Insegurança por quê?

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

“…ao negligenciar com a segurança da sociedade, estão negligenciando com a própria segurança, e com a segurança de suas próprias famílias.”

Por: Mariano Filomeno (apenas mais um cidadão)

Os fatos policiais registrados diariamente mostram que grande parte dos crimes, são cometidos por duplas de adolescentes em motos, que circulam livremente por toda a cidade, praticando assaltos em postos de combustíveis, bares, restaurantes e pizzarias, além de diversos homicídios praticados principalmente no interior do Estado.

Mas na contramão do bom senso, a SSP monta enormes aparatos, evolvendo mais de 10 policiais, além de viaturas e equipamentos diversos para vasculhar os veículos de cidadãos de bem, cujo único crime praticado, tenha sido consumir uma latinha de cerveja.

E por mais que esse consumo não tenha produzido alterações comportamentais, casos em que o condutor desce do veículo e se mostra capaz de dialogar perfeitamente, basta que o agente de transito seja um intolerante, para que a partir dali o cidadão com bons antecedentes, passe a responder um processo penal, sem que se tenha a real percepção do desdobramento desse fato.

O fato é que o “Estado” através do seu representante (agente policial), acabou jogando um cidadão sem antecedentes criminais, para o campo da marginalidade. Manchando sua história e nivelando-o com estupradores, homicidas e criminosos de alta periculosidade.

Amparados nos objetivos da “Lei Seca”, que foi promulgada objetivando impedir que veículos fossem transformados em armas perigosas por estarem sendo conduzidos por motoristas embriagados, promovem diversas blitzs que desvirtuam esse objetivo. E passam a multar e criminalizar cidadãos de bem, apenas por terem consumido uma ou duas latinhas de cerveja, muitas vezes a menos de 200 metros de sua residência.

As blitzs realizadas ficam caracterizadas como máquinas de arrecadação desenfreada, e se transformam em instrumentos de abuso de poder, pois quando não identificam o uso de alcool pelo condutor, começam a vasculhar o veículo em busca de qualquer pequena irregularidade, para que ele não saia dali sem uma multa.

A irregularidade que enseja a punição pode ser qualquer uma, ate mesmo uma lacre rompido pela ação do tempo, se transforma em motivo suficiente para que o cidadão seja multado. Mesmo que se trate de um senhor com idade superior a 60 anos, aposentado em profissão digna e sem qualquer registro em ocorrência policial anterior, o tratamento não será diferenciado.

Ora caros leitores, os policiais sabem, que ali não transita um marginal, e não transita um condutor irresponsável, mas aplicam-lhe um auto de infração, sem permitir qualquer diálogo.

E se o veiculo estiver todo regular, mas se o agente perceber que o condutor por alguma razão, ingeriu uma simples lata de 300ml de cerveja, sem que isso tenha alterado o seu estado normal de conduta, isso é suficiente para que ele seja presentado pelo governo com uma multa de quase 2 mil reais, colocado atrás das grades e misturado com marginais de alta periculosidade, até que pague uma fiança a ser arbitrada pela vontade do delegado, e ainda responderá a um processo crime.

Não há aqui qualquer defesa de que condutores embriagados possam trafegar livremente colocando em risco a vida de terceiros. O que se pretende aqui é mostrar que com efetivo insuficiente, a prioridade da SSP deveria ser o combate aos tipos de crime que estão dominando as nossas estatísticas.

São diversos os homicídios praticados diariamente, os dados do IML principalmente nos finais de semana são estarrecedores, mas os gestores se voltam todos afoitamente para controlar os acidentes de transito, porque é nessa área que é permitido enorme faturamento, através das multas, através da compra para instalação injustificada de semáforos, contratos fabulosos para instalações de radares, e vez por outra é nessa área que agentes corruptos se valem para conseguir um extra.

As blitzs são necessárias e simpáticas aos olhos de muitos, porque os governantes utilizam para mantê-las, o argumento de que objetivam evitar mortes no transito. Mas na prática, elas são em muitos casos utilizadas como instrumento de abuso de poder, responsabilizando criminalmente o cidadão que tenha consumido uma dose de licor após a refeição.

Mas o exemplo da Lei Seca, é apenas uma das causas e talvez a menor das causas do aumento da violência. A grave crise social que tem deixado milhares de pais de família desempregados e sem perspectiva de conseguir sustentar dignamente suas famílias, também empurram através do desespero, cidadãos comuns para a prática de atividades ilícitas.

A farra com dinheiro público, as fraudes em licitações e o superfaturamento nas aquisições de produtos e serviços, que estão levando o Estado à condição pré-falimentar, também contribui com essa situação. Quanto a ousadia dos marginais, ela certamente está amparada na certeza da impunidade, e na certeza de que nos ambientes onde atuam, todos estão desarmados.

Não há como se falar em combater a violência, sem se falar em combater o tráfico de drogas. Mas isso teria que ser tratado num capítulo à parte.

Outro aspecto que contribui bastante para nossa insegurança é a negligência funcional. Mesmo a maioria dos policiais sendo comprometidos com a ordem pública, há no seio da corporação, policiais que negligenciam no exercício da função pública, não é difícil encontrar viaturas escondidas em condomínios, ou equipes de patrulhamento distante das áreas de perigo ou sempre protegendo o mesmo estabelecimento comercial, deixando a entender que há algo a mais patrocinando aquela preocupação.

Esses agentes precisam se conscientizar que ao negligenciar com a segurança da sociedade, estão negligenciando com a própria segurança, e com a segurança de suas próprias famílias. Não se trata de crítica generalizada ao trabalho da polícia, mas o governo precisa urgentemente implantar o RDA (Relatório Diário de Atividade), através do qual, é possível saber que contribuição de forma individual, o policial está dando no desempenho das suas funções.

Através do RDA, é possível verificar o número de prisões, apreensões de armas e ações preventivas de segurança pública, promovido por cada agente. É preciso também substituir os policiais que estão em atividade administrativa, até porque um servidor que desempenha a função de assistente administrativo, não pode sair às ruas armado para promover segurança pública.

Ao entrar numa corretora de imóveis, um cartaz despertou minha atenção com a seguinte frase: “LUGAR DE CORRETOR É NA RUA”. Acho que essa frase poderia ser muito bem aproveitada pela SSP em relação ao lugar dos policiais.

Reclamação: engavetamento no TCE/SE
Do jornalista Diógenes Brayner na coluna de ontem,19, no FaxAju: Alguns ex-prefeitos continuam reclamando do engavetamento de suas contas, já há vários, nos gabinetes de conselheiros do Tribunal de Conta.A maioria desses engavetamentos tem a política como causa.

Mendonça Prado pediu concurso para conselheiros TCU e TCE
Além dos ex-deputados federais Jackson Barreto e Augusto Franco Neto que levantaram bandeiras para acabar ou mudar o acesso aos tribunais de contas, o então deputado Mendonça Prado, em 2013, defendeu concurso público para conselheiros do TCU e TCE, chegando a apresentar uma Emenda Constitucional que, com certeza, foi engavetada na Câmara dos Deputados.

Conjuntos residenciais
O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura, investe mais de R$ 8.582.118,20 nos conjuntos residenciais Agripino Bernardo I e II, no município de Tobias Barreto, a 127 km de Aracaju. São 610 casas construídas para diminuir o déficit habitacional da região, beneficiando mais de três mil pessoas. O valor total do empreendimento, que é executado em parceria com o Governo Federal, é de R$ 43.352.118,20.

Infraestrutura
Os serviços incluem a construção do sistema de tratamento de esgoto, rede de drenagem pluvial, rede interna de abastecimento de água, pavimentação granítica e implantação de meio-fio em concreto de todas as ruas e avenidas que circundam as 26 quadras de casas, além dos serviços bases para a implantação do sistema de iluminação pública, a ser executado pela concessionária de energia elétrica que atende a região.

Comoção e revolta marca velório do delegado Ademir
Os delegados comparecem em peso para as últimas homenagens ao delegado Ademir Melo Junior assassinado brutalmente na segunda-feira a noite. Os sentimentos foram de dor e revolta. Leia e veja vídeo da equipe de jornalismo da Infonet: https://.infonet.com.br/noticias/cidade/ler.asp?id=188885

Solidariedade e sensibilidade
A deputada Maria Mendonça (PP) manifestou a sua solidariedade à família do delegado Ademir da Silva Melo Júnior, morto ontem à noite nas proximidades de sua residência em Aracaju. Para ela, essa onda de violência tem gerado muita insegurança e deixado a sociedade à mercê da bandidagem. Maria apelou à sensibilidade do Governo e da cúpula da Segurança Pública para que os crimes ocorridos no Estado sejam elucidados e os responsáveis devidamente apenados. 

Empresariado
Lideranças empresariais de Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Paraíba foram recebidas pelo presidente interno Michel Temer, para discutir os principais problemas econômicos da região e as perspectivas da economia nacional. O encontro aconteceu na manhã desta terça-feira, no Palácio Planalto, com a participação também do presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson Braga, do presidente do Conselho Nacional do SESI, João Henrique Almeida e dos presidentes de Federação das Indústrias dos quatro Estados.

Representação SE
A representação de Sergipe liderada pelo presidente da FIES, Eduardo Prado, teve a participação do empresário Albano Franco, membro do Conselho Diretor da CNI; Tarcisio Teixeira, presidente do Sindicato da Construção Civil; Roberto Constâncio Vieira Filho, do Grupo Constâncio Vieira e Antônio Carlos Borges, do Grupo Maratá.

Temas
Falando em nome da delegação de Sergipe, o presidente da Federação das Indústrias, Eduardo Prado destacou alguns dos temas que preocupam o empresariado local, entre eles, a necessidade de simplificação do sistema tributário, a reforma trabalhista, a revisão da Norma Regulamentadora NR 12, do Ministério do Trabalho e a modernização das relações de trabalho.

Perspectivas
Os empresários avaliaram como positiva a reunião com o presidente Michel Temer, que bastante otimista, discutiu durante 46 minutos as perspectivas da economia nacional e as estratégias para a retomada do desenvolvimento. Esse foi o primeiro de uma série de encontros que o presidente interino pretende manter com os empresários de todas as regiões, sob a liderança da CNI e do Conselho Nacional do SESI.

Deso: projeto promove educação ambiental no Bairro Aruana
Com o objetivo de desenvolver ações informativas e educativas, com ênfase na importância do sistema de esgotamento sanitário para a qualidade de vida e no exercício da cidadania, a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) continua realizando o Projeto de Trabalho Técnico Social (PTTS) no Bairro Aruana (Zona de Expansão).

Comunidades
“Ações como essas, que acontecem em todas as comunidades que receberam o serviço de esgotamento sanitário, são fundamentais para sensibilizarmos a população sobre a importância do esgotamento sanitário e para mostrarmos o que pode ser feito para contribuir com a melhoria do nosso planeta. destacou Anna Luiza Salgado, gerente socioambiental da Deso”.

Acesso
Uma das atividades que fazem parte do PTTS é a oficina de Educação Ambiental e Comunicação, ministrada pela professora doutora em Educação, pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Rita Simone. "No trabalho que estamos desenvolvendo com um grupo de estudantes do ensino médio do Colégio Santos Dumont, na Zona de Expansão, tomamos como ponto de partida o pressuposto de que o acesso aos recursos tecnológicos, a convergência e a integração das mídias, também nos possibilita produzir um conhecimento mais crítico, no qual os sujeitos do processo são protagonistas que tanto desenvolvem sua capacidade relacionada aos recursos digitais, quanto em desenvolver uma agenda pautada em seus desafios, inclusive no campo ambiental”, explicou.

Documentário
Rita disse ainda, que ao final da oficina, será apresentado um documentário participativo de 10 minutos, feitos com (e para) os estudantes, auxiliando no melhor entendimento sobre o uso correto da água e as demais questões ambientais. “Para isso, estamos trabalhando com o conceito do professor da Universidade de São Paulo, Ismar Oliveira Soares, de educomunicação, que é o conjunto de ações inerentes ao planejamento, implementação e avaliação de processos, programa e produtos destinados a criar e fortalecer ecossistemas comunicativos em espaços educativos presenciais ou virtuais, tais como escolas, centros culturais, emissoras de TV, rádio, entre outros”, afirmou.

Banese amplia ações de negócio em Aracaju e cidades do interior
O Banco do Estado de Sergipe (Banese) está ampliando as ações de negócio e recuperação de crédito em Aracaju e nos municípios do interior. A partir de ontem, 19, o Banese começou a prestar atendimento especial na Escola do Legislativo, localizada na Praça Fausto Cardoso, em Aracaju, e em vários municípios do interior onde está sendo feito o recadastramento dos servidores públicos estaduais.

Facilidades
Segundo a gerente da Área de Relações com o Governo e Negócios Financeiros do Banese, Mariana Amaral Melo, o objetivo das ações é facilitar o acesso dos servidores públicos às linhas de crédito, produtos e serviços do banco, além de possibilitar regularização de débitos. “Vamos estender nossas ações à Escola do Legislativo e aos municípios do interior durante pelo menos os próximos 30 dias”, informou a gerente.

Ações especiais
O Banese, ultimamente, vem desenvolvendo ações especiais de atendimento no quartel Central da Polícia Militar e nas sedes da Secretaria de Segurança Pública e Secretaria do Planejamento, Orçamento e Gestão, em Aracaju. A partir da próxima segunda-feira, 25, até o dia 5 de agosto, o atendimento será realizado também na sede da Secretaria de Estado da Educação, na capital.

Sucesso do Movimento Solidário
O Movimento Solidário, promovido no último sábado, dia 16, pelo Instituto GBarbosa, ofertou um mutirão de cidadania à comunidade. O evento contou com 24 parceiros, entre instituições públicas e privadas, promovendo atividades de saúde, cidadania e lazer. A iniciativa acontece anualmente, e esta edição foi realizada no estacionamento do Hiper Norte. Durante todo o sábado, a comunidade teve acesso gratuito a vários serviços como emissão de carteiras de identidade, realização de exames de DSTs, consultas oftalmológicas e ginecológicas, vacinação, escovação de dentes, corte de cabelo, escova, hidratação e maquiagem.

Noite da Seresta
O Bar e Restaurante Recanto do Chorinho tem a satisfação de receber A Noite da Seresta, 22/07 (sexta-feira), projeto idealizado pela cantora Lene Hall será relizado todas as sextas-feira com objetivo de animar o público resgatando o melhor da música popular brasileira de época .Regada de um repertório maravilhoso, gastronomia nota dez e uma variedade de bebidas maravilhosa a festa contará com Lene Hall e Gil Castro, a partir das 20H, no bar localizado no Parque da Cidade, no bairro Industrial, Zona Norte da Capital.O ingresso custa R$ 15,00 e está a venda no local do evento.Mais informações através do telefone (79) 9 99165558.

PELO TWITTER

www.twitter.com/marciorocha1  Em uma sociedade na qual o crime é a regra e não a exceção, tem algo errado sim.

www.twitter.com/thiagodhatt  Fernando Pessoa dizia que o mundo é de quem não sente, pois a condição essencial para se ser um homem prático é a ausência de sensibilidade.

www.twitter.com/CFcomunicologo  A preocupação do bloqueio do Whart´s deve ser maior q o endividamento familiar, a falta de emprego e a educação sem qualidade. #fail

www.twitter.com/ThalesBrandao  No mesmo instante que os usuários do Whatsapp estavam conhecendo sua família – STF autoriza o retorno do aplicativo.

NOTA PÚBLICA

PRESIDENTE DA ASSOMISE REBATE CRÍTICAS DO DELEGADO PAULO MARCIO

O presidente da Associação dos Oficiais Militares de Sergipe – Assomise, Tenente Coronel Adriano Reis, não entendeu o motivo pelo qual o dirigente da ADEPOL, delegado Paulo Márcio, tentou denegrir a imagem dos Oficiais da PM de Sergipe, em entrevista a um portal de notícias e uma emissora de rádio local.

Segundo Adriano Reis, "é digna de muita preocupação para a sociedade sergipana, não pelo contido, pois não é digno de ser levado a sério, mas pelas entrelinhas, pela tentativa covarde de tentar desviar o foco das tratativas da Polícia Militar com o Governo do Estado. Paulo Márcio nos remete a idos tempos quando autoridades, para desviar a atenção, construíam textos enfadonhos com um misto de anúncio de poderio do Estado para desconstruir a luta dos trabalhadores, é sabido que na função do delegado, se inicia e encerra-se procedimentos, mas o oficialato da Polícia militar não vai se deixar levar pelo factoide farisaico do delegado".
Em um número de mais de 5 mil Policiais Militares na ativa, não chega a 10% o número de Oficiais, e embora um número pequeno, todos trabalham, em comando de Companhias, unidades especializadas ou até mesmo na administração. Todos a serviço da população sergipana.
A PM e PC sempre estiveram de forma harmoniosa conduzindo cada um o que lhe compete, buscando levar mais segurança à população. Para o presidente da Assomise "a camaradagem é um dos nossos pilares mais fortes, e nós repudiamos veementemente a ação irresponsável, desconectada de alguém que por achar que tem opinião, pode causar ou tentar desestabilizar o estado psicológico de uma sociedade que vê, que enxerga a Polícia diuturnamente nas ruas, alguém que suscita inverdades com falácias de que ouve comentários e espalha como se verdade fosse. Num momento em que a sociedade sofre, a própria instituição Polícia Civil e toda a família policial, vê a morte brutal de mais um membro das forças de segurança pública e desta vez um delegado. Paulo Márcio traz de volta a propaganda Hitleriana de espalhar mentiras na imprensa com o objetivo de nesse caso, causar o caos na sociedade e a desarmonia entre a PMSE e a Polícia Civil", disse.

Segundo Adriano Reis, esse tipo de ação tenta ferir a instituição militar e principalmente o relacionamento positivo que a PMSE tem conquistado com Governo do Estado, na questão de negociações que beneficiem a toda corporação. "Tal postura nos faz ficar mais atentos a todo um periférico, justamente no momento em que a Polícia Militar está em tratativas com o governo do estado para implantação do nosso subsídio, a Polícia militar e o Bombeiro militar são as únicas categorias de trabalhadores que ainda não possuem, o delegado se remeteu aos tempos em que se tentava persuadir com inverdades e o próprio vacila quando tenta colocar-se como advogado do Diabo", frisou.  Ele não acredita que isso seja um pensamento coletivo, mas somente do delegado, "não, nós não cairemos nessa armadilha, a Polícia não precisa dizer nada à vossa senhoria, nosso trabalho está exposto todos os dias para a sociedade ver, os números estão à disposição de qualquer cidadão sergipano, nossa missão é real, todos os dias, nós não construímos e nem concluímos inquéritos. Esperamos porém que o Governo do Estado rechace essa posição. Mas com tranquilidade dizemos ao presidente da Associação dos Delegados, e sabemos que é isolado o seu pensamento", afirmou Adriano.

A missão dos Oficiais da Policia Militar é diária e todos continuarão nessa luta, firmes e conscientes!

Da Assessoria de Comunicação da Assomise

Blog no twitter: https://.twitter.com/BlogClaudioNun

Frase do Dia
“Absorva o que é útil, descarte o que não é, acrescente o que for exclusivamente seu.”  1973 – Bruce Lee, ator sino-estadunidense, morreu em 20 de julho de 1973 (n. 1940).

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários