Instrumento de pressão

0

O Movimento Sem-Terra (MST), através do seu presidente João Pedro Stédile, quando disse que iria “infernizar” o Governo do presidente Lula da Silva, teve a intenção de mostrar que os atuais inquilinos do Planalto só atuam sob pressão. A mobilização do MST, com invasões diária em todo o Brasil, dando vida à operação “Abril Vermelho”, tem o objetivo de forçar o presidente Luiz Inácio lula da Silva a administrar um problema que se arrasta há anos pelo país e que foi uma das lutas do próprio Lula, quando líder dos trabalhadores e depois uma promessa de campanha do candidato a presidente da República, que é a Reforma Agrária. Até hoje esse projeto não saiu do papel e, geralmente, quem está no poder repete que não pode implanta-lo sem um estudo técnico responsável. Ontem, ainda em Aracaju, os deputados federais João Fontes e João Batista, o Babá, confirmaram que o Governo Lula só funciona em favor dos trabalhadores, à base da pressão. Nada sai, do Palácio do Planalto, de boa vontade para o operariado ou servidores públicos. Tem que ser com ações como o “Abril Vermelho”, que já fez o presidente mexer no dinheiro reservado ao pagamento da dívida externa, para aplicar nos primeiros passos que direcionam a um projeto sério de assentamento de milhares de família em todo o Brasil. O risco é que esse estilo de conquista se torne comum para os miserais desse país, que podem criar os Movimentos dos Sem-Comida (MSC), dos Sem-Emprego (MSE), dos Sem-Esperança (MSE) e iniciem uma operação que tumultue a vida institucional brasileira. As quedas sucessivas da popularidade do presidente Lula é uma sinalização de frustração dessa gente, que via em Lula a única esperança de um modelo que favorecesse a classe trabalhadora e protegesse os desempregados e os oprimidos, através de uma distribuição de renda justa e um trabalho social sério. Evidente que a opinião que derrubou a popularidade do presidente é dessa gente que acreditou nas mudanças prometidas. Lógico que não vem dos grandes empresários, nem dos banqueiros e muitos menos daqueles que estão usufruindo o poder. É exatamente esse pessoal que desacredita no Governo e sofre a inversão de valores, que pode ir às ruas e pressionar para que seja feito o que fora prometido. O Brasil não pode pagar a dívida externa com a fome do povo. Isso, aliás, era uma bandeira do Partido dos Trabalhadores, quando estava na luta contra os Governos que valorizavam os banqueiros. Essa reviravolta de pensamento pode levar aos oprimidos o espírito do povo argentino, que provocou a mudança de presidentes pela força da democracia. Evidente que o presidente Lula está se sentindo acuado pela reação da população. No próximo dia 25, por exemplo, virá a Sergipe o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, com recursos para o projeto Jacaré/Curituba, no alto sertão sergipano, para acomodação de famílias integrantes do Movimento Sem-Terra. Claro que se trata de uma conquista desse Abril Vermelho, que realmente azucrina a vida do presidente Lula da Silva e descaracteriza um Governo que tinha projetos – ou dizia ter – de implementar a Reforma Agrária em curto tempo. Desde a semana passada, 1.400 famílias integrantes do MST ocuparam sete fazendas em cinco municípios sergipanos. Em apenas duas delas a Justiça expediu um mandado de reintegração de posse. Já se denunciou que o MST mostra distorções em seus princípios, ao promover saques, fechar rodovias, cobrar pedágios e até atacar caminhões para ficar com mercadorias. Mas é o movimento que melhor se organizou e tem uma força imensa. O estranhos são recursos que recebem para sustentar as famílias, comprar caminhões, tratores e garantir o pessoal nos acampamentos. O novo partido de esquerda que está surgindo, liderado pelo grupo que foi expulso do Partido dos Trabalhadores, tem como objetivo manter a tradição de luta da classe trabalhadora, reivindicando emprego, salário, reforma agrária e outras conquistas. Segundo a deputada Luciana Genro, “o novo partido voltará a resgatar a suspensão da dívida interna e sua auditoria, que foi uma bandeira defendida e esquecida pelo PT”. De qualquer forma é preciso reformular o continuísmo petista e retomar a luta em favor de uma reforma social profunda, com melhor distribuição de renda, mais emprego e uma Brasil mais justo para todos. Mas é preciso cuidado para não exarcebar, porque a defesa de uma moratória, como o fez Babá, é antipático para segmentos importantes da sociedade, que defendem as mudanças e querem integrar a nova sigla. CANDIDATA Os deputados João Fontes e Babá (sem partidos) comprovam que há um apelo muito forte para que Heloisa Helena seja candidata a presidente da Republica. Segundo João Fontes, em todas as cidades que o grupo chega para criar um novo partido, a população grita o nome dela para a Presidência. PANELAÇO O deputado João Fontes considera Brasília – referindo-se ao poder – uma espécie de panelaço: “quando certos homens chegam lá viram macarrão”. A dedução é de que o poder faz com que as lideranças mais vinculadas a uma política reformistas sejam cozinhadas por quem mantém o conservadorismo. ESPERANÇA Para o deputado Babá, em entrevista à rede Ilha, o presidente Lula da Silva foi eleito porque o povo tinha esperança de mudanças. Lembrou que depois de assinar alguns acordos em Brasília, Lula acabou se comprometendo com a elite brasileira e esqueceu o trabalhador. LIXO E BICHO O deputado federal Babá também relatou que as empresas de transportes coletivos, as empresas que recolhem lixo e o jogo do bicho é que sustentam os prefeitos. Babá não citou nomes e nem fez qualquer insinuação, mas reafirmou que “as empresas de transportes financia campanha de prefeitos no Brasil inteiro”. FLÁVIO O chefe da Casa Civil, Flávio Conceição, se recupera bem das duas cirurgias que se submeteu em 48 horas. Está no apartamento e recebe visitas. Flávio fez uma cirurgia para de uma hérnia de disco que estava estrangulada. É possível que receba alta já na segunda-feira. ELEIÇÃO Delegados do PPS de Sergipe viajam hoje a Brasília para votar na reeleição do deputado federal Roberto Freire para presidente nacional do partido. O ministro da Integração Nacional, Ciro Gomes, está ameaçando apresentar uma chapa, para atender ao presidente Lula. SALVADOR A pré-candidata do PPS à prefeita de Aracaju, Susana Azevedo, vai retornar a Salvador com alguns técnicos para fazer um levantamento do que foi realizado pela Prefeitura. Susana disse que quanto mais viaja, “mais vejo que não foi feito nada em Aracaju”. Diz que há deficiência na saúde, educação e na área social. GILMAR O deputado Gilmar Carvalho (PV) disse, ontem, que não apóia a candidatura de Susana Azevedo “de jeito nenhum”. Alegou que ela foi uma das primeiras a assinar o requerimento para a formação da Comissão de Ética contra ele. EXPLICA A deputada Susana Azevedo explicou que assinou o requerimento, acompanhando a posição da bancada. Revelou que depois disso voltou a conversar com Gilmar e até participou do seu programa. Estranhou essa posição agora e deve voltar a reunir-se com o parlamentar. CANDIDATURA Quanto à sua candidatura à Prefeitura de Aracaju, o deputado Gilmar Carvalho disse que a situação continua a mesma e espera uma posição do Governo. Gilmar não pode ser candidato sem uma composição forte e muito menos sendo julgado por uma comissão de ética. PINNA O presidente da Atricon, conselheiro Carlos Pinna, revela que os Tribunais de Contas têm interesse na aprovação do PEC que regulamenta o número de vereadores por cidade. Acha, que se o PEC não for votado, ficará seriamente comprometido o trabalho de fiscalização dos municípios. ALMOÇO O conselheiro Carlos Pinna vai participar de um almoço na quarta-feira, em residência do presidente do TCU, ministro Walmir Toledo, com a nova cúpula do Judiciário. Segundo Pinna, o ministro Walmir Toledo manifesta a preocupação em restaurar o número lógico das câmaras municipais, de acordo com os habitantes das cidades. MACHADO O deputado federal José Carlos Machado (PFL) aconselha que a partir de agora se inicie um trabalho em favor da pré-candidatura de Pedrinho Valadares à Prefeitura de Aracaju. Machado acha que desde quando o nome foi definido, não se deve provocar especulação de que ele será trocada, porque tira a motivação do candidato. Notas TRANSPORTE A ministra das Minas e Energia, Dilma Roussef e o subchefe de Assuntos Federativos da Presidência, Vicente Trevas, serão ouvidos em audiência pública, pela Câmara, para falar sobre barateamento das tarifas do transporte público urbano. O requerimento é do deputado federal Jackson Barreto, já aprovado. “Já amadurecemos diversas propostas que podem diminuir o preço da tarifa nos transportes públicos e chegou a hora de operacionalizar, dar ação concreta a essas medida”, disse o deputado Jackson Barreto. PROJETO A Codevasf informa que o reinício do Projeto Xingo aconteceu no dia 5 passado e tem como proposta promover o desenvolvimento sustentável do semi-árido sergipano, tendo como pressuposto básico a regularização das vazões do rio São Francisco. O objetivo é construir uma rede de canais para levar água aos municípios. No contrato anterior, estavam inseridos no Projeto quatro municípios: Canindé, Poço Redondo, Porto da Folha e Monte Alegre. Agora, mais um município foi incluído, o de Nossa Senhora da Glória, a pedido da Codevasf. TRANSPOSIÇÃO O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante solenidade na cidade de Sobral, no Ceará, com a presença do ministro dos Desenvolvimento Nacional, Ciro Gomes, a fazer a transposição do rio São Francisco sem a devida revitalização, o que prejudica os estados banhados pelo rio. Segundo o deputado federal João Fontes (sem partido), o presidente já assinou protocolo de intenção de empréstimo no valor de 1.5 bilhões de dólares, para realizar a transposição do rio e, paralelamente, decretar sua morte. Notas O deputado federal João Fontes e Babá foram os entrevistados de ontem na Radio Conferência da Rede Ilha. Babá e João deixaram claras suas decepções com o presidente Lula e com os rumos que ele traçou para administrar o país. Nunca houve uma movimentação tão grande para entrega de titulo de cidadania, quanto a desta quinta feira, para a senadora Heloisa Helena. O deputado federal Bosco Costa (PSDB) está trabalhando em sua região para disputar as prefeituras. Conversa com os candidatos. O deputado federal José Carlos Machado (PFL) não viajou a Brasília esta semana. Ficou em Sergipe tratando de problemas pessoais. O corretor de imóveis Bosco Sá (PL) acha que seu partido pode eleger até três vereadores, se tiver um time bom de voto e não fazer coligação proporcional. Bosco Sá analisa que se o partido fizer coligações vai perder e será escada para os caciques de outras legendas. Dirigentes de partidos e pré-candidatos a vereador fazem e refazem contas e já acham que se aumentar o número de vereadores, os partidos pequenos não se coligarão. O prefeito de Nossa Senhora do Socorro, José Franco, está ouvindo lideranças do seu município, para escolher o seu companheiro de chapa. Gilmar Mendes que negociar alguns pontos da pauta de reivindicações dos professores, sem garantia de um reajuste de salário em maio, fá fixado agora. O vereador Marcélio Bomfim (PTB) continua insistindo numa apuração rigorosa sobre os parquímetros. O conglomerado Unibanco liderou, em março, pela segunda vez consecutiva, o ranking dos bancos que mais receberam queixas de clientes. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários