Imprensa: Eleição será o divisor de águas

0

Foi-se o tempo em que a chamada “grande imprensa” fazia a “cabeça” de boa parte do eleitorado brasileiro, principalmente da classe média, formadora de opinião. Desde a eleição de 2006, onde o candidato Lula enfrentou boa parte da grande imprensa contra à reeleição dele, a maioria do eleitorado brasileiro começou a mostrar que não desejava seguir mais a orientação desta chamada mídia formadora de opinião.

 

Porém, nunca a campanha eleitoral chegou ao patamar que está atualmente, onde parte da grande imprensa, leia-se Rede Globo, Veja, Estadão e Folha de São Paulo, uniram-se num ataque sem precedentes a candidatura apoiada pelo presidente Lula, ocultando fatos e publicando inverdades.

 

Mesmo com um bombardeio desta mídia há 15 dias, a campanha da candidata de Lula só cresce, mostrando que o eleitorado formador de opinião no país, sabe separar os fatos publicados da real intenção. Aqui não se discute o mérito das denúncias, mas a forma como elas estão sendo feitas, com a ocultação de todos os fatos.

 

Por trás de tudo isso está o medo da discussão da formação de um Marco Regulatório para a Comunicação no Brasil, que passa por uma revisão nas concessões públicas das redes de televisão e rádio. Hoje, essas concessões são renovadas sem a menor discussão e o menor comprometimento destes órgãos de  comunicação com o mínimo de informação educativa para conscientização do povo brasileiro.

 

Com certeza, quando essa discussão for iniciada, parte da grande mídia, vai começar a divulgar que querem podar e censurar o direito a informação, quando na verdade a intenção será que a verdadeira informação chegue ao brasileiro.

 

Chega de hipocrisia e a sociedade espera mais dos meios de comunicação, sobretudo daqueles que são concessões públicas e têm que prestar contas não ao governo de plantão, mas a todos os brasileiros.

 

Exemplo de profissional

Por unanimidade (sete votos) o pleno do TSE, negou provimento ao recurso do Ministério Público Eleitoral pedindo a cassação da diplomação do governador Marcelo Déda e do vice, Belivaldo Chagas. Chamou a atenção de quem assistiu a sessão do pleno do TSE ontem, 21, no julgamento do recurso pedindo a cassação do governador Marcelo Déda, o desempenho do advogado de defesa, o aracajuano, José Rollemberg Leite Neto. Com uma postura calma, Rollemberg Neto, elogiou o trabalho da acusação, mas disse que faria um “combate duro, mas leal”, citando que na “floresta só se vê a lenha para fogueira”.

 

Despiu-se da beca de advogado

Em 20 minutos, Rolemberg fez a defesa do governador Marcelo Déda mostrando que foram atos cívicos realizados durante as comemorações do aniversário de Aracaju, em março de 2006, e não atos eleitorais. Em dado momento Rollemberg Neto despiu-se da beca de advogado e vestiu o manto da sergipanidade, e do sentimento de cidadão aracajuano, para mostrar a realidade local e o que representam as comemorações de 17 de março anualmente.

 

Entre os melhores do país

Para quem não sabe, Rollemberg Neto, tem apenas 35 anos, é sociólogo e advogado e faz parte de um dos mais conceituados escritórios do país, o de Eduardo Ferrão. Rollemberg Neto é um dos três maiores advogados eleitoralistas do Brasil. Um jovem que orgulha o Estado, que tem tradição de grandes advogados. De todos os governadores que tiveram processos de cassação no TSE, Déda foi o único que não optou por contratar advogados renomados, como ex-ministros e preferiu um advogado de sua terra natal.

 

Voto do relator

Foi decisivo também para que o recurso fosse negado o extenso relatório do ministro relator, Aldir Passarinho Júnior, que estudou toda a denúncia com suas provas, não só lendo jornais do período, mas assistindo as mídias de DVD apresentadas com os discursos de Déda nas inaugurações das obras. Ao final ele disse que nas inaugurações aconteceu o desvio de finalidade nos discursos de Déda, mas sem potencialidade e sem que comprometesse a legitimidade das eleições com abuso do poder econômico.

 

Déda agradece apoio e confiança

Pelo twitter, logo após a decisão do TSE, Déda escreveu: “Agradeço a todos que manifestaram seu apoio e solidariedade. A vontade do povo, expressa nas eleições de 2006, foi respeitada e homenageada. Em todas as minhas declarações repeti como um mantra a minha confiança em Deus e na Justiça Eleitoral do meu país. Não confiei em vão”.

 

Na torcida

 “Pessoalmente, e como presidente do TCE, parabenizo o advogado sergipano Carlos Alberto Menezes pelo reconhecimento nacional alcançado com a indicação para compor uma das listas sêxtuplas da OAB, com reais possibilidades de ingressar no STJ. Estou na torcida!” – Reinaldo Moura, em seu twitter (www.twitter.com/reinaldomoura1)

 

Debate senadores

Depois do sucesso do debate da TV Atalaia, com os três candidatos que têm representação na Câmara dos Deputados, conforme estabelece a legislação eleitoral, alguns leitores enviaram e-mails sugerindo um debate entre os candidatos ao Senado. São 14 no total, mas apenas quatro ainda estão na disputa.

 

Lula em Aracaju no dia 29 de setembro

Os responsáveis pela agenda oficial da Presidência da República informaram que o presidente Luis Ignácio Lula da Silva, virá a Aracaju no próximo dia 29 de setembro para participar de atos de mobilização em prol da campanha do governador Marcelo Déda. Penúltimo dia da campanha eleitoral.

 

Reforma na biblioteca Epiphânio Dória

A biblioteca Epiphânio Dória está com sérios problemas. Tem salas com várias cadeiras quebradas e no último dia 18, durante a apresentação Grande Concerto em Homenagem ao Bicentenário da Independência do Chile, que foi realizado na Sala Antônio Carlos Plech até o ar condicionado não funcionou.

 

Abandono

Ao conceder entrevista ontem, 21, no programa de Eduardo Abril, na rádio Capital do Agreste em Itabaiana, o candidato ao senado, Albano Franco explicou que não foi para o ato de Serra em Sergipe porque foi abandonado pela alta cúpula do partido e só soube da visita por um faz enviado por uma senadora tucana.

 

TSE prorroga prazo para tirar segunda via do título de eleitor

O TSE decidiu prorrogar por mais uma semana o prazo para que os eleitores solicitem a segunda via do titulo. Os ministros do tribunal acataram, por unanimidade, sugestão do corregedor Aldir Passarinho Júnior. Esse prazo terminaria no dia 23 de setembro, na próxima quinta-feira, mas foi prorrogado para o dia 30 deste mês, quinta-feira da semana que vem –ou três dias antes do primeiro turno das Eleições.

 

Memória Política I

Nesta retrospectiva que focaliza os principais fatos políticos da nação brasileira, o blog está ainda na primeira metade do século XX. O governo provisório de Vargas era constitucional, com quatro anos de mandato. Em 1938 deveriam ocorrer eleições diretas para presidente da República. Antes disso, em 1937, a imprensa divulgava um documento que continha um plano para tomar o poder. Era o denominado “Plano Cohen”. O referido documento era falso, mas levou Getúlio Vargas a dar um golpe de Estado e a implantar um novo regime, o Estado Novo, contando com o apoio das forças mais conservadoras do país.

 

Memória Política II

É outorgada a quarta Constituição da República. A pretexto de evitar um colapso na segurança nacional, o Congresso é fechado, os partidos políticos são extintos. São também suprimidos as eleições previstas para o ano seguinte, 1938, os juízes independentes e até mesmo os tribunais. Começava, então, a ditadura de Vargas, com o Estado Novo estendendo-se até 1945. Nesse ano, Getúlio renuncia e ocorre a redemocratização, que será consolidada com as eleições livres, em 1946.

 

Internet pela rede elétrica

Novidade duplamente na rede está sendo testada em Osasco(SP). Jovens daquela cidade paulista estão testando o acesso à Internet pela rede elétrica. O serviço é denominado banda larga por meio de energia, com sigla BPL, em inglês. Cursos de informática para crianças a partir de 6 anos são oferecidos pelo programa inovador.

 

Turismo: faturamento alto

 15 bilhões de dólares. Esta vultosa cifra representa o valor que os parques nacionais movimentam na economia dos Estados Unidos. O Ministério do Meio Ambiente do Brasil, inspirado pelo exemplo americano, começou a realizar estudos sobre o potencial econômico das quase 700 áreas de conservação existentes em nosso país. Exemplo significativo é o Jalapão, situado no Estado de Tocantins. O ecoturismo deverá ser incentivado de forma acentuada, a partir das conclusões a que chegarem os estudos atualmente em andamento.

 

ACDS E ASI

Associação dos Cronistas Desportivos de Sergipe e Associação Sergipana de Imprensa. Essas duas entidades da imprensa sergipana terão processo eleitoral no primeiro semestre do próximo ano. A primeira é presidida pelo repórter Roberto Silva (Rádio Jornal e TV Atalaia), enquanto que a segunda tem na presidência o decano José Eugênio de Jesus, que completa o mandato do falecido jornalista Bemvindo Sales de Campos. José Eugênio fará 92 anos no próximo mês de outubro.

 

DENUNCIE OS CRIMES ELEITORAIS

Ouvidoria do TRE/SE: (79) 2106-8777. E-mail: ouvidoria@tre-se.gov.br ou ainda por correspondência preenchendo o formulário eletrônico no site www.tre-se.gov.br.O prazo para as respostas às consultas é de 03 (três) dias. Na Procuradoria Regional Eleitoral: Enviar, por correio, a documentação endereçada à Procuradoria da República em Sergipe, situada na Avenida Beira Mar, nº 1064, Praia Treze de Julho, Aracaju/SE, CEP 49020-010: Enviar para o e-mail denuncia@prse.mpf.gov.br ou preencher  formulário site www.prse.mpf.gov.br

 

DO LEITOR

 

Valadares, uma tarrafa e o fim do imbróglio gerado pelos neo-aliados!

De um leitor devidamente identificado que pediu que seu nome fosse resguardado por conta de possíveis retaliações: Todos nós já sabemos dos problemas internos da coligação encabeçada pelo nosso governador, o senhor Marcelo Déda. São intensos os conflitos ocorridos entre os candidatos que disputam as vagas ao senado. Além do visível desconforto existente entre a militância petista e os neo-aliados do PT. Sem segredos, todos sabem em que consiste o problema da coligação petista. Forçar essa coligação majoritária não foi nada fácil, exigindo um tremendo esforço de “engenharia” política. O que resultou em muitos prejuízos para militantes e velhos aliados do partido dos trabalhadores.  Para estes, o acordão se transformou em uma bela espinha de peixe entalada na garganta, e que não tem jeito de descer goela abaixo, nem empurrando farinha seca, nem com um naco de pão, a espinha do peixinho não vai ser digerida. Ou melhor, como dizem por aí: Não há cristão no mundo que consiga fazer essa espinha descer, literalmente não existe esse cristão. Ao longo da jornada de mais de vinte anos de história do PT, grandes aliados contribuíram nesta caminhada em Sergipe. O aliado PC do B foi fundamental na consolidação do projeto petista dentro da capital sergipana, o que resultou na eleição de Déda a prefeito. Dentro do projeto petista de conquista do governo estadual outro grande partido foi fundamental, o PSB. Sendo liderado pelo senador Valadares, este partido foi o principal vetor do projeto petista no interior do estado, um dos grandes responsáveis pelo êxito de Marcelo Déda. Tudo caminhava para uma sólida aliança entre esses grupos políticos, que de certa forma se entendiam bem. Para 2010, Déda encabeçava a chapa majoritária, tendo como vice Belivaldo Chagas (ou alguém do PSB), as outras duas vagas da chapa majoritária seriam de Valadares e Jackson Barreto. Formando assim um sólido bloco político que garantiria a reeleição de Déda. Porém, ao longo de 2010, algo inusitado aconteceu. A movimentação das peças do jogo da política ocorreu de forma inesperada, e o resultado da coligação em torno do PT saiu um verdadeiro Frankestein: braço de um, perna de outro, uma inusitada cabeça de peixe, no lugar da cabeça humana. Virou um Frankenstein com brânquias. Resultando dessa costura de partidos um ser apático e sem motivação. Esta coligação foi composta por todo tipo de partido, independente de ideologia e histórico de parcerias, todos se “uniram” em torno da campanha de Marcelo Déda.   Mas o Frankenstein não saiu de graça, e quem pagou a conta foram os antigos aliados, isolados em detrimento dos aliados de última hora. Quem bem sabe disso é o Galego e Valadares. Sem contar que ainda sobrou para o ex-secretário de educação, o competente Lima. Sendo o maior prejudicado de tudo isso, o senador Valadares e o seu grupo.

A tarrafada

Mas há uma solução para tudo isso. A principal liderança dos neo-aliados não obterá êxito no pleito deste ano, e o seu espaço político se encolherá, sua grande força política deixará de controlar um oceano para comandar um pequeno aquário. Com uma tarrafa, um anzol, ou outros apetrechos, o imbróglio criado na coligação em torno do PT terá um fim. E podem aguardar, a resposta virá dos maiores prejudicados com tudo isso: o senador Valadares e a militância petista! Sob o comando de Valadares, e com a ajudinha de última hora do tucano Albano Franco (que devagar devagarzinho chegou lá), após as eleições as coisas voltarão ao lugar. Coisas que nunca deveriam ter acontecido. E no dia três de outubro, Valadares, de posse de uma bela tarrafa e com um lance certeiro abaterá o peixinho que nada no mar vermelho, e já em terra firme a sua espera outro individuo de gestos serenos e temperamento tranqüilo estará assobiando e cantarolando enquanto aguarda a chegada do peixe para ser torrado.Desta forma, a solução está literalmente nas mãos do Senador Valadares. Pode ser que com apenas um lance de tarrafa o peixinho caia no enlaçado de uma rede que possui uma história sólida de trabalho e serviços prestados a Sergipe. Então, é aguardar e torcer para que a tarrafada de Valadares seja certeira e atinja o peixinho que tenta pegar carona na onda de popularidade do PT sergipano e de Lula.  Na tentativa de garantir uma reeleição tranqüila montou-se um chapão impossível de dar certo, criou-se um verdadeiro monstro. Onde o maior prejudicado seria o senador Valadares. Dizem que o mal do esperto é achar que o outro é idiota demais.E foi isso que aconteceu, subestimaram a sensibilidade e a habilidade política de Valadares. Sem falar do fator surpresa: o dep. Federal Abano Franco em vôo solo e certeiro rumo ao senado. Errou longe quem apostou que Valadares afundaria. Pelo contrário, Valadares foi esperto, analisou a situação e conseguiu interpretar o momento, tomando a melhor decisão: arriscou a candidatura solo sem romper com Déda. Soube gritar na hora certa! E do primeiro lugar não vai largar. Pode bater na mesa, falar alto e o tudo mais, não vai ter jeito! O trabalho de Valadares e a ajuda de Albano colocarão as coisas no lugar, vai pra bem longe quem nunca deveria ter se aproximado do grupo petista, é isso aí, força na tarrafada!!!”.

 

Blog no twitter: www.twitter.com/BlogClaudioNun

 

Frase do Dia

“Ideias são mais letais que armas”. Lenin.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários