Indicação anunciada

0

Quarta-feira passada (6/08), sob o título Desejo Obsessivo, esta coluna afirmou, sem arrodeios: já está certo que Luiz Mendonça será nomeado procurador de Justiça. Ninguém tenha dúvida que isso vai acontecer. Não foi advinhação, mas uma simples e lógica constatação de que tudo estava programado, até mesmo antes do episódio da fuga de Floro Calheiros. O mesmo comentário diz, ainda que Luiz Mendonça está ansioso para retornar à Secretaria de Segurança. É como se fosse uma resposta a todos os seus acusadores e um atestado de idoneidade. No dia seguinte (7/08) o promotor Luiz Mendonça é indicado procurado de Justiça do Estado. Ontem pela manhâ tomou posse na Procuradoria, licenciou-se e, já à tarde, assumia a Secretaria de Segurança Pública, numa pressa de quem precisa salvar a vida. Desde ontem à noite, que se sabia da volta de Luiz Mendonça ao cargo de secretário, mas na próxima segunda ou terça feira. A ansiedade foi tão grande, que o novo procurador resolveu assumir imediatamente. Tudo isso, praticamente relatado com uma diferença de 24 horas por Plenário, aconteceu sem uma única distorção. Estava claro no script dos acordos políticos, naturalmente existentes entre os poderes. Plenário também disse, e reafirma, que o retorno à Secretaria de Segurança, neste momento de inquéritos, em que seu nome é envolvido, não seria bom para Mendonça. Mesmo que o ônus da prova seja de responsabilidade de quem acusa, a sociedade não está convencida de que só quem fala a verdade é o (então) ex-secretário. E mesmo que tudo fique absolutamente esclarecido, definitivamente comprovado que tudo foi uma ação torpe contra Luiz Mendonça, com certeza não escapará dos resquícios desse episódio triste na vida policial. A sociedade não estará cem por cento convencida de que tudo fora uma farsa. A acusação sempre tem mais consistência do que a comprovação da inocência. Fica a marca definitiva. Sempre que houver oportunidade, em qualquer discussão que envolva o ex-secretário, alguém lembrará a fuga de Floro, dando o tom malicioso da suspeita de suborno. O retorno, ontem, de Luiz Mendonça à Secretaria da Segurança, foi uma precipitação. Não vai mudar nada em relação ao que pensa a sociedade sobre o assunto e que foi comprovado através de pesquisa realizada pelo próprio Governo. Lógico que Luiz Mendonça é um cidadão que merece respeito e até o homem que deu uma certa pujança ao aparelho policial, mas a questão de ser citado pelo próprio Floro e pela delegada Meire Belfort, como envolvido em todo esse processo que enlameia segmentos da Polícia Civil, fica difícil modificar a opinião pública, se não houver lisura na apuração. Seria muito bom, mas muito bom mesmo, que Mendonça só retornasse quando tudo isso estivesse passado a limpo. Será que a pressa não ocorreu para sustar o inquérito que corre na Secretaria de Segurança, no qual o ainda ex-secretário seria ouvido? A partir de agora, a credibilidade sai pelo ralo. O delegado Abelardo Inácio não vai poder ouvir seu superior. O inquérito ouviu, até agora, o coronel Iunes e a delegada Meire Belfort. A partir daí se encerrou e todo o trabalho do delegado pode parar na cesta de lixo mais próxima. Entretanto, o secretário Luiz Mendonça não deixará de prestar depoimento a Polícia Federal, que recebeu determinação da Procuradoria de Justiça Federal para apurar a fuga de Floro Calheiros. Trata-se de um sujeito que está respondendo processo eleitoral, sob acusação de ter roubado urnas nas eleições municipais de 2000. Ninguém pode fazer qualquer tipo de insinuação, mas se a Polícia Federal concluir pela participação de todos, inclusive do secretário, como ficará a situação do ilustre Luiz Mendonça? Bom seria que nada disso acontecesse, mas, infelizmente, o caso requer apuração rigorosa, onde nenhum dos citados é menos ou mais culpado do que o outro. Luiz retorna, e já quer reformular a coordenação da Polícia, inclusive a superintendente Teonice, também citada no processo. Será punição só para ela? No fundo tudo deve ser esclarecido e o será, mas a presença de Luiz Mendonça no comando dos processos que se realizam sobre a fuga de Floro, onde o seu nome está nas páginas, qualquer resultado será duvidoso. Se o objetivo foi mostrar força e confiança no procurador, tudo bem, mas isso não vai alterar o que está pensando, neste momento, a sociedade, mesmo que Mendonça seja vítima de um jogo sujo, bem programado pela banda podre da Polícia. GILMAR Pelo menos quatro secretários estiveram com o chefe da Casa Civil, Flávio Conceição, para reclamar da indicação de Gilmar Mendes como supersecretário. Logo na entrada, um deles disse que não iria se submeter ao comando de Gilmar Mendes, embora essa seja a determinação do governador. NÃO FALAM Embora nenhum deles fale diretamente para o governador João Alves Filho, há realmente, um descontentamento entre a ala técnica do Governo, com a indicação. No dia da reunião, quando Gilmar foi anunciado, um secretário perguntou a outro: “entendeu a indicação?” E ouviu: “estou esperando quem entenda!” INQUÉRITO O inquérito que corre na Polícia Federal, para apurar a fuga de Floro Calheiros, está começando a andar. Está praticamente em sua fase inicial. O delegado responsável pelo inquérito já solicitou cópias do que foi apurado pela Policial Civil para juntar provas e iniciar os depoimentos. NO AR Há fumaça no ar em relação ao fugitivo Floro Calheiros. Ele se encontra em uma cidade do Nordeste e já tem gente muito próximo a ele. Uma cuidadosa fonte policial avalia que dentro destes próximo 8 dias pode-se ter notícias quentes sobre a recaptura de Floro Calheiros. CANDIDATO O secretário do Turismo, Pedrinho Valadares, está pensando em se filiar ao PMDB. As conversas estão bem adiantadas. Pedrinho ainda pensa em disputar a Prefeitura de Aracaju e seu nome consta como o terceiro mais votado, entre o pessoal que apóia o Governo. HABEAS O advogado José Cláudio, que defende o ex-deputado Antônio Francisco e o filho, entrou com pedido de urgência no julgamento do habeas corpus para cassar a prisão do dois. Cláudio acredita que de terça a quinta feira da próxima semana o desembargador Gilson Góes esteja julgando isso. DOMICILIAR José Cláudio também entrou com hábeas corpus liminar, para que o vereador Junior passasse a ter prisão domiciliar, já que havia impossibilidade de ter prisão especial. Foi negado por falta de documentos que comprovasse a deficiência da prisão especial. O advogado está providenciando a documentação, para nova liminar. DESEMBARGADOR Dentro de mais alguns dias, pousará na Assembléia Legislativa um projeto do Governo do Estado, criando mais três vagas de desembargador em Sergipe. Será o resultado de um entendimento político feito para que Luiz Mendonça fosse escolhido procurador de justiça, sem problemas. ESCOLHA Dentro da própria Procuradoria de Justiça o comentário era que o procurador Moacir Motta entrará em uma das relações e será indicado desembargador. Também será certa a reeleição do atual procurador geral de Justiça, Walter Ribeiro. Toda essa movimentação teria culminado na indicação de Luiz Mendonça para procurador. CONSELHOS Já está no forno o projeto de lei que autoriza a indicação de ex-governadores e ex-vices governadores que estejam sem cargos, para os conselhos de autarquias e empresas públicas. O projeto vai retirar, dos conselhos, alguns auxiliares desse e dos próximos Governos, cuja atuação nos conselhos serve apenas para aumentar ganhos. PRESSÃO O deputado federal João Fontes (PT) defende a pressão popular como única alternativa de modificar o texto da reforma da Previdência, aprovado pela Câmara. Acha que esse é o tema fundamental para o país. “Uma reforma que desmonta o serviço público, vai prejudicar, principalmente, a população pobre”. SACO Os políticos que costumam passar o verão nas mansões da praia do Saco, este ano devem compartilhar a boa vida com um ator famoso. É que o global Miguel Falabela está construindo uma casa imensa no Saco e pensa em vir sempre nas férias de janeiro. TÁ ERRADO Sob o título acima, o leitor Norberto Andrade enviou e-mail a Plenário, corrigindo o nome do filho recém-nascido do prefeito Marcelo Deda (PT). Chama-se João Marcelo Aquino Deda Chagas e não Pedro Marcelo, como erradamente publicou esta coluna. Notas GASOLINA O promotor Rogério Ferreira Silva realmente colocou gasolina na fogueira das apurações do assassinato de Joaldo Barbosa, ao revelar que na documentação do foragido Floro Calheiros, a Polícia Federal encontrou um cheque no valor de R$ 65 mil, que seria de um político ligado ao Governo e que participou das eleições. Segundo o advogado José Cláudio, que defende Antônio Francisco e o filho, o cheque é de um deputado. Não revelou se seria estadual ou federal, mas de qualquer forma há necessidade de também ir a fundo nessa revelação. EESCLARECER O deputado estadual Fabiano Oliveira (PTB) acha que é preciso esclarecer essa história de que Floro Calheiros tinha um cheque de 65 mil reais de um político. Ele diz que muita coisa ainda vai aparecer nessa história e não é só de políticos. Fabiano acha que a sociedade quer saber o que realmente está ocorrendo. Fabiano Oliveira, inclusive, não se convence das explicações que o Governo está dando para a fuga de Floro Calheiros, já que não se tratava de um preso comum e deveria ser mantido com toda a segurança possível. SUCESSÃO Tem gente apostando, nos bastidores políticos, que o Partido dos Trabalhadores não vai aceitar uma mistura na chapa para a Prefeitura de Aracaju em 2004. Apostam que defendem o puro sangue. Deda é candidato à reeleição e hoje conta com um forte grupo aliado, que está de olho na candidatura de vice-prefeito. Os partidos que dão sustentação ao prefeito já advertiram que não vão entrar na campanha municipal só com o voto e exigem participação na chapa. Jackson Barreto, por exemplo, não vê como o seu PTB não apresentar o vice. É fogo Os partidos iniciaram a fazer filiações visando as eleições municipais do próximo ano. É o início do pleito. O ex-governador Albano Franco era amigo pessoal de Roberto Marinho e sentiu muito a sua morte. Roberto Marinho, inclusive, havia sugerido ao governador Albano Franco a não troca a CNI pelo Governo de Sergipe. O ex-governador Albano Franco está trabalhando para a reorganização do PSDB, principalmente no interior do Estado. A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) executa o seu trabalho na Secretaria de Combate à Pobreza, mas também orienta as filiações no interior. O ministro Carlos Britto será homenageado segunda-feira pelos advogados, na OAB. Trata-se do Dia do Advogado. Apesar de ocupar um dos cargos mais importantes do país, Carlos Britto tem mantido a sua simplicidade, sem perder a ternura da veia poética. O deputado Walker Carvalho quer segurança para os comerciantes que transitam na rodovia Riachuelo/Laranjeiras. Há muito assalto no percurso. O petista Lacerda chega à Câmara Municipal de Aracaju com garra e vai dar muito trabalho aos adversários do prefeito Marcelo Deda. O deputado estadual Francisco Gualberto já foi filiado à ala jovem do PMDB. A revelação surpreendeu ao deputado Augusto Bezerra (PMDB), que vive às turras com Gualberto. A deputada Susana Azevedo (PPS) repudiou a aprovação do projeto de reforma da Previdência Social. Os sergipanos que têm acesso à internet já podem acompanhar as sessões da Assembléia Legislativa. As emissoras de rádio que também quiserem transmitir as sessões ao vivo estão liberadas. Não terão nenhum gasto. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários