Igrejas serão construídas em presídios do Brasil

0
Carlito Alves – César Oliveira

A tão comentada segurança pública não passou despercebida pelo vereador Carlito Alves (PRB/SE) durante o grande expediente da última quarta-feira, 3, da Câmara Municipal de Aracaju (CMA). Durante o seu pronunciamento, ele destacou o grande trabalho realizado pela Igreja Universal do Reino de Deus dentro dos presídios para mudar a realidade do país com a fé e contou a todos que várias igrejas serão construídas nos presídios brasileiros.

Tema de discursos de vários parlamentares, a segurança e as notícias relacionadas a ela foram ressaltadas por Carlito. Mas, ao invés de lembrar dos pontos negativos, ele salientou a importância dos trabalhos feitos diariamente nas penitenciárias por evangélicos.

Em meio aos parabéns para os religiosos que optam por salvar vidas, ele contou uma novidade que beneficiará ainda mais pessoas nessa situação. "Eu quero parabenizar a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) que tomou uma iniciativa é até dezembro mais de 1.800 igrejas serão construídas em presídios do Brasil. Não vai ficar um presídio sem uma igreja agora e o melhor, construída com o dinheiro próprio de doações de membros, sem a ajuda do governo", declarou.

Carlito afirmou ainda que o projeto já está dando certo e promete fazer a diferença. "A campanha começou há 30 dias e 46 presídios já foram inaugurados no país. Além disso, no mês de maio, mais de 100 presídios serão inaugurados e cada um custará no mínimo R$ 40 mil. Isso se chama preocupação com as almas e lá dentro existem pessoas de bem, mas que saem marginalizados e sem oportunidades", comentou.

Bispo Luis Cláudio inaugurando a igreja no presídio de Glória

Em Sergipe, a IURD já construiu duas igrejas, uma no presídio de Nossa Senhora da Glória e a outra no da Nossa Senhora do Socorro. Segundo a organização da igreja no estado, cerca de 80% dos presídios em Sergipe recebem o trabalho de evangelização da entidade religiosa. " Não devemos alimentar os maus pensamentos, mas sim os bons e, consequentemente,  haverá uma mudança na vida daqueles que creem', disse o bispo Luis Cláudio durante a inauguração da igreja no presídio de Glória.

A presença dos evangélicos no sistema penitenciário é, segundo o pesquisador Clemir Fernandes, incontestavelmente mais numerosa e disseminada. O sociólogo é coordenador da pesquisa "Assistência religiosa em prisões do Rio de Janeiro: um estudo a partir da perspectiva de servidores públicos, presos e agentes religiosos (e uma proposta de recomendação à Seap)", do Instituto de Estudos da Religião (Iser), que deve ser publicada nas próximas semanas.

“ Esta predominância acompanha uma tendência de crescimento dos evangélicos na sociedade, apontada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na pesquisa, percebemos que tanto para os detentos quanto para os funcionários das penitenciárias, a presença religiosa tem um efeito apaziguador e calmante em um ambiente muito tenso” destaca Fernandes ao jornal o Globo referindo-se ao crescimento de 61% dos evangélicos entre os Censos de 2000 e 2010.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários