Iguais até nas pesquisas

0

Não existem diferenças significativas entre os prefeituráveis Edvaldo Nogueira (PCdoB) e Valadares Filho (PSB). Até nas pesquisas ambos aparecem com praticamente o mesmo percentual de intenções de votos. E não poderia ser diferente, pois os dois são farinha do mesmo saco, sempre seguiram piamente as orientações de seus mentores e não farão diferente se chegarem à Prefeitura. Ao contrário dos políticos com luz própria, como era o saudoso ex-governador Marcelo Déda (PT), Edvaldo e Vavazinho nasceram para serem coadjuvantes. Quem duvida que se o comunista vencer, sua administração sofrerá forte influência do cacique e protetor Jackson Barreto (PMDB)? Quanto a Vavá Júnior, quem vai mandar mesmo será seu pai e senador Antônio Carlos Valadares (PSB), que sempre sonhou em ser prefeito de Aracaju. Talvez por força das semelhanças entre os dois candidatos é que boa parte do eleitorado segue decidida em votar em branco, anular o voto ou simplesmente trocar as urnas pelas belas praias de Sergipe. Afinal, tanto faz Edvaldo quanto Vavazinho.

Jogo bruto

O empate técnico apurado pelas pesquisas do Ibope e do Instituto Única alvoroçou os partidários de Edvaldo Nogueira (PCdoB) e de Valadares Filho (PSB). A turma do comunista festejou o crescimento, ganhou mais fôlego para a reta final. Já os simpatizantes de Vavá Júnior inundaram as redes sociais com críticas aos índices divulgados ontem. Segundo o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), começou “a temporada de manipulação das pesquisas”. Homem, será?

Os três pés

Alguém sabe quantos condenados com graves problemas de saúde permanecem enclausurados nas desumanas penitenciárias? Taí uma informação que interessa a muitos poucos, até porque sentenciado deixa de ser visto como ser humano para ser tratado pior do que cão sem dono. Lamentavelmente, no Brasil só vai e permanece na cadeia preto, pobre e prostituta. Cruz credo!

Fora João!

E o prefeito João Alves Filho (DEM) manda pedir desculpas aos aracajuanos por sua trágica administração. Claro que a população não vai perdoá-lo pela calamidade em que ele colocou a capital. Como desculpar quem atrasa a folha de pessoal, não paga fornecedores, deixa a cidade às escuras e esburacada, além de não recolher a contribuição dos servidores para o Ipesaúde? Antes de perdoá-lo, o povo deveria botar o prefeito e sua trupe pra correr. Vai de retro Satanás!

Crime ambiental

E o criminoso aterro de parte de Rio Sergipe já começou a causar problemas aos moradores do bairro Treze de Julho, zona nobre de Aracaju. Obstruído pela areia, o canal da avenida Anízio Azevedo está cada dia mais fétido, lançando com maior freqüência suas águas sujas nas ruas e avenidas. Esta será mais uma triste lembrança da calamitosa administração de João Alves. Lastimável!

Sem saúde

Depois do atraso dos salários, os servidores da Prefeitura de Aracaju correm o sério risco perder a boa assistência médico-hospitalar oferecida pelo Ipesaúde. Sem receber há três meses um débito de R$ 2,3 milhões, o Instituto promete suspender o atendimento aos servidores municipais. A população pobre também é vítima da irresponsabilidade do prefeito João Alves, pois os postos de saúde estão sem funcionar por conta da greve dos médicos e enfermeiros, sem salários desde setembro.

Portinho

Você sabia que o Terminal Marítimo Inácio Barbosa, na Barra dos Coqueiros, é incapaz de receber grandes navios devido ao seu pequeno calado. Em outras palavras, a área onde foi construído o porto de Sergipe é rasa demais: 8,30 metros, além da altura da maré, nunca passando de 10,20 metros. Aqui pra nós, é quase um atracadouro para canoas à vela. Misericórdia!

O “não voto”

Segundo as últimas pesquisas, algo em torno de 15% dos aracajuanos – cerca de 50 mil pessoas – seguem indecisos ou decididos a votarem em branco, anular o voto ou simplesmente não ir às urnas. Ao se recusarem em votar num dos dois prefeituráveis da capital, os eleitores demonstram que não foram convencidos pelo blá-blá-blá de Edvaldo e Vavazinho, expõem o descrédito aos partidos e políticos, além de protestarem contra os altos índices de corrupção no país. Estão certíssimos!

Cadê a Polícia?

Enquanto a Polícia discute salários e “otras cositas mas”, a bandidagem fica cada dia mais ousada. Nem os estudantes escapam da sanha criminosa dos marginais. Destemidos diante da ausência da Polícia nas ruas, delinquentes encapuzados invadiram o Colégio Estadual Carlos Firpo, na Barra dos Coqueiros, e assaltaram alunos e professores. À diretoria da escola coube registrar uma queixa na delegacia e se preparar para uma nova invasão criminosa. Crendeuspai!

Invocado

Pichação num muro da avenida Contorno, em Aracaju: “O Brasil é o país onde a arte é crime e a corrupção é arte”. Vixe, Maria!

Racismo

A possibilidade de um adolescente negro ser vítima de homicídio é 3,7 vezes maior do que a de um branco. É o que revela estudo sobre racismo no Brasil divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. O trabalho mostra que existe racismo institucional no país, expresso principalmente nas ações da polícia. O estudo mostra que a cada ano 60 mil pessoas são assassinadas no Brasil, sendo que a cada três vítimas, duas são negras. Uma lástima!

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano O Nordeste, em 13 de dezembro de 1950

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários