Hora da chantagem

0

Esta é a fase da campanha em que os vendedores de votos chantageiam os candidatos. A tática é antiga, mas funciona em boa parte dos casos, principalmente quando o postulante a cargo eletivo não tem certeza de sua popularidade junto ao eleitorado. O golpe é o seguinte: o líder interiorano espalha que o adversário de determinado candidato está muito bem perante a opinião pública e que a campanha do chantageado anda fazendo água em vários municípios, justamente pela falta de dinheiro para ‘agradar’ os cabos eleitorais. Vale espalhar pesquisas falsas e informações dando conta que determinada liderança está ameaçando mudar de lado. “A turma tem reclamado porque o homem não solta o dinheiro”, diz o chantagista. Quem cai no golpe, gasta agora e vai gastar durante toda a campanha, pois essa turma é insaciável. Os candidatos majoritários são as vítimas preferidas desses malandros.

Desmentido

Em nota à imprensa, a coligação ‘Sergipe Meu Amor” nega ter proibido o deputado federal Mendonça Prado (DEM) de gravar os programas eleitorais. O demista tem anunciado aos quatro cantos que seu “programa” não foi ao ar porque ele se recusa a pedir votos para o candidato a governador Eduardo Amorim (PSC). “Tanto a coligação quanto a produtora responsável pela gravação dos programas estão à disposição do candidato Mendonça Prado para que ele possa gravar sua inserção no horário eleitoral gratuito”, conclui a nota.

Não se venda

E o candidato a deputado estadual Diógenes Almeida (PRP) abriu o verbo contra quem insiste em comprar votos no interior de Sergipe: “Esses caras não podem entrar em Tobias Barreto comprando o povo como se aqui fosse um curral de gado. Quando é que vai prevalecer a capacidade do homem público, ao invés do dinheiro? Político manhoso e descarado que se vende não precisa subir em palanque, pois voto não tem preço, tem é consequência”. Falou bonito, Diógenes!

Debate na TV

O primeiro debate entre os principais candidatos ao governo de Sergipe está marcado para as 20h de amanhã, na TV Cidade. Mediado pelo jornalista André Barros, o confronto de ideias servirá para que o eleitor avalie melhor as propostas dos postulantes ao principal cargo político do Estado.

Noite de autógrafos

O escritor e poeta Carlos Mendonça lança amanhã o livro ‘Itabaiana grande – Euclides e Manoel Teles’. Será a partir das 19h, na Associação Atlética daquela cidade. O autor mostra com documentos, como Euclides Paes Mendonça e Manoel Francisco Teles impuseram seus domínios políticos e econômicos em Itabaiana, durante as décadas de 40, 50 e 60 do século passado, sendo nesta última, assassinados em praça pública. Seguramente, será uma noite de autógrafos pra lá de concorrida.

Rádio campanha

Aos poucos, Sergipe vai sendo tomado pelos carros de som dos candidatos a cargos eletivos. É a rádio campanha entrando no ar com seus jingles divulgando nomes, números e virtudes dos candidatos. Até o momento, ocupam maior espaço em Aracaju os carros de som do deputado federal Mendonça Prado (DEM) e dos majoritários Eduardo Amorim (PSC), Jackson Barreto (PMDB), Rogério Carvalho (PT) e Maria do Carmo (DEM). Nem precisa dizer que dentre os jingles, o que tem feito mais “sucesso” é o ‘2510’ do demista Mendonça Prado.

Política no prato

Os candidatos a governador Eduardo Amorim (PSC) e Jackson Barreto (PMDB) já confirmaram participação na reunião-almoço promovida pela Associação Comercial e Empresarial de Sergipe. O primeiro será Amorim. Ele vai apresentar seu plano de governo aos empresários sergipanos a partir do meio dia da próxima quinta-feira, no Hotel Radisson. A data do almoço de Jackson ainda não foi agendada pela entidade de classe.

Calote

Até agora a Prefeitura de Aracaju ainda não pagou os cachês dos artistas sergipanos que se apresentaram no Forró Caju. Muitos já acreditam que foram vítimas de um calote da administração municipal. O ‘devo’ tem sido criticado, inclusive, por vereadores aliados do prefeito João Alves Filho (DEM), a exemplo de Jozenito Vitale, o ‘Nitinho’ (DEM), que em junho era secretário da Cultura de Aracaju, pasta responsável pelas contratações dos artistas. Que lástima!

Uma ilusão

A criação de uma Universidade Estadual de Sergipe é apenas uma ideia que ficará no discurso político eleitoral e morrerá logo depois das eleições deste ano. Segundo publica o jornalista Eugênio Nascimento no blog Primeira Mão, o custo para criar e manter uma universidade é muito elevado e nenhum governante lúcido, nos dias de hoje, partiria para uma empreitada desse tipo. Para se ter uma ideia, os Estados que hoje têm suas próprias universidades estão querendo se desfazer delas, repassá-las para a União.

Triste fim

“Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História”. A frase, uma das mais célebres passagens da história política brasileira, encerra a carta-testamento deixada por Getúlio Vargas. Há 60 anos, no dia 24 de agosto de 1954, o então presidente tirou a própria vida em meio à pior crise enfrentada em seus anos de atuação política. Depois de chegar ao poder na liderança do movimento que ficou conhecido como Revolução de 1930, o político gaúcho Getúlio Dornelles Vargas exerceu o governo no país de forma ininterrupta até 1945.

Em Sergipe

A presidenciável Marina Silva (PSB) deverá vir a Sergipe nos próximos dias. Ontem, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) conversou por telefone com a coordenadora da campanha Luíza Erundina sobre a possível agenda a ser cumprida por Marina. A candidata disse ontem em São Paulo que o desenvolvimento econômico do Nordeste precisa de uma compreensão de que a Região não é problema, mas solução.

Recorte de jornal

Publicado no jornal Vida Laranjeirense em 2 de setembro de 1934

 

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários