INOVAÇÃO IMPERATIVA!

0

Inovação Imperativa (*)

Os países da Comunidade Europeia gastam 700 bilhôes de dólareas por ano em P&D.
John Bessant, Imperial College,2009

Inovação é a palavra de ordem do dia, não temos a menor dúvida quanto a isto; todavia, percebemos também que muita gente está falando em inovação sem saber o que significa. Eis o perigo!

Vamos utilizar uma definição bastante clássica: “Inovação é a exploração bem sucedida de novas idéias[1]. Muito bem, nesse conceito clássico três palavras são essenciais: novas, ideias e a introdução de valor para a ideia. Está ai a chave para muitas respostas.

Uma ideia inovadora transformada em um produto, um processo ou um serviço só deve ser considerada inovação quando é criada e lançada no mercado. É preciso entender que há uma diferença essencial entre a invenção que é uma idéia de alto grau de impacto e ainda de baixo valor e a inovação que é uma ideia de alto grau de impacto e valor.

Um erro comum e clássico é se pensar que porque uma empresa está utilizando métodos inovadores de gestão já utilizados no mercado por outras empresas e classificar essa empresa como inovadora. Esse é um erro mortal!

Entende-se por inovadora uma empresa que propicia um ambiente favorável à geração de novas idéias, que seleciona as melhores e em seguida as implementa.

Uma coisa que acontece comumente é uma empresa ter uma ideia genial e logo em seguida querer implementar essa idéia em toda a sua rede de lojas, escritórios ou clientes. Com isso a empresa são se permite testar aquele produto ou serviço, analisar a sua utilidade ou aplicação, realinhar o que for necessário, fazer melhoria e pesquisas. Muitas vezes acontece que aquela ideia inicialmente considerada genial desmorona e trás um grande prejuízo. Portanto, o caminho mais certo será se fazer um piloto dessa idéia genial, testá-la, observá-la, fazer os ajustes que se fizerem necessários e em seguida lançá-la no mercado. Mas, lamentavelmente não é isto que vemos acontecer. Na pressa para vencer seus concorrentes, muitas vezes, as empresas matam grandes idéias potencialmente inovadoras.

Na realidade a inovação funciona como a organização de diferentes peças de um quebra cabeças composto por conhecimento, criatividade, atitudes para fazer as coisas realmente acontecerem e disciplina. Uma coisa que percebemos é que normalmente pensamos em inovação apenas como a produção de um novo produto, processo ou serviço e o processo para fazer isso acontecer.

Portanto, vale afirmar que para acontecer a inovação em uma empresa é necessário considerar que:

a)    inovação presume assumir riscos; todavia, riscos calculados, ou seja, se trabalhar no limite apropriado para a empresa;

b)    uma empresa dita inovadora é de se esperar que a estrutura e o ambiente de trabalho que permita que as pessoas explorem a sua criatividade e compartilhem seu conhecimento como uma forma de propiciar mudanças;

c)    canais proativos e redes para disseminação de idéias e fortalecimento dos contatos entre clientes, fornecedores e empregados. Entendendo-se que  inovação não é um processo isolado e sim um trabalho que envolve muitas pessoas.

Esse é ainda um caminho longo, principalmente, enquanto continuarmos teimando em esquecermos a importância da criatividade em todo e qualquer processo de inovação.

 

(*) Fernando Viana
www.fbcriativo.org.br



[1] Innovation Unit, Department of Trade and Industry, Reino Unido, 2004.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais