Hora da verdade

0

Hora da verdade

Passados o réveillon, pré-caju e o carnaval, a classe política sergipana vê se aproximar a hora de serem definidas as candidaturas a prefeito em Aracaju e demais municípios sergipanos. Os dois primeiros meses deste ano foram para divulgação dos nomes e avaliação de possíveis alianças. Agora está se aproximando a hora da verdade, pois os partidos só terão até junho para anunciar com que time vão ao pleito de outubro. O PT aracajuano se reúne amanhã para decidir se seu prefeiturável será escolhido por prévias ou pelos delegados da legenda, enquanto o PPS já prepara a festa que lançará, dia 16 próximo, a candidatura de Almeida Lima a prefeito da capital. Portanto, a partir de agora as conversas entre aliados ficarão mais intensas e mostrarão quem realmente tem cacife para disputar a cadeira ocupada hoje pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B).

Sem lógica

Os bancos instalados em Sergipe funcionam diariamente das 9h às 15h em respeito ao horário de verão, mas ontem reabriram exatamente às 13h pelo horário de Brasília. Qual teria sido a lógica para que as agências não abrissem às 11h como acontece todos os dias? Com a palavra, a Federação Brasileira dos Bancos.

Vida mansa

Enquanto para o trabalhador comum a semana começou ao meio dia de ontem, para nossos parlamentares o feriado de carnaval vai até segunda-feira da semana que vem. Espera-se que na próxima sessão da Assembléia, dia 27, seja lido o requerimento do líder do governo, deputado Francisco Gualberto (PT), indicado o secretário da Educação, Belivaldo Chagas (PSB), para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

Páscoa

O varejo já trabalha com a Páscoa. Passado o carnaval, os primeiros itens típicos do período chegam às gôndolas do Bompreço. As famosas parreiras de ovos de chocolate devem estar montadas já neste final de semana. Para esse ano, a expectativa das lojas é que as vendas sejam 20% maiores que as do ano passado. Além de chocolate, pescados, azeites e vinhos são outros produtos que estão tendo seus estoques reforçados para a Páscoa.

Muda o vice

O blog ficou sabendo que o governador Marcelo Déda (PT) vai trocar seu vice-líder na Assembléia Legislativa. O atual, deputado Gustinho Ribeiro (PSD), deve ser substituído na vice-liderança por Zezinho Guimarães (PMDB), parlamentar mais afeito aos debates e que deverá reforçar a luta diária travada com a oposição pelo líder governista Francisco Gualberto (PT). A mudança deverá ser anunciada na semana que vem.

Antecipou

A Receita Federal irá liberar o programa de computador para o preenchimento da declaração do Imposto de Renda às 8h de amanhã, e não mais às 18h, como tinha anunciado antes. Para ter direito à restituição nos primeiros lotes, os declarantes devem preencher e enviar o formulário eletrônico logo no início do prazo. As pessoas com idade acima de 65 anos têm prioridade. O prazo para entrega do documento será de 1º de março a 30 de abril.

Fraternidade

Com o tema Fraternidade e Saúde Pública, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou ontem a 49ª Campanha da Fraternidade. Com o tema, a Igreja pretende sensibilizar os fiéis sobre a situação das pessoas que enfrentam longas filas de atendimento e falta de vagas em hospitais públicos. No texto-base da campanha, a CNBB expõe suas preocupações com relação à saúde pública. A entidade critica ainda a escassez de recursos destinados ao Sistema Único de Saúde.

Quis perder

O blog acha que o Mengão desistiu ontem de disputar a final da Taça Guanabara, tendo cedido a derrota ao Vasco. Para mostrar que se quisesse vencia a partida, o rubro-negro começou ganhando por um a zero, porém depois deixou o adversário fazer dos gols e se classificar para a final do primeiro turno. É que o Flamengo deve preferir concentrar esforços para os próximos jogos da Libertadores da América, competição muito mais atraente do que uma taçazinha Guanabara qualquer. Alguém aí discorda? Kkkkk!

Saco de pancadas

É feia a coisa pras bandas do Clube Sportivo Sergipe, que voltou a ser derrotado ontem à noite no Batistão, em jogo válido pelo campeonato sergipano de futebol. Desta vez o algoz do dito “Mais Querido” foi o Sete Junho. Com mais essa derrota, o Sergipe permanece na lanterna da competição, tendo conquistado apenas dois dos 21 pontos que disputou até agora. Para desgosto da torcida, o Sergipe só não perde quando não joga. Que horror!

Do baú político

O blog recebeu do jornalista e poeta Amaral Cavalcante a crônica que se segue:
Os cidadãos da Polônia, primeiras vítimas do maluco do Hitler na sua obsessão pelo trono do mundo, comeram o pão que o diabo amassou, com os bombardeios da Luftwaffe. Ficaram condicionados a procurar um abrigo anti-aéreo assim que ouvissem o estridor das sirenes. Vocês devem conhecer esta história, mas como foi que muito depois do pós-guerra veio o derrotado esquadrão aéreo do Terceiro Heich desacomodar os sergipanos? Pois eu conto:

O ex-deputado José Carlos Teixeira, um dos fundadores da Sociedade de Cultura Artística de Sergipe (SCAS), gozava de grande cartaz no governo federal. O suficiente para incluir o Teatro Atheneu no roteiro das atrações internacionais que percorriam o país, sob o patrocínio do Ministério das Relações Exteriores. Foi o tempo áureo do Atheneu, ocupado por grandes companhias de artes cênicas e por recitais de músicos mundialmente consagrados.

Este é o caso de um pianista polonês de nome complicado – cheio de consoantes e ipissilones – que chegou em Aracaju precedido de grande estardalhaço na mídia local. A nata social e administrativa compareceu em peso com seus trajes mais sedosos e as jóias mais coruscantes.

No centro do palco, sob a luz divinal de um refletor estratégico, brilhava majestosa a jóia da nossa coroa: o precioso piano Steinwey de meia cauda com fama de melhor do mundo, adquirido graças a um Livro de Ouro habilmente passado pelos fundadores da SCAS entre os ricos da época. Este piano, ainda hoje em uso, provocava upas e bravos dos músicos visitantes, que não esperavam encontrar por aqui tão excepcional instrumento.

Batido o bastão, o pianista entrou com escovada casaca e alvos punhos de renda. Frisson! O recital ia começar. Mas eis que, cumprindo a mais corriqueira tradição do Colégio Atheneu, o bedél Manelzinho acionou a estridente sirene que anunciava o final da última aula. Hóóóómmmmm!

O polonês ficou lívido. Olhou para o teto, balbuciou quatro vocábulos ininteligíveis e se jogou pra debaixo do piano, tremendo como vara verde, Ninguém entendeu o que se passava no palco, mas todo mundo intuiu que algo estarrecedor estava prestes a acontecer, ameaçando, não somente o esperado deleite artístico, como a segura tranqüilidade das melhores famílias sergipanas.

Precisou que o professor João Costa, homem de aguçado raciocínio e fleuma quase britânica, tomasse as rédeas da situação e nos explicasse, usando sua técnica irretocável de impostação teatral, que testemunhávamos uma demonstração tardia de trauma de guerra. Que o virtuose se viu sob o bombardeio iminente da Lufetwaffe e que isso era normal entre os poloneses. O que ninguém contava era com a sirene de Manelzinho para aterrorizar o seu recital.
O pianista polonês foi devolvido ao hotel, ainda catando nica.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais