INDEPENDÊNCIA ENGASGA

0

A informação vem de Brasília: ontem o ex-governador Albano Franco (PSDB) esteve no Congresso e ouviu vários membros do seu partido, que estavam no auditório Petrônio Portela, participando da convenção do PFL que confirmou o senador José Jorge (PFL) com companheiro de chapa de Geraldo Alckmin (PSDB). Nenhum deles concordou com a decisão dos tucanos voarem com liberdade em Sergipe. Albano teve que explicar, mas o pessoal não se convenceu. Diante dessa pressão, Albano desabafou sobre as razões que o levaram a tomar a posição de sair com o partido sem fazer coligação com o PT ou PFL: “aconteceu em função dos deputados estaduais, para atendê-los”. Albano reconhece que o PSDB está “indo para o matadouro com as próprias pernas”. E disse que contou com a compreensão apenas dos deputados Fabiano Oliveira, que não demonstrou qualquer problema em votar no governador João Alves Filho; Luiz Mittidieri que só não votaria em João na cidade de Boquim, mas não criaria dificuldades em outros municípios. Já o deputado federal Bosco Costa “sempre defendeu que o partido lançasse candidatura própria a governador do estado”.

Albano Franco insiste que, ao tomar a decisão de sair independente, traduziu exatamente o desejo da maioria dos deputados estaduais e de lideranças do interior. O deputado Fabiano Oliveira, por exemplo, deixou de disputar a reeleição para ser candidato a deputado federal porque “tinha consciência de que iria para o suicídio”. No entendimento do ex-governador, os deputados saíram para o sacrifício por “puro idealismo”, porque tinham conhecimento das dificuldades que enfrentariam para eleger pelo menos dois candidatos para a Assembléia Legislativa. Albano Franco disse que os deputados Jorge Araújo e o candidato José Teles de Mendonça foram os mais radicais ao apoio a João Alves Filho. Estranhou porque depois do anuncio Teles tenha abandonado a candidatura, se tinha conhecimento de que saindo sozinho era praticamente impossível melhorar ou manter a bancada atual.

O ex-governador Albano Franco queixou-se de que passou mais de dois meses conversando com a oposição e não foi conseguida uma única forma para a formação de uma coligação: “só o deputado federal Jackson Barreto (PTB) sugeriu uma composição entre o seu partido, o PSB, o PFL e o PSDB, mas os demais não aceitaram”. Albano Franco disse que conversou com o governador João Alves Filho (PFL), mas não teve as propostas para coligação atendidas e como isso contrariava aos deputado. A decisão única era o PSDB sair sozinho, o que atendia ao idealismo dos deputados que recusavam uma coligação com o governador, mesmo sabendo da dificuldade que tinham para reeleger-se ou fazer algum parlamentar novo.

Em Sergipe, ao dar entrevista ao radialista Jorge Magalhães, o governador João Alves Filho disse que “Albano Franco é o homem mais rico do estado e fez uma aliança branca com o candidato do PT a governador, Marcelo Déda e, por ser o homem mais rico do estado, está financiando sua candidatura”.

Havia no ar político de Sergipe uma poeira de que o entendimento entre PSDB e PFL ainda pudesse ser fechado, até o dia 30 próximo. As declarações do ex-governador Albano Franco soavam como uma espécie de explicação pública, já que vinha sendo acusado de postergar uma decisão durante muito tempo. O quadro dos tucanos era de conhecimento dos deputados e realmente parecia uma posição ideológica adotar uma atitude que era desfavorável a qualquer ótica eleitoral. Mas agora tudo parece muito tarde, porque não há mais clima para retroagir, inclusive porque não é do desejo do PFL. O PSDB vai voar em liberdade, com menos deputado, sem eleger um nome para o Senado e enfraquecido. Não é possível imaginar até onde essa posição é eleitoralmente vantajosa, a não ser que alguns deles estejam preparados para comemorar com a derrota.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) está em Brasília, desde ontem, para conversar com o presidente nacional do partido, senador Tasso Jereissati.

Ontem falou com ele apenas por telefone, mas hoje terá um encontro, possível na presença do candidato a presidente pelo PSDB, Geraldo Alckmin.

 

INFORMOU

Sábado passado, dois dias antes de anunciar a decisão do PSDB sair independente, o ex-governador Albano Franco conversou por telefone com Geraldo Alckmin e Tasso Jereissati.

Alckmin lamentou e, desolado, disse: “é isso mesmo”. Mas Tasso reagiu diferente: “o PSDB tem que se valorizar”.

 

SÃO DOIDOS?

O candidato a governador de Alagoas, João Lira, encontrou-se com Albano Franco, ontem, nos corredores do Congresso e se mostrou surpreso com a decisão do PSDB em Sergipe.

Amigo pessoal de Albano, expressou seu pensamento: “vocês são doidos para fazerem isso”? Acha que é uma posição que não dá para entender.

 

BENEDITO

O presidente do PMDB, Benedito Figueiredo, já teve duas conversas com o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), para uma composição com o bloco oposicionista.

Ainda esta semana, Benedito Figueiredo terá uma conversa com o pré-candidato a governador pelo PT, Marcelo Déda, também para tratar de alianças.

 

PREOCUPADO

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) está preocupado com a sua reeleição e conversa também com o PFL em busca de uma saída para permanecer na Câmara Federal.

Um fato interessante: Jorge Alberto não defende a formação de chapão para deputado federal, como está sendo fechado entre os partidos que apoiam João Alves Filho.

 

ENCONTRO

Também ainda esta semana, Benedito Figueiredo terá encontro com a cúpula do partido para definir o que for melhor para o PMDB.

Se a decisão estiver distante do gosto de Benedito Figueiredo ele não criará obstáculo, mas não participa da campanha.

 

RECUO

Candidatos a deputado pelo bloco da oposição apelam ao senador Antônio Carlos Valadares (PSB), para que ele retire a candidatura do filho a deputado federal.

Valadares avisou que tem dificuldade porque cumpre exigência do partido a nível nacional, em razão da clausula de barreira.

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PMDB) disse que está por fora das articulações políticas do seu partido no estado.

Entretanto, adianta que vai aguardar o desfecho nacional e local para o seu partido, a fim de se manifestar. Por enquanto está calado.

 

DÉDA

O pré-candidato a governador pelo PT, Marcelo Déda, diz que o ideal seria que no domingo o seu partido realizasse o encontro para consolidar candidatos, com tudo resolvido.

Não será assim porque ainda falta um decisão do PMDB e tomar outras decisões: “o bom era que os peemedebistas já integrassem nossa coligação”, disse.

 

VALADARES

O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) não abre mão de indicar o vice-governador na chapa de Marcelo Déda. O nome certo é o do deputado Belivado Chagas.

A amigos o senador tem dito que vem sendo oposição há alguns anos e na hora que se vislumbra a oportunidade de ser governo, ele não deixará passar.

 

REUNIÃO

As cúpulas do PTN e PV estiveram reunidas com o deputado José Nilton (PSL) para falar sobre a questão da coligação, com o PSL tendo candidato a presidente da República.

O pessoal mostrou ao deputado que uma coligação viabiliza os candidatos a deputado estadual, mas para federal o melhor seria sair com o PSDB.

 

COMUNICADO

Amanhã, membros da direção do PTN e PV darão a resposta ao ex-governador Albano Franco (PSDB) sobre uma coligação ampla com o seu partido.

O PTN se juntará aos tucanos com José Raimundo Ribeiro e Gilton Garcia e o PV com o vereador Carlos Pinna Júnior. Todos candidatos a deputado federal. Benedito

 

 

 

Notas

 

PROTESTO

Representantes de aposentados e pensionistas protestaram ontem, durante reunião da comissão mista que trata do reajuste do salário mínimo, contra o eventual veto do presidente Lula à emenda que garante à categoria aumento de 16,67%. Esse índice foi aprovado pela Câmara Federal.

O ministro da Previdência, Nelson Machado, se reuniu com o senador Renan Calheiros para dizer que a Previdência não tem como suportar o aumento, que acarretaria um gasto extra de R$ 7 bilhões ao INSS.

REAJUSTE

O TSE proibiu os governos federal, estaduais e municipais de conceder reajustes salariais aos servidores públicos nos 180 dias que antecedem as eleições. O entendimento firmado pelo TSE veda a concessão de reajustes a diversas categorias, como a dos policiais federais, que ameaçam entrar em greve nesta quarta-feira.

O entendimento do TSE ainda ameaça a legalidade da medida provisória que concede reajuste salarial a diversas categorias de trabalhadores de órgãos públicos, assinada em maio pelo presidente Lula.

PASSAGEM

Empresas aéreas não têm mais obrigação de transportar passageiros cujos bilhetes foram emitidos pela Varig, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata). “Um passageiro que tem um bilhete endossado pela Varig não deve esperar ser transportado por uma outra companhia”.

Sobre a situação de brasileiros que estão no exterior neste momento com bilhetes emitidos pela Varig para outras empresas, A Iata considera improvável que outras companhias aceitem transportá-los.

 

 

É fogo

 

O governador João Alves Filho batiza, hoje, em Neópolis, a agência do Banese com o nome de “Roberto da Silva Peixoto”.

 

Apesar de todas as especulações sobre o destino político do PV sergipano, a cúpula verde ainda não decidiu qual o melhor caminho para o partido.

 

O presidente do PV, Armando Batalha, diz que a decisão só será tomada e anunciada no dia 30 de junho.

 

O engenheiro Reynaldo Nunes de Moraes pode ser candidato ao governo do estado, para viabilizar que o PV eleja representante para a Assembléia Legislativa.

 

José Ribeiro da Silva – o Rôla – é candidato a deputado federal pelo PSL e tem gente que ainda o incentiva. Rôla hoje não faz mais sentido o eleitorado vai votar com seriedade.

 

O líder do Governo na Assembléia Legislativa, Venâncio Fonseca (PP) garante que as eleições serão tranqüilas e não há necessidade de tropas federais.

 

O deputado federal João Fontes (PDT) foi um dos que lutaram para que Cristóvam Buarque não fosse candidato a presidente da república pelo partido.

 

A candidatura de Cristóvam vai prejudicar o PDT a nível nacional, porque o partido não fará coligações nos estados.

 

Hoje tem jogo do Brasil contra o Japão. A cidade pára a partir das 14 horas e talvez só volte à normalidade na próxima segunda-feira, já que amanha é véspera de São João.

 

Os festejos juninos estão esquentando em Aracaju com a chegada do dia de São João, O Forrocaju e a Vila do Forró estão mais movimentadas.

 

As vendas do comércio varejista caíram 1,35% no início de junho, na comparação com igual período do ano passado, em virtude do feriado prolongado e dos jogos do Brasil.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais