Hildegards continuará no TC

0

 

  Este colunista vem acompanhando pela imprensa e as informações de bastidores sobre o processo de escolha do futuro conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Está claro que a motivação política faz com que um cargo que deveria ter a preocupação técnica seja disputado através de uma balança, onde o peso maior é o apoio das lideranças política de Sergipe. É por isso que os tribunais de contas são tão criticados em todo o país, e, alguns parlamentares, defendem sua extinção. O TC é importante na atua estrutura administrativa brasileira, mas sem dúvida nenhuma escolha dos conselheiros deveria ser mais técnica do que política.

  Chamou a atenção deste colunista e de alguns leitores – que enviaram e-mails – uma nota publicada no caderno de Thais Bezerra no Jornal da Cidade que circulou ontem e hoje, sobre o assunto. A nota explicita que esta semana pode ser decisiva para o desfecho da renovação da vaga do conselheiro Hildegards de Azevedo, que já fez 70 anos, mas permanece no cargo graças a uma liminar do Tribunal de Justiça, através do desembargador, Pascoal Nabuco, que entendeu que ele pode ficar no cargo até completar 71 anos.

   O que mais chamou a atenção na nota foi o final. Dê uma lida caro leitor: “…Mas a decisão deve caber mesmo a João Alves. Basta que o governador peça à presidente do Tribunal de Justiça, Marilza Maynard, que julgue o mérito da ação movida por Hildegards. Ou então que convença Hildegards a se aposentar logo”. Aqui não se questiona o mérito do assunto, se Hildegards deve ou não continuar como conselheiro, mas a forma como foi colocada a questão.

    Como fica o leitor esclarecido que leu a nota? Está claro que a publicação deu a entender que o governador João Alves Filho (PFL) tem influencia no Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe que deveria ser independente. Ou seja, o mérito não foi julgado por falta de pedido do governador. Então tudo depende dos entendimentos políticos. Aí, quando tudo for resolvido, ou Hildegards resolve se aposentar antecipadamente é aberta à vaga e a Assembléia Legislativa referenda – sem discussão – o escolhido pelo governador, que pode ser José Carlos Machado, Flávio Amorim, Antônio Passos ou outro nome que possa surgir.

      O mais engraçado que todo mundo – inclusive a imprensa – encara como normal todas as articulações que estão sendo feitas para que a vaga seja decidida agora, ainda neste governo. É normal o empresário Edvan Amorim, aliado (ou ex) do governador João Alves desejar Flávio Conceição e para conseguir o feito abriu o diálogo com o futuro governo, inclusive já tentando fechar um acordo para o apoio do deputado federal Eduardo Amorim e dos seis deputados eleitos pelo partido dele. Resta saber como está sendo costurado este acordo. Muitos destes deputados, que foram reeleitos, têm indicados em diversas secretarias estaduais. Ou seja, esse apoio significará na manutenção de vários cargos comissionados que estão ai, principalmente no segundo e terceiro escalões governamentais.

  Quanto ao Tribunal de Contas é esperar para ver ser realmente existe influencia no governador no TJ ou tudo não passa de meras especulações da nota publicada. Uma coisa é certa: Se o desembargador Pascoal Nabuco concedeu a liminar é porque tem embasamento legal. E se Hildegards entrou com uma ação é porque pretende ficar até completar 71 anos no TC (sem descartar a mudança no Congresso da idade limite passar para 75 anos). Por isso, essa história do governador convencer Hildegards a se aposentar agora não existe. É pura especulação. Até porque Hildegards – que também é jornalista – lutou muito para continuar no TC e não aceitaria este convencimento que vem sendo objeto de algumas mentes maldosas.

 

 

 

 

Rio São Francisco: Águas revoltas

Está publicado na coluna Painel, da Folha de São Paulo de hoje: Diferentemente do que aconteceu na primeira eleição, o voto dos movimentos sociais em apoio ao segundo mandato de Lula foi negociado item por item, em pautas específicas, e o não-cumprimento deverá aumentar a pressão desses grupos. O cientista político Rudá Ricci, ligado às pastorais sociais da Igreja Católica, cita como exemplo o acordo para a não-transposição do rio São Francisco negociado com a Associação do Semi-Árido. Recentemente, o governo cancelou uma licitação aberta em 2005. A retomada do projeto com outra concepção também enfrentará uma nova configuração política regional, pois o PT ganhou o governo nos dois Estados nordestinos mais resistentes à transposição: Sergipe e Bahia.

 

 Agências estão com medo de calote

Um briga surda está sendo travada nos bastidores da Secretaria de Comunicação Social do governo do estado. As agências que prestam serviço ao governo tinham recebido a garantia que receberiam tudo que está em atraso no último dia 10. E nada. Agora a promessa é para o próximo dia 20. O pior é que é uma bola de neve. As agências prestam serviço e contratam técnicos, gráficas e tudo mais.

 

Samu Estadual pode entrar em greve

O Samu Estadual que começou a funcionar aos “trancos e barrancos”, há mais de um mês, está sem efetuar o pagamento dos salários dos seus integrantes. Eles vão esperar até amanhã. Se o pagamento não for efetuado a paralisação deve ocorrer a partir do feriado.

  

Solidariedade a José Carlos Silva

O empresário José Carlos Silva, proprietário da Cosil, vem se recuperando bem no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, de queda ocorrida dentro da residência dele que causou um traumatismo. José Carlos vem recebendo a solidariedade dos amigos. “Afirmo com tranqüilidade que José Carlos é um nome da maior importância na construção civil no estado. Tão importante que o sindico que presido, o Sinduscon, por proposta minha e decisão unânime de toda diretoria, encaminhou uma mensagem à família desejando pronto restabelecimento”. Do presidente do Sinduscon e empresário Luciano Barreto, em matéria publicada no JC deste final de semana.

 

 

Razões porque Deda procurou a imprensa I

Os órgãos de imprensa ligados à família do governador João Alves Filho (PFL) nos últimos dias insistem em noticiarem que “ainda não foram devidamente esclarecidas as razões pelas quais o governador eleito Marcelo Deda procurou a imprensa para dizer que o governo do estado está dificultando o processo de transição”. É, tem razão, todas essas “cascas de banana” que estão sendo noticiadas não passam de invenções das mentes diabólicas de alguns profissionais da imprensa que não têm o que fazer.

 

Razões porque Deda procurou a imprensa II

Como Deda vem anunciando que uma de suas primeira medidas será uma ação emergencial de tapas buracos em várias rodovias leia leitor, mais uma “casca de banana”, inventada desta vez através de pesquisa no Diário Oficial. São vários contratados firmados para recuperação de rodovias estaduais que não tiveram ordem de serviço dada, outros, tiveram a ordem de serviço dada, mas foi logo interrompida, criando assim uma “reserva de mercado” para o futuro governo que só poderá dar uma nova ordem de serviço para a obra, desde que seja ouvida a empresa já mobilizada. 

  

Razões porque Deda procurou a imprensa III

Algumas destas obras:  recuperação da rodovia SE-170, trecho, São Miguel do Aleixo/Feira Nova; serviços complementares de drenagem na Piabeta (Socorro); recuperação da rodovia SE-175 Feira Nova/Gloria; serviços de terraplanagem, pavimentação e outros na rodovia SE-160, entre Itabaianinha/Tomar do Geru; construção de passagem molhada no riacho Timbozinho em Salgado; restauração da rodovia SE-317 trecho Monte Alegre/Porto da Folha; recuperação sinalização horizontal rodovia SE-335 entre Neopolis e BR-101;  projeto de engenharia da rodovia SE-102, Santana do São Francisco/Povoado Saúde; restauração da rodovia SE-200, Propria/Canhoba/Lourdes; Revestimento betuminoso em trechos da rodovia Estância/Lagarto; serviço de terraplanagem e outros no SergipeTec;  implantação e pavimentação das rodovias SE-325 e SE-179, Carira/Glória e muitas outras. Agora, caro leitor, deve ser mais uma invenção desta coluna.Só pode…

 

Ordem de serviço da ponte do Mosqueiro suspensa

E vai ficar para o futuro governo a continuação da ponte sobre o rio Vaza Barris, que liga Aracaju a Itaporanga D`Ajuda. O contratado, assinado com o consórcio Contern, na ordem de quase R$ 44 milhões está em vigor, mas a ordem de serviço foi suspensa por falta de recursos. A obra estava prevista para ser concluída em 400 dias.

 

João tem que inaugurar a ponte Aracaju/Barra

Já a obra da ponte Aracaju/Barra continua demorada. Não é possível que a construtora não acabe neste governo. João Alves Filho merece inaugurar a ponte que tem o nome do pai dele, construtor João Alves, pioneiro na construção civil em Sergipe. Uma homenagem justa que Deda vai manter.

O custo da ponte já ultrapassou os R$ 136 milhões.

 

Contratos emergenciais acabam no dia 31/12/06

E logo no primeiro dia de governo, Marcelo Deda terá que enfrentar uma crise nos hospitais que foram reabertos recentemente pelo governo do estado. É que os contratos emergenciais têm vigência até o dia 31 de dezembro. Ou seja, os hospitais serão fechados por falta de pessoal.

 

 

Estudo da Praça do Pedágio

Um contrato publicado no Diário Oficial chama a atenção. A firma Essencial Tecnologia Ltda foi contratada (e concluiu) o estudo de viabilidade socioeconômica, incluindo modelo de operação da Praça de Pedágio da ponte. Não foi publicado o valor do contrato.

 

A mídia sucumbe à Internet

Excelente a análise feita pelo jornalista Marcos Cardoso no Jornal da Cidade deste final de semana sobre a mídia e a Internet. Esta coluna fará uma análise maior, através de um artigo nos próximos dias. Está claro o crescimento da mídia através da Internet.

 

Memória continua curta em Sergipe

Depois do primeiro turno eleitoral estão “esquecendo” de tudo que ocorreu. A última foi um colega publicar que um candidato majoritário “nunca fez agressões verbais durante suas carreatas, respeitando sempre os adversários”. Não foi o que muita gente viu. Em cima de um mini-trio o candidato à vice imitava o presidente Lula, fazendo chacota com vários políticos do Estado.

 

Esclarecimento sobre publicidade

Sobre o artigo publicado nesta coluna na última sexta-feira com o título “Anular R$ 37 milhões da publicidade”, se referindo a renovação do contrato do governo do estado com cinco agencias de publicidade um consultor técnico da área fez os seguintes esclarecimentos: “Na minha opinião, o contrato é importante e sadio para Sergipe. Primeiro que o Governo não tem a obrigatoriedade de executar os 37 milhões citados, ele pode até optar por não usar nada. Segundo que não há a obrigatoriedade de executar serviços com agência A ou B, fica a critério do Governo.Terceiro: ele obriga a existência de um núcleo de mídia formado por 5 profissionais de comum escolha Governo-Agência.  Mas o mais importante, é que, ele acaba com as tais notas de serviços “de interesse do

> Governo do Estado” que todo e qualquer governo, seja federal, estadual ou municipal usa de até R$ 7.990,00 e que  por muito, vai além dos 37 milhões anuais. O contrato mostra a transparência e facilita as  ações do governo na área de comunicação. Infelizmente nenhum  colunista (generalizando) publica a essência deste contrato, e algumas agências derrotadas na licitação fazem coro para o cancelamento. Acho que o Governador eleito deveria sim, lançar mãos pela manutenção do contrato”.

 

 

Frase do Dia

“Até porque Zezinho Guimarães tem excelentes relações com o governador eleito, e José Tomaz é tratado com absoluta cordialidade pelo PT. O Sebrae vai ser um excelente parceiro para o governo de Déda”. Do presidente do CDL, Gilson Figueiredo em matéria publicada na Infonet, escrita pelo jornalista Ivan Valença.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários