Imprensa X Poder

0

   No Brasil, assim também em Sergipe, “os jornais são instrumentos de poder, administrados por partidos ou grupos econômicos que usam uma linguagem voluntariamente critica, pois sua verdadeira função não é dar noticias aos cidadãos, mas enviar mensagens cifradas a um outro grupo de poder, passando por cima da cabeça dos leitores”, como bem disse Umberto Eco, sociólogo italiano, em exposição feita no Senado romano. O mesmo se diga das nossas redes de rádio e televisão.

  Os veículos de comunicação têm, assim, “o poder para decidir se o seu interesse é mais bem servido por notícias ou por silêncios”, no dizer do sociólogo português Boaventura de Sousa. É assim que funcionam jornais, rádios e televisões, todos ou quase todos, pertencentes a partidos ou grupos econômicos, beneficiados pela distribuição de canais entre os detentores do poder. Sua real função é, então, enviar mensagens cifradas aos concorrentes. São, em última análise, instrumentos de reprodução da prática de dominação das elites. Noticiando ou silenciando o que lhe convém, a imprensa falada, escrita e televisada quase toda ela mantém uma relação promiscua com o poder público, servindo-lhe e dele se servindo.

  Acredite leitor, o texto acima não é deste jornalista. Apesar de assinar embaixo tudo que está escrito e ter a mesma linha de raciocínio que este espaço vem criticando há muito tempo o texto é parte de uma análise sobre “A Relação Incestuosa da Imprensa com o Poder”, escrita pelo desembargador Pascoal Nabuco no livro “Tributo a Cidadania”.

  Por ironia do destino um episódio ocorrido na semana passada reforça esta tese. O episódio ficou nos bastidores da política, mas mostrou o destempero e o aperreio que vem tomando conta de alguns “jornalistas” que enviam mensagens cifradas a pedido do chefe para não apenas intimidar, mas barganhar outros interesses. O mais interessante é que durante os últimos quatro anos, movido pelo silêncio dos seus interesses atendidos, o profissional da comunicação que se acha acima de todos os outros “colegas”, esqueceu dos desmandos que estavam sendo praticados a “olho nu”. Um exemplo: um grande amigo dele hoje é um ex-secretário-adjunto que usava e abusa do veículo locado pelo governo, inclusive para…deixa prá lá…

  Ou seja, reforça-se a tese de Umberto Eco, do sociólogo Boaventura de Sousa e do desembargador Pascoal Nabuco, da relação promiscua com o poder público, servindo-lhe e dele se servindo. Será que se o novo governo tivesse mantido a política dos gordos contratos estabelecidos pelo critério do “silêncio”, a situação não seria outra? Por fim uma reflexão, como bem escreveu Eduardo Galeano: “Somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos”.

 

Processos e mais processos

Como o leitor tem conhecimento este colunista vem sendo alvo de vários processos de um informativo local. Tudo porque no ano passado esta coluna fez análises sobre o quadro eleitoral envolvendo as pesquisas divulgadas por vários institutos.

 

DR-6 tem o comando do PFL

Em Propriá, o ex-prefeito Luciano de Menininha, do grupo do ex-governador João Alves continua mandando na DR-6 e renovando contratos de professores e outras funções. Lá, as lideranças políticas se reuniram e solicitaram ao governador a indicação do professor Nunes (não é meu parente), para assumir a DR-6. O problema é que o Síntese deseja colocar no cargo, o professor José Luis, de Japoatã. Com a disputa, o atual diretor da DR-6, Paulo Dantas, continua no cargo rezando na cartilha dos pefelistas.

 

Almeida esqueceu dos cargos da família

No informativo que escreve, ou melhor, que comanda o senador Almeida Lima destacou esta semana uma nota com o título “Os novos cc`s” com os nomeados da nova administração com parentesco entre os políticos. Certo ou errado alguns membros da oposição podem e devem fazer esta critica, menos Almeida Lima. Quem não lembra que no início do ano foram exonerados de cargos comissionados a esposa dele e dois filhos. Será que ele não sabia?

 

Nota de Falecimento – Silvio de Meneses Sobral

Silvia Garcez Sobral, Tasso Garcez Sobral Neto, esposa e filhos, Thais Garcez Sobral, esposo e filhos, comunicam o falecimento de Silvio de Menezes Sobral, e convidam para o seu sepultamento hoje, 04, às 10 horas, saindo o féretro do OSAF para o Cemitério Santa Isabel. A família enlutada agrade por este ato.

  

Mudanças no Hospital da Polícia Militar I

De um leitor que conhece profundamente o interior do Hospital da Polícia Militar – HPM: “As tão sonhadas mudanças do novo governo, no caso do HPM, não fizeram o efeito desejado. Lá a coisa vai de mal a pior. Acontece que o diretor administrativo, que assumiu em meados de janeiro, embora não tenha sido nomeado ainda, já dá provas de que não comunga do espírito democrático e da justiça, decantados como regra de honra do governo Déda. Começou fazendo o óbvio. Desmontando a antiga diretoria e substituindo os integrantes dos postos estratégicos. Mas no tocante à falta de respeito com funcionários e às relações misteriosas e nebulosas com

prestadores de serviços continua tudo como antes”.

 

Mudanças no Hospital da Polícia Militar II

Continua o leitor: “É bom o governador ficar de olho, pois além do currículo moral do cidadão não ajudar em nada, pesa contra o mesmo, o fato de que, apesar de demonstrar que estava engajado na campanha do PT, pedia votos para um deputado federal, por sinal eleito, do partido do ex-governador João Alves, sob o argumento de que “se ele e João ganharem, eu estou por cima”. O deputado federal do novo diretor administrativo do HPM é Jerônimo Reis.

 

Comando da PM espera autorização do governador

Está nas mãos do governador Marcelo Déda o pedido de autorização da Secretaria da Segurança Pública para que sejam convocados 500 concursados para fazer o curso de formação de soldados da PM. O déficit é grande, principalmente por conta do desvio de função.

 

Critica ao texto do delegado Alessandro

Sobre o texto publico ontem nesta coluna de autoria do delegado Alessandro, o escrivão Antônio Moraes enviou o seguinte e-mail: “A retórica do delegado Alessandro é muito envolvente para aqueles que não conhecem detidamente o histórico das coisas. Essa idéia de comparar o salário do delegados com o do agente somente tem a clara intenção de nos fragilizar, promovendo a desunião. Já conhecemos a tática deles. Estamos preparados para isso. Todos, indistintamente, queremos: a) o nível superior para o agente de polícia; b) o correto enquadramento dos auxiliares (policiais civis antigos que foram marginalizados por esses mesmos delegados hoje que se mostram tão progressistas); c) respeito às regras para as remoções; d) fim dos desvios de funções; e, e)reestruturação salarial.São eles que nos perseguem e querem nos calar. Intimidando-nos. Essa súbita preocupação do delegado não nos comove”.

 

Escrivão não deixará de existir, segundo leitor

De um leitor, ainda sobre o texto: “creio que o ilustríssimo Delegado que se pronunciou em sua coluna nesta segunda, não leu o projeto de Lei da SENASP de forma correta. A figura do escrivão não deixará de existir. O cargo será colocado em extinção, mas os servidores que nele se encontram terão a opção de migrar ou não para o  novo cargo. Assim sendo, ainda que o mesmo seja extinto, poderemos ter ainda pessoas na função e a mesma deve sim ser levada em conta e ser escutada pelo governo. Afirmar que os Escrivães ganham o mesmo que professores é uma verdade, mas o Ilustríssimo Delegado esqueceu de ressaltar as condições de trabalho e o perigo aos quais os escrivães/agentes são submetidos. Infelizmente não tem comparação.É preciso acabar com o abismo existente na remuneração entre delegados e demais servidores da PC/SE”.

 

 Diário já publicou revogação de concurso

O Diário Oficial do Estado de Sergipe de 26 de março de 2007, em circulação nesta segunda-feira, 2, publicou o Decreto nº 24291, de 22 de março de 2007, onde o governador de Sergipe, Marcelo Déda, revoga o concurso público realizado pela Secretaria de Estado da Administração (Sead) para provimento de vagas do Quadro Geral de Pessoal do Poder Executivo Estadual.A decisão de anular o concurso feito em dezembro do ano passado foi anunciada pelo Governo do Estado no dia 27 de fevereiro deste ano, depois que a Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe (Fapese), responsável pela realização do concurso, reconheceu que houve erro na ponderação das notas e que, portanto, a lista final de classificados divulgada não estava correta. De acordo com o secretário de Estado da Administração, Jorge Alberto, um novo decreto governamental irá autorizar a Sead a realizar um novo concurso no segundo semestre.

 

Terminais do BB atenderão clientes do BNB

O Banco do Nordeste liberou, a partir da segunda-feira, 02, o acesso aos terminais de auto-atendimento do Banco do Brasil para todos os correntistas do BNB que possuem cartão de débito, seja de conta-corrente ou de poupança. O compartilhamento envolve os equipamentos instalados em ambientes externos às agências do Banco do Brasil, permitindo a realização de saques e consultas de saldos de conta-corrente e de poupança. Ao todo, são quase 3.000 novos pontos de atendimento em  aeroportos, farmácias, postos de gasolina e supermercados.

 

Isenção do IPTU em Estância

 A Prefeitura de Estância por meio da Secretária de Planejamento e Finanças isentará do pagamento do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) todas as pessoas que recebem até um salário mínimo. Para ser contemplado com o benefício o contribuinte não deve possuir outro imóvel em seu nome. A medida está amparada pela Lei 1229 de 18 de janeiro de 2006, e beneficia todos os contribuintes do município enquadrados nos requisitos previstos no artigo 162, alínea “I”.

 

Curta-SE 7 terá R$ 18 mil em prêmios

A sétima edição do Festival Luso-Brasileiro de Curtas-Metragens de Sergipe (Curta-SE 7) já confirmou para o evento mais de R$ 18 mil em prêmios. O Banco do Nordeste, co-patrocinador do festival, vai oferecer R$ 10 mil para o melhor curta-metragem de 35mm. Este ano o vencedor da categoria de vídeos sergipanos, que nesta edição teve 12 inscritos, terá direito a 4 minutos de transfer para 35 mm, oferecido pela TELEIMAGE. No total, a premiação para o curta sergipano escolhido soma mais de R$ 8 mil em benefícios. O Curta-SE 7 prevê como premiação a entrega de troféus para: 35 mm – melhor Ficção, melhor Animação e melhor Documentário; Vídeo – premiação melhor Ficção, melhor Animação e melhor Documentário. A direção do festival prevê ainda a entrega de menções honrosas aos filmes que mais se destacarem.

 

 

Frase do Dia

“…Tolstoi, aos oitenta anos, escreveu que se sentia como se tivesse cinquenta. Hoje, aqui nessa manhã, cercado pelos amigos, fortalecido pelo carinho dos sergipanos, eu lhes digo: vocês produziram em mim a notável transformação. Muito mais que Tolstoi,  agora neste instante, aos noventa, eu me sinto como se estivesse na exuberância florescente dos vinte anos. Com tanto afagos, vocês meus amigos, tornaram, possível o milagre”. Seixas Dória, ao ser homenageado.

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários