Homenagem às Margaridas

0

A Assembleia Legislativa passou a semana tomado por sessões especiais que levam pelo menos duas horas. Algumas têm público, outras só os convidados especiais. Há algumas sessões especiais que têm só a presença de convidados de seus autores. Na quinta-feira última, depois de uma semana de sessões interessantes, foi a vez de a Assembleia receber um público raramente presente nas suas sessões. Foram as margaridas que lotaram o plenário e até entoaram canções referentes à 6ª. Marcha das Margaridas que vai se realizar até o final do ano, em Brasília. A palestrante da sessão foi a Sra. Aires Nascimento, que é integrante da FETASE e coordenadora da próxima Marcha das Margaridas. Ela fez um retrospecto das cinco marchas anteriores, a última de 2005 que teve um público estimado de cem mil pessoas. Aqui em Aracaju, D. Aires veio disposta a visitar um determinado número de pessoas influentes que podem colaborar com as margaridas, facilitando a visita delas para o encontro de Brasília. Ela acredita ser possível reunir novamente 100 mil margaridas no novo encontro dessas profissionais agora em 2019. A Marcha deste ano vai ter como tema central “A Previdência Social”.

Estudantes voltam às ruas

Quinze dias depois de um primeiro protesto, os estudantes voltaram às ruas ontem em protesto contra os cortes do governo na área educacional. Tinha muita gente nas principais manifestações dos Estados brasileiros, mas não tantos como da primeira vez. O refrão das manifestações era em torno da falecida vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco. Pediam – não, exigiam – a reavaliação dos cortes das verbas na área de Educação. O governo ganhou tempo para se reorganizar diante de novas manifestações. Aqui em Aracaju nem parecia que havia manifestação contra os cortes de verbas. Parecia um dia comum, como outro qualquer.

Retração na Economia

Mais uma retração da economia brasileira. Foi de apenas 0,1% mas não se esperava resultado negativo. Só o setor de serviços houve um pequeno reajuste (prá baixo) de 0,2%. Como se vê, a economia continua muito mal. A Economia brasileira nem dá sinal da recuperação dos índices de empregos. Isso quer dizer que os próximos índices da economia são muito problemáticos.

Albano na reunião da CNI

O empresário Albano Franco participou, na terça-feira, em Brasília, da reunião da diretoria da Confederação Nacional da Indústria, oportunidade que o secretário especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogerio Marinho fez exposição sobre a proposta da reforma da Previdência Social. Ele disse que a sociedade brasileira mudou a percepção sobre a necessidade da medida “porque está sentindo que o Estado quebrou, ruiu, se exauriu e que a reforma é o alicerce para mudanças na economia”. A CNI tem posição favorável à nova Previdência , por reconhecer que “modelo atual é inviável do ponto de vista financeiro e injusto do ponto de vista social”. Albano Franco que é conselheiro emérito da CNI, também defende a necessidade urgente da aprovação da reforma da Previdência “para que o Brasil com justiça social, volte a ter investimentos produtivos que promovam o desenvolvimento para a geração de arrecadação, trabalho e renda”.

Arrecadação de Tributos

A arrecadação federal de tributos no Estado de Sergipe, em abril, chegou a R% 531,4 milhões. Em termos relativos, a soma arrecadada assinalou expansão de 18,9% em relação a março desse ano. Quando comparado com abril do ano passado, verificou-se alta de 12,2%. As variações são em termos reais, ou seja, consideram os efeitos da inflação no período que são medidos pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor amplo. No mês analisado, a Receita Previdenciária foi a principal fonte de arrecadação no Estado, somando mais de R$ 267,8 milhões, compreendendo 50,4% do total recolhido aos cofres da União. Em seguida, o Imposto sobre a renda figurou em segundo lugar, alcançando mais de R$ 142,2 milhões, abrangendo 26,8% do montante arrecadado.

Comentários