Inimigos do povo

0

Toda essa confusão em torno do exagerado aumento do IPTU em Aracaju está ocorrendo por culpa de 14 vereadores que, para agradar o prefeito João Alves Filho (DEM), aprovaram o projeto de reajuste a toque de caixa e repique de sino. Embora alertados pela oposição que estavam agindo contra os aracajuanos, os governistas preferiram punir o povo para não contrariar o chefe de plantão. Para aumentar a raiva do contribuinte, a coluna publica a seguir os nomes dos vereadores que deram o aval para a Prefeitura meter a mão grande no bolso da população: Anderson de Tuca (PRTB), Robson Viana (PMDB), Dr. Agnaldo Feitosa (PR), Adelson Barreto Filho (PSL), Manoel Matos (DEM), Valdir Santos (PT do B), Renilson Felix (DEM), Dr. Gonzaga (PMDB), Ivaldo José (PSD), Augusto do Japãozinho (PRTB), Jailton Santana (PSC), Adriano Taxista (PSDB) e Agamenon Sobral (PP). O presidente da Câmara, Vinícius Porto (DEM), não votou, mas coube a ele o papel de orientar os 13 vereadores a votarem contra o povo. Lembrem-se destes senhores nas próximas eleições.

Com empresários

O prefeito João Alves Filho (DEM) se reúne hoje com empresários para tratar sobre o exagerado aumento do IPTU. Vai tentar convencê-los que o reajuste foi legal e até muito baixo, mas dificilmente conseguirá impedir que o Fórum Empresarial de Sergipe acione a justiça contra a escandalosa majoração do tributo. Sem conseguir nem entregar os boletos do imposto, a Prefeitura voltou a prorrogar para 6 de março o prazo para o pagamento da 1ª parcela do IPTU.

Seca braba

A Agência Nacional de Águas prorrogou até 31 de março a redução temporária da água que é liberada pelos reservatórios de Sobradinho e Xingó, no Rio São Francisco. A vazão mínima de cada reservatório é 1,3 mil metros cúbicos por segundo (m³/s) e foi diminuída para 1,1 mil m³/s. A medida visa garantir o volume d'água necessário para a produção de energia do Sistema Nordeste e o atendimento dos usos múltiplos da Bacia do São Francisco.

Sukita mente

O ex-prefeito de Capela, Manoel Sukita (PMDB), é mesmo um falastrão. Ele disse numa emissora de rádio, que o Ministério Público defendeu a sua posse como deputado estadual. Advogados garantem que a informação é mentirosa. O Ministério Público simplesmente não se manifestou sobre o recurso impetrado por Sukita para validar os votos e, conseqüentemente, garantir sua posse na Assembleia.

Apaga velinhas

O Jornal da Cidade está completando hoje 44 anos. Criado pelos jornalistas Ivan Valença e Nazário Ramos Pimentel, o JC é considerado o jornal mais completo de Sergipe por seu conteúdo informativo diversificado. Um abraço a todos que fizeram e fazem parte da história deste importante meio de comunicação do nosso Estado.

Quem mata?

E o vereador aracajuano Agamenon Sobral (PP) é defensor da tese ultrapassada de que “bandido bom é bandido morto”. Tal absurdo permite perguntar: como o Estado não pode matar, pois nosso ordenamento não prevê a pena de morte, quem se encarregará do trabalho sujo? E ainda, ao ferir o ordenamento jurídico, o matador do bandido não é bandido também?

Imunidade

Boa notícia para os vereadores: o Supremo Tribunal Federal assegurou ontem que vereadores estão respaldados pela imunidade quando no exercício do mandato. A garantia da imunidade não impede que a Câmara submeta os parlamentares municipais a diversos graus de punições, inclusive a cassação por falta de decoro.

Apagão legal

A organização ambientalista internacional  WWF lançou ontem a Hora do Planeta 2015, prevista para o dia  28 de março. Nesta data,  pessoas, empresas e cidades devem apagar suas luzes por 60 minutos, como um alerta mundial contra o aquecimento global. No Brasil, as crises hídrica e energética serão o tema central da campanha deste ano. Participe!

Pela cultura

A deputada estadual Ana Lúcia (PT) apresentou indicação solicitando ao governador Jackson Barreto (PMDB) a instituição do Sistema Estadual de Cultura. Para existir, o Sistema precisa ser regulamentado por meio de Lei Estadual, obrigatoriamente apresentada pelo Poder Executivo. Trata-se de um modelo de gestão e promoção de políticas públicas visando descentralizar as políticas culturais e facilitar seu acesso ao povo. Legal, né?

Títulos ameaçados

Os 10.599 eleitores sergipanos que não votaram e não justificaram a ausência nas três últimas eleições podem ter seus títulos cancelados. Para regularizar a situação, o cidadão deve comparecer ao cartório eleitoral, de 2 de março a 4 de maio, portando documento oficial com foto, título eleitoral e comprovantes de votação, de justificativa eleitoral e de recolhimento ou dispensa de recolhimento de multa. Você tá nessa?

Recorte de jornal

Publicado no jornal Folha de Sergipe em 30 de maio de 1907

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários