipal de Aracaju. Chegou a se insinuar como candidato a prefeito, mas depois recuou. O dossiê enviado pelo foragido Floro Calheiros ao Ministério da Justiça provocou certo nervosismo em setores importantes de Sergipe. O deputado federal João Fontes esteve reunido com Lúcia Falcon, para discutir emendas do orçamento que são importantes para Aracaju. Este encontro fora anunciado no dia que o deputado João Fontes fez uma visita ao prefeito Marcelo Deda, para tratarem sobre emendas orçamentárias. Neste ponto de emendas para Sergipe, o deputado federal João Fontes tem procurado atender a todos os segmentos, independente da política. O deputado estadual Marcos Franco (PMDB) solicitou três dias de licença para tratamento de saúde. Fez uma pequena cirurgia na mão. O pré-candidato a prefeito pelo PV, Gilmar Carvalho, está entusiasmado com a receptividade à sua candidatura. As pesquisas lhe dão boa posição. Os prefeitos do sertão continuam preocupados com a estiagem e o aumento da miséria na região. A situação se mantém muito difícil Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários