Intervenção e corrupção

0

Intervenções em Prefeituras Municipais sempre serviram para aprofundar a corrupção na cidade. É que o interventor nomeado entra com a auréola de honesto, para inspecionar o que existe de podre dentro da administração intervencionada. Na maioria das vezes excede no rombo encontrado, e também leva sua parte, que ninguém é de ferro. Se o rombo é de R$ 15 milhões, diz logo que foi de R$ 25 milhões e não precisa comprovar nada. Dez milhões de reais desaparece de forma mágica. Nenhuma instituição se manifesta para divulgar em que foi gasto todo o dinheiro encontrado. As intervenções, geralmente, são muito mais danosas do que o próprio segmento administrativo, que seria a ocupação do mandato pelo vice-prefeito, em caso do afastamento do titular. O deputado federal João Fontes (PT), por exemplo, não vai se manifestar agora sobre as denuncias contra a Prefeitura de Aracaju, feitas pelo senador Almeida Lima. Garantiu que não deixará de fazer sua manifestação, mas depois de analisar bem todos os documentos que solicitará. Alegou que sempre fez tudo com muita seriedade. Mesmo sendo do partido do prefeito Marcelo Déda, não deixará de levantar o problema e discuti-lo com a sociedade e com entidades como Ministério Publico e Tribunal de Contas do Estado. João Fontes reconhece que as acusações de Almeida Lima foram muito fortes, bem fundamentadas. Mas mal explicadas pela Prefeitura. Além de reconhecer um equívoco que, se não fosse do PT, o próprio partido chamaria de outro nome. João Fontes já sabia que iria estourar uma outra denuncia de gastos superiores a dois milhões de reais, referentes a convênio contraído no mesmo período do que fora anunciado. Os objetivos seriam os mesmos: podagem de árvores, jardinagem e capinagem de postos de saúde. João Fontes admite que tudo isso tem que ser bem explicado. Partido dos Trabalhadores jamais passou por acusações do tipo e talvez esteja se perdendo nas apurações e na forma de agir. Tem que fazer como sempre cobrou dos adversários e não passar a mão na cabeça dos culpados, querendo tapar o sol com uma peneira. Um forte aliado do prefeito Marcelo Déda, que pediu omissão do nome porque integra uma legenda vinculada ao grupo e não quer se envolver no problema, revelou que isso que está acontecendo com o Partido dos Trabalhadores serve para mostrar que a sigla comete os mesmos equívocos de outras. Não é mais um inocente neste jogo sujo que acontece nas administrações. Muitas das vezes à revelia do comando. Continuou: “O PT em Sergipe está passando pelo mesmo inferno astral que provocou em outras siglas, quando ainda era um partido que só sabia usar estilingue”. Esse mesmo aliado disse que o Tribunal de Contas se complica para julgar as denuncias de Almeida Lima, de desmandos na Prefeitura, porque deu a mais alta comenda da instituição ao prefeito Marcelo Déda, antes mesmo do julgamento de suas contas. Este é um momento muito difícil para o prefeito Marcelo Déda, que realmente não tem o perfil de corrupto, não tem um histórico sujo na política e tem que tomar providências imediatas para que a sociedade retome a credibilidade na sua administração, que é muito boa. Tem que dar explicações mais convincentes, mais decisivas e firmes. Porque é esse estilo que a população espera de Marcelo Déda, um cidadão que experimenta, pela primeira vez, denuncias sufocantes e bem explicadas. Não adiantam as faixas de solidariedade assinadas por aliados. O que o povo quer é a certeza da adoção de medidas que sane o problema. E que torne a administração transparente, como sempre o prefeito mostrou ser. Sinceramente, é isso que a sociedade espera. Porque, até hoje, a seriedade administrativa era a maior obra do prefeito de Aracaju. DEMISSÃO O secretário da Educação, Marcos Prado, esteve na corda bamba, neste final de semana: balançou, balançou, mas não caiu. Tudo isso por causa de má administração dos recursos federais, que chegam à Secretaria, envolvendo inclusive o Fundef. PÁGINA O governador João Alves Filho anunciou aos secretários, em reunião sexta-feira, a criação de uma página da Secretaria da Administração na Internet. Lá serão anunciadas todas as compras feitas pelo Governo, desde um helicóptero até um grampo para anexar papeis. DÉDA O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), disse ontem que não vai dedicar sua vida em responder ao senador José Almeida Lima (PDT). Hoje viaja ao Rio de Janeiro, ao lado do desembargador Pascoal Nabuco, para um encontro com o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT). Amanhã vai a Brasília para reunião com a bancada. ENCONTRO O deputado federal José Carlos Machado (PFL), coordenador da bancada para as emendas do orçamento, reuniu-se com o prefeito Marcelo Déda ontem pela manhã. Machado expôs como está a bancada e disse pediu que a Prefeitura de Aracaju preparasse suas emendas para ser discutida. ANÁLISE O prefeito Marcelo Déda disse que quer ouvir os parlamentares aliados e procurar saber onde o Governo vai atuar, para entrar com duas emendas. Como o prazo para apresentação das emendas ainda não foi definido, o prefeito vai preferir aguardar mais um pouco para discutir prioridades. NÃO LIGA O deputado federal José Carlos Machado disse, ontem, que não liga mais para alguns secretários do Governo, porque nunca é atendido. Revelou que toda sexta-feira, quando em a Sergipe, fica estressado porque não consegue falar com alguns auxiliares do governador. VIAGEM O governador João Alves Filho (PFL) viajou, ontem, a João Pessoa, para reunião com os demais governadores do Norte, Nordeste e Centro-Oeste, sobre a reforma Tributária. Os governadores agora discutem o Fundo de Desenvolvimento Regional. João retornou no final da tarde e teve reunião agendada com auxiliares. VASCULHOU O secretário de Segurança, Luiz Mendonça, assegurou que já percorreu mais de 30 fazendas no município de Itaporanga D`Ajuda, em busca de Antônio Francisco. Não foi encontrado em nenhuma delas. Luiz garante que a polícia está fazendo o seu papel e trabalha para prender o ex-deputado. BELFORT A delegada Meire Belfort depõe, hoje, às 14 horas, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura a pistolagem no Nordeste. Meire vai falar sobre a fuga de Floro Calheiros da 1ª Delegacia, de onde ela era titular, e revelar se houve suborno de policiais e as ameaças de morte. DISCURSO O deputado federal João Fontes (PT) fez palestra, sexta-feira, em Natal, no Congresso Nacional de Docentes. Falou sobre a Conjuntura Econômica da Educação. Referiu-se ao contingenciamento de recursos para as universidades e o orçamento de 2004, que não trás aumento para os professores universitários. PAGAMENTO João Fontes disse que foi criado um Comitê, formado por ministros, para discutir a Reforma Universitária. O ministro da Educação, Cristóvam Buarque, prevê o fim do ensino superior gratuito. Quem ganhar acima de 10 salários terá que pagar a Universidade para os filhos. SUSPENDE O discurso que o deputado federal João Fontes faria, na Câmara, sobre a segurança em Sergipe, sexta-feira passada, foi cancelado. Admitiu que João Alves Filho tomou as providências que lhe prometeu, o que esvaziou o pronunciamento. “As providências foram imediatas e duras”, disse. DENÚNCIAS O ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis (PTB), acha que as denuncias de Almeida Lima (PDT), da forma como foram feitas, contra a Prefeitura de Aracaju, são ruins para Sergipe. Acha que tudo deveria ter sido entregue ao Ministério Público e Tribunal de Contas, para ser denuncias com o resultado final das apurações. NEGATIVO Jerônimo Reis se mostrou preocupado com uma onda de denuncias que podem acontecer de todos os lados, envolvendo lideranças políticas importantes de Sergipe. Para ele, isso revela uma imagem negativa do Estado lá fora. Até recomendou: anote e guarde, “novos fatos vão surgir envolvendo muita gente”. Notas POLÍTICOS O governador João Alves Filho (PFL), durante o encontro que teve com os auxiliares, neste final de semana, solicitou que todos tratassem bem os políticos. Um atendimento especial a tudo o que fosse necessário. João tem recebido reclamações de lideranças políticas, quanto ao tratamento dispensado por auxiliares. A secretaria da Educação é a que tem merecido maior número de reclamações dos parlamentares. A maioria diz que o secretário Marcos Prado, só atende depois de algumas horas de espera na anti-sala. MACHADO O deputado federal José Carlos Machado já desabafou que fala com mais facilidade com um ministro, em Brasília, do que com um secretário de Estado em Sergipe. O deputado diz que nunca deixou de atender a um auxiliar do Governo e sempre retorna a ligação quando procurado por qualquer um deles. Com ele acontece o contrário: “muitas vezes ligo para pedir informações sobre alguma coisa, inclusive para ajuda-los em Brasília e, geralmente não sou atendido. Deixo recado e nenhum retorna o telefone”. PROGRAMA O PMDB deixou claro, ontem, durante programa na televisão, que está aberto para composições em todo Estado, na disputa por Prefeituras do interior, mas sempre ao lado de partidos aliados do Governo. O PMDB pode também lançar candidato à Prefeitura de Aracaju, dependendo de entendimentos. Segundo informação do deputado estadual Augusto Bezerra, o PMDB pode fazer uma composição com o PP, PPS e PSC para lançar um nome que disputará a Prefeitura de Aracaju. O mais cotado será escolhido. É fogo O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, viaja ao Rio de Janeiro para um encontro com o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra. Segundo Marcelo Déda, vai tentar uma parceria para programa culturais no Estado. De lá vai a Brasília. O governador João Alves Filho retornou de João Pessoa, onde se reuniu com governadores do Nordeste, e despachou com secretários até tarde da noite. O senador José Almeida Lima (PDT) insiste que a Prefeitura de Aracaju é uma mala preta. Há uma grande dificuldade para informações. O município de Simão Dias gasta em torno de R$ 120 mil com alimentação para os policiais e combustível das viaturas. O presidente da Assembléia Legislativa tem sido muito tolerante nos debates entre situação e oposição nas sessões plenárias daquela Casa. O deputado Walker Carvalho, deverá retornar às suas atividades na próxima semana, depois de uma cirurgia de apendicite. O prefeito de Simão Dias, José Valadares (PSB) até agora não recebeu recursos do Governo Federal. Até agora o prefeito de Propriá ainda não tem qualquer decisão sobre o seu sucessor. Ainda está analisando qual o melhor nome. O governador João Alves Filho está muito preocupado com as finanças do Estado. Os recursos rareiam e o FPE cai drasticamente. O que ainda tem salvado o Governo é a performance da arrecadação estadual. O secretário Max Andrade está satisfeito com o trabalho que seu pessoal está executando. Segundo Max Andrade, o empresariado tem colaborado muito ao pagar em dia o ICMS: “isso é muito gratificante”, disse. Os governadores do Nordeste, reunidos ontem em João Pessoa, vão marcar presença na reforma Tributária para assegurar o Fundo de Desenvolvimento Regional. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais